TIA NEIVA

TEU PADRÃO VIBRATÓRIO É A TUA SENTENÇA

O CENTURIÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

ADJUNTO ANAVO

MESTRE KAZAGRANDE

PÉROLAS DE PAI JOÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

MINHA MISSÃO É MEU SACERDÓCIO

EXÍLIO DO JAGUAR - KAZAGRANDE.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Namoro e Doutrina


Os espíritos, encarnados e desencarnados, se aproximam sempre por duas premissas: afinidade ou cobrança. E mesmo na segunda opção, cobrança, é necessária uma afinidade vibratória inicial.

Partindo destes princípios podemos considerar natural a aproximação interessada de membros da Doutrina, que vêem no outro uma possibilidade de estar junto de quem compartilha dos mesmos ideais de fé e convivência social (sem álcool, drogas e com uma conduta a ser seguida).

Assim inicialmente se formam os casais dentro da Doutrina... Com uma afinidade no trabalho espiritual, algo que chama a atenção e parece haver um “reconhecimento” mútuo. Passam a trabalhar juntos com mais freqüência e logo acabam se encontrando fora do Templo, sem uniforme, para conhecerem suas personalidades.

Dentro do Templo, de uniforme, nós somos “seres de Luz”! Refletimos a energia de nossos Mentores e atraímos fortemente a todos que possuem alguma necessidade espiritual. Deste modo, pacientes, e médiuns iniciantes, sentem-se naturalmente atraídos pelo médium que já possui todas suas Consagrações.

O Centurião consagrado deve ter total consciência desta condição e evitar a todo custo qualquer tentativa de aproximação, que seja fora da missão, quando estiver de uniforme. Quando se está de uniforme o quê atrai é a Luz de nossos Mentores, e a ela, todo respeito! Estaremos em nossa Individualidade e esta não compartilha os desejos de nossa personalidade.

Por isso o encanto que as Ninfas de branquinho possuem pelos Instrutores. Pode ser o “mais feio do Templo”, mas quando está de uniforme e emanado pela Luz de sua Princesa, sempre se verá lindo!

Um Instrutor jamais pode permitir uma aproximação interessada! Se um relacionamento estiver previsto para ocorrer entre ele e uma aspirante, irá ocorrer de forma natural. Irão, inesperadamente, se encontrar fora do Vale, sem qualquer planejamento e mesmo assim, somente após não participar da instrução da Aspirante, é que poderá considerar a “possibilidade”.

Os Aspirantes estão sedentos da Luz que emanamos! Aproveitar-se desta condição é o mesmo que pedir a Pai João que coloque sua guarda em seu calcanhar! Não que ele vá lhe castigar... Só vai deixá-lo a mercê do próprio carma... Isso bastará!

Em relação aos pacientes é ainda mais grave! Salve Deus! É como um médico aproveitar-se de seus enfermos que o vêem como a esperança de sua cura.

Portanto, concluímos que os relacionamentos podem acontecer e trazerem muita felicidade, mas para o Templo quem vai é a sua Individualidade! Não é você e seus desejos! Quem atrai não é sua beleza, simpatia e charme, é a Luz de seu Mentor! Usar esta atração para sedução ou satisfação de seus desejos da personalidade, equivale a usar sua mediunidade para obter benefícios!

Deixem a vida acontecer! Não precisa forçar nada. Tudo acontece na hora certa e quem você terá que encontrar se fará presente também fora do Templo. Nossos Mentores cuidarão para que os encontros aconteçam sem você manchar sua mediunidade com seus desejos.

Kazagrande

Nova Missão



Meus irmãos e irmãs, Salve Deus!

As Consagrações realizadas na Bolívia foram um marco para nossa Doutrina! Mais de 100 médiuns, de várias partes do Brasil estiveram presentes, além de outros 200 locais.

Acolhidos com a simplicidade deste povo boliviano, todos se acomodaram em um grande acampamento cigano ao redor do Templo. Dezenas de barracas, onde a Corte, Arcanos, Aponaras, conviveram diretamente com a humildade dos anfitriões, lembrando os tempos do início da jornada de Tia Neiva na UESB.

O Trino Ajarã, emocionado desde o primeiro momento, chegando ao Templo autorizou a abertura da Corrente Mestre, elevando o Templo de Santa Cruz à condição de Templo Iniciático em Terceiro Estágio.

Não será demais agradecer a todos vocês que vibraram nesta emanação. Agradecer aos presentes, que superaram todas as dificuldades das humildes instalações, e aos que de longe, vibravam para que tudo desse certo.

Quarenta e dois novos Centuriões locais e sete novos Arcanos, com missões específicas.

Sim, eu também recebi uma nova missão para somar nesta pequena jornada. Partirei para a implantação de forças de uma nova casa de Pai Seta Branca nestas terras bolivianas: Cochabamba!

Totalmente inesperada, mas recebida com alegria e compromisso, esta nova missão vem corroborar o pequeno trabalho desenvolvido nestes anos de exílio e no Exílio do Jaguar. A Consagração de Arcano, Adjunto de Povo, trouxe um ânimo a mais e um reconhecimento que nunca busquei.

Seguiremos juntos aqui, sempre buscando conciliar o precioso tempo disponível, igualitariamente dividido entre família, trabalho e templo. Sempre respondendo a todos que escrevem suas dúvidas e aflições, e publicando estes pequenos textos. Mesmo que por vezes se acumulem os e-mails (agora mesmo, por exemplo), não deixarei de responder ninguém, com o mesmo carinho e respeito.

Partirei em uma jornada pelo Brasil no próximo mês e espero encontrar e reencontrar muitos de vocês. Registrando fisicamente o fraterno abraço tantas vezes enviado por e-mails e textos.

Kazagrande
Adjunto Anavo
Filho Adotivo de Koatay 108

Fora da Contagem - 1


Encerramento da Mesa Evangélica – Incorporação de paciente na Cura, Junção, Indução, Defumação

Resposta à consulta de um Comandante

A Ninfa ou Mestre lua incorporou durante o encerramento (emissão do comandante, precisamente) da mesa evangélica, o que fazer nesse caso?

Este assunto é delicado, pois envolve diretamente o preparo do Comandante em questão.

Sabemos o procedimento de encerramento, ao tocar a sineta, esperar as desincorporações, e depois, se necessário, permitir uma nova passagem, o Comandante pergunta se todos estão bem e inicia o encerramento. A partir deste ponto já não há mais retorno! A Mesa irá encerrar-se mesmo que o Apará tenha permitido uma manifestação fora desta Contagem. Por este motivo é que deve existir sempre mais de um responsável pela Mesa. Além do Comandante, deve haver outro mestre preparado que acompanha tudo, que deverá entrar em ação imediatamente ao verificar a incorporação extemporânea.

O encerramento não deve ser interrompido. O mestre que está apoiando o Comandante, ou outro que seja igualmente preparado, deve aproximar-se do Apará e, sutilmente em seu ouvido explicar que a Mesa está sendo encerrada e o irmãozinho terá oportunidade após o encerramento, mas agora deve liberar a incorporação, para que possa manter o equilíbrio e não sofrer com a vibração e força esparsa envolvida.

Orienta para que libere a incorporação! Não tem Doutrina e nem Elevação nesta hora! O orientador deve ser suave, e se houver insistência em manter a incorporação, que mantenha a postura e a calma, sempre pedindo para que espere o término do encerramento.

Doutrina e Elevação, somente depois que o trabalho já esteja encerrado e os médiuns liberados. Não podemos deixar todos parados esperando a solução de um caso isolado.

Salve Deus! O paciente incorporou durante os trabalhos de: Junção, Indução, Defumação. O que fazer nesses casos?

Pacientes devem ser claramente orientados para não dar passagem a incorporações fora dos Tronos. A orientação deve ser clara, pois a ritualística do trabalho não pode ser quebrada. Existe toda uma proteção espiritual para evitar que isso aconteça, e a “passagem” só se dá pela necessidade de “fuga” que o irmãozinho sente, aliada ao desejo do próprio paciente. Ocorrendo este fato, não se quebra o Ritual! Deve ser seguido à risca e o paciente orientado por um comandante auxiliar. No término do trabalho deverá ser encaminhado novamente para os Tronos.

Caso o paciente seja médium de nossa Doutrina, Salve Deus! Provavelmente estará em sério desequilíbrio e deverá ser encaminhado para o Adjunto ou seu Regente para que possa ser orientado. Esta é uma das principais missões de um Adjunto: Zelar pelos seus componentes!

Kazagrande

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Pérolas de Pai João de Enoque – 10/10



Publicada na página de Pérolas, e republicada junto aos artigos a pedidos!

Filho querido do meu coração,

Este nêgo velho fica muito feliz que você esteja adquirindo a consciência do poder das vibrações de um Jaguar.

Compreender o fenômeno e suas conseqüências, tanto as boas, quanto as más, é o primeiro passo para o controle de suas emoções, para o melhor e fiel cumprimento de sua jornada.

Você já vê e sente o quanto se pode obter quando se está verdadeiramente concentrado no trabalho, participando a cada mensagem, compreendendo e visualizando o quadro de cada paciente. Mesmo nas orações, os quadros se formam em sua mente, e sua vibração sincera, serena de amor chega aonde é enviada. E ainda, nestes meios eletrônicos que chegam na Nova Era, já pode sentir em seu plexo como as palavras escritas não vão sozinhas. Elas vão acompanhadas do sentimento, da vibração de quem escreve. Quantas mensagens, enviadas ou recebidas, têm uma forte vibração, carregada de sentimentos que saem do emissor para o receptor. E se pode sentir!

Mas meu filho, este Preto Velho tem a missão da disciplina, da razão, por isso é necessário que se alerte sobre quando as vibrações são emitidas em momentos negativos. Um Jaguar tem todo um preparo espiritual, pois a ele são confiadas verdadeiras armas. Sei que você prefere falar ferramentas de trabalho, mas a Mãe Clarividente estava correta ao denominar de armas! Pois também podem ferir, machucar e em todos os planos.

Um Jaguar, quando se desequilibra, e passa a vibrar contra uma pessoa comum, não contra outro Jaguar, mas contra alguém do seu dia a dia, pode destruir a vida da pessoa. Sua vibração é poderosa! E se esta vibração vai envenenada de sentimentos negativos... Salve Deus! O preço é muito alto!

Estes dias você passou em um teste muito grande, conseguiu escapar daquele filho sem virar suas armas contra ele. Este nêgo velho ficou muito feliz, pois viu uma pontinha de evolução. Se você passasse aquele fim de semana vibrando nele, pensando na ofensa, remoendo o sentimento, se magoando ainda mais, na segunda feira ele iria desencarnar.

É sim, meu filho! Iria desencarnar! Pois ele atravessa uma faixa cármica muito perigosa e seus cobradores estavam na espreita. Se você ficasse vibrando ele, iria alimentar a energia dos cobradores, e eles poderiam atingir o objetivo de levá-lo ao desencarne.

Veja como é grande a responsabilidade de um Jaguar! Não se pode dizer que você não teria culpa, devido a uma natural reação de revolta, pois como Mestre consciente desta Doutrina, obrigatoriamente tem que ter o entendimento da necessidade do equilíbrio, e não pode passar mais do que alguns poucos minutos fora do seu padrão, sob pena de tornar-se cúmplice da desdita do outro.

Disciplina, meu filho, disciplina! Usando o bom senso de quem sabe ter um poder muito grande, e só deve usá-lo para o bem dos outros. Jamais para o mal! O bem para você mesmo chega por conseqüência, na hora certa e na medida certa do seu merecimento, em conjunto com a quitação de suas dívidas cármicas.

Às vezes, meu filho, realizamos um grande trabalho, um trabalho que poderia mudar toda a sua vida no sentido material, mas o quê é obtido, seus bônus, são usados da melhor forma... O melhor não é arrumar sua vida neste plano. E sim garantir seu verdadeiro futuro, em seu verdadeiro lar. Não se preocupe, nada vai lhe faltar, nem a você e nem a sua família para o fiel cumprimento desta jornada.

Esta mensagem, meu filho, você pode colocar lá no seu Exílio, por que seu único exílio é aquele espaço, para nós você está em missão especial.

Receba terço espiritual, meu filho, guarde no Aledá do seu coração, na hora certa saberá para que serve. Agora é só um presente deste nego velho.

Pai João de Enoque

Mantras, Chakras e Plexos


Já nos primeiros passos dentro da Doutrina, você passa a ter um “Mantra" ou seja, um conjunto de gestos, sons e atitudes que lhe permitem começar a se ligar com seu mundo espiritual. Você canta “Mayanty” e, ao fazer isso, você libera seu “fluido" ou "ectoplasma". Ele vai saindo de sua boca como se fosse uma nuvem invisível e essa fumacinha vai se juntando ao ectoplasma dos outros Médiuns e ao que já existe no Templo.

Ao mesmo tempo sua "aura" vai ficando mais clara e a "parede" do seu Perispírito se torna mais límpida, mais transparente. Seus "chakras" começam a acordar e você vai recebendo de volta a mesma quantidade de fluído que você está emitindo. Só que o fluído que volta é mais sutil, cheio de vibrações positivas.

Ele atravessa seus "Chakras" e se comunica com seus plexos nervosos. (Plexos são feixes de nervos – lugares onde os nervos se cruzam).

O maior "plexo" fica situado na região do estômago, entre este e o peito. Nele você recebe e emite a maior carga de ectoplasma e é por isso que os Mestres recomendam que você ande com as mãos cruzadas às costas (mantendo esta atitude até a Elevação de Espadas, quando passa a dispor do Cruzamento de forças Evangélico-Iniciática). Com isso você expõe mais o plexo solar, esse que fica acima do estômago. Outra parte do ectoplasma, que está sendo recebido, penetra pelo alto da cabeça, pelo “Chakra" coronário. Na verdade isso pode acontecer com todos seus “Chakras" e, por conseguinte, com todos seus "plexos".

Aos poucos, você sente o resultado dessa complexa operação Mediúnica, e você começa a se sentir diferente. Sua mente clareia, você percebe em si mesmo uma excitação tranqüila, uma energia nova, uma certa leveza, uma espécie de alegria.

Na verdade, o que você sente é difícil de ser reproduzido aqui, uma vez que a experiência é só sua de acordo com você mesmo e com mais ninguém.

Essa é a experiência do princípio de comunicação de seu espírito, com você mesmo!

Daqui por diante você a cada dia aperfeiçoa mais sua capacidade de Mediunização. Com o tempo e a repetição ela se torna automática, rápida.

A partir da Mediunização, você tem pouca coisa a se preocupar, em termos de trabalho mediúnico. Você estando Mediunizado os Mentores e os Guias executam o trabalho por seu intermédio e vão lhe creditando os "bônus horas", isto é, os créditos espirituais que vão saldar suas "dívidas" desta ou de outras encarnações.

Trino Tumuchy

Amanhã comentarei profundamente este pequeno texto e parte de suas informações.

Kazagrande

A Lojinha


Pai João se aproximou de Tia Neiva enquanto ela caminhava pelo pátio frontal do Templo:

 - Fía, olhe para aquele médium ali e tenha muito carinho em sua avaliação.

Tia Neiva percebeu tratar-se de um Mestre bastante conhecido e aproximou-se iniciando uma conversa sobre um tema qualquer.

Enquanto falava, em sua clarividência, observava a aura do Médium e lhe chamou atenção a dissonância entre o quê via, e o quê estava sem seu colete. Com muito tato tocou no tema, e soube que ele havia adquirido de um vizinho, por um preço mais em conta. Este colete tinha um Radar que ele ainda não havia conquistado!

Explicou a ele a importância de somente usar aquilo que houvesse conquistado, assim não correria o risco de participar de um trabalho em uma posição para qual seu plexo ainda não estivesse preparado, trazendo conseqüências para toda sua jornada!

Passou na Lojinha e deu a ele um colete novo, orientando-o para que procurasse os Devas afim de obter a orientação sobre quais as armas que poderia realmente usar.

Salve Deus!

A Lojinha surgiu para ordenar a aquisição de nossas armas, para proteger o médium de usar algo fora do padrão, ou fora de suas reais condições mediúnicas. O mestre responsável tem que ser um profundo conhecedor de nossas armas e saber orientar, com carinho e respeito, todos que o procuram, encaminhando aos Devas, quando necessário.

A função da Lojinha não é gerar lucros abusivos, pode participar com um lucro justo na manutenção das despesas do Templo (água e luz, por exemplo), mas sua função não é ganhar dinheiro com a exploração do corpo mediúnico.

As armas devem ter uma pequena margem de lucro, para as despesas, mas também cumprir seu papel de auxiliar os médiuns menos favorecidos que a procurarem. Eu mesmo recordo, que não tendo nenhuma condição de pagar pelo meu primeiro colete, o recebi sem qualquer despesa ou compromisso firmado.

Obviamente não se pode sair dando nada de graça, cada qual deve lutar também pela conquista de cada radar a ser colocado no colete, mas não se pode fechar os olhos àqueles que, não podendo nada doar de dinheiro para o Templo, contribuem, com seu trabalho físico, auxiliando nas obras, participando ativamente em qualquer atividade que lhes seja solicitado, assumindo as funções mais humildes e normalmente de maior esforço físico.

A maioria de nossos médiuns é carente, e se esforça na aquisição de cada arma após uma difícil jornada para conquistá-la. Assim, nada como o bom senso para definir os preços e o emprego produtivo de cada centavo que ingresse para o benefício material de todos.

Aqueles que visando uma pretensa economia começam a confeccionar os próprios Radares ou buscar “alternativas” para aquisição, estão fora da Contagem deixada por Tia Neiva! Não basta ser “igualzinho”, tem que ter a emanação do Mestre responsável, designado para este trabalho específico.

Tendo os preços justos, a Lojinha elimina os “piratas doutrinários”. Estes normalmente visam o lucro, disfarçando suas reais intenções em “preços melhores”, mas revertem os lucros somente para si, acabando até por comprometer sua própria encarnação.

Kazagrande

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

O Adjunto Maior


Somos uma Tribo, mais do que isso, arrisco-me a afirmar que somos uma grande família (ou ao menos deveríamos ser e agir assim).

Creio firmemente nos laços espirituais que nos unem e, portanto, apesar dos grandes reajustes que existem entre nós, o sentimento de “família espiritual” deveria suplantar, pelo perdão, todas nossas mágoas do passado.

Embora muitos “povos” tenham sido formados, pela abertura de inúmeros Templos, temos uma raiz de origem em um Adjunto Maior, ou Adjunto de Raiz. Aqueles primeiros homens, escolhidos a dedo por nossa Mãe Clarividente, que tendo a capacidade de ver nos dois planos, pode obter o conhecimento da herança transcendental destes homens e consagrá-los na formação do Adjunto Koatay 108.

O Adjunto de Povo é um verdadeiro pai para seus componentes. Não vou descrever novamente as Leis que o regem e suas inúmeras responsabilidades e compromissos, mas cabe lembrar que ele forma, em sua força decrescente, outros Jaguares, que podem se tornar igualmente responsáveis por conduzir povos e passar a ter as mesmas obrigações e responsabilidades.

Acontecendo assim o “crescimento da família”, como se aquele primeiro Adjunto se tornasse o “avô” dos componentes de seus “filhos”, mantendo o elo de ligação com a raiz de origem que, igual aos laços consangüíneos, pode ser ignorada, mas não é rompida! Você pode se afastar, ir morar em outra cidade e romper os laços com sua família, mas seu avô não deixa de ser avô, por conta deste distanciamento.

Um Adjunto denominado Maior é um Adjunto de Raiz! É um destes homens especiais que foram escolhidos por suas heranças para conduzir os Povos a serem formados em nossa Doutrina.

Um Presidente de Templo pode ser o “seu Adjunto Maior”... Mas ele também tem uma origem!!! Veio de outro Adjunto, que por vezes já vem de outro... e outro...

Com todo respeito: Adjunto Maior, a que se referem nossas Leis, são os Adjuntos consagrados por Tia Neiva, com a finalidade específica de conduzir os primeiros povos e que deram origem a todos os outros e a todos os Templos!

Sua presença é que torna um Retiro Especial, e devemos total respeito, admiração e reverência a estes homens. Não pelo que possam humanamente ser, mas pelas heranças que carregam, e que levaram nossa Mãe a consagrá-los para tão árdua e grandiosa missão.

Pela herança espiritual e não pela realização material é que um Retiro se torna especial, ou mesmo qualquer outro trabalho!

Meus respeitos a todos os demais Arcanos e Presidentes, mas não podemos ver as heranças de cada um, quem podia já se foi. O maior sinal de evolução é a HUMILDADE e entre um emplacado e um Arcano não existe diferença: Somos todos Aprendizes da Luz!

Kazagrande

Mensagem...


Meu filho,  

Só renasce e ressurge quem ama o próximo como a si mesmo. Quem cuida do outro, ama e tolera.  

Só ama e tolera quem aprendeu a amar, e só aprendeu a amar quem conheceu o amor, o desamor, a intolerância... e superou o desamor e a intolerância.  

Só ama quem tem amor pra dar... Só ama quem divide tudo que tem e é feliz porque o outro é feliz!

Porquês...


Há momentos na vida, que devemos refletir e perguntar a si mesmo, o porquê de tudo.

Quando paira um silêncio em nosso coração, é sinal que a resposta chega silenciosamente em nosso espírito, que traduz para a nossa casa mental, a trajetória de nossas passagens no orbe terrestre e, conseqüentemente os resgates que teremos que fazer, até porque, não estamos a passeio neste planeta.

Não adianta, gritar, chorar, odiar e mal dizer. Não adianta mesmo!

Com o passar dos anos, aprendemos a guardar nossas palavras para Deus, orando silenciosamente, implorando por uma solução, agindo de acordo com a Lei Espiritual até que o momento exato, nos conceda a libertação ou seja, uma nova oportunidade, uma mudança no campo material.

Vivemos, fisicamente e espiritualmente, e buscamos forças para lutar com amor, fé, caridade, humildade e dignidade.

Quando não entendemos o porquê da vida, tudo ao nosso redor, torna-se um campo minado, cujo reflexo nada mais é que energias negativas, devido ao fato de estarmos em sintonia com as esferas da obsessão.

Acontece que o grau de sensibilidade, acaba abrindo um canal muito perigoso e, devido aos problemas já existentes, recebemos uma carga muito pesada, cheia de maledicência, ódio, magoas, guerras internas, etc.

Sabendo que estamos vivendo em dois mundos, temos que aprender a separar o joio do trigo e seguir em frente, buscando com paciência, força de vontade, fé, humildade e amor, uma estrada calma e tranqüila.

Independente das provas, a Terra é abençoada, pois neste orbe, vamos depurando nossos defeitos, para que numa próxima passagem, nosso espírito venha mais leve e mais esclarecido.

Este processo acontecerá comigo, com você e com todos, somos essências do Criador, e um dia, estas pequenas luzes, irão de encontro ao Pai de Amor e Bondade.

A Casa do Pai Celestial, a várias moradas, desde o plano divino às zonas umbralinas e outras zonas onde reinam espíritos de alto conhecimento, entretanto distantes da fé e do amor. Mas o Pai a todos ama, incondicionalmente, sempre com os braços abertos, pois ele é o Pai Amado.

Assim vamos seguindo nossa trajetória na Terra, aprendendo com nossos erros, buscando melhorar a cada dia, quando chega o Sol nosso astro rei, e quando chega a Lua, estrela reluzente brilhando sob esta abóbada azulada, e aí perguntamos: "Senhor Jesus, para onde vamos, que caminhos tomamos?". Com certeza meus irmãos, esperamos um mundo melhor para todos, pois somos parte integrante deste universo.

Tenham certeza meus irmãos, existem mundos evoluídos, cujos espíritos não mais usam o corpo físico, como meio de locomoção.

Somos ainda, um grão de mostarda perante este universo da criação.

Lembre-se do seu amigo e irmão, assim como me lembrarei de você e de nossa amada Tia Neiva.

Vamos orar por todos, pois este planeta precisa de ajuda.

Email enviado por Bruno Gomes

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Sou Doutrinador, não sinto nada!


Uma das dúvidas que assola os Doutrinadores, deste os iniciantes até alguns Adjuntos de Templo (recebi o questionamento de um deles) é “não sentir nada”.

Muitos Doutrinadores realmente não possuem nenhum fator extraordinário que comprove que são médiuns e alguns, pela mente científica e pela pureza de seus sentimentos, chegam a deixar a Doutrina.

A grandeza da missão de Tia Neiva foi justamente trazer a mediunidade do Doutrinador. Esta foi sua principal missão! Esclarecer a tantos que julgavam não ter mediunidade, e passavam pelos mesmos problemas dos médiuns que incorporavam (estes sim eram considerados médiuns).

A mediunidade do Doutrinador é muito diferente da mediunidade de incorporação. A produção de energia em excesso, que caracteriza um médium, não é externada por meio da incorporação e do entorpecimento da consciência. Na verdade o Doutrinador mediunizado fica “mais consciente do que nunca”, totalmente ao contrário do médium de incorporação, que passa a receber as influências externas.

No Doutrinador, a percepção é aumentada e o fenômeno se produz pela maior atividade cerebral e total clareza de discernimento. É justamente esta clareza que leva muitos a considerarem que “não sentem nada”!

Alguns Doutrinadores possuem características particulares que, no momento da expansão da consciência determinada pela mediunização, permitem o acesso a energia circundante e mentalmente produzem fenômenos, como visualizações e sensações físicas, mas recordo que são produzidas a nível mental!

A maioria realmente não sente nada! A diferença se dá quando se afasta da Doutrina e não procura de imediato, outra fonte de manipulação energética. Dessa maneira a energia em excesso volta a encharcar o plexo e torna-se alvo fácil de obsessões, muitas vezes chegando até mesmo a incorporar. Porém ao retornar à Doutrina e manipular o “excesso”, volta a “não sentir nada”.

Lembremos sempre que a manipulação da energia excedente (que caracteriza verdadeiramente um médium) pode ser feita de duas formas: positiva (através de um trabalho mediúnico) ou negativa (pelas “explosões” cotidianas, gritos, raivas – muitas vezes com pouco sentido e provocadas por espíritos interessados em absorver a energia liberada).

O esclarecimento da mediunidade do Doutrinador, trazido por Tia Neiva, libertou e liberta, milhares de médiuns que eram não eram vistos como médiuns. Pessoas que apenas manifestavam o “sintoma” da incorporação em casos extremos e depois tornavam-se céticos ainda mais convictos, sem reconhecer as “curas temporárias” que passaram.

Não sinto nada? Não importa! Cumpra sua missão e reconheça seu papel fundamental na condução desta jornada confiada justamente ao Doutrinador!

Kazagrande

Sessão Branca


   O Trabalho de Xingu   -   Xingu é um rio afluente direito do baixo Amazonas. Nasce no Estado de Mato Grosso e sua extensão é de aproximadamente 1.980 quilômetros dos quais somente 180 são navegáveis devido às corredeiras. Seu leito se faz presente além do Estado de Mato Grosso, no Pará e, em sua maior extensão, no Estado do Amazonas. Em algumas regiões compreendidas pelo curso do Xingu, até pouco tempo atrás, havia tribos de indígenas que ainda não tinham mantido contato direto com a civilização e, mesmo nos dias atuais, o relacionamento é cuidadosamente mantido sob o manto da prudência.

Destas tribos, particularmente Tia Neiva nos esclareceu sobre duas que sabemos tratar-se de velhos contemporâneos Jaguares, reencarnados nesta primitiva condição por suas necessidades kármicas na Lei de Causa e Efeito.

Há anos atrás, objetivando uma preparação, a Clarividente começou a promover “visitas” em meio a estas tribos, iniciando um Trabalho doutrinário que culminaria em nosso tempo nos alicerces para a realização do Trabalho de Sessão Branca.

Quando nossa Mãe Clarividente iniciou os primeiros contatos, comentou que estas tribos viviam no sopé de uma montanha, com um detalhe extremamente singular: o de possuir em seu meio, no cimo, um “Espelho D’água” de considerável dimensão. No transcorrer de outros contatos, verificou, também, que as tribos mudavam constantemente de localização embrenhando-se mata adentro, motivadas pelos rumores da aproximação do “Homem Branco”. Outro fato importante a ser registrado, é que as duas tribos aqui mencionadas viviam em guerra entre si e, a partir das “manifestações” da Clarividente a paz entre as mesmas foi conseguida.

Finalizando este breve histórico, esclarecemos que a Sessão Branca é uma grande bênção de Deus, que permite a manipulação de forças importantíssimas, tanto para os Médiuns da Corrente, como para estes nossos irmãos que vêm portadores de Energia Transcendental, força das matas, recebendo em troca os valores de forças doutrinárias-desobsessivas.

O trabalho de Sessão Branca, ou Xingu, é um trabalho muito importante para o Mestrado, porque tem ele a capacidade de reabastecer o mestre, de renovar suas energias.

É um trabalho onde incorporam índios encarnados, que ainda não tiveram contato com o mundo civilizado. A incorporação dura em média 15 minutos e o Aparás incorporam com as mãos fechadas.

No trabalho de Sessão Branca os índios recebem o nosso ectoplasma iniciático e nós recebemos deles as energias puras das matas frondosas.

Tem a finalidade de trocar ectoplasma e energias. Por isso a necessidade de habilidade do Doutrinador em tentar entabular um diálogo. A energia se desprende pela conversação e pelos “gritos de saudação e despedida” que emitem.

Nesse trabalho o médium se reabastece da força vital, da força do Xingu.

(O Centurião – Pág. 143)

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Carta Resposta - Ninfa Lua


Minha Estimada Irmã, Salve Deus! É exatamente assim que a grande maioria dos médiuns desperta: pela dor! Poucos, mas muito poucos mesmo, assumem sua missão apenas pelo amor, natural e espontaneamente, apenas pela vontade de fazer o bem.

O médium não é “um privilegiado”, ser especial ou iluminado. Somos atualmente missionários kármicos (com raríssimas exceções). Assumimos, ainda no planejamento desta encarnação, o compromisso de ter uma mediunidade a ser colocada em favor da humanidade, como uma forma de sanar, com mais brevidade, os nossos inúmeros débitos de vidas passadas.

Desta forma, o médium quase sempre chega a uma corrente mediúnica em desequilíbrio, cheio de dúvidas, mas com uma “certeza interior” de que ali é o seu lugar.

Um dos maiores instrumentos de nossa evolução são nossos filhos. Seres que recebemos já amando pelos laços que nos unem no sangue da vida e que se identificássemos, não teríamos a coragem de pedir perdão. Chegam pequenos e doces e os amamos incondicionalmente.

Até os sete anos de idade, nas situações normais, uma criança não sofre com o próprio karma, está sujeita ao karma dos pais. Bebês que nascem com problemas, ou desencarnam muito cedo, ou mesmo com a agitação que você descreveu, têm uma profunda ligação, de outras vidas, com os pais, pois serão estes que sofrerão muito mais com as dores, do que a própria criança.

A primeira missão do médium, que recém descobriu sua mediunidade e ingressou em uma corrente, é justamente com a família. É buscar a harmonia e o equilíbrio do lar. Ser médium hoje, para você, representa a possibilidade de trabalhar espiritualmente, dedicando-se a este espírito que aceitou receber como filho. É ter a paciência e tolerância de levá-lo, sempre que possível, para passar nos Trabalhos e principalmente no Pajé. Gostaria de descrever inúmeros casos, até mesmo de deficiências, que vi serem totalmente resolvidos dentro do Pajé, mas prefiro lembrar que, pelo seu pequeno, tem uma missão junto aos outros pequenos. Recebemos sempre na medida em que doamos, esta é a regra dos trabalhadores da Luz.

Ser Apará é ouvir primeiramente com os próprios ouvidos todas as mensagens que uma Entidade transmite. É dominar-se, buscando a Individualidade transcendental para ser um fiel receptáculo da Luz. É cultivar a humildade pela consciência de que, mesmo com todas as imperfeiçoes que se possa carregar na personalidade física, ainda tem a oportunidade de ser um instrumento do céu e receber a projeção luminosa que traz a paz e a cura para tantos irmãos. Irmãos encarnados e desencarnados. Irmãos que não conhecemos e depois ainda não reconheceremos. A verdadeira caridade é prestada ao desconhecido, a aquele que nada poderá nos dar em retribuição, somente assim a retribuição virá do Céu.

A consciência é uma característica de nossa Doutrina, é o quê caracteriza o médium Iniciado. Você não vai perder a consciência. Sensações de arrepios, gente chegando ou saindo, só aparecem de acordo com nossa capacidade de entrega, porém, para que tenha certeza, basta terminar um dia de trabalho espiritual e no dia seguinte tentar lembrar de quantos pacientes atendeu e quais foram as mensagens de cada um... não vai conseguir! As mensagens se desvanecem como um sonho. Como se você estivesse dormindo e despertasse somente com as lembranças que foram muito marcantes e que podem servir para sua vida também.

Assim funciona a incorporação em nossa Corrente. Na hora você tem total consciência, sabe o que passa, escuta com clareza e sente as palavras chegando a sua mente de uma maneira natural. Você não precisa pensar para responder uma pergunta do paciente. Mas depois... Tudo vai se apagando e só resta o quê o que seja produtivo para você. Tudo que provem da Luz é útil!!!

Um Apará somente vai se “endividar” quando sai de sua conduta. Quando utiliza-se conscientemente da incorporação para manipular pessoas ou obter benefícios. Quando algo “errado” passa de maneira inconsciente, sem que o Apará se dê conta, a responsabilidade é total do Doutrinador! É ele o médium preparado para identificar qualquer interferência. É dele a responsabilidade! Somente a mistificação consciente é de total responsabilidade do Apará, enganando porque quer ou deseja algo, destruindo sua missão e semeando o caos para sua própria vida.

Posso apenas dizer que esta sua preocupação de “não estar fazendo nada errado” praticamente exime sua consciência de qualquer problema. Cumpra sua missão junto ao Pequeno Pajé e ao seu filhinho. Ali poderá, na medida de sua real dedicação, obter o necessário equilíbrio e segurança para tudo que ainda irá se apresentar em sua jornada! Os melhores médiuns são justamente aqueles que buscam o esclarecimento e possuem esta responsabilidade que você demonstrou.

Kazagrande

Doutrinador ou Apará – Identifique-se!


O MÉDIUM DOUTRINADOR   

O Doutrinador potencial, quando se apresenta ao grupo mediúnico, demonstra, em geral, ter a vida desequilibrada e ser dominado pela angústia, pela descrença, agressividade ou passividade excessiva.

Fisicamente, queixa-se de dores de cabeça, distúrbios digestivos e incômodos cardíacos. De modo geral, esses incômodos cardíacos já foram objeto de cuidados médicos e desanimaram o clínico pela falta de causas definidas.

Submete-se, então, o paciente a um trabalho mediúnico, em que haja absorção do ectoplasma excedente no organismo. A melhora quase instantânea é a melhor prova de que estamos na presença de um Doutrinador.

Depois dessa experiência, se ele aceitar a idéia de trabalhar espiritualmente, deve ser submetido ao exercício de sua mediunidade, a começar pelos processos físicos. Durante um período mínimo de três meses, ele deve trabalhar uma ou duas vezes por semana, doutrinando espíritos incorporados, ministrando passes magnéticos e conversando com pacientes que procuram o tratamento espiritual.

Por tendência natural, o Doutrinador tem interesse na cultura intelectual. Tenha escolaridade ou não, ele sempre absorve o aspecto intelectivo do meio em que vive.

Sua apresentação, pois,  é cheia de justificativas, explicações e demonstrações de conhecimentos. No seu arrazoado, predomina a análise com tendências ao cerebralismo. Nisso ele revela certo bloqueio à recepção espiritual. O racionalismo excessivo impede o contato com o transcendente.

O MÉDIUM DE INCORPORAÇÃO

Quando chega ao Mediunismo, o Incorporador nato apresenta incômodos na parte inferior do corpo, principalmente no aparelho digestivo, rins, bexiga e outros órgãos energizados pelo plexo solar e circunvizinhos.

É muito comum, também, apresentarem incômodos na coluna.

Como conseqüência direta desses males, ele sofre cronicamente de dores de cabeça, tonturas e sintomas semelhantes.

Psicologicamente os sintomas são de fobias, alucinações, insegurança, irritabilidade, emotividade exagerada e até histeria.

A primeira medida, no seu desenvolvimento, é fazê-lo sintonizar com o seu Mentor. Ele é a garantia do equilíbrio do médium.

Convida-se o candidato a se concentrar, de olhos fechados, de pé, e a respirar profundamente. Mediante a aplicação das mãos, da cabeça para baixo, sem o tocar, o Doutrinador magnetiza o aparelho. Esse trabalho deve ser acompanhado de leve hipnose, através de palavras repetidas. Pede-se ao médium que imagine seu Mentor, e vai-se sugerindo sua presença, mediante chaves próprias.

Na maioria dos casos, o médium incorpora na segunda ou na terceira tentativa. Se ele apresentar sintomas de angústia, deverá ser submetido a uma enfermagem, na mesa mediúnica, e voltar ao processo.

Assim que o médium se habituar a incorporar o seu Mentor, sempre que for solicitado, e na presença de um Doutrinador, ele deve ser encaminhado à mesa e ali incorporar sofredores, assistido pelos Doutrinadores.

Trino Tumuchy – Mestre Mário Sassi

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Paciente Terminal



Este é um tema realmente delicado: a morte eminente!

O quê falar ao amigo, conhecido ou paciente, que recebe a notícia de que breve irá morrer? Realmente pode parecer difícil, a princípio... Mas, buscando na Individualidade, na experiência do espírito transcendental, que veste nossa atual roupagem de médiuns da Doutrina do Amanhecer, encontramos as respostas.

Creio que o mais importante é lembrar que o desencarne é o retorno para nosso verdadeiro lar. As duras provas que antecedem o desenlace são na verdade a oportunidade de fechar com “chave de ouro” nossa passagem por este plano. Quem dera todos nós pudéssemos saber quando se aproxima o fatídico momento e buscar, o máximo possível, aproveitar os dias que restam, para marcar positivamente nossa passagem por este plano.

O mais importante é não entrar em depressão! É libertar-se dos medos e falsos preconceitos que giram em torno da morte. A morte é a chegada para a verdadeira vida. Ao mesmo tempo não se pode entregar esperando que “termine logo”! Não! Temos que aproveitar o que resta semeando exemplos que podem ser aproveitados por outros que passarão por iguais situações.

É o momento de escolher se vai deprimir-se ou verdadeiramente buscar semear, em seus últimos dias, o exemplo de coragem, otimismo e esperança.

Ser espírita ajuda muito! Mas se a pessoa não compartilha esta crença, resta lembrar que ela deve apegar-se à fé e a religiosidade que sempre fizeram parte de sua vivencia. Se for alguém de vida desregrada, é hora de lembrar que Deus não abandona a ninguém e apresenta-se a oportunidade de lutar pelo perdão!

Se a humildade faz parte, naturalmente, do caráter da pessoa, nada melhor que aconselhar a procurar a todos com os quais tenha tido alguma passagem infeliz, e tentar reequilibrar a energia negativada pela ação!

Saber que está se aproximando a hora pode ser um desastre total... Mas também pode ser uma grande bênção! Lembremos que nada acontece por acaso, e se este conhecimento chegou até a pessoa, deve ser considerado como uma feliz oportunidade e não uma desastrosa notícia.

Kazagrande