TIA NEIVA

TEU PADRÃO VIBRATÓRIO É A TUA SENTENÇA

O CENTURIÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

ADJUNTO ANAVO

MESTRE KAZAGRANDE

PÉROLAS DE PAI JOÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

MINHA MISSÃO É MEU SACERDÓCIO

EXÍLIO DO JAGUAR - KAZAGRANDE.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

DESENCARNE DE ENTES QUERIDOS


Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

Mesmo com toda consciência espiritual que possuímos, ainda sofremos pela partida de um ser querido. Sofremos pela ausência dos que se foram, esquecendo que, para os que partem de maneira natural, ou por um duro reajuste cumprido até o fim, estarão retornando ao “lar espiritual”.

A vida na Terra é passageira! “A única certeza da vida é a morte”, afirma com propriedade o dito popular. Todos nós teremos que partir um dia e deixaremos para trás as vibrações daquilo que semeamos, colhendo de forma inexorável os frutos da energia que deixamos nas mentes e corações.

Nossa tristeza deverá ser transformada em uma saudade grata. Recordar com carinho das boas lembranças e procurar na oração o envio de energias que o espírito, que partiu, precisará em sua nova jornada.

Os sentimentos de desespero, tristeza, mágoa, cobrança, somente poderão atrasar o avanço do espírito e até mesmo contribuir para que se recuse a seguir o novo caminho e passe pelas agruras de permanecer no etérico.

É preciso desapegar-se, por mais duro que isso possa parecer. Somente o despego é que libertará a ambos! O espírito, liberto da roupagem carnal, precisa se redescobrir, encontrar sua família espiritual e entender que possui inicialmente as recordações da última encarnação, mas, adormecida em sua consciência transcendental, está todo o manancial de conhecimento adquirido ao longo de suas outras encarnações. As justificativas, os porquês, as respostas... Tudo adormecido e esperando que tenha condições de “seguir em frente”. Precisamos libertar aquele que partiu! Permitir apenas as recordações de amor e saudade, mas sem tristeza, apenas o desejo que siga em frente e nos aguarde quando chegar nossa hora. Que o desejo do reencontro seja na “verdadeira vida” e jamais um apego daninho que prende os que já cumpriram sua etapa na Terra.

Dentro de nossa Doutrina tratamos com espíritos todo o tempo e temos a certeza da continuidade da vida. Encontramos os mais diversos casos nos Angicais que podemos participar. Então, nos resta esperar o reencontro, sem ansiedades, com amor, sem tristeza, com oração. Nossas orações chegam despertando uma suave lembrança de nós, semeiam o poder do reencontro no momento certo, no dia determinado.

As comunicações com os que partiram não devem ser esperadas. Não sabemos o grau de merecimento dos envolvidos e, pela Luz, somente se houver uma grande e real necessidade. Nada que provém da Luz é inútil ou sem merecimento.

A vida na escola encarnatória sempre traz difíceis lições, deixemos que descansem em Paz.
Kazagrande


sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

A NOVA LINGUAGEM ESPIRITUAL


Meus irmãos e irmãs,
Salve Deus!

Até a missão de Tia Neiva se descortinar, o espiritismo, e também o espiritualismo, limitavam o conhecimento espiritual aos médiuns aculturados ou com capacidade intelectual mais apurada, que, inevitavelmente, conduziam a uma “elitização” dos membros.

Da época de Tia Neiva em diante houve uma mudança completa na aceitação da vida espiritual por parte da humanidade. As centenas de livros de Chico Xavier, novelas espíritas, reportagens televisivas e impressas, popularizaram, desmistificaram e diminuíram grande parte do preconceito e também trouxeram explicações menos elitizadas para o fenômeno.

Tia Neiva, e o neologismo do Doutrinador; Mestre Mário Sassi (Trino Tumuchy) e o livro “No limiar do Terceiro Milênio”; finalmente explicaram de maneira coerente e possível de entender por todos, o fenômeno mediúnico. Fato que fez florescer a Doutrina do Amanhecer entre pessoas de todas as classes sociais e culturais. Uma das grandes belezas de nossa Doutrina é que ninguém pode ser avaliado pelas suas posses materiais ou pelos seus conhecimentos acadêmicos. Uniformizados todos têm as mesmas possibilidades! O Desenvolvimento é igual para o doutor e para o analfabeto, de uniforme não se sabe quanto cada um ganha... as roupas são iguais! A simplicidade dos conhecimentos, onde primeiro se aprende a trabalhar e depois, se desejar, encontra as informações, trouxe um sistema fascinante de iguais possibilidades, totalmente diferente dos padrões da “vida lá fora”.

Aqui, no Exílio do Jaguar, as explicações sobre várias questões espirituais são apresentadas de maneira simples e em linguagem acessível, diferente dos tradicionais livros espíritas que, em sua ampla maioria, exigem que se tenha um dicionário ao lado para poder entender tantas palavras rebuscadas.

Certa vez me perguntaram: Mestre, estes Mentores de Luz são tão chatos como nos livros espíritas?

A partir desta pergunta encontramos mais uma das belezas de nossa Doutrina: a simplicidade dos Pretos Velhos! Espíritos de Luz que envergam a mais humilde das roupagens para nos atender, para nos fazer compreender as coisas do espírito, com uma linguagem acessível e repleta de uma sabedoria que atende também com perfeição aos mais cultos.

Para os mais simples o Preto Velho é aquele que traz a paz e esperança sem precisar florear as palavras, para os mais cultos traz esta sabedoria grandiosa que ultrapassa o falar singelo ao atingir a mente pela coerência e amor.

Também pensando nesta pergunta iniciei um projeto de novos livros que deverão explicar “as coisas do espírito” sem a necessidade de uma linguagem que possa parecer até soberba. Falar abertamente de temas espirituais do dia a dia, e das energias que nos cercam sempre influenciando nossas vidas. Este é um dos projetos para 2017.


Kazagrande

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Substituto de Tia Neiva



Tia Neiva deixou como seu “substituto” o Doutrinador, desde que este tenha muitos amor no coração! Assim ela afirmou categoricamente.

Porém, tenho absoluta certeza que, ao propor esta afirmação ela não indicava diretamente a mediunidade específica, mas sim, direcionava aos que possuem a Doutrina em seus corações! Seu substituto não é “um” Doutrinador elevado hierarquicamente às condições de comandar a Doutrina, seu substituto é qualquer médium, Doutrinador ou Apará, que leve a Verdadeira Doutrina em seu coração!

Será “o” Doutrinador que entenda que somos evangélicos, que nossos princípios são os deixados pelo Divino Mestre em sua mensagem de Amor, Humildade e Tolerância. Será aquele que se emociona, que carrega viva a magia do contato espiritual e torna-se capaz de racionalizar o sofrimento sem tornar-se indiferente ou soberbo.

Será o Apará que entregue-se à Mensagem de Amor de nossos Mentores de Luz e sinta verdadeiramente que eles apenas apontam o caminho, sem envolverem-se em nossas mazelas. O Apará que deseja cumprir sua missão sem julgar a ninguém, nem a si mesmo.

Jamais será o Doutrinador que pela pretensa hierarquia toma decisões na personalidade e crê em um poder temporal acima do espiritual.

Jamais será o Apará que manipula as mensagens em benefício de algum interesse seu ou de outrem.

Tia Neiva apontava o caminho! Mostrava com seu exemplo vivo a conduta esperada dos médiuns que lhe acompanhavam. Esperava que estes pudessem tornar-se exemplos a serem seguidos, e assim, “novas Tias Neiva”. Ninguém substitui ninguém, mas novos exemplos devem surgir, para lançar novas sementes e colher novos frutos.

Com isso não espero que “alguém” seja nosso exemplo, pelo contrário! Espero que todos nós, que cada um de nós, se esforce para poder ser um exemplo.

Temos ainda muitas falhas... Ainda perdemos muito a paciência, julgamos, demonstramos grandes faltas de amor. Mas... Estamos a caminho! Nos esforçando para um dia estarmos perto daquele exemplo de Mãe amorosa, forte, convicta em sua fé e em tudo que tinha nas mãos.

Seguir homens? Não! Despertar o Doutrinador de cada um de nós, independente de sua mediunidade, sim!


Kazagrande

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Vale a pena perdoar?


Nosso espírito já passou por muitas experiências neste plano físico, Tia Neiva falava em aproximadamente dezenove encarnações, em média, para os médiuns da Doutrina do Amanhecer.

No cenário destas outras passagens interpretamos os mais diversos personagens. Ricos e pobres, poderosos e escravos, políticos e rebeldes, religiosos e perseguidores, enfim, podemos imaginar os mais diversos palcos de interpretações da vida real, onde adquirimos estas experiências.

Cabe também lembrar que, no intervalo entre uma encarnação e outra, igualmente vivenciamos experiências acrisoladas no etérico e em escolas da Espiritualidade Maior. Resumindo: não há muito que aprender no sentido de conhecimentos, mas, se ainda estamos encarnados, com certeza, temos muito que aprender no aperfeiçoamento de nosso caráter espiritual.

Nossa personalidade hoje pode ser a mais importante de nossas vidas, ou mesmo a mais insignificante, não sabemos! Mas sabemos que estamos aqui para cumprir nossos reajustes e evoluirmos em nossa individualidade pela aplicação prática de boas decisões, que não foram tomadas no passado.

Nos deparamos com situações similares a outras já vivenciadas, onde nossas decisões trouxeram dor e sofrimento. Por vezes encontramos diretamente com nossos cobradores, já encarnados, e que também possuem a mesma oportunidade de decidir pelo perdão ou pela cobrança.

Decidir pelo perdão é fundamental! Sabem por quê? Porque quando perdoamos deixamos um bom exemplo, algo a ser mostrado aos nossos cobradores desencarnados, quando se aproxima o momento do reajuste. Imagine seu cobrador, preparado para executar sua justa cobrança, observando que nós perdoamos a outro que talvez tenha nos infligido uma cobrança maior que a dele. É possível que ele avalie que, se nós, que somos “ruinzinhos”, conseguimos perdoar e seguir em frente, ele também pode! Pode nos perdoar e seguir em frente, nos libertando e libertando a si mesmo do apego emocional da vingança, que prende tantos pelos “umbrais” do etérico.

Também mostramos aos nossos irmãos encarnados, muitos com direito de reajuste, que nosso comportamento atual, nossa afabilidade, não merece uma prática injusta.

O conhecimento de nosso espírito é muito maior do que qualquer estudo que possamos realizar enquanto encarnados. Por este motivo, ao despertar a consciência espiritual, nos tornamos pessoas melhores. Não recordamos com clareza as situações do passado, mas sentimos a intuição provocada pela nossa individualidade comprometida com a evolução.
Kazagrande


terça-feira, 10 de janeiro de 2017

As Cartas da Iniciação - NOVO


A maior luta dentro de nossa existência física é contra nós mesmos.
O mais perfeito juiz é o juiz de si próprio.

Na contagem de Cartas das aulas para Iniciação Dharma Oxinto observamos claramente que o objetivo exposto é despertar nossa consciência. Despertar nossa consciência para vivermos dentro do Evangelho é o verdadeiro passo para a evolução espiritual e para sermos considerados Iniciados. Nestas cartas não se fala dos trabalhos que poderemos executar ou das diferenças que existirão a partir da conquista da Iniciação. Elas foram escolhidas para este despertar. Vamos recordar um pouco:

A carta da primeira aula é “Biografia do Doutrinador”. Um verdadeiro poema mediúnico, onde Tia tenta despertar a emoção de sua caminhada e espera contagiar aos que lerem. Relata uma saudade, um aperto no peito, que ela descobre ser a felicidade pela concretização de sua obra. Em 1981, 21 anos do início da missão no Vale do Amanhecer, e comovida ela relembra: “legiões de espíritos foram encaminhados pra o Céu; legiões de espíritos trabalham comigo na Terra”.

Na segunda carta, “O que é o Apará”, novamente em uma linguagem poética, Tia Neiva compara a missão do Apará à missão de Nossa Senhora que aparecia nos porões dos navios negreiros para acalentar a dor e trazer a esperança.

Já na terceira, e última carta, a “Mensagem Aluxã” fala do exemplo dos lírios, que nascem no lodo e ainda assim perfumam as mãos de quem os colhem. Um alerta, um despertar profundo para a necessidade de abandonar os julgamentos, de deixar de lado as fofocas e abandonar conflitos que só trazem dor.

Como podemos ver, nada a respeito dos trabalhos e conquistas, apenas o despertar da emoção nas duas primeiras cartas e o caminho claramente apontado na terceira. Nossa Doutrina é tão simples! Repleta de detalhes, rituais, roupas especiais, mas ao mesmo tão simples nos seus ensinamentos. Basta amar! Basta deixar de julgar e ter mais paciência, menos agressividade! A responsabilidade está em nossa consciência e a felicidade passível de ser construída no dia a dia.

Questionar faz parte de nosso espírito inquieto, mas julgar e despejar vibrações negativas resolverá alguma coisa? Guardemos nossos questionamentos para avaliar nossa própria conduta e passemos a “consertar nós mesmos”. É mais sensato afastar-se do que nos afeta negativamente, do que criticar e emitir uma energia que inevitavelmente fará mal primeiramente a nós mesmos.

Talvez seja hora de reler as primeiras três cartas que recebemos na Doutrina e encontrar TUDO que precisamos para ser feliz dentro dela.


Um fraterno abraço, Kazagrande

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Fim do Ano Sabático*


* Ano sabático é conhecido como o período de 12 meses em que a pessoa se dedica a algum projeto de vida particular, retirando para isso uma licença de suas funções profissionais.

Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

2016 foi um ano de grandes batalhas e incontáveis conquistas! Sim! Apesar dos percalços, das dificuldades, dos imprevistos, de tanta energia pesada ao nosso redor, em todas as áreas da sociedade, e mesmo dentro da Doutrina, é preciso contabilizar todos os sucessos para iniciar bem o novo ano.

Particularmente eu dediquei-me a firmar a estrutura familiar neste nosso retorno ao Brasil. Era preciso dedicar-se à família, e acomodar a todos em uma nova realidade. Como escrevi: foi difícil! Tão difícil que as vezes pensava que tinha alguma coisa errada comigo. Porém hoje, ao contabilizar tudo que foi conquistado, vejo que a única coisa de errado que poderia existir era minha pressa, ou meus “quereres”, que insistiam em “terminar logo”. Pois bem, terminou! Tudo, tudo que havia planejado foi executado!

Costumo no final do ano reunir a família e colocar em um papel todas as nossas metas para o próximo ano, sempre tomando o cuidado de planejar coisas realizáveis ou que nossos sonhos não virem fantasias sem objetivo. Neste fim de semana abrimos o papel do ano passado: tudo cumprido! Até mesmo as coisas mais difíceis estavam realizadas. Confesso que não contive as lágrimas ao lembrar o quanto esperneei durante o ano, quando alguma coisa parecia emperrada. Chorei porque entendi que tinha tanto para agradecer, mas primeiramente era preciso pedir perdão pelos momentos de sofrimento. Eu que sempre repito que sofrer é uma escolha, entendi que algumas situações me fizeram sofrer, mas não era preciso! Bastava ter paciência e tudo se resolveria, e mais, dentro das metas traçadas.

No início do texto falei em “ano sabático”... descrevi assim porque entendo que dediquei-me, quase que integralmente, à condução desta transição que envolveu grandes mudanças. Agora é hora de traçar metas doutrinárias para este ano que inicia. A Doutrina não precisa de nós, somos nós que precisamos da Doutrina! Porém todos precisamos uns dos outros, e o convívio mais intenso e direto com vocês fez muita falta.

Retorno aos meus escritos, a escrever sobre a Doutrina, enquanto “falar” sobre Doutrina parece estar meio distante ainda... Sou aquele que fala, e CALA quando deve! Alguns entenderão isso.

Resta então agradecer, de todo coração, a presença de vocês em minha vida, em nossas vidas! E desejar, ainda que com uns dias de atraso, um Feliz 2017! E recomendar: façam a lista! Dos projetos, das metas, das coisas viáveis para este ano. Dobrem, coloquem na carteira e abram no próximo ano. Será a hora de conferir o quanto temos para a agradecer!

Um fraterno abraço,

Kazagrande

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

2016 foi complicado hein?!


2016 foi complicado hein?!

Poderia falar das situações enfrentadas pela humanidade neste planeta e tentar conduzir, mais uma vez, as mentes a uma reflexão sobre a necessidade de despertar, e a conscientização de tantas ferramentas que temos em nossas mãos, que poderiam deveriam estar auxiliando, muito mais, na passagem deste difícil ano. Porém prefiro escrever sobre o que passou em termos espirituais em nossas vidas.

Um ano que trouxe grandes mudanças e que demonstrou claramente que a tão propalada “peneira de Pai João” está em pleno funcionamento!

Muitas máscaras caíram e alguns Templos esvaziaram. Vários recém iniciados, decepcionados, deixaram a missão, esquecendo o juramento e a espada que conduziram. Outros, com anos de Doutrina, mas ainda sem entender nada dos princípios Crísticos, mostraram suas garras e atacaram seus irmãos! Esqueceram que SEMPRE será melhor perdoar, e pedir perdão, independente de quem possa estar “certo”, é a melhor prova de entendimento da Evolução, e o revide e agressão a melhor prova de atraso espiritual.

Muitos também deixaram de ser seguidores de homens, e passaram a seguir na Doutrina pelo Pai Seta Branca! Entenderam que não existirá um “salvador” com chapéu branco, ou um comandante estrelar voltando ao físico para arrumar tudo. Estes espíritos de Luz já estão entre nós, silenciosamente fazendo sua parte e despertando as consciências que já estejam preparadas para ouvir: Amor, humildade e tolerância! Estes são nossos princípios.

Toda a estrutura de Trabalhos Espirituais, trazida da Espiritualidade por Tia Neiva, somente tem efeito se houver amor por parte daqueles que participam deles!

Hoje nossa Doutrina é muito mais cumprida na Individualidade de cada um, do que na coletividade sonhada pelo Pai. Tenho certeza que ele esperava que nossa ligação transcendental suplantasse nossos reajustes pessoais, e assim “seremos unidos eternamente, e o nosso Senhor, ficará contente”.

Porém, mesmo falhos, desunidos, nos reajustando, sentindo a vaidade atacada, defendendo nossos orgulhos e intolerâncias, mostrando os “erros” dos outros e glorificando nossos “acertos”, ainda assim, espíritos continuam sendo encaminhados! Enquanto houver um Doutrinador e um Apará, em algum Templo, em sintonia e com amor na hora de receber o irmão, a missão continua!

Na Individualidade dos que toleram, amam e procuram um pouco de humildade, a Doutrina segue em frente! Não importam os comandantes, as incompreensões, e outras coisas negativas que não me atreveria a relatar... Nada importa se continuarmos a despertar para o verdadeiro princípio Crístico!

2017 chegará sob uma nova aura: A recompensa dos que passaram por este ano que termina, sem renderem-se à negatividade. Será um ano muito próspero para quem aprendeu um pouco mais, pois quem aprende, encerra uma lição difícil, vira a página e encara novos desafios com muito mais experiência. Quem não aprende... Salve Deus! A lição volta mais dura, porque o coração precisar ser abrandado. Esta é a causa dos sofrimentos! Todos podemos passar por dores e dificuldades, mas cada um escolherá se deseja sofrer, ou simplesmente aprender.

Um fraterno abraço e Feliz 2017!

Kazagrande

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Ajanãs - Recordando Tia Neiva


Fragmentos de aula ministrada por Tia Neiva para os Mestres Lua. 

O Mestre Lua é um Mestre preparado em todos os sentidos, é Iniciado...

Nós pensamos sempre que o Mestre Lua tem menos instrução (recebe menos aulas de Desenvolvimento), mas eu não nunca me preocupei. Afinal, pelas comunicações dos Pretos Velhos, ele já é privilegiado pelas constantes incorporações.

O Mestre Ajanã é comandado pelos Grandes Oráculos de Simiromba, e o seu Ministro é Olorum. Olorum é o Deus infinito e misericordioso do Oráculo que tem a Força da Lua. Principalmente na Anodização, Olorum emite Mantras na Presença Divina pelo Mestre Lua, sim pelo Mestre Lua!

Olorum é o Ministro do Oráculo Universal do Mestre Apará, do Mestre de Incorporação. Ele emite seus Raios Lunares, e tem a Força também do Sol.

Quando o Mestre Lua emite, ele já entra no Luminoso mundo dos Pretos Velhos e Caboclos.

Para o Mestre Adjuração é mais trabalhoso... Por isso é que o Adjuração manipula no Terceiro do Terceiro Sétimo, e o Ajanã vai além, tem outra condição, chegando diretamente ao Oráculo Luminoso dos Caboclos e dos Pretos Velhos.

Fragmentos de aula ministrada por Tia Neiva para os Mestres Lua.

COMO ANDA NOSSO TEMPLO?


O médium chegou ao Templo já estranhando a falta do tradicional burburinho de outros médiuns e pacientes. Olhava em volta e via poucos trabalhadores uniformizados e uma grande quantidade de pacientes que circulavam na área externa, sem demonstrarem nenhuma preocupação em entrar no Templo.

Desconcertado olhou o relógio: 20hs! Era sábado, e, aos sábados o templo fervia naquele horário. Tentando entender se aproximou de um Jaguar que não via há muito tempo, um destes que somem e nunca ninguém pergunta o que aconteceu com ele, e perguntou:

- Salve Deus! O que está acontecendo meu irmão? Por que tudo está assim parado?

- Salve Deus! – respondeu o mestre “sumido” – Está tudo normal, é sempre assim por aqui.

- Como assim? Aos sábados eu sempre deixo para chegar mais tarde porque assim os trabalhos já foram encaminhados e posso trabalhar mais tranquilo. Mas hoje está tudo parado! Não tem nenhum trabalho funcionando, os pacientes estão todos do lado de fora e lá dentro, quando olhei pela entrada, só vi um Orixá cochilando na Radar. Isso não é nada normal não!

- É porque você está no SEU templo. No templo que você construiu interiormente com suas atitudes, e com seus conceitos de trabalho.

- Não estou entendendo nada. Fale em português homem!

- Meu irmão... Cada vez que você fugia dos trabalhos, chegando mais tarde apenas por preguiça, ou por alguma desculpa forçada; cada vez que preferia ficar circulando ao invés de trabalhar, conversando com um e outro, falando do que estava “errado”; criticando justamente onde poderia estar efetivamente ajudando; cada vez que agiu assim contribuiu para que o SEU templo estivesse assim hoje.

- Meu Templo? Eu não sou o Adjunto, mestre você está enganado!

- SEU Templo, meu irmão! Um lugar onde os irmãozinhos que você devia encaminhar ficam circulando esperando lhe encontrar. Logo que eles lhe virem vai ver onde é que você vai parar. Se olhar direito vai ver que o Orixá cochilando no Radar, é você mesmo! Os poucos médiuns andando aqui fora também são aqueles que você abandonou, como eu... Lembra? Você foi meu instrutor, mas ao observar seu exemplo fora das aulas eu desisti da Doutrina e desencarnei em acidente, provocado por um cobrador que eu deveria ter encaminhado.

- Mas... Mas... então eu desencarnei?

Antes que chegasse a resposta a sirene tocou avisando um desencarne. Acordou sobressaltado no Radar e foi logo apalpando o corpo para ver se estava “vivo”.

Kazagrande

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Saindo “mal” dos trabalhos...


Meus irmãos e irmãs,
Salve Deus!

Ao realizarmos um trabalho espiritual com perfeição, dentro de nossas diretrizes doutrinarias deixadas por Tia Neiva, deveríamos sair realizados, felizes e com as forças totalmente renovadas. Quando isso não acontece é porque “faltou” alguma coisa.

Quando saímos “mal” de algum trabalho, com dores, enjoos, cansados demais, enfim, “fora do eixo”, torna-se preciso refletir, com sinceridade, sobre o que poderia ter acontecido de errado. Se o problema é nosso, por conta de nosso padrão ou falta de concentração, ou se o trabalho fugiu das diretrizes da Clarividente.

Apresento algumas hipóteses que podem encontrar amparo em uma situação vivida, ou que fujam de alguma realidade pessoal, mas que servem para reflexão.

Se nos envolvermos com as dores dos pacientes ou tratarmos como algo mais próximo, mantendo a mente nas recordações de um atendimento, ou focando nas dores retiradas pelos Mentores, inevitavelmente nosso padrão baixa e atraímos o que não nos pertence. É preciso ser “profissional”, como dizia o Trino Tumuchy. Um médico presta o atendimento e acabou! Nada de ficar pensando ou mentalizando os atendimentos, e muito menos ficar tecendo comentários. Somos médicos em um hospital e sacerdotes em um confessionário.
“Nosso padrão vibratório é a nossa sentença”. Nesta frase, de Tia Neiva, encontramos toda a essência de nossa realização. Estando com o padrão vibracional elevado, vivenciando pensamentos e palavras positivas, nada negativo poderá nos alcançar.

Trabalhos ditos “especiais”, com comunicação de sofredores, também levam o Apará a participar de uma perigosa atração de sofredores que ainda não estavam preparados para serem atendidos e que trazem uma energia mais pesada, densa e difícil de manipular, sempre deixando uma “sobra” de negatividade, na aura do médium, que participou de um trabalho fora de nossas Leis. Comunicação com sofredor? Somente no Angical, e, em raras exceções, nos trabalhos de Julgamento.

Um sofredor somente poderá deixar seus resíduos negativos quando nosso padrão permite, ou quando fugimos da estrutura deixada pela Clarividente na condução dos trabalhos.

Mais um detalhe: O médium que participa somente de Trabalhos Iniciáticos, e deixa de lado os evangélicos, adoece!

Estas são algumas hipóteses para reflexão. A consciência da grandiosa missão confiada em nossas mãos deverá sempre trazer a realização! É preciso ser feliz nesta caminhada e a Espiritualidade proveem toda nossa harmonia física e emocional, quando buscamos cumprir o que foi por ela trazido, através de Tia Neiva.

Kazagrande


terça-feira, 22 de novembro de 2016

Que espíritos passam na Estrela Candente?


Estes dias observava o imenso desconhecimento sobre o que ocorre, na prática, na realização de um trabalho de Estrela Candente, pois nas aulas de Elevação de Espadas basicamente aprendemos “a trabalhar na Estrela”, e não atentamos para o porquê do compromisso assumido em participarmos ao menos uma vez por mês neste trabalho.

São diversas afirmações, muito fortes, que Tia Neiva fez a respeito da Estrela e tantas vezes são interpretadas de forma subjetiva e até incompreensível. Como, por exemplo, “que ela tem o poder de uma bomba atômica”. É verdade! Mas ocorre que na época, não existia nada mais poderoso a ser comparado, e Tia, ao ver a dimensão daquele poder, buscou o que seria mais poderoso no planeta para exemplificar. Pois, assim como uma bomba atômica ceifou a vida de milhares de pessoas em uma mesma explosão, a Estrela poderia modificar e encaminhar milhares de espíritos em uma única Consagração Perfeita.

Mas vamos ao nosso tema central: Que espíritos passam por ali?

Como de costume prefiro criar um exemplo para entendimento de todos...

Na Mesa Evangélica e nos Tronos passamos espíritos que, incorporados, fundem sua aura com a do Apará e passam a dispor de todo um sistema evangélico de limpeza e esclarecimento, que é finalizado com uma Chave Iniciática (Obatalá), abrindo um Portal para que possam ser recolhidos pela Espiritualidade e iniciar uma nova jornada.

Porém existem espíritos que formam grandes e poderosas falanges, espíritos acrisolados no Etérico há tanto tempo, por razões diversas, que devido ao grau de ferocidade não poderiam “incorporar” sem colocar em risco a integridade do Apará.

Meus irmãos e irmãs, existem espíritos que ficam tanto tempo no etérico e passam por tantas situações, que acabam literalmente se animalizando! Sim! Espíritos que consumiram ectoplasma de sacrifícios animais e vão agregando características animalescas ao seu corpo espiritual. Espíritos envolvidos em magia negra, espíritos que passaram por rituais onde os chamavam de demônios... Imaginem como fica aquele espírito “doutrinado” em uma seita destas que dizem que ele é um diabo, que é a expressão do mal, que é o Satanás... Este espírito, pelo poder da mente que espiritualmente plasma suas formas, já sai dali com rabo e chifres acreditando mesmo que é um demônio!

Também temos aqueles que, reunidos em gigantescas falanges, buscam provocar guerras, decisões políticas que afetam milhões, doenças coletivas, catástrofes... São escravizados por um “comando” insano de antigos líderes guerreiros e/ou religiosos, e visam influenciar atitudes que baixe o padrão vibracional de toda uma nação e com isso, uma imensurável liberação energética negativa pelo padrão baixo das pessoas com medo, frustradas, sofridas, vingativas... Todo sentimento negativo libera energia “aproveitável” pelos seres em padrão compatível. Imaginem em uma guerra, em um conflito político, ou até mesmo de torcidas de um time de futebol... Quanta energia absorvem e entregam a líderes que insistirão em manter este círculo vicioso do mal.

Estes espíritos, movimentados por um desejo incontrolável de vingança e frustração, não poderiam incorporar para receber um doutrina e limpeza de aura. Suas vibrações iriam desequilibrar o Apará e poderiam até mesmo atrair um obsessão interminável sobre aqueles que “tentaram” modificar seus objetivos traçados.

Somente na Estrela Candente podemos passar estes irmãos! Somente pelo poder Cabalístico da Estrela é que o Doutrinador impregna o esquife, formando uma cápsula de recepção para estes espíritos, sem a necessidade que incorporem para serem reencaminhados. Por isso a Tia dizia que a Estrela pode “parar uma guerra”. Podemos receber ali toda uma falange empenhada em provocar ações e interpretações que acabam em guerras, em políticas desvairadas, enfermidades e terror.

Este é nosso compromisso: uma Estrela por mês ao menos! Fazer a verdadeira caridade ao mais terrível espírito e total desconhecido.

Ainda temos muito para falar, esta foi apenas uma pequena introdução. Nos próximos dias estarei detalhando situações e aprofundando o assunto: “Que espíritos passam na Estrela Candente?”.
Kazagrande 

sábado, 19 de novembro de 2016

Tomei “uma”, e agora???



Esta dúvida aflige todo médium que deu uma “escorregada” e acabou ingerindo algo (ou muito) de bebida alcoólica, mas que não quer deixar a Doutrina. Escorregou, que voltar, e agora?

Antes de qualquer coisa é importante deixar claro que nossa Doutrina não condena quem faz uso do álcool! Não temos nada contra quem bebe! Mas quem entra oficialmente para a Doutrina, para cumprir esta missão Crística, deverá se abster do álcool apenas por uma questão técnica: “Nossa energia mediúnica circula em nosso sangue, e nosso sangue, contaminado pelos alcaloides formados pela ingestão de bebida alcóolica, torna-se impróprio para a realização da Cura Desobsessiva”. Este é o motivo! Sem fantasias, fanatismos ou invenções! Apenas devemos entender que, se ingerimos álcool, nossa energia não será aproveitada pelos nossos Mentores (1 –explicação mais detalhada lá no final J).

Bebi... Não posso mais trabalhar?

Salve Deus! Pode! Porém deve em primeiro lugar refletir sobre sua condição. Deve ser sincero e ver se quer mesmo parar de beber. Só pense em voltar se estiver seguro sobre o que quer.
Lembremos que por melhor que seja sua intenção, se sua energia não servir, não fará nada além de deixar algum irmãozinho com mais raiva por não ter o que receber naquele atendimento. Melhor considerar a possibilidade de voltar a ser um paciente

Como devo proceder para voltar aos trabalhos?

Bem, o certo é antes de tudo conversar com um Mentor, que irá avaliar a situação de sua aura e a impregnação de seu plexo, e dizer se está na hora de voltar ou se é preferível passar mais um tempo como paciente.
Se sua “pisada de bola” foi algo maior, mais público, deve procurar diretamente o Adjunto e receber dele a orientação. É a intuição dele que determina o tempo de afastamento, ou se deverá fazer uma reciclagem, assistir algumas aulas... Enfim: ele é o responsável por autorizar sua volta!

03 dias ou três meses afastado... Qual é o certo?

O certo é não beber!
Um médium só deve assumir a missão em nossa corrente se estiver seguro de sua decisão e força de vontade. Porém se recaiu, deve considerar vários aspectos: ao assumir sua missão dentro da Doutrina do Amanhecer, você não trabalha apenas quando vai ao Templo. Quando está dormindo, seu espírito completa os trabalhos, planeja junto com seus Mentores outras jornadas, e estando impregnado tudo tem que ser refeito.
Um Mentor poderá avaliar sua situação, mas somente o Adjunto é que autoriza o retorno aos trabalhos.

Mestre, cerveja sem álcool pode, né?

Uai... Se não tem álcool... Não tem álcool! Pronto!
Agora, se o título “Sem Álcool” for 100% verdadeiro, não vai gerar impregnação, somente terá um efeito mental que poderá induzi-lo ao erro, mas cada um é cada um...
É importante ressaltar que QUASE TODAS as bebidas SEM ÁLCOOL têm em letras pequenas no rótulo a inscrição “considerada sem álcool – teor alcoólico X”, assim, na verdade apenas têm uma quantidade considerada desprezível (pela sociedade) de álcool, mas não são completamente sem álcool. Leiam os rótulos!

Mestre, existem remédios à base de álcool, posso tomar?
Praticamente todos os medicamentos formulados com algum teor de álcool podem ser substituídos por outros que não necessitam deste componente. Não havendo possibilidade de substituição do medicamento (consulte seu “médico da terra”), consulte a Espiritualidade para continuar seus trabalhos durante o uso. Assim demonstra respeito, humildade e poderá contar com uma proteção especial. O Trino Tumuchy costumava afirmar que “nem uma colher de Biotônico Fontoura” deveríamos ingerir. Mas a Espiritualidade respeita todas as determinações das recomendações médicas e proporciona uma proteção especial para as reais necessidades.

Kazagrande

1- Ao trabalhar mediunicamente você passa a colocar à disposição da espiritualidade os seus fluidos energéticos. Seu ectoplasma é mesclado com a energia de nossos mentores e transforma-se em um “remédio”, próprio para a cura desobsessiva.

A impregnação por substâncias alcoólicas “envenena” seu fluido ectoplasmático, tornando-o impróprio para a realização da cura desobsessiva, nossa fundamental missão! Fisicamente o álcool deprime o sistema nervoso e afeta a sensibilidade do ectoplasma. Circulando no sangue, impregnado de ectoplasma, o álcool volatiza sua energia mediúnica. Permite que ela seja liberada sem uma incorporação ou sem uma manipulação dentro de um trabalho espiritual.

Liberando sua energia desta forma, ou seja, “envenenada”, ela servirá apenas para alimentar irmãozinhos menos esclarecidos, espíritos que necessitam do magnético animal para suas criações. O dito popular fala que Deus protege os “bebinhos”... Creio que a maioria já deve ter testemunhado alguma situação de extremo risco em que uma pessoa alcoolizada “escapou por milagre”. Óbvio analisar que na verdade são espíritos ainda fora da Luz, que fazem o que podem para salvar sua fonte de alimentação e induzi-lo cada vez mais ao vício.

Considerando a afirmação acima, podemos compreender que de nada adianta “beber” e ir trabalhar espiritualmente. Além de contaminados, já estaremos sob a “observação” de algum irmãozinho interessado em nos atrapalhar e fazer com que novamente voltemos a consumir. Para um espírito sem Luz, um médium, que dispõe de uma grande quantidade de energia em franca produção (esta é a principal característica do médium, um ser que produz energia ectoplasmática em excesso - mais do que precisa – para poder doar), é o alvo ideal!


Cabe ainda ressaltar que o consumo de uma bebida alcoólica leva uma direta distorção em nossa capacidade de avaliação. Clinicamente a bebida nos torna mais audaciosos e desinibidos, avançando por limites que em nosso estado normal estariam claramente definidos. Falamos mais e normalmente demais, e temos “coragem” além da exigência de nosso bom senso.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Qual “estação” sintonizamos?


Todos nós, em algum momento de nossas jornadas, passamos por sensações desanimadoras, é natural! Estamos envolvidos com diversas forças espirituais que nos circundam e influenciam diretamente nosso humor e disposição. Se, por um lado, temos nossos Mentores a nos proteger a incentivar, por outro, temos espíritos, que fazem parte de nossa caminhada e, que procuram interromper o processo evolutivo que ingressamos e os afastará definitivamente de nós.

É nosso padrão vibracional que determina qual destas forças irá atuar com mais intensidade e influenciar nossas decisões e reações. Quando mergulhamos no negativismo, ficaremos ainda mais negativos por conta destas influências. Se buscamos positivar nossos pensamentos e semear a esperança para nossa vida, recebemos o incentivo de nossos Mentores.

Nossas Entidades estão sempre ao nosso lado querendo nos auxiliar e proteger. Somos nós que impedimos pelo nosso pensamento negativo! Imagine um rádio... é preciso sintonizar uma estação para poder ouvir a música. Temos nossos Mentores em uma frequência e nossos “irmãozinhos” em outra. Se “movemos” nosso padrão para baixo sintonizamos a música deles (irmãozinhos), e, mesmo os Mentores desejando ajudar, não conseguem nos projetar energias e intuições, por estarmos em outra estação.

Por isso a célebre frase de Tia Neiva: “Seu padrão vibratório é sua sentença”. Recebemos sempre o que emitimos, consciente ou inconscientemente.

“Perceber” em qual estação estamos sintonizados faz total diferença em nossas vidas! Observar quando nos envolvemos em conversas não produtivas e que atraem coisas ruins para nossas vidas. Recordo sempre de um amigo que tinha que enviar seu filho em uma viagem de avião. Durante uma semana, em qualquer lugar que o encontrasse, vinha a mesma ladainha: “esta companhia sempre mexe nas bagagens, já soube de fulano que roubaram a câmera dele?”, “e outro que ... isso e aquilo”. Enfim, falava sempre da possibilidade de ter a bagagem do filho violada. Eu explicava que já tinha realizado quase uma centena de voos pela mesma companhia e nunca me aconteceu nada. Mas ele não desistia e eu passei a ignorar e mudar o assunto perguntando outra coisa qualquer.

Imaginam o resultado, não é? A bagagem do filho dele foi violada! Coincidência, intuição? Não! Ele atraiu aquilo que tanto repetia! Já reparam que quando começa a falar de doenças, ou mesmo roubos, logo aparecem outras pessoas com o mesmo assunto, conduzindo sua vibração para baixo e falando que “a dor dele é pior”, ou que sabe de um caso de roubo ainda mais terrível? É a atração pura e simples das frequências vibracionais!

Imagine o que podemos atrair quando falamos de coisas boas... Quando relatamos nossas experiências na Doutrina, ou contamos tudo de bom que pudemos fazer em determinadas situações, seja dentro ou fora do Vale?!

Melhor atrair o que nos faz bem, o que permitirá nossa frequência receber a sintonia de nossos Mentores, e não a emissão de cargas negativas que alimentam nossos irmãozinhos e suas cobranças.

Salve Deus!

Kazagrande