Kazagrande

.

EXÍLIO DO JAGUAR

TEMPLO ANAVO DO AMANHECER - COCHABAMBA - BOLÍVIA.

TIA NEIVA - VALE DO AMANHECER

SEU PADRÃO VIBRATÓRIO É A SUA SENTENÇA!!!.

PÉROLAS DE PAI JOÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

O CENTURIÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

MINHA MISSÃO É MEU SACERDÓCIO

EXÍLIO DO JAGUAR - BOLÍVIA - 2009 - 2015.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Canal no YouTube


Salve Deus!

Visando unificar vídeos que possam ser bom e produtivo para todos, está aberto o Canal Exílio do Jaguar no YouTube:

Dentro do canal foram formadas playlists para facilitar o acesso por temas específicos:

1 - VIDEOCONFERÊNCIAS – KAZAGRANDE – Com vídeos editados dos encontros ao vivo que promovo às quintas-feiras.

2 – PALESTRAS DE DIVERSOS ADJUNTOS e TRINOS

3 - ENTREVISTAS HISTÓRICAS DE ADJUNTOS e TRINOS

4 - HISTÓRIAS DOUTRINÁRIAS

5 - CARTAS e MENSAGENS DE TIA NEIVA

6 – HOMENAGENS – Produzidas para nossa querida Tia Neiva

7 - FALANGES MISSIONÁRIAS

8 - REPORTAGENS DO VALE DO AMANHECER

9 - HINOS MÂNTRICOS

10 - TEMPLO e FAMÍLIA ANAVO – AMANHECER DE COCHABAMBA BOLÍVIA

11 - MENTORES DO VALE – IMAGENS DE NOSSOS MENTORES

12 - PEQUENO PAJÉ – Historias e passagens que podem ser aproveitadas dentro do Pajézinho.

13 – VÍDEOS EN CASTELLANO

14 – VÍDEOS EM INGLÊS

Inscrevam-se no Canal e fiquem atualizados sobre novos vídeos que serão postados todas as semanas. Toda semana uma nova aula ao vivo, e novos eventos que serão divulgados apenas para os membros inscritos.

Espero que gostem!
Um fraterno abraço,


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Dúvidas no Trabalho de Prisioneiros (Rep. a pedido)


Infelizmente existem mitos que circulam como verdades em nossa Doutrina, oriundos da má interpretação ou das construções pessoais dos que não sabem a resposta, e a inventam para os mais novos.

Posso lavar a Indumentária de prisioneira no período do trabalho?

SIM! Não só pode, como deve! Imagina só... Sete dias, ou mesmo quinze nos Templos do Amanhecer, suando e trabalhando em uma mesma roupa! Nem o irmãozinho vai agüentar o cheiro. As recomendações são simples: Não devemos misturar a indumentária de prisioneira com as outras roupas, somente isso. Enquanto está em uso é importante que seja lavada separadamente, de preferência a cada dia de trabalho realizado. Quando não está em uso, também não deve ser guardada junto com as outras roupas comuns. Aos Jaguares, imaginem uma camisa preta, sol a sol, Abatás, Estrelas, Mesa, Tronos... Salve Deus! No terceiro dia já está dura de pó e suor. Tem que lavar sim!!! Nossa Mãe fazia questão que todos estivessem limpos e bem vestidos, foi isso que aprendemos. Prisioneiro não tem regalias em seu colete e nem nos trabalhos, mas deve sim apresentar-se limpo na simplicidade da sua roupagem.

Disseram que não posso entrar em casa com a roupa de prisioneiro, é verdade?

Salve Deus! O correto é que a roupa fique em sua bolsa ou vá direto para o tanque de lavar, não deve ficar transitando com ela dentro de sua casa.

Quando passamos pela libertação devemos deixar a indumentária sete dias do lado de fora de casa?

Meus irmãos e irmãs, é claro que ocorre um impregnação energética naquela roupa, mas depois que você se liberta, aquela energia é liberada. Havia sim a recomendação de Tia Neiva que a deixasse do lado de fora da casa após a libertação, mas somente naquela noite! No dia seguinte, lavar, passar e guardar! Imagine no caso de um jaguar que só tem uma camisa preta... Vai ter que ficar sete dias sem trabalhar logo depois de ser libertado? Claro que não!

O quê é aquela estrela de Doutrinador ou Apará que vejo alguns prisioneiros usando?

Aquela estrela é para a identificação da mediunidade do Jaguar. Deve ser colocada para facilitar sua identificação nos setores de trabalho. Principalmente o Jaguar, pois a Ninfa ainda pode ser observada pela correntinha. Já entre um Doutrinador e um Ajanã, a identificação é mais difícil. Esta estrela não serve para colocar nos coletes!!! Você não vai ficar com cara de autoridade usando uma estela indevida no seu colete, que claramente já identifica sua mediunidade. Portanto nada de alimentar uma falsa vaidade de xerife.

Devo queimar imediatamente os cadernos de bônus após o trabalho?

Não! Deve guardá-lo com todo carinho e respeito! Uma caixa apropriada, abaixo do seu Aledá, é uma sugestão. Queimar? Ali está o registro de um valoroso trabalho dedicado a um irmãozinho e além do mais, podem utilizar estes cadernos em seu próprio benefício, seguindo as orientações de nossa Mãe a respeito deste assunto (publico estas orientações em um outro texto).

Posso ter sexo durante o período de prisão?

Salve Deus! Respondo com uma pergunta para simples meditação: E se seu companheiro(a) não for da Doutrina? O quê vai pensar de você 7 ou 15 dias de abstinência saindo quase todos os dias e voltando tarde? Creio que está respondido, não é? Pode sim! Seu comportamento deve ser o mais natural possível para que seja avaliado pela realidade de sua atual encarnação, e não mascarar a situação para “libertar-se” de um cobrador.

Posso fumar e pedir bônus?

Considero uma falta de respeito. Se você fuma, retire-se por um momento para praticar o seu vício. Não posso responder sobre qualquer proibição a respeito disso, mas posso afirmar que jamais pediria bônus a um Mestre, ou Ninfa, que estivesse fumando, afinal aquele é um momento da personalidade dele, e um trabalho espiritual é realizado em sua Individualidade. Não são compatíveis as duas situações.

Kazagrande

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

O BÔNUS-HORA (Rep.)


Muitas vezes falamos de Bônus e não temos uma noção precisa do quê se trata. Tia Neiva esclareceu que é uma “moeda espiritual”, que permite ao recebedor gozar de benefícios espirituais. No plano físico também se pode atenuar uma cobrança com os bônus acumulados, em função de trabalhos espirituais, e “negociados” pelo nosso Mentor.

Dessa forma podemos considerar os Bônus como o nosso tesouro, a única riqueza que conseguimos acumular em depósitos celestiais.

Obviamente não se pode considerar como um pagamento, pois não depende apenas de um trabalho realizado, um bônus só é conquistado quando a energia doada é entregue com amor e consciência.

Quem recebe os bônus na verdade é o seu Mentor, pelo trabalho que realiza sob o nosso intermédio. Sendo um Espírito de Luz, deposita fielmente a parte que nos cabe de acordo com nossa verdadeira vibração no trabalho. Quando necessitamos passar por uma cobrança mais “pesada”, nosso Mentor pode, através de nossos bônus conquistados, aliviar sua intensidade, resgatando aquele débito pelo amor que já demonstramos.

Os bônus são pequenas células de energia vital que vão se desagregando de um para o outro, fortalecendo nosso Sol Interior, rejuvenescendo nossas células.

 “Quero deixar bem esclarecida a Vida além do mundo físico. Fui levada por Humarram, há muitos anos, para ver o quadro de uma enorme família que chegava da Terra. Interessante aquele grupo que viera por força de um desencarne em massa. Todos se organizaram: chegaram ricos e logo compraram suas mansões.

Perguntei a Humarram:

- Onde conseguiram dinheiro?

- Conseguiram na luz dos seus bônus! – respondeu meu mestre.

- E o que fizeram para ganhar bônus?

- Fizeram amigos na Lei do Auxílio, respeitosamente tiveram suas consagrações ou sacramentos; com respeito e amor ajudaram os outros; tiveram tolerância com seus vizinhos e demais comportamentos que não fizeram sofrer os outros’’

Tia Neiva, em 11 de setembro de 1.984
**************

 “…Notando que a senhora Laura entristecera subitamente ao recordar o marido, modifiquei o rumo da palestra, interrogando:

- Que me diz do bônus-hora? Trata-se de algum metal amoedado?

Minha interlocutora perdeu o aspecto cismativo, a que se recolhera, e replicou, atenciosa:

- Não é propriamente moeda, mas ficha de serviço individual, funcionando como valor aquisitivo.

- Aquisitivo? – perguntei abruptamente.

- Explico-me – respondeu a bondosa senhora -; em “Nosso Lar” a produção de vestuário e alimentação elementares pertence a todos em comum. Há serviços centrais de distribuição na Governadoria e departamentos do mesmo trabalho nos Ministérios. O celeiro fundamental é propriedade coletiva.

Ante meu gesto silencioso de espanto, acentuou:

- Todos cooperam no engrandecimento do patrimônio comum e dele vivem. Os que trabalham, porém, adquirem direitos justos. Cada habitante de “Nosso Lar” recebe provisões de pão e roupa, no que se refere ao estritamente necessário; mas os que se esforçam na obtenção do bônus-hora conseguem certas prerrogativas na comunidade social.

O espírito que ainda não trabalha, poderá ser abrigado aqui; no entanto, os que cooperem podem ter casa própria.

O ocioso vestirá, sem dúvida; mas o operário dedicado vestirá o que melhor lhe pareça; compreendeu?

Os inativos podem permanecer nos campos de repouso, ou nos parques de tratamento, favorecidos pela intercessão de amigos; entretanto, as almas operosas conquistam o bônus-hora e podem gozar a companhia de irmãos queridos, nos lugares consagrados ao entretenimento, ou o contacto de orientadores sábios, nas diversas escolas dos Ministérios em geral.

Precisamos conhecer o preço de cada nota de melhoria e elevação. Cada um de nós, os que trabalhamos, deve dar, no mínimo, oito horas de serviço útil, nas vinte e quatro de que o dia se constitui. “….

Chico Xavier em “Nosso Lar”
Kazagrande

O Interoceptível


Muito se fala sobre interoceptível, mas poucas vezes encontrei algum médium que realmente tenha compreendido do que se trata. Estes dias um leitor observou o termo postado em uma carta de Tia Neiva, que acompanhou o primeiro texto sobre as emissões, e questionou-me sobre o assunto. De modo que creio que é o momento de desmistificar a palavra e traduzi-la para a compreensão da maioria.

Interoceptível é um mecanismo bio-espiritual de equilíbrio de forças. Está complicado?

Vamos simplificar mais então!

Primeiro é necessário entender a diferença entre energias e forças, termos distintos, mas muitas vezes empregados como sinônimos.

As forças nos chegam ao abrirmos nosso canal de emissão. Chega pura da espiritualidade, cabendo a nós, ao unir-la a nossa mediunidade, transmutá-la em energia positiva. A força é neutra, não tem uma carga positiva ou negativa, por isso usei o termo “pura”.

Ao emitirmos, partimos em busca das forças para realização dos trabalhos.

O médium passa por todos estes preparos e se envolve em toda uma ritualística, para que possa colocar-se em condições elevadas de padrão vibratório, e assim transformar estas forças em energia positiva, apropriadas para a Cura Desobsessiva.

Assim entendemos que Energia, na verdade, é a força já em condições de realizar Trabalho.

Interoceptível é um centro de equilíbrio de forças que serão revertidas em energia. É o mecanismo através do qual as forças que recebemos por meio de nossos chackras “da Vida e da Morte” serão equilibradas e convertidas em energia positiva ou, negativa...

As forças nos chegam pelos dois chakras - o da Vida e o da Morte (Jeovah Branco - a Vida - e do Jeovah Negro - a Morte), situados em nossas têmporas direita e esquerda, respectivamente, passando pelo Interoceptível, onde são equacionadas de forma que possam servir ao Trabalho Mediúnico. Veja que estou abordando a questão sob um aspecto claramente mediúnico, e sob a visão de nossa Doutrina, que não se restringe aos famosos “7 chackras”.

O Interoceptível deve manter estas forças em perfeito equilíbrio.

Quando recebemos as forças, elas estão em um estado natural de neutralidade, e a função do Interoceptível, além de manter este equilíbrio, é permitir que sejam aproveitadas positivamente.

Nosso padrão vibratório é que determina como estas forças serão transmutadas em energia. Se estamos mediunizados, e verdadeiramente concentrados na realização da caridade desinteressada, a energia será positiva e útil à cura desobsessiva.

Do contrário, se estamos dispersos, ou envoltos pelos pensamentos do dia a dia, ou por alguma negatividade do padrão, as forças se convergem para o lado negativo, liberando uma energia prejudicial a nós mesmos e a todos que nos cercam.

Ao perder a concentração no trabalho que executa, o poder de equilíbrio do Interoceptível se anula. Por isso tantos detalhes a serem considerados durante um trabalho espiritual. Todos com uma função de também contribuir para a necessária atenção do médium.

Assim, como o Trino Tumuchy nos ensinava, o Interoceptível é o volante do equilíbrio do ser humano.

Nossa energia é emitida na forma de ectoplasma, resultante do agregar das forças espirituais com nosso magnético animal.

Se ao nos dedicarmos ao trabalho estamos com pensamentos negativos, desanimados, sujos, quando realizar a evocação, entramos em desequilíbrio, por deixar de contar com o eficiente mecanismo do interoceptível.

A recepção, no interoceptível, é controlada pela curvatura das mãos. Os dois braços levantados funcionam como dois guias que jogam o feixe de energia para dentro de nós. Se, recebendo esta força toda, tivermos pensamentos contrários, nossa alma vagando por aí, entramos em desequilíbrio e não poderemos conseguir as coisas. Salve Deus!

Como trabalhamos com o lado emocional e intelectual, mesmo estando ligados a nossa individualidade, seu Interoceptível estabelece o equilíbrio de seu pensamento.

Porém o seu interoceptível passa pela sua coluna, pelo seu coração, pelo seu estômago, etc., produzindo, aí, o aspecto emocional, e ele precisa trabalhar dentro de emoções equilibradas.

Assim, se você tem um aborrecimento qualquer, você tem que racionalizar, utilizando sua cabeça. Não espere que as condições do mundo melhorem. Ao contrário, você deve é se preparar para emoções cada vez maiores e mais intensas.

A manutenção da ordem da sua alma é um problema de conscientização. O Jaguar, hoje, não pode mais permitir os desatinos de sua alma, os pensamentos ruins, leviandades, para evitar o desequilíbrio do seu Sol Interior.

Bem, sobre Sol Interior, Ectolítero e Ectolítrio escreveremos em outro texto.

Cabe ainda acrescentar que na ionização, molhamos os dois chakras receptores com os dedos ampliando a capacidade de recepção e ao mesmo tempo protegendo-os.

Kazagrande

Todos somos livres para obter a força do equilíbrio da razão, insinuando, à vezes, um falso comportamento, logo acusado pelo seu INTEROCEPTÍVEL.

Sim, o Interoceptível é a linha de comando da vida e da morte!

Se o Homem, em toda a sua estrutura, pudesse pesar somente para envolver os grandes espíritos... Nada, ninguém está só. Cada criatura recebe de acordo com aquilo que dá. Devemos ter a mente sempre segura. A mente enferma produz o constante desequilíbrio. Não constrói. Acontece, então, a desagregação das células do Interoceptível, afetando o corpo físico, porque o corpo espiritual é quem organiza e mantém o corpo humano. Contém as idéias, diretrizes, a estrutura, as funções biológicas e psicológicas dos vivos.

É incrível as coisas que se desagregam em virtude da mente conturbada. Este fenômeno de manter a individualidade - a conservação ou reprodução da alma - depende da disposição afetiva, caráter, gostos, inclinações elevadas com amor e raciocínio.
Tia Neiva, sem data



*****

Sim, filho, o desenvolvido recebe sua emissão.

Emissão é um canal na linha horizontal, que capta as forças que atravessam o neutrom.

O médium desenvolvido é responsável por dois canais de emissão que se cruzam e estão ligados em seu Interoceptível, formado o seu equilíbrio na conduta doutrinária.

...

Sim, o Interoceptível é como uma balança, cujo fiel é nossa cabeça. Pesando só terra, entra em desequilíbrio!

Tia Neiva, em 8 de abril 1979



*****

O corpo físico é ornamentado pela herança transcendental, que é o charme.

Quando fazemos consagrações estamos justamente buscando nossas heranças.

...

Quero lembrar-lhe que nem toda força que se desagrega é tudo de bom, como acontece em nossos plexos.

Existem em nós forças em pontos vitais que quando se desagregam é tudo de mal!

Lembre-se do interoceptível e as forças incríveis que se desagregam quando nós nos desequilibramos. Nem preciso explicar: é tudo de mal!  
               
Tia Neiva, em 06 de junho de 1984

O Mestre do Sorvete - Choques entre Jaguares


Era um dia de festa no Templo! Após o almoço bem servido, os médiuns se enfileiravam no balcão da cantina para receber o sorvete de sobremesa, doado por um dos Jaguares do Templo.

- Rapaiiz! Me dê um desse de coco queimado!

- Não tem coco queimado, meu irmão.

- Como não? E este aí na sua mão? Deixa de frescura e me dá logo!

- Este é de doce de leite, não quer nenhum outro?

- Eu sei que este é de coco queimado, que lembra a minha infância. Me dê o sorvete hómi!

- Meu irmão, já disse que é de doce de leite, mas se você acha que é coco queimado, pode levar!

- Você se entrouxe com este sorvete então, animal! _ E saiu espraguejando outras barbaridades. Deixando estarrecidos, o mestre que o atendia e sua esposa, que dedicavam-se voluntariamente a servir a sobremesa.

Muitas vezes choques energéticos, entre Jaguares, acontecem sob égide de uma necessária passagem de um irmãozinho. Inesperadamente, e até mesmo inexplicavelmente, sob um ponto de vista meramente físico, passamos situações em que uma agressão gratuita libera a energia necessária, aproveitada pelos nossos Mentores, para o restabelecimento de um espírito, de modo que possa ser conduzido até nossos trabalhos.

Vejamos o quê se passou com o casal da cantina e o “mestre do sorvete”. A energia em desequilíbrio dele, agregada a natural disposição em servir do casal, pode ter sido aproveitada, naquele instante, para dar o quê um irmãozinho precisava e ter condições de ser conduzido ao Templo.

Liberamos nossa energia mediúnica de duas formas: positiva ou negativa. Nos trabalhos mediúnicos e em nossa emanação em favor de alguém; ou nas explosões emotivas (in)justificadas por pequenas coisas do dia a dia.

Os choques podem acontecer até mesmo dentro de casa, sob a proteção dos nossos Mentores, que nos inspiram à reflexão imediata após o triste episódio, para que não comprometa nossos relacionamentos.

Estes choques, quando assistidos espiritualmente, levam o agredido a refletir imediatamente e desconsiderar o fato, exercitando sua tolerância e superando mais um passo de sua jornada.

O espírito, auxiliado naquela passagem, é conduzido ao Templo, para que possa receber a Doutrina e o encaminhamento.

O promotor do desequilíbrio pelo seu padrão vibratório, conscientizando-se de sua intolerância, pode ter a feliz oportunidade de procurar semear o perdão. Do contrário, resta relembrar: “O escândalo há de vir, mas ai de quem for seu instrumento”.

Finalizando, consideremos que os pequenos choques entre médiuns, às vezes de uma forma injustificada, podem ser aproveitados pela Espiritualidade e também para os encarnados envolvidos, se estes compreenderem o momento vivenciado e exercitarem a humildade, em busca do perdão; e a tolerância, com a incompreensão alheia.

Que este texto não sirva de desculpa para os mal-educados! Mas sim de alerta para o exercício constante da fraternidade! Somos verdadeiramente irmãos, e como tais, os choques acontecem, mas até estes podem nos levar a algo bom e produtivo. Salve Deus!

Kazagrande

Obs.: A História acima é real, mas teve alterações para evitar a identificação de seus personagens.

sábado, 6 de fevereiro de 2016

O que é o Desenvolvimento?


O Desenvolvimento Mediúnico em nossa Doutrina é acima de tudo um Trabalho Espiritual, uma missão! Os Mestres que desejam participar deste Trabalho devem estar cientes de sua grande responsabilidade, e com isso, do quanto podem receber, ao cumprirem bem este compromisso; e também do quanto podem ter que assumir de ônus, se o trabalho for mal feito.

Não se pode pensar que o Desenvolvimento é apenas para ensinar o Aspirante a trabalhar... Na verdade, podemos definir o Desenvolvimento como o “despertar para Cristo”, para sua “Escola do Caminho”.

O aprendizado das técnicas de Mediunização e Manipulação Energética, devem vir acompanhados de esclarecimentos sobre a necessidade de compreender que não estão ali, basicamente, para “dar um jeito em suas vidas”, mas sim, para assumirem um missão de auxiliar ao próximo, seguindo as premissas do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, tão bem sintetizadas em Amor, Humildade e Tolerância.

Com a possibilidade de trabalhar na Lei do Auxílio, aliviando também seus carmas, obviamente a “vida vai melhorar”, mas esta melhora só ocorre por conta de seu despertar.

Como já escrevi anteriormente, muitas vezes podemos receber pessoas que estão na marginalidade, com sérios problemas sociais, além dos enfermos espirituais e físicos. Desajustes familiares e emocionais são uma constante também.

Com a mudança da tônica vibratória e o preparo do Aspirante para o trabalho, naturalmente ele passa a atrair coisa melhores para sua vida. Vibra em uma sintonia mais positiva, atrai pessoas boas e passa a contar com a possibilidade de estar em condições de realmente ser auxiliado por seu Mentor.

A responsabilidade do Instrutor vai da necessidade de esclarecer, de explicar com clareza que não existe nenhum milagre! Que tudo poderá mudar em sua vida exclusivamente pela sua possibilidade de tornar-se uma “pessoa melhor”, e assim também atrair situações e pessoas na mesma faixa positiva.

Alem do esclarecimento, a necessidade de precisão nos ensinamentos é fundamental!

Aos Aspirantes Doutrinadores, com mentes mais inquisitivas e que normalmente não se convencem apenas com palavras doces, há de se passar a segurança total naquilo que se explica. Olha-se nos olhos, fala-se com segurança, mas transmite Amor e compreensão! Para os futuros Doutrinadores, o Instrutor será seu exemplo máximo de conduta e conhecimento. Assim, para ser Instrutor, somente com Conduta Doutrinária e conhecimentos sólidos de nossa Doutrina.

Aos Aspirantes Aparás, que possuem menos segurança, e deixam suas emoções aflorarem com mais intensidade nesta etapa, há de ser o porto seguro, incentivador e ao mesmo tempo sem medo de ensinar o correto! O Instrutor não vai ensinar a Entidade que está incorporando, vai ensinar o Apará que manipula aquela projeção, por isso, ao melindrar-se em esclarecer bem toda a técnica de manipulação, dentro de uma incorporação, corre o risco de gerar um médium deformado, ao qual ficará responsável por toda a sua vida!

Doutrinadores inseguros, com doutrinas robotizadas, sem emanação, sem conduta, sem elegância, e sem concentração mediúnica, normalmente tiveram instrutores tíbios e descomprometidos com a missão.

Aparás de gestos bruscos e sons estranhos, gritos, sem conduta, sem elegância, sem respeito pelas entidades que recebem, normalmente tiveram Instrutores medrosos e sem a coragem necessária de ensinar o quê deveriam.

A culpa é sempre do Instrutor?

Sim e não... Todos os médiuns um dia tiveram um Instrutor... Assim, este foi fundamental em seus primeiros passos. Um Instrutor sério, que inspire segurança, que saiba responder e ensinar, dificilmente será esquecido, ou terá suas instruções trocadas por “vícios mediúnicos” de outros Mestres veteranos de Corrente. A responsabilidade é ensinar com segurança e corretamente! O quê o ex-Aspirante, agora médium, esquecer, desaprender ou resolver imitar dos outros, arcará com suas próprias responsabilidades!

Kazagrande

Sem Sombras


Em mundo em revoluções pela necessária transformação, vivendo o inverno das almas e dos corpos, em um prenúncio da Nova Era, chegam os Jaguares de Pai Seta Branca. Doutrinando, emanando e curando. Revivendo as heranças, dinamizando os carmas e iluminando para o despertar da Individualidade dos espíritos.

Em meio aos que ainda lambem suas feridas do passado estão também os plenos de Amor ao próximo, ao desconhecido encarnado e desencarnado. Cheios de esperança e conscientes que não pode haver divisão.

Encontramos aqueles que são capazes de beijar as sombras sem macular seus lábios.

Encontramos médiuns que, ao jurar em sua Iniciação, olharam a luz intensa de nosso Pa,i e não aos homens, assim não se ofuscaram e nem se feriram.

Diante destes verdadeiros Jaguares desponta uma árdua e grandiosa missão: cumpre-lhes semear a união, a paz e a fraternidade.

É preciso pisar na realidade, deixar o conforto para silenciosamente auxiliar aos irmãos que ainda se debatem com suas dores e mágoas. Não se pode mais ficar esperando que a vida trouxesse as oportunidades a nossa porta, é preciso buscar onde servir, onde trabalhar com Amor e desprendimento, com o arrojo de quem verdadeiramente tem fé na sagrada missão que lhe é confiada.

Sozinhos, dificilmente o esforço será de alguma valia. É preciso unir, encontrar quem tem boa vontade e assumir as escalas, os compromissos, conscientes que somente o trabalho incessante nos libertará da dor.

Sem esforços conjuntos, sem disciplina, sem conduta, tudo ainda aconteceria, mas nada se realizaria. Ao encetarmos esta missão nos planos espirituais, planejamo-la junto aos Mentores e assim ainda podemos seguir... Temos a Voz Direta do Segundo Verbo, e temos ainda, pelo amor de nossa Mãe Clarividente, o Terceiro Verbo, o Doutrinador!

Mediunismo não é aventura, é missão que realiza, é conduta, é despojamento, é amor, humildade e tolerância, é disciplina, disciplina, disciplina sempre.

É ser Médium 24 horas, dia por dia, momento por momento. É cair e saber levantar-se mais forte, é crescer e somar o seu trabalho com o trabalho do outro.

É saber que a verdade liberta, e o bem sempre pode, e deve triunfar. É saber assimilar com o espírito acima da alma! Com o bom senso regendo todas as atitudes assimilando o quê for possível nesta jornada, que se bem cumprida, nos levará de volta para casa.

Ser Jaguar é sentir o sopro do Divino Mestre nos unindo aos irmãos com laços mais fortes que a própria consangüinidade! Superando as diferenças e cobranças, formando um elo de inimaginável força da Luz.

Renascemos para poder voltar a Luz, sendo a Luz que tantos procuram.

Kazagrande

"É suficiente um único raio de sol para apagar milhões de sombras."
Francisco de Assis

Não peça ajuda... Se ajude!


Ao levantar pela manhã agradeça antes de pedir, reconheça que temos mais um dia de oportunidade pela frente.



Agradeçamos se temos a oportunidade de trabalhar, ou mesmo a oportunidade de ir em busca do trabalho.



O melhor investimento é servir, então vamos investir em nosso real futuro!



As dificuldades são ensinamentos valiosos e ao identificar o quê precisamos aprender, e aceitando de coração este ensinamento, é que podemos superar o quê a principio pareciam dificuldades.



Nosso carma e nossa missão seguem paralelamente, equilibrando a balança de nossas vidas. Quando nos conscientizamos da missão aliviamos nosso carma.



É preciso aprender a cada dia a falar sem ferir, a não gerar ansiedade com nossas manifestações de expressão ou com nosso corpo.



Ser uma pessoa que emane a paz que os outros precisam é uma árdua e gratificante tarefa a ser executada todos os dias.



Rancor, vingança e mágoa são venenos para médiuns cármicos como nós.



Temos que aprender a aceitar e amar as pessoas como elas são, independente delas agirem como gostaríamos.



A melhor forma de pedir ajuda é se colocar a disposição para ajudar.



As Leis de Nosso Pai são sempre justas e colhemos o quê semeamos a cada dia.



Nossas vibrações não podem ser mascaradas, somos reflexo do que realmente somos e não do que tentamos aparentar. Somente uma mudança interior sincera é que pode atrair aquilo que necessitamos e desejamos para nós.



Nos outros está o nosso céu... Ou nosso inferno! Depende de nossa atitude sincera escolher o quê queremos para nós, fazendo aos outros.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Uma Doutrina Fidalga



Paremos para observar a perfeição e a riqueza de detalhes de nossa Doutrina...

Tia Neiva nos deixou um sistema que, além de prático e eficiente, é belíssimo!

Nosso Templo é um local sagrado, devemos ter a consciência desta máxima e procurar nos conduzir de acordo com ela.

Ao abrir o plexo na entrada já iniciamos nosso processo de mediunização e passamos a entrar na Individualidade. Partimos ao encontro de nosso espírito, com toda sua experiência transcendental acumulada em várias passagens por este plano físico.

Caminharemos com elegância, com passos seguros e sem pressa. Lembraremos cada ponto de força, realizando as reverências onde são pedidas. Nesta hora seremos médicos em um centro cirúrgico onde cada detalhe é importante. Nossa preparação é um ritual onde as palavras e movimentos possuem um sentido, e somente a precisão ritualística é que nos permite acessar as Chaves Iniciáticas que nos foram confiadas.

Após a abertura de um Trabalho, a Espiritualidade passa projetar energia pura e luminosa para o suporte dos médiuns. Esta energia vai se cristalizando e formando delicados cristais de força. É como se estivéssemos na “casa do super-homem”, para que possam imaginar. Cristais de puríssima energia que se desprendem nos momentos que se mesclam com nosso magnético emitido nos trabalhos, permitindo  o encaminhamento de nossos irmãozinhos.

Gestos bruscos, palavras em voz alta, sons estranhos e comportamentos incompatíveis com o “sagrado” do local, rompem estes cristais, inutilizando todo um trabalho de base realizado por nossos Mentores.

Dentro do Templo não é lugar nem para conversar, mas se necessário, devemos usar o bom senso e falar baixo, com discrição. Conversas em voz alta, risadas escandalosas ou palavrões, emitem uma energia pesada, impossível de ser mesclada com a pureza dos cristais de luz e acabam por literalmente quebra-los.

Peço que os Aparás atentem também para as incorporações escandalosas... Até mesmo a incorporação de um Mentor, se realizada fora dos padrões de elegância deixadas por nossa Mãe Clarividente, pode trazer prejuízos para a realização dos trabalhos. Por exemplo: Um “preto velho” chega falando tão alto que incomoda aos outros participantes dos Tronos... Salve Deus! Quem determina o comportamento na incorporação, inclusive o tom de voz, é o Apará! Pois uma Entidade de Luz nunca teria a necessidade de “chamar a atenção” e muito menos colocaria em risco a própria energia que ajuda a cristalizar no Templo.

Sapatos barulhentos, correrias e até mesmo determinadas pulseiras que transformam o médium, na hora da incorporação ou da Chave de Elevação, em um verdadeiro chocalho, não fazem parte do bom senso e elegância de nossa Doutrina.

Pendurar-se no encosto dos Tronos pode não quebrar cristais, mas igualmente é deselegante. Está cansado? Não consegue manter a concentração? Então encerre o trabalho e deixe de ficar levando vibração por conta de sua postura inadequada. Infelizmente os que chamam demais a atenção recebem um excesso de vibração que atrapalha suas vidas.

Nesta última viagem ao Brasil, participei de algumas Estrelas e observei em uma delas um comandante que não parava de correr. Ia de um lado para outro e falava com todos os médiuns: chamava a atenção de um, convidava outro, reprendia, constrangia... Entendo que sua intenção deveria ser a melhor do mundo, mas reparei que a maioria não pensava assim e ficava comentando as atitudes que viam ou sofriam. Mesmo nos dias seguintes, continuei ouvindo comentários a respeito das atitudes que presenciei. Vibração de Jaguar é um perigo... E todos estes comentários geravam vibração, emitiam uma energia que com certeza não era positiva, em favor deste irmão. Salve Deus!

Nossa Doutrina é fidalga! Prima sempre pela elegância e bom senso! Observemos nossas atitudes dentro do Templo, policiemos nossas palavras, nosso caminhar... Vamos evoluir um pouco e nos tornar dignos de todo este acervo que temos nas mãos!

Kazagrande

Para onde vão nossos irmãozinhos?



“Cada qual segue o caminho que seu padrão vibratório traçar”.

Nossa Doutrina se baseia em um sistema perfeito! Ao recebermos um irmãozinho, seja nos Tronos, na Mesa Evangélica ou mesmo no Angical, primeiramente procedemos a limpeza de sua aura. O Doutrinador aplica os movimentos com as mãos, emitentes de energia positiva, e magneticamente atrai a negatividade que impregna a aura do receptor, descarregando em seguida com o estalar dos dedos (como uma pequena faísca emitida no contato das extremidades – dedos).

Neste momento, o Apará, que está recebendo a projeção do sofredor, vibra em comunhão com seu Mentor, transferindo bons pensamentos e esperança.

O Doutrinador, ao mesmo tempo em que está procedendo a limpeza da aura, emite uma Doutrina impregnada  de todo seu amor, uma energia ectoplasmática positiva que irá substituir a negativa que deixa seu espaço livre após cada limpeza.

Este processo libera a consciência do espírito, que passará a ter clareza de seus atos impensados e insuflado um desejo sincero de “mudar sua vida”, de se aproximar da Luz que naquele instante inunda o ambiente. Sente a irresistível necessidade de ir ao encontro do bem-estar que lhe é proporcionado.

Segundo a Doutrina, proferida pelo Doutrinador, ele pode compreender sua situação espiritual, que é espírito e não pertence mais a este plano físico. Também pode entender claramente que o caminho da libertação do plano etérico é o perdão.

Aceitando esta condição proposta, ele sente renascer a esperança, sente a necessidade de partir em busca da sua verdade, das lembranças adormecidas e do reencontro com a família espiritual que lhe proporcionou a oportunidade de estar ali.

Ao ouvir a Chave de Elevação visualiza a abertura de um portal e tem a oportunidade de partir.

Salve Deus! Este espírito jamais esquecerá daquele par, Doutrinador e Apará, que lhe proporcionaram a chance de ir semear uma vida melhor. Este espírito se tratará, curará, estudará e sempre terá em mente o momento em que poderá abraçar aqueles que um dia foram o instrumento de seu encaminhamento.

Imagino quantos rostos desconhecidos poderão nos estar esperando no momento de nossa passagem... Sinto as lágrimas brotarem nos olhos, somente ao visualizar tamanha grandeza!

Meus irmãos e irmãs, aí está toda a responsabilidade de nossa missão! Realizar com amor o encaminhamento destes desconhecidos que nos são confiados. Nisto consiste a verdadeira caridade: em doar-se com amor e respeito ao total desconhecido, à aquele que nada poderá fazer para retribuir, que nenhuma recompensa terá para nos dar.

“Cada qual segue o caminho que seu padrão vibratório traçar”.

Todo o processo é realizado para mudar a tônica vibratória do sofredor e assim permitir seu encaminhamento.

Nosso compromisso é grande, mas ainda maior é a nossa responsabilidade! Um espírito para passar “em nossas mãos” recebe um preparo. Muitas vezes a sua família espiritual trabalha por anos para que ele possa ter a oportunidade deste resgate. Imaginem se estivermos fora de sintonia... Se não fazemos a Doutrina com amor, se não vibramos com todas nossas forças em prol daquele que recebemos, se nos robotizamos e perdemos a essência Crística, se não emitimos do fundo do nosso coração o desejo de atingir o objetivo do encaminhamento...???

Imagine se o Apará permite seus sentimentos pessoais mesclarem-se com os sentimentos sofridos do irmãozinho? Se seus pensamentos não estão focados no amor que deve transmitir e permite que as próprias frustrações somem-se às daquele espírito... ???

“Cada qual segue o caminho que seu padrão vibratório traçar”. Para onde seguirá o espírito que perde a oportunidade por conta de nossa irresponsabilidade, falta de compromisso, ou falta de conduta? Salve Deus!

Kazagrande