Kazagrande

.

EXÍLIO DO JAGUAR

TEMPLO ANAVO DO AMANHECER - COCHABAMBA - BOLÍVIA.

TIA NEIVA - VALE DO AMANHECER

SEU PADRÃO VIBRATÓRIO É A SUA SENTENÇA!!!.

PÉROLAS DE PAI JOÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

O CENTURIÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

MINHA MISSÃO É MEU SACERDÓCIO

EXÍLIO DO JAGUAR - BOLÍVIA - 2009 - 2015.

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Ah… Não é minha culpa!


Quantas vezes tentamos desculpar nossos erros e falhas de caráter com frases curtas ou justificativas que insistimos serem aceitáveis?

Dizer: Não é minha culpa... Foi sem querer... Não foi de propósito... Ou ainda partir para justificativas insólitas, não vai aliviar a dor do ofendido!

É preciso verdadeiramente assumir a falha e suas consequências. Precisamos ter a consciência de que justificativas não aliviam o coração magoado. Somente pela nossa sincera atitude de arrependimento e consciência da falha cometida, é que podemos pleitear o perdão.

Meus irmãos e minhas irmãs, Salve Deus!

Ainda estamos encarnados, mas em preparação constante para nosso regresso à pátria espiritual. Uma das nossas maiores preparações é entender que seu espírito não poderá usar máscaras. Nossa aura vibra na cor que está a verdadeira sintonia de nossos pensamentos. Não tem como esconder!

Muitos ao desencarnar surpreendem-se no etérico ao lado de seres que não condizem com a vida que levaram na Terra. Certa vez ouvi um relato de um espírito que estava aprisionado em uma ala repleta de egoístas, mesquinhos, avarentos, gananciosos: ele clamava por justiça! Dizia que tinham levado ele por engano, que era um cientista e jamais possuíra algum bem que pudesse compartilhar. Havia levado toda sua vida dedicada aos estudos e à busca do conhecimento. Não possuía riquezas e sequer havia deixado bens materiais em herança. Como poderia estar ao lado de espíritos que passaram sua vida apegando-se aos seus bens? Como poderia estar ao lado de “gente” tão mesquinha e avarenta?

Quando passou a revolta inicial (que durou anos) e passou a rezar pela sua “justiça”, seu Mentor se aproximou:

- Meu filho, por que clamas tanto por justiça? Estás onde deveria estar, seus sentimentos o conduziram até aqui, junto de seus pares!

- Sinto que o senhor é um espírito iluminado, e não entendo como não pode ver que estes que estão aqui são pessoas egoístas e desprezíveis? Passaram toda sua vida acumulando bens sem compartilhar com ninguém, vendo gente com fome e sede ao seu lado e não se comoveram. Eu sou um pobre estudioso, dediquei-me a buscar o conhecimento, sempre acreditei em Deus e procurei no final de minha vida justamente uma maneira de “estar bem com Ele”.

- Você aprendeu muitas coisas, não é? Vejo que leu todas as grandes obras da ciência e conseguiu unificar com a filosofia, entendendo o quanto é importante a verdade para os homens.

- Sim! Sim!!! – disse já confiante o cientista – Como pode ver, estou no lugar errado!

- Mas lhe pergunto, meu filho, o quê fizeste com o conhecimento que adquiriu? Com as conclusões que chegastes? Escrevestes um livro? Deste palestras e reuniões? Compartilhaste a verdade que liberta? Alimentaste às almas com sede e fome do conhecimento que você acumulava? Observe: Sua aura vibra na mesma cor destes que viveram de maneira avarenta. Fostes tão egoísta quanto eles! Estás onde tem que estar!

Salve Deus! A história é um pouco mais longa, mas pode resumir a nossa necessidade de compreender que aparentaremos exatamente o quê nossas vibrações projetarem. Podemos passar a vida inteira nos controlando, nos “fingindo de bonzinhos”, e até mesmo sem praticar nenhuma “maldade”. Mas se nosso íntimo não está burilado, se não evoluirmos verdadeiramente, eliminando a negatividade de nossas vidas, o tempo encarnado terá sido em vão.

Por isso, assumamos nossas falhas com a humildade de quem errou e precisa compensar positivamente. Não é necessário sofrer com elas, mas sim ter a consciência de que meras palavras não desintegram a energia negativa provocada. É preciso outra ação, igualmente intensa e positiva, para compensar. Pedir desculpas e justificar é humano. Pedir perdão e compensar é espiritual.


Kazagrande

Espíritos Maus


Existe gente completamente malvada? Existem espíritos maus?
Não!

Salve Deus! Analisemos primeiramente os encarnados:

Meus irmãos e minhas irmãs, observamos nos mundo pessoas que parecem dedicarem-se a fazer maldades. Alguns de forma aberta, provocando situações que agridem e ferem os outros de maneira pública. Outros de maneira dissimulada, semeando seus venenos e trazendo dor aos que se aproximam.

Temos bandidos, marginais, e tantas denominações de malfeitores que parecem viver exclusivamente para maltratar a humanidade.

Mas... Serão estas pessoas nascidas para a maldade? Será sua essência a expressão do mal?

Bem... Eu acredito em Deus como a fonte da criação! Entendo que um ser inteligente jamais criaria algo para trazer, ou provocar a dor. Entendo também que a criação de um espírito é a Doação Divina de uma célula do Pai. Sendo assim, somente se Deus fosse “Mau” é que teria “células” que traduzissem sua maldade e formassem assim espíritos malvados, que encarnados, seriam humanos malvados!

Porém, sabemos que Deus é a essência da bondade. A pureza do Criador é indiscutível para qualquer ser que, ao observar cada elemento natural, perceba a perfeição existente no que ainda não foi alterado pelo homem.

Não creio em diabos e demônios formados de exclusiva maldade! Assim como não creio em “fogo eterno”, “pecados imperdoáveis” e outras falácias trazidas para “controlar” o comportamento humano pelo medo, e não pela consciência.

Deus não poderia ter criado um ser demoníaco!

Todo espírito foi formado a partir de uma célula Divina. Todo espírito possui uma essência Divina e boa! Porém, em algum momento de sua trajetória, quando sujeito às leis físicas das encarnações, suas experiências o conduziram às frustrações e dores que deturparam sua consciência, florescendo o negativo instintivo da animalidade.

Somos espíritos ocupando um corpo animal. Um corpo físico que possui instintos e desejos físicos. Recebemos uma alma, com uma personalidade nova a ser construída pelas nossas experiências e pelas reações que temos face às situações que enfrentamos. Temos um “caráter espiritual” que supera a Lei do Esquecimento e que se revela a cada novo encontro ou reencontro.

Construímos então a nossa personalidade com base em nossas experiências, nosso caráter espiritual, nossas reações e nosso meio de convívio que implicará em nosso nível cultural, educacional, social, econômico, familiar, etc. Esta construção será positiva ou negativa, de acordo com o domínio do físico-instintivo sobre nossa consciência adormecida, ou de acordo com nosso despertar espiritual e consciência da essência que nos conduz a Deus.

No plano etérico, onde habitam os espíritos que desencarnaram, mas que ainda não seguiram seu caminho de regresso à evolução, não é diferente!

Espíritos “estão maus”, mas nenhum, nem o mais cruel dos cobradores, vingadores ou bandido do espaço, nenhum, tem a essência do Mal. Todos possuem a mesma célula Divina que os originou e que, mais dia, menos dia, irá despertar. Voltará a brilhar em seu peito clamando pelo retorno ao caminho de casa.

Kazagrande




Sem medo de recomeçar!


Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

Em nossas vidas muitas vezes tivemos que “recomeçar”.

Nem sempre é fácil, pois implica em engolir o orgulho, aceitar as limitações do momento, e, em algumas vezes, até mesmo voltar atrás.

É preciso rever conceitos, identificar onde estivemos errados e fundamentalmente olhar sem máscaras para nossas atitudes. Deixar de querer se justificar é o primeiro passo!

Entender que se algo deu errado é porque existia verdadeiramente algo errado em nós! Em nossas atitudes,  em nossas escolhas, nas palavras que insistimos em proferir, nos pensamentos que cultivamos.

Quem vos fala é o “rei do recomeço”... Incontáveis vezes em minha vida tive que render-me à situação que se apresentava e tentar de novo! Demorei muito para entender estes conceitos básicos que escrevi acima. Errei, errei de novo, me revoltei, questionei tantas vezes nossos Mentores, até que, sob a “varinha de Pai João”, entendi!

Em diversas ocasiões escrevi para vocês sobre a necessidade de deixar de lado a “síndrome da justificativa” e assumir onde falhamos. Escrevi em uma tentativa de evitar que outros tenham que passas pelas mesmas portas estreitas que passei, pois em nossa vida basta seguir o caminho natural. Basta seguir adiante quando naturalmente a vida nos impele às mudanças. É preciso coragem e abandonar por completo o orgulho.

Temos que encarar as mudanças e recomeços como oportunidades de evolução, jamais com revolta ou tentando empurrar para as Entidades a responsabilidade de dizerem “que estou fazendo de errado”. Descobrir seus “vacilos” é uma tarefa sua!!! Só sua!!! Tentar empurrar isso para um Mentor é maldade com o Apará que não poderá ouvir dos céus a resposta que está dentro de você.

Hoje, mesmo com a vida estabilizada, outro desafio se aproxima: Retornar ao Brasil! Puxa... Aqui estava tão tranquilo... Mas se a vida naturalmente apresenta esta necessidade, Salve Deus! Mais um recomeço a vista! Sem medo! Sem orgulho ferido!

Somos Jaguares! Viemos para evoluir e encaminhar espíritos! Cumpriremos!

Kazagrande


Livre-se da Inveja e Vibrações


“Mestre, por que tantos Jaguares vibram negativamente uns nos outros? Sinto que me invejam o tempo todo, posso estar por baixo, mas sempre tem alguém pensando que tenho demais...” (Trecho da carta de um irmão nosso)

Meu irmão, Salve Deus!

Permita-me responder com meu próprio exemplo, pois aprendi a lidar com as vibrações de inveja, perdoar e orar pelos que ainda não entendem o “Caminho Natural” que conduz a própria felicidade.

Nosso pequeno Templo em Cochabamba, cidade para onde me mudei desejando dar total assistência  à formação deste novo povo e Casa do Pai, segue de uma maneira muito mais rápida que poderia esperar. Em apenas três meses de existência já havíamos preparado nossa primeira viagem ao Brasil para realizar a Iniciação de novos médiuns. Um ano depois formamos uma grande família que segue unida apesar de tantas personalidades diferentes. Queremos mais, queremos chegar a um Templo Iniciático com todos os trabalhos.

A inveja, a cobiça, o ciúme e a maldade alheia, infelizmente são males que assolam os menos esclarecidos. Vejo com tristeza o desdém e o olhar frustrado daqueles que, em suas incompreensões, sofrem com o progresso alheio.

Procuro entender: um estrangeiro, saído do nada. Que ficou sem o último centavo que tinha vida, de uma hora a outra cria seu próprio trabalho, começa do zero sem nenhum apoio de seus irmãos, e em menos de um ano possui muito mais que a maioria nativa que segue marcando passo.

Vejo que sofrem com o sucesso alheio... Que nas suas incompreensões sentem-se injustiçados e vibram de maneira negativa, atraindo ainda mais mazelas para as próprias vidas.

Com a vida estabilizada materialmente, emocionalmente e espiritualmente, deixei Santa Cruz, feliz, para uma vez mais recomeçar aqui em Cochabamba, e fiz somente pela missão! Saí orando pelos incompreendidos e suas incompreensões. Pedindo que “me esqueçam”. Sei que isso não acontece, pois a cada nova conquista, ficam perturbados mesmo sem ver. Porém, sei que estão a caminho e que um dia irão entender que também podem ser felizes, que podem ter suas próprias conquistas sem precisar desejar o alheio.

Tia dizia que se preocupava mais com a vibração de um Jaguar do que com qualquer macumba! Por isso, a única maneira de isolar-se destas vibrações, é procurar manter o padrão elevado e semear boas vibrações. Hoje eu tenho absoluta consciência que se parar de escrever, se parar de receber a quantidade imensa de boas vibrações que recebo diariamente, eu seria destruído por meus próprios irmãos.

Ore pelos que seguem suas vidas sem entender que somos seres tríplices. Que nosso progresso depende do equilíbrio do físico, mental e espiritual. Que não adianta internar-se no Templo e rezar todos os dias, se não se mexer para os outros lados. Temos que dar atenção à família, aos nossos amigos, aos nossos sentimentos. Temos que cuidar do trabalho, dos estudos, do corpo físico. Temos que cuidar do espírito, para despertar nossa Individualidade. Somente a compreensão da máxima de Tia Neiva “Seu padrão vibratório é a sua sentença” é que nos irá livrar da dor.

Muitos se apegam a frase do Pai “o trabalho incessante os livrará da dor”... mas esquecem que o trabalho não é apenas espiritual... É emocional, mental, familiar, material. Temos que aprender a sermos Jaguares de verdade!

Dizer-se “espartano” porque é guerreiro, é muito bonito! Mas nossa herança espartana refere-se à disciplina espartana, à capacidade de disciplinar nossos pensamentos, palavras e ações! 

A herança do guerreiro traz as cobranças pelos crimes cometidos.

Siga sua jornada semeando boas vibrações que irão anular todas as maldades que outros possam emitir, mesmo que inconscientemente. Recorde que são frustrados pelas próprias incompreensões.

Um fraterno abraço, de toda esta família exilada,

Kazagrande, Nilma, Nyara e Isis

domingo, 19 de junho de 2016

Solidão



A solidão é um sentimento onde vivenciamos uma profunda sensação de vazio e isolamento. A solidão é mais do que o sentimento de querer uma companhia ou querer realizar alguma atividade com outra pessoa, não por que simplesmente se isola, mas por que os seus sentimentos precisam de algo novo que as transforme.

Dominar o negativismo nos momentos de solidão e transmutá-los em reflexão positiva é uma árdua tarefa. Normalmente, ao sentir-se só, o ser humano tende inicialmente a pensar em decisões impulsivas que o liberem imediatamente da angústia. Fazem escolhas erradas, rendem-se ao passado e procuram acreditar que é “melhor estar mal acompanhado do que só”.

As correntes vibracionais de irrealização e de obsessão sentimental podem também ser alimentadas nestes momentos, e a energia, que “paira ao nosso redor”, esperando a baixa do padrão vibratório, pode entrar em nosso campo energético e trazer de volta a lembrança de pessoas que vibram em nós a espera de uma oportunidade obsessiva.

Mas, a solidão não precisa ser negativa! Podemos aproveitar estes momentos para verdadeiras reflexões e direcionar nossos pensamentos para nossos ideais de vida. Criar na mente, já na intensão de plasmar no físico, o relacionamento de cumplicidade com o companheiro(a) que nos foi destinado e que, em alguma parte, espera o reencontro.

É, sobretudo, na solidão que se sente a vantagem de viver com alguém que saiba pensar.

Podemos pensar, refletir, planejar... Fugir dos pensamentos insuflados pelas correntes obsessivas que podem nos atingir nos momentos de solidão.

Sentir-se só é uma decisão! Por vezes estamos sós, mas não precisamos nos sentir e mergulhar na tristeza, aí se encontra a decisão! Entrar nas doenças modernas denominadas como depressão, stress, apatia crônica, etc... É uma perigosa senda a ser trilhada. Temos que reagir, direcionar a mente em favor da construção de nosso futuro e “estar bem para atrair pessoas boas”.

Somente estando bem com você mesmo é que se torna possível atrair pessoas boas. Estar deprimido, angustiado, somente vai atrair gente nas mesmas condições ou com padrão vibratório compatível.

Escuto (leio) muitos Mestres e Ninfas dizendo: parece que só entra tranqueira em minha vida. E realmente, parece que algumas pessoas só atraem “cobradores”. Mas não tem que ser assim! Podem existir as cobranças, mas quem as alimenta ao invés de eliminá-las, somos nós mesmos quando nos deixamos levar pela depressão e negativismo.

O medo de estar só, é só medo! E medo é um dos sentimentos mais negativos e que maiores estragos causa na vida do ser encarnado.

Não tenha medo! Espere o momento certo! Fique bem e atrai pessoas boas para que possa identificar aquele(a) que lhe foi destinado nesta vida! Muitas vezes o grande amor de sua vida pode estar muito próximo, mas seu negativismo o afasta e impede que o identifique.

Sente-se só? Aproveite para direcionar seus pensamentos para outro lado! Vibre com amor, positivismo, trabalhe espiritual, sorria, seja agradável e verá que tudo pode mudar. Atraia pessoas boas e não tranqueiras...

Kazagrande

Prevendo o futuro


Uma das nuances marcantes da mediunidade de Tia Neiva era a CLARIVIDÊNCIA. Clarividência: Ver com clareza!

Tia conseguia ver, e perceber, os enredos kármicos projetados na aura das pessoas, e com isso vislumbrava também o futuro que se projetava para aquele paciente ou mesmo médium. Digo vislumbrava, porque o futuro é construído a cada dia! De acordo com nossas decisões, atitudes e oportunidades evolutivas, o futuro vai se modificando.

Temos um “roteiro de viagem”, programado por nosso espírito em conjunto com nossos Mentores, porém, encarnados, nossas decisões nos levam a desvios do caminho naturalmente traçado, e com isso, o “futuro” traçado neste planejamento vai sendo alterado, adiantado ou atrasado.

Tia afirmava que não gostava de fazer “profecias”, de prever o futuro. Dizia que somente fazia as previsões de início de ano, tão esperadas e muitas vezes divulgadas em programas de televisão, por conta de seu transcendente. Seu espírito de Profetiza do Templo de Delfos, trazia um charme a ser manipulado. Porém, não era algo que fazia com alegria, pois tinha absoluta consciência da impossibilidade de “acertar tudo” em um futuro ainda em construção.

Em nossa Doutrina alguns médiuns possuem certos graus de “vidência”, não falo de clarividência! Falo do dom mediúnico de projetar e receber as energias projetadas para um futuro iminente. E quantos se perdem por conta disso!!!

É triste, meus irmãos e minhas irmãs, ver médiuns que alardeiam pretensas profecias, que falam abertamente de pequenos flashes, pressentidos na aura de outras pessoas, como se fossem uma verdade absoluta! Muitos geram dívidas kármicas que chegam a comprometer suas encarnações, mesmo com toda a gama de possibilidades de trabalhos espirituais de nossa Doutrina.

Falar “do futuro de uma pessoa” gera a grande possibilidade de interferir em seu karma, pois pode ocasionar uma mudança de direcionamento nas atitudes do ser, que nem sempre pode ser benéfica!

Lembremos sempre da história que Tia contava sobre o Monge que, sendo abordado na saída do Templo, com pressa de aproveitar sua ida à cidade, descreveu para um grande fidalgo, uma vida de martírios para seu filho. Ele passou a vida toda esperando que chegassem os infortúnios, que nunca chegaram, e suas vibrações acabaram por destruir o impensado mestre (no final está a carta original de Tia Neiva).

Visualizar um quadro não significa que deva sair falando! Tenha absoluta certeza que, se a pessoa necessitar saber de algo, e se tiver preparo e merecimento para tanto, a mensagem chegará pelas comunicações adequadas e no local propício, ou será não confiamos nos Mentores?

Para finalizar vou contar uma historinha real: Certa vez uma Ninfa, necessitando chamar a atenção, parou ao lado de um grupo de quatro amigas e disse: Olhem! É uma Amacê sobre a Estrela Sublimação, vocês estão vendo? Nenhuma delas viu, mas uma delas, querendo aparecer um pouco afirmou que sim. Logo uma outra, não querendo se sentir “menos médium” que as outras confirmou também. E ali ficaram as três, olhando para o nada, enquanto outras duas sentiam-se frustradas.

Muitos “veem” coisas para chamar a atenção... Outros realmente podem até vislumbrar algo, mas É ALGO PESSOAL.

Lembremos sempre: Tudo que é da Luz é útil!!! Qual a utilidade de sair vendo coisas, fazendo profecias e escravizando os sentimentos dos que ouvem?

Kazagrande


Fragmento da Carta “Minhas Palestras com Humarran” Maio de 1960

Houve um tempo em que a Índia era o ponto principal para as revelações, vinham de muito longe, curiosos e romeiros, Magos... videntes; viviam por aí à espreita das oportunidades de suas alucinações. Em uma destas, aconteceu com um famoso Lorde que veio da Inglaterra para saber o destino de seu filho recém nascido: o “Mestre” que lhe atendeu estava de saída, os seus companheiros já estavam esperando na célebre porteira, para assim, cada um ter a sua direção. O fidalgo insistia e o “Mestre” contou sem amor o que via: disse que o seu filho teria um mal destino e, deu todo o roteiro de sua vida: em tal tempo te acontecerá isto, em tal tempo será assim e, na verdade, o fidalgo saiu dali louco. Seu filho que até então era sua alegria, passou a ser sua própria sentença, e até então não fez nada, senão sofrer à espera dos acontecimentos em toda a sua vida, porém, nada aconteceu. O jovem foi feliz, casou-se e nada de mal, enquanto o fidalgo, seu pai, amargurou toda sua vida. As vibrações do fidalgo não preciso dizer que destruiu o impensado “Mestre”.
Ninguém teve intenção de magoar ninguém, porém, o “pecado” das palavras impensadas de um Mestre ou Clarividente, é algo muito sério. Veja sempre em sua frente o fidalgo, o homem que sofreu a conseqüência do seu orgulho, porém, nunca faças como o impensado Mestre, nunca participe com ninguém; serás antes de tudo uma psicanalista. É bem melhor que as pessoas saiam de perto de ti, lhe desacreditando, do que desacreditando em si mesmas.
Carta “Minhas Palestras com Humarran” Maio de 1960

A vida de “ponta-cabeça”


- Mestre, minha vida está um caos total! Estou em Desenvolvimento como Apará e não consigo incorporar. Meu casamento está mal, a vida material desestruturada, não tenho tempo e nem cabeça para nada. Não vejo soluções... Por favor me ajude! (resumo de um e-mail de 08 páginas com a descrição de todos os problemas enfretados por nossa irmã).

Parte da resposta:

Salve Deus!

Espero que coloque-se tranquila para ler este e-mail... Espere um momento em que possa estar em sintonia, livre dos afazeres e preocupações e busque a voz de seu espírito, para que leia em sua individualidade.

Minha irmã... Realmente sua vida está de ponta-cabeça. Tudo em desequilíbrio: emocional, material e espiritual!

A boa notícia é que você se deu conta disso! Identificou que existe este desequilíbrio e que precisa mudar.

Não é hora de procurar culpados, e muito menos de sentir-se culpada. Simplesmente porque culpas não resolvem nada. É preciso que tenha coragem de mudar... mudar TUDO!!!

Vamos por partes... Seu espírito traçou uma trajetória, um roteiro para esta encarnação, e estava assessorado por seus Mentores. Você teria que passar por suas provas, seus reajustes, seus encontros e desencontros, mas, mesmo com todas as turbulências de seu karma, ainda poderia ser feliz, se os reajustes fossem feitos por amor.

Não tenho dúvidas que existe amor em seu coração, pois isso lhe moveu a busca do auxílio espiritual e o esclarecimento. Porém, nada que vem da Espiritualidade irá apresentar uma solução mágica que a fará despertar no dia seguinte com tudo resolvido. Será preciso paciência, tolerância e compreensão dos desvios que sofreu no caminho.

Sua vida emocional parece ser o quê mais pesa neste momento. O casamento pode estar em risco, e, nesta hora, é preciso ser sincera consigo mesma. Entender o quê em você agride ao seu companheiro com a mesma intensidade que determinadas atitudes dele lhe agridem, ferem, magoam...

Não procure culpas, já lhe disse! Mas realmente talvez seja a hora de calar-se um pouco. Não calar em forma de consentir e concordar com as agressões, mas como maneira contundente de demonstrar sua tristeza. O silêncio, na maioria das vezes, demonstra que algo grave está acontecendo. Enquanto você estiver gritando e esperneando por conta de sua insatisfação com o comportamento alheio, as pessoas saberão que está tudo normal! Você grita, esperneia e depois perdoa e tudo bem. Mas...  e se você passar a se calar? Se sua tristeza for demonstrada pelo silêncio de quem foi ferido e cansou de reagir? Por isso, quando passou nos Tronos, lhe aconselharam... Cale-se! Demonstre que viu, que sabe das coisas, mas cale-se. Ninguém espera este tipo de reação de alguém que “fala pelos cotovelos”. Aí sim, este silêncio, irá trazer preocupação. SE houver amor, haverá real preocupação! SE nada acontecer depois de um tempinho, entenda que chegou a hora de seguir seu caminho.

E não tenha medo se precisar seguir seu caminho! Terá a força de seu espírito ao seu lado e o apoio de seus Mentores no retorno ao caminho que naturalmente deveria ter seguido. Estará voltando ao projeto inicial de ser feliz! Você ainda pode conquistar o mundo! Pode construir sua própria vida, desde que não tenha medo e que esteja em equilíbrio interior com seus sentimentos, e com o lado espiritual (falarei disso a seguir). Hoje você tem um nome, mas seu espírito carrega a experiência de muitas outras vidas e a capacidade adormecida de poder recomeçar e seguir adiante, e vencer!!!

Entenda que a vida material é uma consequência de nossos pensamentos, palavras e ações. Se vibrar, pensar positivamente, irá atrair para sua vida coisas melhores, oportunidades melhores e pessoas melhores ao seu redor! Não se preocupe pelo material, pois se estiver segura do que deseja, naturalmente as oportunidades chegarão as suas mãos! Falo isso por ter vivido isso! Não ouvi dizer, não li em livros... Eu recomecei minha vida com o equilíbrio que necessitava e com a humildade da lição a ser aprendida; e o quê seria impossível, ACONTECEU! Reconquistei tudo que tinha antes e muito mais, e se contar os detalhes, parecerá “conto de fadas”.

Nem tudo serão flores, mas VOCÊ tem claramente a força para tanto! Tem energia para tanto! Por isso não tenha medo! Cale-se e vá moldando seu futuro sem condicionar como deverá acontecer. Não imponha condições, não queira que seja “assim ou assado”, apenas queira o melhor para você!

Assim resolverá sua vida emocional e também a material, pois ela está diretamente ligada aos seus sentimentos e pensamentos, que produzem vibrações que atraem seu sucesso, ou fracasso!

Vibre positivamente, e para isso contará com o auxílio do lado espiritual!

Sim, chegamos a parte espiritual! Você não consegue incorporar porque sua mente está presa e carregada de sentimentos, emoções, preocupações e frustrações. Abandone tudo ao entrar no Templo! Deixe de lado seus pensamentos e lembre que você está ali para uma missão. Não vai para melhorar sua vida, mas sim para ajudar aos outros! A Doutrina do Amanhecer não irá fazer você ganhar na loteria, nem mudar as atitudes de seu companheiro. Apenas fará com que, ao se dedicar a auxiliar os outros, passe a mudar sua tônica vibracional. Passe a olhar as pessoas com outros olhos e se torne uma pessoa melhor.

Com a mudança das atitudes, de seus pensamentos, com o controle de suas explosões emocionais, passará a vibrar em um padrão melhor, trazendo para perto de você todo o auxílio que necessita. Atrairá oportunidades e pessoas melhores para sua vida! Não é a Doutrina que irá solucionar sua vida, porque as mudanças somente podem se processar de dentro para fora. A Doutrina pode auxiliar a fazer você olhar o mundo com mais compreensão e tolerância, e isso fará com que reflita sobre as necessárias mudanças, ou estas acontecerão sem você nem perceber. Alguns demoram muito tempo para perceber esta essência fundamental dos ensinamentos de Tia Neiva, outros assimilam com naturalidade imediata... Mas não importa, o que importa é que estão a caminho e procuram uma forma de mudar.

Minha irmã, desprenda-se... Abandone a escravidão de suas preocupações ao entrar no Templo. Ali sim não existirá mais a mulher, será a médium! Deixe seu desenvolvimento acontecer naturalmente, acredite quando sentir a projeção do Mentor! Ele não irá “tomar seu corpo” e fazer tudo sozinho. É preciso que você dê o primeiro passo! Faça os primeiros gestos, diga as primeiras palavras “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo” e verá que o resto irá acontecendo naturalmente. Mas o primeiro passo é seu!!! Somente seu!!!

Creio que também escrevi demais, mas sei que estas palavras ainda auxiliarão a outros que virão depois de você.

Um fraterno abraço e... SEM MEDO!


Kazagrande

PAI JOÃO - Julgamentos

     
     Pai João de Enoque     

Meus filhos, o maior desajuste é o julgamento! Assim já lhes ensinou vossa Mãe Clarividente e hoje venho para trazer a disciplina para os que não olham o que estão fazendo e ficam se preocupando com o quintal do vizinho.

Meus filhos é fácil julgar, não é? Mas como vai doer quando nos dermos conta de que aquilo que condenamos pode fazer parte de nosso futuro, do futuro de um ente querido...

Pare para ouvir a voz do seu coração e não se envolva com os que se dizem vítimas apenas com as palavras. As palavras podem lhe confundir, e tomar partido significa mergulhar no julgamento.

Nunca conseguimos saber exatamente os dois lados de uma história. E por mais que se possa colher todas as informações dos atos físicos, o ser encarnado não pode ver o que espiritualmente está acontecendo. Muitas vezes uma grande injustiça é o melhor reajuste possível para aqueles espíritos endurecidos.

Meus filhos, vossa Mãe Clarividente tantas vezes alertou para os grandes dramas da história da humanidade e quantas vezes narrou atos em que vocês mesmos participaram. Não é verdade? Até hoje, a cada nova descoberta, tenta-se reparar as injustiças cometidas contra tantos líderes outrora execrados pelo julgamento manipulado.

É difícil que alguém passe pela vida neste planeta de expiação sem sofrer uma calúnia, sem sentir o frio da desolação.

Lembre-se de seus próprios atos passados e de quanta dor já podem ter gerado. Você esquece, mas quem sofreu a ofensa, não!!! Assim que segue o ciclo vicioso do karma, que Nosso Senhor Jesus Cristo veio romper coma lei do Perdão, com a Escola do Caminho.

Alerto para jamais entrarem na sintonia do justiceiro! Quem nunca errou atire a primeira pedra! Não se revistam da máscara de uma sinceridade que ainda não possuem! Assumam primeiramente seus erros, reajustem com todos aos quais um dia você ofendeu por não saber amar e então terão a sabedoria para compreender que somente pode haver um juiz e um réu: você mesmo! O melhor juiz é o juiz de si mesmo.

Meu filho, o peso que usas hoje para condenar estará sempre em sua própria balança na hora que encontrar seus cobradores. Lembre disso sempre e semeie o perdão para sua própria jornada.

Pai João de Enoque

Dominando os pensamentos


Grande parte dos problemas pelos quais sofremos são criados a nível mental. Na verdade a maioria sequer existe ou chega a existir.

Temos uma tendência infelizmente natural a imaginar e fantasiar coisas negativas que não existem, conjecturando negativamente a respeito de nosso futuro e das possibilidades de “algo dar errado”.

Porém, não existe nenhuma necessidade de ficarmos sofrendo por antecipação, ou mesmo ficar remoendo pequenas situações que nos incomodam no dia a dia. Principalmente quando estas situações envolvem outras pessoas, pois “vibrar” no outro, consciente, ou inconscientemente, tem um custo! Afinal, a energia emitida jamais se perde, ou  chega ao seu destino ou retorna a sua origem... Vamos refletir sobre isso!

Não sabemos os reais motivos que levam uma pessoa a ser desagradável conosco. Quantas vezes você mesmo já foi “julgado” por atitudes ou palavras que falou em um momento difícil? Não sabemos dos dramas pessoais e dos enredos kármicos dos que nos cercam, por tanto, é sempre melhor considerar a máxima de que ninguém é mau! A pessoa, ou o espírito pode “estar mau”, devido ao que tem vivido, mas Deus não criou ninguém absolutamente “malvado”. Você também já foi “malvado” ou ao menos considerado mau em algum momento de sua vida...

Foi maltratado? Passou!!! Deixe no passado o quê já pertence ao passado. Perdoe e esqueça, não importa quão grande possa ter sido a ofensa, pois vale a pena semear o perdão que você mesmo precisará ao encontrar com seus cobradores.

Remoer as situações jamais trará alguma solução, e pior: não fará bem a nós e nem a nenhuma pessoa que convive com a gente.

Sofrer por antecipação é outra crueldade que impingimos a nós mesmos... Não vale a pena! Nossa mente tem uma capacidade terrível de ficar criando situações nefastas que normalmente não acontecem, isso sem contar a presença de irmãozinhos que ficam insuflando mais pensamentos negativos. Dar vazão ao sofrimento antecipado é no mínimo burrice (me perdoem), pois tudo pode sempre mudar e até mesmo seu destino kármico pode ser mudado pelo seu comportamento, pela sua prática na Lei do Auxílio!

Concluindo, ainda é preciso lembrar a nossa triste tendência de “absorver” o problema do outro. Temos que manter nosso equilíbrio face aos problemas que os outros nos apresentam e jamais permitir que o desequilíbrio alheio nos contamine. E principalmente ajude quem quer ser ajudado! Não vamos sair por aí trazendo os problemas os outros para nossas vidas.

Em nossos relacionamentos discussões aparecem, mas não devem ser objeto de pensamentos tristes todo o dia. Controle-se, espere o momento para poder conversar, respeite o tempo de absorção do outro, que pode ser maior que o seu. Nem sempre da para resolver tudo na hora. As vezes é preciso permitir que o outro reflita com a “cabeça fria” para só então mostrarmos o nosso lado da história.


Kazagrande

FANTASMAS DO PASSADO


Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

Será que vale a pena prender-se ao passado? Sofrer por recordações ou pessoas que fizeram parte de nossa vida?

Para responder estas questões olhemos por um lado doutrinário primeiro: Por que tantos espíritos ficam presos no plano etérico? Por que temos tanto trabalho encaminhando a irmãozinhos que por vezes insistem em seguir sofrendo, ao invés de seguirem o caminho evolutivo, de irem em busca de suas verdadeiras jornadas?

A resposta é “APEGO”.

Tudo a que nos apegamos nos faz sofrer! Prender-se aos sentimentos do passado, aos bens perdidos, e até mesmo aos seres amados distantes, pode gerar uma séria obsessão traduzida pelo APEGO.

É o apego às tristezas, aos sentimentos de perda e vingança que resumem o acrisolamento no Etérico. Se não aprendermos, ainda na vida encarnada, a nos libertarmos de tudo que não nos faz bem, mesmo Iniciados em uma Doutrina Crística sem igual, como a Doutrina do Amanhecer, ainda estaremos sujeitos a ficar vagando em um plano paralelo, lamentando nossas decepções e procurando os seres e as coisas às quais alimentamos com apego.

Salve Deus! Tudo é energia! Magnetizamos nossos próprios pensamentos pela energia, criando ou destruindo. Se vibrarmos no presente, procurando viver cada momento, aproveitando as oportunidades, passamos a construir um futuro que cada vez mais apresentará novas oportunidades. Porém, se insistimos em vivenciar o passado, recordando as vitórias ou lamentando os infortúnios, não teremos o quê construir... é energia passada, já manipulada! Passamos então a viver algo mais imaterial que o futuro.

Falo assim porque o futuro se constrói a cada dia! Somos fruto e reflexo absolutos de nossos pensamentos, palavras e ações. O passado é “mais” imaterial porque não pode ser mudado.

Sentir saudade somente será bom se trouxer as lembranças de momentos felizes, mas viver destas lembranças não trará novas e construtivas energias. Os sentimentos positivos do passado jamais podem trazer a frustração pelo presente que esteja decadente.

É preciso renovar os sentimentos! Semear NO PRESENTE o que verdadeiramente desejamos, através de nossos pensamentos, palavras e ações!

Libertar-se ainda de toda frustração, esquecer os erros e preservar as lições apenas.

Perdoar!!! Perdoar a si mesmo e a qualquer pessoa, por qualquer situação vivida. Entenda: Já passou! Não tem como consertar! Siga adiante e deixe de lamentar, e trazer para o presente, dores e tristezas.

Sorria porque o passado passou. Houve tristezas ou alegrias... Restaram as lições e a inspiração.


Kazagrande

sábado, 18 de junho de 2016

Aprendendo a Agir


Em nossa vida experimentamos todo tipo de situações que provocam todo tipo de emoções, e nada é por acaso!

A cada nova experiência que se apresenta, decisões e escolhas igualmente precisam ser tomadas, para continuarmos no caminho traçado por nosso espírito e cumprirmos o que nos foi destinado.

Por vezes períodos de “trégua” nos conduzem a certa comodidade e invariavelmente não aproveitamos corretamente a paz temporária. Temporária... Sim! Porque assim como as tempestades, a paz não dura para sempre neste caminho físico. Logo novos desafios irão se apresentar e com eles novas decisões e escolhas, de maneira a burilar nossa personalidade e testar nosso caráter espiritual, que se forma pelo agregar de experiências.

Somente pelas “crises” é que somos chamados a reavaliar nossas posturas e estimulados a crescer. O conformismo e o comodismo dos períodos de paz pouco são aproveitados pelo espírito, que necessita aproveitar da melhor maneira possível seu tempo por este plano físico.

É preciso sair da zona de conformo e enfrentar! Enfrentar a vida e parar de adiar o que precisa ser feito de uma vez. Encarar as decisões, traçar as metas, construir o futuro! “Adiar é um forma de sabotar a si mesmo” (Pai João).

As tréguas que a vida nos dá não são para estagnarmos nossa caminhada. Chegam para que avaliemos com clareza todas as possibilidades e possamos estar conscientes que novos rumos estão chegando.

Reagimos a tudo que nos cerca. Mas é preciso pensar em aprender a agir! Agir por conta própria e com decisões conscientes, e não ficar sempre na espera do que nos faça reagir. Reagir é natural e fácil! Aprender a agir é o verdadeiro sinal de evolução. É a demonstração clara de que o espírito não é mais “empurrado”, mas que aprendeu a andar sozinho!

Não esperemos as tempestades para reagirmos às dores que se apresentam. A hora é agora e o que precisa feito pode ser descoberto sem dor.

É preciso acordar cedo, mesmo quando aparentemente não é tão necessário. Aproveitar o dia! Com a mente descansada e sob o prana do amanhecer organizar seu dia antes dele começar. Trazer as soluções... Muitos acham difícil acordar cedo e outros consideram ainda mais difícil se organizar. Mas difícil só é aquilo que escolhemos que seja difícil!

Então... Vamos deixar o comodismo por conta própria! Nada de esperar a próxima tempestade para ser obrigado a reagir. Vamos aprender a agir porque queremos aproveitar o máximo desta grande escola chamada “vida física”. Salve Deus!

Kazagrande

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Não desanimar nunca!


Em nossa caminhada dentro da Doutrina do Amanhecer esbarramos com todo tipo de situações e muitos desanimam porque, devido ao fascínio inicial, acreditam que ao encontrar “o caminho” a vida será sempre mais fácil e as pessoas mais dóceis.

Porém a vida somente será mais fácil se absorvermos verdadeiramente os princípios Crísticos de Amor, Humildade e Tolerância, e compreendermos os limites existentes onde o Amor é incondicional, mas exige consciência para distinguir quem amamos. Sim, devemos amar a todos! Sem considerar se são bons ou maus, feios ou bonitos, se nos fazem bem ou mal. Sagacidade ao distinguir as forças que nos rodeiam, porém sem por isso criar sentimentos negativos em relação às pessoas.

Também temos que  considerar que a humidade é algo que brota de dentro de nós com naturalidade e não pode ser falsificada pelas aparências. Ser humilde é ser manso, mas sem esquecer que nossa força reside na capacidade de reagir positivamente. Desarmamos quem nos agride ao demonstrar uma reação positiva e olhar com bondade aos que necessitam humilhar para esconder suas fraquezas e falta de evolução. Compreendemos simplesmente... Humildade de compreensão, assim Tia Neiva nos ensinou!

Tolerar não significa concordar com tudo e todos. Tolerar significar estar consciente de que o antagonista ainda possui o esclarecimento que devemos já ter adquirido. É calçar os sapatos do outro para compreender, sem exigir que sejamos compreendidos. É jamais julgar!

As pessoas não ficarão mais dóceis porque nós estamos nesta Doutrina, porém podemos atrair pessoas melhores para nosso convívio. Semelhantes se atraem! Ainda assim encontraremos nossos desafetos e pessoas, até mesmo entre irmãos de doutrina, que insistem em fazer suas “cobrancinhas” e agredir gratuitamente.

Por tanto, não desanimemos face à amargura dos corações mal amados! Não culpemos a Espiritualidade pelas situações que nós mesmos escolhemos passar para nosso burilamento espiritual.

Enfrentemos aos choques que a vida nos traz com a tranquilidade dos que despertaram a consciência da necessária evolução pela qual passamos.

Não nos permitamos deixar levar por correntes negativas ou influências de pessoas com padrão vibracional baixo.

É preciso aprender a perceber quando nosso padrão baixa e imediatamente iniciar o processo de auto-resgate. Perceber é a chave, querer elevar o padrão a resposta imediata.

Por vezes entendo ser muito difícil enfrentar choques provocados por aqueles que deveriam olhar para nós como irmãos, ou pior, que deveriam ter a missão de nos conduzir e dar exemplos. Mas é preciso compreender! A responsabilidade de cada um é exatamente proporcional ao tamanho de seu karma, e nem todos percebem. Insisto: compreender não é aceitar! Mas ter amor ao mal-amado. Suas dores e frustrações superaram o compromisso da missão, mas estão a caminho, e o destino final de todos será, um dia, despertar!!!

Kazagrande

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Amar… Tão fácil… Tão difícil…



Como é fácil amar ao belo! Amar aos que já de cara agradam nossos olhos e por vezes encantam multidões. Amamos pessoas que nos adulam, sejam com verdades ou mentiras. Amamos aos que nos fazem bem, e também a aqueles que visualizamos que nos podem proporcionar algo de bom. Amamos, na maioria das vezes, a nossa família. Amamos até mesmo ídolos da moda, que nem conhecemos a personalidade e provavelmente sequer veremos face a face.

Tudo isso é tão fácil! Até os bandidos fazem isso, não é? Bandidos também têm amores, famílias e ídolos. E os amam! Que mérito teremos se fizermos apenas os que todos fazem?

É preciso ir além! Despertar o “Amor Incondicional”! Amar sem impor condições! “Amar ao anjo e ao demônio, com a mesma intensidade, porém sabendo distinguir as duas forças”. Nossa!!! Como é forte esta frase de Pai Seta Branca! Mas é o que praticamos em nossos trabalhos. Recebemos espíritos dominados pelo mal, com tal intensidade, que eles mesmos se creem como demônios... E ali estamos para amá-los! Limpar suas feridas e mostrar um novo caminho. Será tão difícil assim fazer o mesmo com os encarnados?

Entendo... As pessoas nós vemos, não é? As conhecemos e sabemos do potencial do mal que existe em cada uma. Mas é preciso olhar para o potencial do bem que cada uma igualmente carrega!

Vejo entre nosso pequeno povo aqui na Bolívia, entre médiuns e “passantes”, pessoas com personalidades difíceis. Alguns que parecem mesmo “caso perdido”. Mas é preciso aprender a amar a estes também. Tolerar suas frustrações e incompreensões. Respirar fundo ao ver certas maldades e pensar que ali também existe uma centelha Crística! Pensar: que bom que estão a caminho! Mesmo que ainda não tenham compreendido nada.

Vejo pessoas que mergulham em suas frustrações pessoais e disseminam o veneno de suas próprias dores através de intrigas e fofocas. Observo aquela que sua vida é tão triste, que o único que possui para compartilhar é uma pretensa maldade nas palavras que profere. Olho para gente que amo, sem qualquer pretensão, mas me prejudica e semeia a discórdia entre outros de coração mais puro e que dão ouvido a uma maldade que nasce no coração maltratado pelo próprio karma.

Ainda assim não desisto de amar! Amo a todos estes filhos de coração que a Espiritualidade me confiou por algum motivo. Sim... Eu me entristeço! Distingo as forças como o Pai recomenda, mesmo que minha “síndrome de Poliana” ainda me faça relutar e fechar os olhos por algum tempo. Mas a verdade sempre aparece e as máscaras caem.

O antídoto para o veneno da maledicência é o amor! É rezar para que a vida dos incompreendidos e sofridos melhore. Pois no momento em que elevarem seus padrões irão receber as vibrações de consolo que emitimos, e não, neste momento de desilusão com a própria vida, receberem uma raiva que não nos compete mais sentir.

Somos frutos do Amor de Deus e dentro de nós está Seu Templo!


Kazagrande

Ansiedade


Um dos sentimentos que maior dano provoca em nossas vidas, e de maneira quase “natural e imperceptível”, é a ansiedade.

Com maior ou menor intensidade, todos os seres humanos são vitimados por este sentimento extremamente negativo e que tão pouco damos atenção. Esta mesma emoção tem um mecanismo que desvia de tal maneira nossa atenção que nos impede de verificar seus estragos.

A ansiedade pode ser considerada como “medo de viver o presente” e mergulhar nas preocupações com o incerto futuro, ou em um turbilhão de desejos de nossa personalidade.

A pressa, estranhamente aliada ao “deixar para depois”, formam uma ansiedade catastrófica que nos imobiliza nos momentos de insegurança. Inicialmente desenvolvemos o hábito de viver apressados.

Acordamos e nem esticamos o corpo direito, pois a cabeça já está no banho, escovar os dentes, fazer café... Chegamos ao banho e nem nos damos conta de nossos corpos, não aproveitamos este momento de dedicação ao físico, pois a cabeça já está no trabalho ou nos estudos, e por lá segue no café, no caminho do trabalho...

O prazer do banho, o sabor do café da manhã... Tudo desperdiçado pela ansiedade!

Os momentos de verdadeira paz quase não existem mais. Vivemos em um futuro imediato, no próximo momento, e não nos damos conta do quanto estamos perdendo no agora, no real presente!

A impaciência se alia a ansiedade, e pequenos e naturais incômodos do cotidiano nos geram raiva. A pessoa a sua frente que anda ou dirige devagar; o sinal que fecha na hora em que você ia passar... Coisas comuns que parecem atravancar sua vontade de chegar ao próximo momento, mas que na verdade estão consumindo seu agora. O coração acelerado, a mente cheia de inquietudes, queremos chegar ao próximo passo e não vivemos o passo atual.

Olhamos o agora como se fosse o inimigo a ser vencido para chegar ao próximo momento! E quando chegamos ao próximo momento ainda não há paz!

Este drama da ansiedade pertence à maioria dos seres humanos, mas nós, médiuns, temos uma chave que nos retira toda a ansiedade: A Individualidade! Temos a capacidade de romper os vícios de nossa mente em querer sair do presente para vivenciar o futuro próximo. Podemos ser mais calmos, mesmo diante de uma grande quantidade de compromissos, porque sabemos que nosso espírito já traçou o caminho a ser percorrido, e tudo o quê temos a fazer é percorrer este caminho natural e viver o presente, o momento atual. Não adianta debater-se e, ansiedades, não resolve nada!

Passe a ter mais consciência de si mesmo! Lembre que você não é sua mente, seu corpo... Você é seu espírito. Todas as vezes que sua mente começar a viajar para próxima atividade, perceba!!! E volte sua atenção para a atividade atual. A mente poderá fugir mil vezes, mas pacientemente voltaremos a atenção para o presente. Como o passar do tempo, nosso verdadeiro “eu” (espírito) predomina e a mente vai mudando o padrão.

A ansiedade ainda pode tentar jogar-nos de volta ao passado... Remoendo situações passadas e questionando o quê poderia ter sido feito ou dito naquela determinada hora. Nem preciso dizer o quanto isto é inútil!!! Os únicos questionamentos que podemos permitir a nossa mente é: Isso é útil? Vai me fazer bem ou a alguma pessoa?

Ser Jaguar 24 horas não significa internar-se no Templo! É passar a ter consciência de si mesmo e ser útil para si mesmo, vencendo suas provas propostas, e para a humanidade, praticando então a verdadeira caridade no Templo.

Kazagrande