Kazagrande

.

EXÍLIO DO JAGUAR

TEMPLO ANAVO DO AMANHECER - COCHABAMBA - BOLÍVIA.

TIA NEIVA - VALE DO AMANHECER

SEU PADRÃO VIBRATÓRIO É A SUA SENTENÇA!!!.

PÉROLAS DE PAI JOÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

O CENTURIÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

MINHA MISSÃO É MEU SACERDÓCIO

EXÍLIO DO JAGUAR - BOLÍVIA - 2009 - 2015.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Ainda falta Amor!


Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

É hora de deixamos de nos preocupar com o quintal do vizinho! Por que não praticar a caridade no dia a dia, libertando-nos do egoísmo e da inveja?

É hora de pensarmos em nossa evolução, de deixar de lado as picuinhas e servir aos nossos Mentores como MÉDIUNS!

Muitos irmãos e irmãs passam a vida se lamentando... Lamentam seus fracassos, suas dores, suas enfermidades... Lamentam a falta de dinheiro... Mas não se contentam em lamentar (claro! É impossível contentar-se com lamentações), necessitam olhar para o quintal alheio.

Não! Não devemos ter raiva, e nem nos enfurecermos com comentários maldosos, fofocas e maledicências. Precisamos dar a caridade a estas pessoas! Suas vibrações não poderão nos alcançar se nós não permitirmos!

Jamais devemos pensar em revidar a um mal-amado! Pois estas pessoas sofrem! Sofrem com seus próprios problemas e ainda choram pela amargura de suas invejas, ao ver o outro prosperar.

Lembremos que nossa proteção contra qualquer vibração está em nosso padrão vibratório. Se estivermos bem, nada nos atingirá! Se aprendermos a amar, principalmente aos que tentam nos atingir, estaremos evoluindo. Amar o bonito, às pessoas que lhe fazem bem, até os bandidos fazem! É preciso sublimar qualquer sentimento negativo contra aqueles que, na sua incompreensão, ainda se julgam nossos inimigos.

Não é preciso ter pena... Sentir dó... Não porque cada um de nós é fruto absoluto de seus pensamentos, palavras e ações. Semeamos livremente e obrigatoriamente colheremos.

Tento com este pequeno texto um despertar para romper os ciclos viciosos de vibrações negativas que envolvem a muitos de nós jaguares. Não podemos cobrar o esclarecimento nem mesmo de nossos irmãos, pois cada um tem seu tempo. Oremos em favor de seu despertar, nada mais.

Nossa visão deve ser espiritual, compreendendo, mesmo que não aceitemos; amando, mesmo sem ser amados. Nas palavras de Assis, nosso Grande Pai Seta Branca, encontraremos a resposta sobre como nos comportarmos perante a qualquer situação, rompendo, de nossa parte, qualquer emanação negativa e desfavorável contra qualquer ser.

Kazagrande

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.

- São Francisco de Assis

Pérola para refletir neste fim de semana


Jaguar!

Parece que somos passageiros na eternidade, mas a verdade é que somos eternos dentro do temporário. Ou seja, somos o eterno no movimento da vida que segue.

Tudo passa! O que marca é a experiência adquirida.

As culpas e as mágoas também passam.

No rio da vida, as águas do tempo curam tudo, pois diluem no eterno as coisas passageiras.

As experiências vão, mas o aprendizado fica. A evolução é inevitável.

Aprenda que a dor é um aviso, o adversário um instrutor, o obstáculo uma lição, e o passado uma advertência.

Pai João
(gravado há muitos anos)

sábado, 27 de junho de 2015

TEXTO NOVO - Insubstituível


Em nossa missão ninguém é insubstituível! Claro que a Espiritualidade precisa de nós e na verdade investe e acredita em nós, porém, existem milhões de médiuns esperando o momento de iniciarem suas jornadas e muitos com muito mais evolução e condições para cumpri-la.

Nossos Mentores acreditam em nós: aceleram e aliviam nossos karmas, apresentam oportunidades para aqueles que permitem... Permitem? Sim! Somos nós que permitimos ser ajudados! Nosso padrão vibratório determina a frequência com a qual estamos sintonizados. Estando bem, vibrando positivamente, independente das condições da vida física, passamos a receber a emanação de nossos Mentores e consequentemente a cumprir o roteiro de nosso próprio espírito com mais naturalidade. Como todos chegam com possibilidades de serem felizes... Poderão ser felizes!

Do contrário, baixando nosso padrão, nos envolvendo em energias pesadas, não podemos ser “ajudados”. Por mais que seu Mentor queira e se esforce, você está em uma frequência diferente, e não pode captar suas vibrações, suas intuições. Com isso entra diretamente em sua faixa kármica e passa a viver seus reajustes com o peso do padrão que carrega.

Na Espiritualidade, além do Amor, impera a Razão! Nossos Mentores têm um “limite de atuação” que se chama “livre arbítrio do tutelado”. Ou seja: não vão interferir em nossas decisões, por mais erradas que sejam. Se não podem lhe intuir, devido sua frequência distante da Espiritualidade, não há maneiras de abrandarem nossas necessárias provas.

Pela Lei da Razão você fica a mercê de seu karma, e seu Mentor, entristecido, obriga-se a se afastar e recolher-se em oração para que você desperte novamente. Ele estará sempre ao seu dispor, quando seu padrão vibratório permitir...

Por isso de nada adiantam as preces repletas de desespero, pois no desespero não há fé! Por isso não adianta “cobrar dos céus uma resposta”, pois a resposta está dentro de você mesmo.

Ouvir a voz do espírito é seguir o caminho que naturalmente se apresenta. Nada de “forçar a barra”, ou ceder aos nossos impulsos. Saímos de nossa trajetória pelos nossos quereres, pela nossa pressa.

Quantas vezes abandonamos oportunidades que a vida oferece, porque acreditamos que “é muito pouco”, que “eu mereço mais”? Nas oportunidades mais simples é que as grandes vitórias se revelam! Na humildade requerida é que se prova ter condições de ter mais. Recordo minha própria experiência, quando estava em um momento da vida em que “seria impossível” ou demoraria muito tempo para recuperar tudo que já havia perdido; e na simplicidade, na humildade em aceitar o trabalho que a vida naturalmente me apresentava, o impossível aconteceu! Inexplicavelmente tudo mudou! No ano passado, tentei por diversas vezes “fazer contas” de tudo que havia feito no ano... Desisti! As contas nunca fechavam, mas realizei tudo que havia planejado.

Meus irmãos e irmãs, jamais pensem que podem chantagear a Espiritualidade, que se pode barganhar com um Mentor. Ninguém é insubstituível! Se você não tem fé, não consegue vibrar positivamente ou ainda acha que “muito importante” para a missão... Salve Deus! Logo outro estará em seu lugar e provavelmente muito mais agradecido que você, pois já chega com a compreensão do sofrimento que você ainda terá que passar.


Kazagrande

FANTASMAS DO PASSADO


Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

Será que vale a pena prender-se ao passado? Sofrer por recordações ou pessoas que fizeram parte de nossa vida?

Para responder estas questões olhemos por um lado doutrinário primeiro: Por que tantos espíritos ficam presos no plano etérico? Por que temos tanto trabalho encaminhando a irmãozinhos que por vezes insistem em seguir sofrendo, ao invés de seguirem o caminho evolutivo, de irem em busca de suas verdadeiras jornadas?

A resposta é “APEGO”.

Tudo a que nos apegamos nos faz sofrer! Prender-se aos sentimentos do passado, aos bens perdidos, e até mesmo aos seres amados distantes, pode gerar uma séria obsessão traduzida pelo APEGO.

É o apego às tristezas, aos sentimentos de perda e vingança que resumem o acrisolamento no Etérico. Se não aprendermos, ainda na vida encarnada, a nos libertarmos de tudo que não nos faz bem, mesmo Iniciados em uma Doutrina Crística sem igual, como a Doutrina do Amanhecer, ainda estaremos sujeitos a ficar vagando em um plano paralelo, lamentando nossas decepções e procurando os seres e as coisas às quais alimentamos com apego.

Salve Deus! Tudo é energia! Magnetizamos nossos próprios pensamentos pela energia, criando ou destruindo. Se vibrarmos no presente, procurando viver cada momento, aproveitando as oportunidades, passamos a construir um futuro que cada vez mais apresentará novas oportunidades. Porém, se insistimos em vivenciar o passado, recordando as vitórias ou lamentando os infortúnios, não teremos o quê construir... é energia passada, já manipulada! Passamos então a viver algo mais imaterial que o futuro.

Falo assim porque o futuro se constrói a cada dia! Somos fruto e reflexo absolutos de nossos pensamentos, palavras e ações. O passado é “mais” imaterial porque não pode ser mudado.

Sentir saudade somente será bom se trouxer as lembranças de momentos felizes, mas viver destas lembranças não trará novas e construtivas energias. Os sentimentos positivos do passado jamais podem trazer a frustração pelo presente que esteja decadente.

É preciso renovar os sentimentos! Semear NO PRESENTE o que verdadeiramente desejamos, através de nossos pensamentos, palavras e ações!

Libertar-se ainda de toda frustração, esquecer os erros e preservar as lições apenas.

Perdoar!!! Perdoar a si mesmo e a qualquer pessoa, por qualquer situação vivida. Entenda: Já passou! Não tem como consertar! Siga adiante e deixe de lamentar, e trazer para o presente, dores e tristezas.

Sorria porque o passado passou. Houve tristezas ou alegrias... Restaram as lições e a inspiração.


Kazagrande

Como eu devo rezar?


Qual a melhor oração ou prece?

Muitos de nossos irmãos e irmãs encontram dificuldade para encontrar “a maneira correta de rezar”, de fazer suas orações.

Alguns se entregam aos modelos fixos, repetem nossas orações e mantras, outros se perdem em meio ao pensamento desordenado, entre seus desejos e necessidades.

Qual seria a “melhor prece”? Ou qual a maneira “correta de rezar”?

A oração é a linha de contato entre seu espírito e a Espiritualidade! Logo, o primeiro passo é buscar o contato com seu próprio espírito. É preciso “parar” um pouco, mediunizar-se e esquecer as mazelas do dia a dia. Entendo que a maioria acaba procurando a oração justamente quando está mais aflito, lembrando-se de rezar somente na hora da dor. Porém é importante entender que o contato com seu espírito está acima das dores da personalidade, e é justamente nesta compreensão que começamos a superar o quê nos aflige. Mediunize-se, sinta que você não é apenas esta personalidade transitória, que possui a experiência de tantas outras passagens pelo plano físico.

Para esta mediunização inicial as formas fixas de oração ajudam muito! Mas não reze como um robô, repetindo as palavras decoradas como uma gravação. Para ter o efeito desejado é preciso que viva cada frase da oração. Ore devagar... Sentindo cada frase, entendendo “com a alma” a profundidade que transformou aquelas palavras em um DDD para seu espírito.

Pronto! Você estará em sua Individualidade, em contato com seu espírito, que é uma partícula Divina! Possui a Centelha Crística que uniu seu terceiro plexo.

Agora é o momento de deixar fluir as palavras. Dirija sua oração diretamente a Deus, a Jesus, ao Pai Seta Branca, ou ao Mentor que considera mais próximo de você. Mas direcione seus pensamentos, não perca a concentração nestes breves momentos de contato direto. Não precisa escolher palavras difíceis, usar formalidades e perder com isso a pureza, a essência do sentimento que o une a Espiritualidade. Deixe fluir! Fale com naturalidade, obviamente com muito respeito, mas “sem forçar”, sem querer demonstrar algo que você não é de verdade.

Outro ponto importante: Não tente “manipular” seus Mentores! Fazer promessas como “se eu conseguir isso prometo que faço isso”, ou ameaças do tipo “se não der certo isso eu largo a Doutrina”... Simplesmente não funciona! Seus Mentores não estão preocupados com os desejos de sua personalidade, estão para velar por seu espírito e pelos compromissos assumidos antes de sua oportunidade de encarnar. Caso tenha seguido o primeiro passo deste pequeno texto (entrar em contato com o próprio espírito pela mediunização), isso nem passará pela sua cabeça.

Para terminar lembre sempre de agradecer. Lembre também que, se não entende o quê está passando em sua vida, o primeiro pedido é a compreensão, o entendimento. Nossos Mentores estão sempre dispostos para nos auxiliar, mas na maioria das vezes “nós não deixamos”! Mergulhamos em orações desesperadas e com o padrão baixo. É preciso fazer com que a oração eleve seu padrão, lhe coloque em contato com a Espiritualidade, para que assim, com o padrão elevado, possamos estar em condições de receber as intuições que podem nos trazer as esperadas soluções para qualquer problema. Como sempre: “Seu padrão vibratório é a sua sentença”.

Kazagrande


Mensagem de Pai Joaquim – Set/2012



Meus filhos, é preciso entender que a vida do espírito encarnado neste plano físico é feita de ciclos. Neiva vos ensinou sobre os ciclos de roupagens de oitenta dias, para que entendessem que as energias estão sempre em movimento e mudando sua tônica.

A evolução somente pode ser avaliada quando conseguimos encerrar um ciclo e seguir adiante sem mágoas e lamentações. É necessário entender os momentos de encerramento. Até mesmo quando uma cobrança realizada no Amor de Jesus, com a energia reequilibrada sem novas marcas e decepções, apresenta o momento em que tudo deve acabar. A energia de outrora, o charme, foi manipulada e o ciclo se fechou. Não há porque sofrer!

Somente sofremos pelos nossos apegos, pelo nosso orgulho em não querer abrir mão do que já não nos pertence mais.

Seus Mentores, muitas vezes, vendo a dificuldade que possuem em fechar uma porta, entreabrem uma nova passagem, permitem que um pequeno raio de luz seja vislumbrado de outra direção, para facilitar o necessário fechamento. Mas, mesmo assim, quantos insistem em se manter envolvidos em um ciclo claramente encerrado, retardando a própria evolução e arriscando contraírem novas dívidas, onde já haviam reajustado.

Somente fechando uma porta é que a outra se abrirá por completo. O teste final é sempre na sua capacidade de desapegar-se e seguir em frente. Afinal, meus filhos, não é assim que se passa quando deixamos a roupagem física? Quantos irmãozinhos encontramos, todos os dias, nos Tronos por conta de terem ficado vagando por este plano junto aos seus apegos? Apegos sentimentais, materiais, não importa o motivo e nem a intensão, se é apego, não pertence ao espírito, não pertence à evolução. No Plano Espiritual as razões se encontram e nos perdemos de nossos amores terrenos por conta do padrão vibratório e do nível de evolução de cada um. As coisas físicas, os bens materiais, ficam para trás e somente a riqueza espiritual, conquistada nas provas do encarnado é que persistirão na nova vida que se abre.

Meus filhos! Não tenham medo de encerrar seus ciclos. De começar de novo e partir para novas conquistas. Estão aqui para libertarem das cobranças e não para apegarem-se a elas. Mesmo quando passam com sucesso e amor!

Olhem sempre para frente e entendam que a verdadeira vida está lá, lá na frente. Aqui somos apenas passageiros em uma viagem com muitas paradas.

Paguem suas passagens, observem as paisagens e desçam na estação marcada. Pois se passagem do ponto de desembarque, terão que comprar outra passagem, e as vezes este trem está tão cheio...

Salve Deus! Que a Luz Bendita de Nosso Senhor Jesus Cristo vos ilumine e lembrem que a força das águas, vibrantes, cristalinas, não se detém frente os desníveis dos encontros dos rios, e sim formam as mais belas cachoeiras.

Pai Joaquim das Cachoeiras
Setembro de 2012

Lições do Tumuchy


Nosso Evangelho foi sabiamente resumido de forma prática: Amor, Tolerância e Humildade!

Por isso é sempre importante questionar até que ponto, verdadeiramente, adquirimos a capacidade de perdoar, de tolerar, de sermos humildes, de não julgar, e a capacidade de amar e, assim, avaliar o ponto a que chegamos em termos do amor incondicional.

Para esta avaliação, temos um ponto de referência: Tia Neiva!

Seus ensinamentos, seu amor, sua jornada missionária como um todo, serve de parâmetro para que possamos avaliar, sem máscaras, nossa verdadeira evolução obtida.

Uma coisa é certa: se nós não adquirirmos uma determinada evolução, não importa a quantidade de medalhas em nossos coletes! De nada valem nossas origens, classificações, títulos, representações, comandos, se ainda não praticamos o Evangelho!

Qual será nossa realidade em termos de individualidade?

Estamos à altura do que emitimos? De nossas heranças? Ou ainda insistimos em trilhar a velha estrada, distante do Amor Incondicional?

A cada dia estamos mudando! Sim! Nossos pensamentos e até mesmo fortes convicções de um passado recente, transformam-se a cada passo que marcamos nesta jornada. Se você não mudou nada, e ainda pensa da mesma forma que quando entrou na Doutrina, ou é um santo, ou ainda não aprendeu nada!

Estamos em constante aprendizado. Mudando, quiçá aprimorando nossa conduta e nosso modo de pensar.

O verdadeiro sentido da humildade é conseguir dar vazão, através de si mesmo, da maior pureza do Céu, que é a Voz Direta. Isso não diz respeito só ao Apará! Também, e até principalmente, ao Doutrinador, porque os Doutrinadores são os portadores do Terceiro Verbo, da palavra, que é o fundamental em nosso sistema doutrinário.

É preciso que façamos um exame de consciência cada vez maior. Já em 1962, Mestre Humarran alertava Tia Neiva: “Neiva, Jesus nos adverte: Antes de culpar o teu vizinho, procura ser severo contigo mesmo!... Por mais sábia que sejas, um dia ainda terás muito que aprender... Mesmo quando houveres desviado das coisas mundanas, ainda precisarás meditar, fazendo conjecturas acerca de ti mesma!”

Neste plano físico, encarnados, ao assumirmos esta missão mediúnica, devemos a cada dia buscar a individualidade! Há uma diferença muito grande entre a individualidade e a personalidade. Nossa individualidade é iniciática.

Somos médiuns desenvolvidos, temos nosso plexo aberto, nossos chakras em andamento, em funcionamento, e isto não desaparece quando tiramos o uniforme. Este é o grande segredo do qual não podemos esquecer!

Quando recebemos uma corrente negativa, temos que aprender a manipular esta corrente o mais rapidamente possível.

Um Jaguar causa um prejuízo tremendo quando permanece dentro de uma corrente negativa por mais tempo que o justificável pelo seu carma. Nós vivemos em uma triangulação de forças atuando diretamente sobre nossos plexos, nossas cabeças, nossos braços e nossas mãos.

O cérebro é dividido em duas partes: do lado direito, o Jeová positivo ou branco; do lado esquerdo, o Jeová negativo ou negro. Nos Tronos vemos o Preto Velho trabalhando com a mão direita que, entretanto, é comandada pelo lado esquerdo do cérebro. A energia entra por um lado e sai pelo outro.

A mão esquerda é de descarga. Nós recebemos pela direita e soltamos pela esquerda. Se você quer conservar suas energias, você fecha a mão esquerda, porque ela é o local de descarga.

Quando você quer tirar uma carga de uma pessoa, você aplica a mão direita, por causa da circulação. Se você quer conservar energia, você fecha a mão esquerda e abre a mão direita. Se você quer descarregar, você fecha a mão direita e abre a esquerda. Aí você tem todo o sistema iniciático de trabalho!

Os dois hemisférios cerebrais recebem a força, que vem em forma de cone.

A recepção é controlada pela curvatura das mãos. Os dois braços levantados funcionam como dois guias que jogam o feixe de energia para dentro de nós. Se, recebendo esta força toda, tivermos pensamentos contrários, nossa alma vagando por aí, entramos em desequilíbrio e não poderemos conseguir as coisas.

Quando se trata da alma, se os pensamentos são negativos, desanimados, sujos, quando fazemos a evocação... e recebemos as energias... Salve Deus!

Kazagrande

(Após ouvir novamente a aula do Trino Tumuchy de 14 de setembro de 1982)

O que é Evolução?

Quem de nós nunca fez algo malfeito?

Quem de nós nunca decepcionou ninguém, ou decepcionou-se fortemente com uma amizade?

Qual de nós nunca ficou doente?

Qual de nós nunca sentiu a dor do abandono, ou foi ignorado em uma paixão?

Quem de nós nunca perdeu um ente querido?

Quem nunca se enganou em um negócio?

Tudo isso faz parte de nosso trajeto por este carreiro terrestre...

As lutas, as decepções, as dores e tristezas.

Porém, o importante na verdade, não é o quê passamos ou “sofremos”, e sim como reagimos face ao que nos acontece.

Evoluímos ao não perder a esperança, nem entregarmos-nos ao desânimo, ou renegar a fé.

Evoluímos ao aceitarmos a realidade e acreditarmos que temos forças em encará-la para viver melhor. Aceitando o destino com a coragem de poder modificá-lo!

Evoluímos ao aceitar o quê ficou para traz, e nos dispomos a planejar e construir o que ainda virá.

Evoluímos ao vencermos a nós mesmos, ao dominarmos nossas ações, palavras e pensamentos.

Semeando coisas boas e produtivas, e sempre perguntado antes de qualquer reação: Vale à pena? Vai fazer bem a quem?

Nada de lamentar o tempo perdido, mas sim aproveitar ao máximo o que ainda se apresenta. Lembrando que a primeira cobrança de nossa consciência não será pelo que fizemos, mas sim pelo que deixamos de fazer.

Evoluir é agregar experiências buscando sempre o positivo em cada fato de nossas vidas. Ter objetivos e esforçar-se em cumpri-los! Assim é que compreendo a disciplina de Pai João... Sempre orientando a perseverar, a cumprir as promessas e juramentos, a ser fiel aos princípios e melhorar sua personalidade a cada dia.

Evoluir é estar acima dos comentários e julgamentos. É dar satisfação por caridade, e não se importar com o desdém dos menos esclarecidos.

Criar raízes e burilar o caráter.

A evolução também faz parte da felicidade, da consciência reta, dos erros do passado perdoados e a cada dia sendo trocados por uma semente de uma boa árvore... Que crescerá... Que frutificará... Há seu tempo... No seu merecimento!

Evoluir é ser sensível a natureza humana, é compreender, é amar, perdoar...

É enfrentar o frio com o coração quente, colher as flores sem importar-se com os espinhos, é marcar sua passagem neste plano, mesmo que suas pegadas ergam a poeira.

Evoluir é saber delimitar ilusão e esperança, saudade e tristeza, compaixão e frivolidade.

Evoluir é compreender a Prece de Francisco de Assis... A mensagem de Pai Seta Branca, o amor de Tia Neiva.

Kazagrande

Pensar e Sorrir


Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

O que sentimos ao receber dos outros um sorriso sincero? Faz bem, não faz? O sorriso envia uma mensagem para nosso “ser consciente”, permitindo avaliar uma receptividade, uma acolhida. Fisiologicamente o cérebro interpreta que “não existem riscos”, aumentando a produção de serotonina, produzindo um natural bem-estar.

Aprender a sorrir mais, e consequentemente reclamar menos, é algo que faz bem! Modifica nossa tônica vibracional elevando nosso padrão vibratório. Bom dia! – acompanhado de um sorriso – Obrigado! Desculpe! Perdão! Vá com Deus! – também acompanhados de um sorriso – Melhoram sua vida e a vida de quem está próximo a você. A recordação que você deixa estampada na mente das pessoas é sua imagem sorrindo, e cada vez que for lembrado receberá uma vibração positiva.

Sorrir semeia boas vibrações em seu favor!

Pensar “direito”

Quando aprendemos a sorrir, damos o primeiro passo para semear vibrações positivas em nosso favor. E quando aprendemos a pensar nos libertamos da negatividade, deixamos de receber de nós mesmos uma carga inútil e indesejável.

Para aprender a pensar é preciso passar a observar a própria mente.

Passe a perceber a quantidade de pensamentos inúteis e preocupação com coisas que não se pode resolver, sejam do passado ou do futuro, coisas que simplesmente não estão em suas mãos! Nossa mente é associativa e um pensamento inicialmente “inofensivo” vai ligando-se a uma lembrança, que produz outro pensamento, e outro, e outro, e logo ficamos repletos de conflitos e sequer recordamos do “pensamento inicial”. Sofremos... Sofremos inutilmente!

É preciso passar a se dar conta de pensamentos que começam a formar associações indesejáveis. Perceber “por que estou pensando nisso?”. Vai me fazer bem? Quantas vezes mergulhamos em inúteis ansiedades por conta de pensamentos igualmente inúteis? Por que pensar em coisas que me causam tristeza?

Esteja atento! Perceba e “mude de canal”. Vá escutar uma música, escolha outra coisa para pensar (que seja útil, que lhe faça bem!).

Quando tornarmos um costume, naturalmente nossa mente passará a selecionar os pensamentos e evitar a formação de associações indesejáveis.

Inicialmente só iremos perceber quando já se formou um redemoinho de pensamentos, mas logo passamos a antecipar as associações e evitar que aconteçam.

Pode demorar um tempo, mas é plenamente eficaz. Aprenda a sorrir, aprenda a pensar!


Kazagrande

Levantamento de Forças


Normalmente não publico as respostas, principalmente quando se referem a temas internos de nossa Doutrina, prefiro responder tudo por e-mail. Mas este tema, infelizmente é muito desconhecido,  diversos Mestres e Presidentes, incorrem, pelo desconhecimento da Lei, no erro de "não levantar forças", gerando muitas forças esparsas e atravancando a própria vida.


Quando precisar retirar ou mudar de lugar uma foto de um Mentor ou objeto, como devo proceder? E quando encerrar as atividades de um Templo?

O Ritual para mudança de um Ponto de Força foi descrito na Terceira Edição do Livro de Leis, aquela com a capa amarela. Um trabalho primoroso de meu saudoso amigo Mestre Bálsamo (Regente Araken). Onde todos os trabalhos, além das Leis, contavam com uma descrição de seu funcionamento e uma série de comentários visando sanar as dúvidas mais freqüentes.

Quando for necessário mudar ou retirar um objeto do interior do Templo, que esteja integrado no sistema ritualístico, é preciso ter muito cuidado, pois ali está um ponto de força, alimentado pela energia que circula no Templo.

Quando um Templo é fechado definitivamente ou temporariamente, ou ainda se “muda de endereço”, o mesmo cuidado deve ser tomado. Muitos Presidentes ou “ex-Presidentes” pagam um alto preço por não realizarem o devido levantamento de forças.

Assim, após obter a respectiva autorização de um Trino ou Presidente, faz-se necessário o levantamento das forças ali existentes, para mover, retirar ou mudar o objeto. O mestre deve estar de capa, e, diante do objeto, faz o seguinte termo:

Ó, SIMIROMBA MEU PAI!
VENHO CUMPRIR NESTE MEU SACERDÓCIO, A LEI QUE ME FOI CONFIADA.

SOU EU (faz a emissão).

SIM, MEU PAI, EU, O TEU SÉTIMO DESSE PRIMEIRO PLANO, QUE NA PRESENÇA DO REINO CENTRAL E COM A TUA DIVINA PERMISSÃO, VENHO LEVANTAR AS FORÇAS DESTE LOCAL.

NESTE INSTANTE, PEÇO O TESTEMUNHO DO REINO CENTRAL, PARA QUE NÃO HAJA PREJUÍZO DAS FORÇAS FÍSICAS, NEM DESRESPEITO DE NOSSA IMAGEM PELO QUE RETRATA, FÍSICO E ETÉRICO.

EM NOME DE DEUS PAI TODO PODEROSO, ENTREGO O QUE ME É DE DIREITO NESTE SACERDÓCIO. 
SALVE DEUS!
Kazagrande

terça-feira, 23 de junho de 2015

NOVO E-MAIL


Salve Deus!
Meus irmãos e irmãs,

Infelizmente o servidor que me atendia há seis anos saiu do ar e todos os e-mails @bolivia foram cancelados unilateralmente... Nem me perguntem os transtornos que isso ocasiona.

Resta apenas informar que os outros e-mails continuam funcionando e, caso alguém tenha recentemente enviado algum e-mail para kazagrande@bolivia.com que reenvie para eles ( exiliodojaguar@gmail.com   ou  mestre.kazagrande@bol.com.br ).

Minhas sinceras desculpas! Vocês sabem que muitas vezes demoro para poder responder algumas mensagens, mas sempre respondo a todos, um por um, com o mesmo carinho e respeito.

Um fraterno abraço,

Kazagrande

segunda-feira, 22 de junho de 2015

APOSTILA DA 1ª AULA DO 5º CURSO


Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

Foram muitos pedidos do material da primeira aula de nosso Quinto Curso de Conhecimentos Doutrinários no Templo de Cochabamba – Bolívia.

Queria atender a todos, um por um, mas fico preocupado de deixar alguém de fora, então estou postando aqui o link para baixarem diretamente, caso alguém não venha a receber no Facebook ou por e-mail.

Entendam que são apenas 40 páginas e o assunto exigiria muito mais, o que foi efetivamente passado em aula verbal.

O arquivo está em PDF para não pesar e deixei formatado em papel A4 para facilitar possíveis impressões.

Um fraterno abraço,

Kazagrande

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Um novo começo!!! - MT


Saudades! Nunca fiquei tanto tempo longe de casa em mais de vinte anos de convívio familiar!

Também nunca fiquei tanto tempo sem escrever!

Meus irmãos e irmãs,
Salve Deus!

Creio que a maioria sabe das últimas atividades que desenvolvi e que justificam minha ausência nestas últimas semanas, e aproveito para poder registrar alguns detalhes desta caminhada que podem interessar a todos.

Parti para o Brasil, mais precisamente para Teresópolis-GO, onde em 04 de junho participei da reunião com o Trino Ajarã. Oportunidade em que pudemos tratar de muitos temas referentes ao futuro de nossa doutrina com total liberdade de exposição de idéias. Cabe agradecer aos Mestres Valteinton, Carlos Magno, Wilson, Lourival, Alberto e ao próprio Trino Ajarã, por esta oportunidade de relevante convívio.

De lá, ao lado de meu “padrinho de honra”, Mestre Alberto Mourão, seguimos para o Mato Grosso, onde fiquei até as consagrações dos dias 13 e 14.

Jamais participei de Rituais tão precisos e com tanta harmonia! O povo do Mato Grosso nos recebeu com grande alegria e entusiasmo no início de uma nova fase para a Doutrina neste Estado. A presença do Trino Ajarã coroou esta jornada dando o necessário apoio às mudanças e elevou o padrão de todos.

Observar as realidades dos Adjuntos que se deslocaram com seu povo, sentir a satisfação de todos por sua caminhada e, fundamentalmente, conviver com irmãos verdadeiramente interessados em “fazer doutrina”, renovou meu espírito!

Sim meus irmãos: “fazer doutrina”! Falar desta missão que nos é confiada sem medos, sem pensar em “concorrências e interferências”. A verdadeira Doutrina do Amanhecer não encontra espaço para vaidades e competições! Somos irmãos e nossa missão é encaminhar espíritos! Por isso nosso assunto é somar, e não dividir!

No Mato Grosso não haverá mais concorrências. Não abrirão Templos próximos e não serão autorizados novos Templos sem a concordância plena  dos Adjuntos da região. Jamais um Mestre em desequilíbrio poderá ser encaminhado para “abrir outro templo” pelo simples fato de estar em desacordo com seu próprio Adjunto! Temos uma força decrescente e ela deve ser respeitada.

No Mato Grosso não haverá interferências. A figura do Coordenador da Região serve somente para auxiliar onde for solicitado. O Adjunto é soberano em seu Templo! Ele e somente ele conhece as dificuldades passadas para a formação de seu povo, para a conquista de seu espaço! A mim cabe apenas colocar-me a disposição para somar, jamais para interferir.

Novas figuras serão formadas nesta mesma linha para somar com os Adjuntos: Instrutores para formação de futuros Adjuntos, para manutenção do Realinhamento, para Comandantes, para instrutores, para representantes da Lança Vermelha, para Recepção, para Devas, para orientação jurídica e temporal... Também Ninfas que recebam material completo de suas falanges e tenham a responsabilidade em repassar e instruir.

Em breve convocaremos reuniões com os Presidentes e Aponaras, repassando a cada um todo material de instrução. É preciso que os Adjuntos tenham em mãos o Acervo da Clarividente e as Aponaras entendam a grandeza de suas missões e conquistem o espaço e respeito  que merecem!

Meus irmãos e irmãs do Mato Grosso... Falavam muita coisa negativa a respeito desta região e de vocês: mentiras! Tudo que precisavam era que alguém chegasse falando de “Doutrina”, nada mais!

Obrigado de coração! Pelo calor humano, pela recepção, pelo carinho e principalmente por poder ver que aí temos e teremos a Doutrina do Amanhecer!
Um fraterno abraço,


Kazagrande

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Hoje Aula Especial do retorno do Kazagrande Adjunto Anavo


Salve Deus!
Hoje Aula Especial do retorno do Kazagrande Adjunto Anavo -
Material completo da aula será distribuído em castellano.
A Hierarquia do Mestrado
Chamada Oficial
Tratamento como Mestres e Ninfas
O “Salve Deus!”
Hierarquia Espiritual
Centúria
O Centurião do Vale do Amanhecer
O Centurião nos Planos Evoluídos
Conduta doutrinária
Não julgar
Humildade, tolerância e amor
Amor incondicional
Espíritos de Luz
O quê é um Espírito de Luz?
Roupagem
Nossa Roupagem
Roupagem das Entidades
Nossos Mentores
Pretos Velhos
Caboclos e Caboclas
Médicos de Cura
Cavaleiros de Oxossi
Princesas
Cavaleiros e Guias Missionárias
Cavaleiros Águias
Cavaleiros de Oxan-By
Ministros
As Ninfas não têm Ministro?
Espíritos Sofredores
Falanges
Exus
O Pacto de Tia Neiva
Murumbus
Homulus
Murussangis
Sexus
Alaruês
Muys
Falcões
O Vale das Sombras
Tronos Milenares
Esta aula não será repetida!
Kazagrande

Os que desejaram receber o material (apostila) desta aula registrem seus emails nos comentários que enviarei.

Um fraterno abraço,
Kazagrande

sábado, 30 de maio de 2015

O Roubo no Templo


A Ninfa entrava esbaforida no Templo e comunicava no Radar:

- Fomos roubados! A caixinha que ficava com o dinheiro reunido nas últimas semanas pela lojinha, lanchonete e doações dos médiuns sumiu da secretaria!

Inadvertidamente comentou em voz alta, e instantes depois, o burburinho tomava conta dos outros médiuns.

Alguns revoltados, querendo já procurar a velha espada de espartano e partir para procurar o ladrão. Outros apenas contendo a mesma revolta em respeito ao ambiente que se encontravam.

Quando finalmente o Adjunto inteirou-se do ocorrido, sentenciou:

- Salve Deus! Alguém deveria estar precisando mais do que nós.

Todos calaram, mas uma quase que inevitável tristeza abalou os corações dos missionários que consideravam injusta a situação.

****

Certa vez um Adjunto, imbuído em tentar a recuperação de um médium que havia se envolvido com drogas, levou-o para uma grande reunião em outro Templo. Pela ausência de acomodações, instalou-se em uma barraca cedida pelos membros locais, deixando o componente se acomodar junto com os demais médiuns de outros templos.

Ao despertar pela manhã deparou-se com um grupo na porta da barraca pedindo para revistar o local. Constrangido, porém respeitoso, saiu e permitiu que entrassem. Embaixo de seu colchonete encontraram um laptop, uma câmera fotográfica e alguns celulares.

****

Salve Deus!
Meus irmãos e minhas irmãs,

Roubos sempre são algo chocante, e mais ainda se ocorrem na área do Templo ou realizados por um irmão de doutrina.

Porém, como em todas as situações que se apresentam em nossa caminhada, não podemos nem assim julgar!

É natural que uma revolta inicial tente nos dominar, ou ainda sentimentos de decepção, raiva, injustiça, desconfiança e acusação, se apresentem em nossas mentes.

Mas, nem mesmo em grandes perdas podemos nos deixar abalar! Não nos é mais admissível permanecer em negatividade, gerar comentários e com isso vibrações negativas.

Permitir que uma corrente negativa forme-se pelas nossas vibrações em face de um ocorrido desta natureza somente irá atrair ainda mais situações negativas.

É preciso recordar da humildade do Adjunto do segundo texto e da simplicidade do Adjunto do primeiro relato: “Alguém precisa mais do que nós”. Nestas palavras reside a sabedoria da compreensão (da tolerância), a humildade de tratamento e o amor incondicional!

Cuidemos de nossos bens, tomemos mais precauções para evitar os problemas de furto, mas jamais nos apeguemos ao material de maneira que sua perda possa significar também a formação de uma corrente negativa e um preço ainda maior a ser pago pela nossa incompreensão.


Kazagrande 

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Existe mesmo livre-arbítrio?


Mensagem de uma Ninfa:

“Será que temos livre-arbítrio mesmo? Pois vejo que nos tornamos obrigados a agir de determinada maneira após entrar para a Doutrina. Quero me separar de um relacionamento falido, mas com isso não estaria abandonando minha missão ou fazendo mais karma?”.

Nosso livre-arbítrio é sempre soberano! Vamos a um exemplo bem simplório, mas que retrata bem a situação:

Uma pessoa obesa, gorda, entende que precisa emagrecer porque está sentindo efeitos negativos em sua saúde. Procura um Médico, um nutricionista, recebe uma dieta adequada para que possa emagrecer com saúde e melhorar sua qualidade de vida. Começa a seguir rigorosamente a dieta, mas... de vez em quando se depara com um doce e não resiste. Recebe um convite para uma macarronada e vai... é o livre-arbítrio atuando! Ela sabe que faz mal, que vai mentir para as pessoas que estão cuidando dela ao receitar a dieta, mas mesmo assim faz! Pode decidir!

O mesmo acontece dentro dos conhecimentos espirituais. Sabemos o que nos faz mal e nosso livre-arbítrio nos faz ainda assim tomar atitudes erradas, e sabe por quê? Porque nossa consciência ainda não está forte de nossas necessidades. Brigamos com nossas atitudes e com nossa consciência.

Se a pessoa obesa tiver a consciência de que restringir sua alimentação lhe dará melhor qualidade de vida e entender que abre mão de algo para obter algo melhor, tudo estará bem. Sua consciência proporcionará a ela uma felicidade maior que a satisfação transitória do alimento.

Nossos relacionamentos também são um fator de reajuste. Às vezes é preciso abrir mão de certas coisas, opiniões e gostos para uma convivência melhor e que nos trará mais satisfação que aquilo que “perdemos”.

Sim! Somos preparados para vivenciar nossos reajustes, nossos encontros, desencontros e reencontros, e ainda sermos felizes. Só sofremos pelos nossos apegos... E estes apegos são os mais variados: apego às pessoas, aos sentimentos, às coisas, e até mesmo aos nossos “quereres”.

Abrir mão não deve necessariamente significar sofrimento, pois depende do motivo pelo qual estamos abandonando certas atitudes, palavras e pensamentos.

Um reencontro sempre é planejado pelos dois lados! E sempre o reajuste é prometido pelo amor! Porém, se uma das partes não entende, não desperta para a necessidade de perdoar, então a outra está liberada do compromisso. Se você cumpre sua parte e não pode ser feliz, é hora de seguir seu caminho. Se não consegue ajudar, mesmo tentando com todas as forças, a escolha não foi sua, foi da outra pessoa envolvida. Por isso... hora de seguir em frente!

Minha irmã, entendo perfeitamente sua explanação, mas somente você pode avaliar as reais possibilidades de escolher continuar tentando ou seguir seu caminho. Qual o melhor? Aquele que naturalmente se apresentar! Se entende que não há mais o quê fazer, ou se avalia que ainda é possível. Aí reside seu livre-arbítrio! E esta escolha não pode lhe trazer mais sofrimento, pois se for assim, ou sua consciência não despertou ou escolheu o caminho errado.

Não temos como avaliar “as consequências”, pois, acredite, como o Divino Mestre um dia falou: “O escândalo há de vir, ai de quem for o instrumento”. Às vezes é necessário!

Um fraterno abraço,

Kazagrande

terça-feira, 26 de maio de 2015

SER JAGUAR


SER JAGUAR,
OU QUERER SER JAGUAR,
OU ARROGAR-SE O DIREITO DE USAR UM COLETE...

Muitos alegam serem jaguares, por terem sido "iniciados"...

Outros por terem sido "iniciados" e serem filhos de jaguares...

Outros tanto usam palavras bonitas, construções verbais adequadas para "sensibilizar" e apresentar suas classificações...

Alguns são reconhecidos porque conheceram Tia Neiva, são veteranos e posam de mestres conhecedores de seu acervo...

Outros, omissos, displicentes, faladores, e se dizem Jaguares...

Outros mais, mercantilistas, acham no Vale do Amanhecer a oportunidade de encontrar incautos, crentes e confiantes “irmãos” para "usá-los" em sua busca de poder, certos de que o "colete com classificações" o dá o verniz que precisam para robustecer seus argumentos...

Alguns outros vão e vem... Sem nunca terem feito nada!

Absolutamente nada! Não suaram seus coletes!

São velhos no tempo de doutrina. Só isto.

Só falam e criticam, sem nunca terem arregaçado as mangas das camisas e suado pelos ideais de Tia Neiva, mas se dizem jaguares...

A Doutrina do Amanhecer sempre foi e continuará sendo o que sempre foi!
Sempre foi a coragem de Tia Neiva! A chegada em uma época de passagem da Terra em momentos de grandes mudanças!

Um instantâneo do momento vivido e ao mesmo tempo uma amostragem do todo!

Se hoje faz muito menos do que verdadeiramente poderia, é porque os que “se dizem jaguares” de hoje nada fazem.

Falam mais que fazem.

Criticam mais que produzem. Como é fácil criticar...

Os verdadeiros jaguares que vibram e sentem a Doutrina em suas veias, que além de "estarem jaguares", são, efetivamente, JAGUARES, sentem-se ultrajados ao ver tudo isto...

“Mestres” que não cumprem suas mais simples promessas, seus solenes juramentos...

Aqueles ficam tristes ao ver os seus irmãos trapacearem, mentirem, perjurarem, enganarem seus irmãos, seus afilhados, seu Templo, e arrogarem-se o direito de serem chamados: JAGUAR!

Nossos “segredos” já estão na Internet! O Acervo Doutrinário!

Ah, para quem não sabe, até mesmo descrições de trabalhos, Leis e Chaves Ritualísticas, exclusivas de Centuriões, também!

Jaguar não pode ser reconhecido pelo conhecimento do acervo!!!

Jaguar é aquele que cumpre seus solenes juramentos, honrando, respeitando, protegendo, amparando, ensinando, aprendendo aos que o rodeiam, familiares, amigos e Irmãos de Doutrina!

Jaguar lembra todos os dias do primeiro e tão simples compromisso da Iniciação: os Três horários!

Jaguar é aquele que não engana o próximo, com mentiras, promessas e projetos inalcançáveis, nem a si mesmo!

Jaguar é o socorro do fim de um ciclo! É aquele que recebe de braços abertos até mesmo àquele que desesperado está para lhe agredir.

Jaguar é JAGUAR... Aquele que usa e HONRA seu colete.


Kazagrande