ÚLTIMOS TEXTOS

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

RECEBENDO DOAÇÕES

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011 - 0 Comments


Textos de Anderson Augusto - Mestre Lua

“Mas o que a não soube, e fez coisas dignas de açoites, com poucos açoites será castigado. E, a qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá.” (Lc 12:48)

Em outras épocas o missionário ao receber qualquer tipo de doação pelo serviço prestado, normalmente sofria algum problema físico mais simplório, como uma dor no estômago; era um aviso para um médium ainda despreparado que, eventualmente, deixava se perder em alguma astúcia de seu caráter e na vontade de ganhar.

Atualmente, há muito esclarecimento disponível e maior possibilidade de iluminar muitas dúvidas de conduta. Agir por egoísmo é apenas mais uma opção para os que já detêm a consciência dos ensinamentos do Divino Mestre Jesus. A humanidade desvencilhou-se da época da inocência, e muitas atitudes ardis tornam-se comuns. O verdadeiro Mestre não busca nem o agradecimento daquele a quem ajudou, pois mesmo assim estaria querendo receber algum tipo de doação, ainda que fosse a doação moral; deixou o Caminheiro, em muitas de suas parábolas, a demonstração da igualdade e do merecimento daquele que recebia a ajuda.

O verdadeiro tamanho do templo de Deus é o que conseguimos edificar dentro de nós mesmos, pois esta morada não tem começo e não tem fim, é a que não enfrentará o fim-dos-dias.

Os filhos ingratos carregam para si mesmos as noites que não terminam, e o Grande Pai, mesmo em compaixão não exige retribuição por tudo que nos deu. Da própria consciência formou-nos livres no pensar e em recebermos daquilo que nos propormos a doar. Mas este receber é algo que nossas personalidades pouco entendem, pois muito ainda se amarram nas tramas materiais das percepções do corpo físico. Na Era vindoura isto será mais transparente, pois os prazeres advindos dos sentidos reduzir-se-ão e o espírito começará a ser dono de si mesmo, pouco entregando-se a fatídica idéia do simples prazer de receber.

Estamos sendo confiados em energias jamais manipuladas no orbe terrestre, trazidas por uma bagagem de muitas encarnações, muitas aventuras e muitas desventuras, pelas terras de Cristo Jesus. Somente na época de Atlântida algo tão grandioso foi manipulado e, antes do desaparecimento deste povo, esta energia começou a ser desviada. Eram Capelinos, conhecedores dos segredos científicos das energias terrestres, porém ignorantes da sabedoria do amor ao próximo; provaram da força escura do individualismo e viram as águas cobrirem seu sectarismo.

As águas novamente estão sendo preparadas. Salve Deus! Permitiu-nos o Simiromba de Deus presenciar a possibilidade de cura no Planeta. Eu, e meus irmãos da águas viemos em busca daqueles que não se afogarão em suas próprias consciências. O começo da liberdade está em conceder ao próximo o conhecimento de sua capacidade em aproximar-se de Deus Pai Todo Poderoso através da simplicidade de nada precisar receber. A consciência que objetiva-se somente em ganhar, distancia-se lentamente do Pai, Aquele que sempre de sua colheita a maior parte oferece para aumentar a plantação.

A verdadeira doação que recebemos chega sutilmente em nossos corações, vindas pelas vibrações de paz que foram produzidas pelo trabalho incessante do missionário da última hora. A verdade que liberta, e assim o faz de tudo aquilo que um dia acreditamos necessitar.

Salve Deus!
 Anderson Augusto - Mestre Lua

A questão financeira - 2


Em um texto anterior falamos de proselitismo, ou seja, compreendemos que no Vale não há nenhum tipo de convite público, programa de rádio e tv, e formas de divulgação da doutrina, “chamando pacientes”. Os pacientes chegam por atração magnética, se um templo tem energia disponível, naturalmente atrai pacientes... As Entidades se encarregam de se movimentar para encaminhá-los.

Esta é a melhor maneira de avaliar a real necessidade de ampliar um templo.

Somente ampliamos para acomodar melhor os pacientes e médiuns. O corpo mediúnico cresceu, a quantidade de pacientes aumentou, então sim é hora de construir, de buscar um lugar maior.... Assim fazia Tia Neiva.

Nada de querer construir desnecessários grandiosos templos quando se quer tem um corpo mediúnico em condições de emanar o local!!! Templos enormes com corpo mediúnico pequeno é um sinal perigoso que deve ser criteriosamente avaliado. Algo aconteceu de errado nesta jornada!

Quando a realidade mostra a necessidade se investir no templo e o corpo mediúnico não tem como suportar as despesas, é hora de gerar a vibração de união, necessária para a realização de eventos, que possam arrecadar o esperado suporte financeiro. Bingos, jantares, apresentações, formas simples em que se podem convidar famílias, em um ambiente realmente agradável, para poder oferecer algo que não provem de sua mediunidade. Assim se pode arrecadar o necessário. E podem ter certeza... no devido tempo!

Nestes eventos, em que oferecemos coisas materiais, os pacientes podem ser convidados, familiares que não são da doutrina, vizinhos do templo ou de sua casa, enfim gerar uma vibração de união entre todos os membros do corpo mediúnico, para ofertar, também com amor, um evento físico, que terá uma resposta material financeira.

Assim também Tia fazia e nos ensinou.

Ainda há um ponto mais delicado que outros: Mesmo considerando que nós, somente nós médiuns iniciados, é que somos responsáveis por qualquer despesa do templo, não se pode explorar a ninguém. Não se pode explorar, pedindo a algum médium qualquer coisa, ou quantia, que comprometa sua situação financeira familiar.

E mais... Não se pode sequer explorar no valor de nossos símbolos doutrinários!!! Isso sim é muito sério!!!

As fitas, coletes, plaquinhas, uniformes, indumentárias e adornos, têm um custo. Neste custo agrega-se um valor necessário para as despesas naturalmente importantes no funcionamento do templo, e um pouquinho mais para poder atender àqueles que chegam sem condição nenhuma de poder comprar.

Quando fui emplacar eu não tinha a menor possibilidade de comprar nada. Nem chinelo eu tinha...rsrsr Seu João, do Salão de Costura me deu o jaleco e calça. Tio Raul pediu ao Carmênio para me dar a plaquinha. Quando senti que deveria ser Mago, Tia Lucia me deu a indumentária e Tia Déra o Radar. Ao iniciar, novamente recebi do Tio Raul, agora o colete. E daí em diante, já fui tendo condições de comprar minhas próprias armas e auxiliar a outros que chegaram depois de mim.

Tirando este pequeno valor agregado, nada mais deve ser cobrado.

Nossos símbolos doutrinários e armas, devem ser pagos sim! Mas jamais a custa da exploração de jaguares, que na sua maioria, escolheram uma encarnação humilde. Nossos artigos doutrinários não são realizar grandes negócios com lucros de 500% acima do custo.

Kazagrande

domingo, 27 de fevereiro de 2011

A questão financeira - 1

domingo, 27 de fevereiro de 2011 - 9 Comments


Podemos receber doações para o Templo? - Podemos aceitar benefícios, que parecem ser necessários, para a ampliação da obra e conjunto doutrinário? - Como arrecadar fundos para manutenção e ampliação da missão? -    Como agir quando é necessário realizar pagamentos de água, luz, pedreiros, equipamentos, adornos, etc.?

Um médium não pode receber nenhuma recompensa material por seu trabalho mediúnico, isso é patente desde nossas primeiras aulas, desde a palestra inicial antes do ingresso na Doutrina. Porém o tema sobre “dinheiro e doações” é bem mais profundo!

Vamos partir do princípio... Para tecer qualquer comentário sobre este delicado tema, nosso norte será sempre Tia Neiva. Sua jornada no início da missão. Creio que nenhum de nós poderá se considerar melhor que ela, para querer agir diferente, e ambicionar mais do que ela projetava, como clarividente recebendo orientações diretamente de Pai Seta Branca.

Como todos devem saber, sua jornada foi bem difícil. O início em total pobreza na Serra do Ouro, o recomeço em Taguatinga, e um novo começo no Vale do Amanhecer, onde teve que abrir mão do pouco de comodidade que havia conquistado em Taguatinga, para recomeçar em um lugar, sem luz, sem água encanada, sem sequer televisão para as crianças que lhe acompanhavam no orfanato. Assumindo assim, até mesmo a missão de entreter as crianças com suas histórias e o violão.

Tia Neiva não construiu toda a obra do Vale do Amanhecer com doações de pacientes maravilhados com sua clarividência! Construiu com o suor de todos! De cada médium que a acompanhou naquele início de jornada.

Cada passo de ampliação, somente foi dado por real necessidade! O templo só foi recebendo ampliações de acordo com a necessidade de acomodar os pacientes que se amontoavam, e o corpo mediúnico que não parava de crescer.

Nunca deu passos largos por vaidade, ou para mostrar a quem quer que seja que tinha como construir um grande templo. Certa vez, passando por uma banca de loterias, comprou um bilhete. Era um momento difícil, em que realmente precisavam do dinheiro, já havia compromissos acumulados a serem saldados. Passado o dia do sorteio, novamente passou pela banca, viu o resultado e sorriu... Rasgou o bilhete em pequenos pedaços e foi largando aos pouquinhos... Seu Mário (Trino Tumuchy, Mestre Mário Sassi) perguntou o quê passava? E ela disse:

- O bilhete estava premiado, deu no primeiro prêmio.

Ele imediatamente buscou se poderia recuperar os pedaços do bilhete, já bravo e perguntando:

- Mas Neiva, por quê? Precisamos do dinheiro!!!

E Ela disse:

- Quando escolhi o bilhete, eu usei minha mediunidade, não poderia ficar com este prêmio. Pai Seta Branca disse que, o quê precisarmos de verdade, teremos.

Creio que com este reduzidíssimo relato, já podemos ter uma idéia de até onde implica este “receber pagamento” pela mediunidade!

Sim meus irmãos! Não podemos aceitar nada de ninguém, nem dinheiro, nem nada. E nem sob qualquer justificativa, ou pretexto. Nada é nada mesmo! Paciente não pode doar nada!!!

Somente quem pode contribuir para esta obra somos nós mesmos! Somente um médium iniciado na Doutrina é que pode contribuir com alguma coisa, ou de alguma forma para a manutenção ou ampliação da missão.

As despesas de um templo, água, luz, velas, etc., devem ser mantidas pelos médiuns que se disporem espontaneamente para fazer isso. Não podem ser cobrados! Os serviços de limpeza, manutenções, etc., devem ser executados preferencialmente por médiuns que se disponham a fazê-lo. Sua doação de trabalho também deve ser espontânea, embora possam, e até devam, ser incentivados a tomar a iniciativa.

(Continua amanhã)

Kazagrande

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

UM ANO DE EXÍLIO DO JAGUAR

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011 - 7 Comments


Dia 14 de Fevereiro de 2010 – “Aniversário de Pai Seta Branca” (Retorno aos Planos Espirituais) – Neste dia comecei a preparar o primeiro layout do blog.

Dia 23 de Fevereiro de 2010 – O Exílio do Jaguar estava pronto e alimentado com os primeiros textos que enviava por email. Um coletânea de outros escritos.

Dia 1º de Março de 2010 – Pela primeira vez começo a divulgar o site, timidamente, apenas entre os poucos contatos que tinha e através do Site do Vale do Amanhecer.

Há um ano atrás, os primeiros textos do Exílio do Jaguar foram postados! Hoje apresento a vocês um breve histórico e um profundo agradecimento.

Foram quase 230.000 acessos e 500 artigos doutrinários postados, perfazendo um total mais de 1.300 páginas digitadas, centenas de arquivos para baixar, entre áudios, vídeos, livros e textos. O total global de acessos, contando as leituras de artigos passados, pelo mesmo acesso, já passa de 650.000.

O carinho e vibrações recebidas me incentivaram a cada dia perseverar nesta pequena jornada, agradecendo todos os dias e pedindo sempre para jamais me perder pelo orgulho e vaidade. Devo compreender que sem a emanação de nossos Mentores seriam apenas palavras tantas vezes já repetidas e não chegariam ao coração de tantos irmãos e irmãs.

Mais de 4.000 emails respondidos um a um, com todo tipo de consultas. Desde simples agradecimentos até desesperados pelas dores desta feliz oportunidade de reajuste.

Do Emplacado ao Arcano, Ajanãs e Ninfas, todos em algum momento encontraram algo que lhes foi bom e produtivo dentro destas simples palavras redigidas com amor e respeito.

Somente escrevi sobre coisas simples de nossa Doutrina, sem querer gerar qualquer polêmica ou questionamento sobre situações atuais. Falamos do básico que o Doutrinador e o Apará devem conhecer, independente de sua classificação ou posição. Mesmo assim alguns textos trouxeram questionamentos e com estes, novos esclarecimentos.

Não me sinto dono de nada e todos os textos são livres para serem copiados e transmitidos se forem para semear o bem. Sem divisões, sem sectarismo e sem mágoas.

Só tenho a agradecer pela oportunidade de mesmo tão distante ainda poder fazer parte da jornada de tantos irmãos e irmãs, e registrar o meu agradecimento! Mesmo sabendo que também quem me escreve e apóia, recebe a mesma intuição que originou o texto inicial.

Um fraterno abraço, de todo coração,

Kazagrande

sábado, 19 de fevereiro de 2011

As dúvidas do Doutrinador "?"

sábado, 19 de fevereiro de 2011 - 0 Comments


A Entidade começa a falar com o paciente, e com o barulho do Templo ele não consegue ouvir. Bem, ele pensa: Sei que aí está uma Entidade de Luz, este apará é conhecido, então está tudo bem! Me proteja meu Pai! Certo? ERRADO!!!

Um Doutrinador não pode atender um paciente sem ouvir claramente a comunicação! Vou repetir: Não pode atender nenhum paciente sem saber exatamente o quê está sendo dito ali! É sua responsabilidade, tem que ouvir! Falo de minha experiência pessoal, quando não escuto, pode ser minha Ninfa, em quem tenho total confiança e pelos anos de trabalho sinto claramente qualquer alteração energética, se não escuto, abaixo a cabeça perto do ouvido do Apará e digo bem baixinho: “Salve Deus Vovó! Hoje o Templo está um pouco barulhento, a senhora poderia falar um pouquinho mais alto?” Qual Entidade de Luz vai ficar “chateada” com isso? A Entidade, jamais!

Outro ponto, às vezes sentimos claramente que a energia mudou, é possível que outra entidade tenha se aproximado para atender um paciente especificamente. Então o correto é não ter dúvidas! Com muito carinho e respeito, baixinho e com elegância para não chamar a atenção: “Salve Deus! Em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, quem está presente neste aparelho?” Muitas vezes o próprio apará tinha sentido uma mudança de energia, e esta simples pergunta vai dar a ele a certeza que precisa. Se conseguir se identificar sem problemas, graças a Deus! E também pode acontecer de neste instante, o Apará não tendo a certeza, mas reconhecendo a mudança, simplesmente dá passagem.

O Doutrinador só pode trabalhar em segurança total e sem dúvidas, senão não é Doutrinador. É um robozinho, como dizia Tia Neiva.

Não havendo sintonia, segurança ou tendo qualquer tipo de dúvidas, senta-se após o paciente sair e com toda delicadeza diz: “Salve Deus Vovó, que trabalho maravilhoso! Gostaria de ter outras oportunidades de trabalhar com a senhora, mas agora preciso sair um pouco dos Tronos”. Não é uma mentira, ou subterfúgio! É a mais clara realidade. Todos nós almejamos a honra de trabalhar com uma Entidade de Luz. Se naquele momento a sintonia não está bem, não é por culpa da Entidade, é uma falha nossa (do Apará ou do Doutrinador). Falando desta forma é simples! Sem mágoas, sem comentários posteriores, nada. Somente o bom senso e educação! É melhor deixar um paciente esperando mais tempo para ser atendido, do que ser atendido em um Trono onde algum médium possa estar em dúvidas.

Lembremos sempre que a vida de uma pessoa nos é confiada naquele momento. Existem os que chegam aos Tronos como sua última esperança, a beira do suicídio mesmo!

Mestre, tem uma fila de pacientes gigante e me deu dor de cabeça, dor de barriga, ou simplesmente a bexiga quer estourar, o quê eu faço?

“Salve Deus! Minha querida vovozinha, gostaria muito de poder continuar esta grande oportunidade, mas tenho uma necessidade física neste momento, podemos encerrar nosso trabalho?”

Mestre, e naquela incorporação escandalosa com socos, gritos e mensagens pessoais... Que quê eu faço se acontecer comigo?

Assim que terminar o atendimento, encerre o trabalho! Sentindo que o paciente ficou assustado e não está saindo melhor do que chegou, faça sinal ao Comandante e discretamente peça para que ele encaminhe o paciente a outro Trono. Em seguida, sente-se e encerre seu trabalho.

Trabalhar nos Tronos é muito sério para os dois, mas a responsabilidade é do Doutrinador!

Para os Aparás... É compreensível que chegue um irmãozinho querendo gritar, socar o Trono, dizer impropérios. Isso acontece com freqüência, mas o controle da incorporação é do médium. Para isso é que está consciente! Demonstração de força não é ceder aos impulsos e se harmonizar com a entidade sofredora, e sim saber controlar-se e buscar a sintonia do seu Mentor.

Para um Apará trabalhar nos Tronos tem que se ter Equilíbrio! Para um Doutrinador trabalhar, tem que ter segurança. Não pode trabalhar em dúvidas, repito novamente.

Salve Deus! Enquanto o médium ainda não é Centurião, podemos orientar, ou pedir aos Instrutores que o procure e oriente. Depois de Centurião, todo seu comportamento é de sua total responsabilidade.

Tia Neiva foi clara nos dois pontos a esse respeito: A responsabilidade dos Tronos é do Doutrinador e o comportamento do Apará é de sua própria responsabilidade. Ele tem que estar em sintonia com sua Entidade, e não com o irmãozinho que chega aos Tronos.

Kazagrande

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

A Missão Básica da nossa Corrente

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011 - 2 Comments


“Meus filhos, não basta apenas dar peixes às pessoas; é preciso ensiná-las a pescar”... Pai João de Enoch

A Corrente Indiana do Espaço, nome como é conhecida na Espiritualidade, foi formada para a preparação do Homem para o III Milênio, assim chamado porque será o 1º Milênio em que a Lei Crística estará implantada no Planeta, sem a necessidade da dor Cármica.

Essa implantação está sendo feita pela Escola do Caminho do Mestre Jesus. A parte do Sistema Crístico atual é essencialmente Doutrinária, e essa Escola nos ensina como transmitir uma Doutrina. Quem melhor colocou o problema foi Pai João de Enoch, que diz sempre:  “Meus filhos, não basta apenas dar peixes às pessoas; é preciso ensiná-las a pescar”...

A Doutrina do Amanhecer ensina a não ter medo do futuro e nos abre as esperanças de realização desde o momento em que entramos em contato com ela, qualquer que seja o tipo de relacionamento. Se uma pessoa chega ao Templo do Amanhecer e é curada, ela percebe claramente que foi pelo fenômeno do Amor, da Tolerância e da Humildade e não por algum fenômeno que contrariasse a Lei do Planeta. Se o visitante entra e sai do Templo por simples curiosidade, por mais fechada que seja a sua mente, ele já se impregnou da emanação do Templo e sente-se bem. Esse fato e a maneira do funcionamento do Templo com sua arquitetura, seus símbolos e seu ritual já imprimiram nos seus sentidos uma mensagem doutrinária.

Assim acontece com as coisas do Vale e como ele aparece para as pessoas.

É lógico e natural que todos o procurem em busca de algum remédio para seus males. O caminho da dor é o caminho natural da atual fase do Planeta Terra. Mas, a dor é apenas um meio, um instrumento de alerta e não basta apenas afastá-la para que ela tenha atingido sua finalidade. Por outro lado, é preciso respeitar o livre arbítrio de seu portador e não é lícito aprisionar o Homem sofrido em conceitos restritos. É certo dar abrigo ao viajante cansado, mas é absurdo querer obrigá-lo a morar com a gente.

A missão de nossa Corrente é abrir os olhos dos que nos procuram para seus próprios caminhos e iluminar esses caminhos com o máximo de nossas luzes. Essa é a missão da Corrente e nisso consiste a Doutrina do Amanhecer.

Trino Tumuchy – Mestre Mário Sassi

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Pérolas do Trino Araken - IV

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 - 1 Comment


Meus irmãos, estamos nesta Doutrina para servir a Jesus! Se nós não estamos caminhando pelos Seus ensinamentos, estaremos caminhando pela Lei Negra! Não é fácil tirar a terra do coração, nós precisamos mudar muito, tirar muito orgulho...

Às vezes vemos pessoas que não saem de dentro do Templo, e reclamam: “Minha vida não vai pra frente, está tudo dando errado..."

Não é bem assim, não viemos para a Terra para sofrer, na maioria das vezes somos nós mesmos que buscamos o nosso sofrimento, por causa da incompreensão de nós mesmos, por não nos conhecermos.

Por quantas encarnações já passamos? Qual é o objetivo?

O objetivo principal é nos encontrarmos conosco mesmos, porque o dia que nós conseguirmos nos encontrar conosco, não precisaremos reencarnar mais, nós superamos todas as dificuldades, todas as mesquinharias da Terra.

Observem nossos Mentores, o Preto Velho, a Preta Velha, eles não fazem exceções, eles não se envolvem em nossas mesquinharias. Eles não escolhem a beleza dos Aparelhos para trabalhar. Quando puderem e for permitido eles estoa presentes, porque eles emitem Amor Incondicional.

Todos nós que estamos aqui já recebemos uma Mensagem do Preto Velho que ficou guardada em nossa mente, aquele linguajar às vezes brejeiro, aquela simplicidade, traz por vezes algo inesquecível para você! Mas por quê?

Porque recebemos uma Energia de Amor que impregnou nosso Ser. É como se fosse um carinho. Passe o tempo que passar, nós vamos nos lembrar. É a emanação! Não saiu da boca do aparelho, veio do coração daquela Entidade.

Não somos robôs, nós somos Espíritos com uma experiência muito grande, com uma experiência transcendental, e aqui estamos para ajudar aos menos favorecidos.

Fazer uma Doutrina é fácil. Você chega, conversa com um Espírito e faz a Elevação dele. Agora, emitir uma emanação e uma Energia de Amor em benefício deste Espírito é muito diferente! Vocês acham que o Espírito não percebe? Que ele não sente? Ele sabe, mesmo ele sendo sofredor!

É igual a uma mensagem que recebemos e entrou em nosso coração. Nós continuamos "mauzinhos" do mesmo jeito, mas não nos esquecemos.

O sofredor também, quando recebe uma Doutrina emitida com Amor, ele pode continuar sofredor, mas ele nunca se esquecerá daquela mensagem. É como uma sementinha que aos pouquinhos vai crescendo na mente e no coração deles. É para isso meus irmãos, que Jesus nos concedeu esta feliz oportunidade.

O aprendizado de um Médium não é só aqui no Templo. É no dia a dia, é aquela hora que nós negamos uma gorjeta para um menino que nos pede um pão, uma real, e depois nosso coração dói. É naquela hora que vemos um Médium pedindo socorro e dizemos: "Isto é problema dele, é carma dele..." Salve Deus! Ele está pedindo ajuda!!!

Achamos que isto é justo? Isto é desumano! Com os nossos filhos, com a nossa família, com nossa companheira, são exercícios diários.

Se as religiões evoluíssem Espíritos, não tinha mais Sofredor na Terra! O quê evolui um Espírito não é a Religião! O quê evolui Espíritos é eles absorverem os ensinamentos que Jesus nos deixou, e praticá-los! O Médium não faz sua caridade só no Templo, mas em qualquer lugar. Para sermos livres, nós precisamos nos soltar de todas estas amarras que nos prendem às mesquinharias, aos julgamentos, à superioridade.

Quantos espinhos o Espírito leva da Terra. E ele vai ser seu próprio juiz!

Precisamos nos esforçar para tirar o véu de nossos olhos, e não tentarmos enganar a nós mesmos. Quantos grandes missionários passaram pela Terra e tiveram oportunidade de atingir milhares de pessoas, e hoje são terríveis espíritos, que comandam legiões negras de sofredores? Por quê ? Falavam em Jesus, emitiam a mensagem de Jesus, mas quando o véu caiu, e eles quiseram enxergar, já era tarde demais, já não tinham mais oportunidade.

Às vezes nós nos decepcionamos, nós sofremos, porém devemos agradecer a Deus por ser aqui na Terra! Aqui ainda há tempo de nos corrigirmos, de recuperarmos, pelo menos em parte, o quê perdemos, o quê deixamos de fazer.

Ficamos nos preocupando muito com títulos, com diplomas, e estamos esquecendo o fundamental. Porque se títulos importassem meus irmãos, Reis, Rainhas, Senadores, Deputados, e todos que tiveram muito poder na Terra, seriam todos Espíritos Evoluídos!

Se os títulos evoluíssem, lhes garanto que todo mundo recebia altos títulos. Pai Seta Branca dava a todos altos títulos, eu tenho certeza que ele não negaria títulos de espécie nenhuma, mas não é este o caminho meus irmãos!

Vejam bem a Mensagem que Francisco de Assis trouxe pra Terra. Linda, não é mesmo? E assim mesmo, ele ainda teve que reencarnar de novo, para resgatar determinadas dívidas ainda na Terra. Já era “santo”, cheio de Igrejas e no entanto ainda estava encarnado ali na Bolívia em uma tribo indígena.

Ser médium é o que importa, é ser um privilegiado, pois recebe a assistência de um espírito de Luz a todo instante! Observemos que em nossos altos e baixos de reencarnados, ele sempre estão conosco, sempre nos trazendo uma Mensagem de coragem, de conforto, um conceito, e nunca entram no nosso livre arbítrio. Nós não podemos culpar ninguém pelo que nos acontece, porque somos nós mesmos que procuramos.

Pensem no quê realmente na Individualidade cada um pode melhorar, porque senão a encarnação passa, e nós não conseguimos nada.

Cada um só desenvolveu porque precisava, necessitava e necessita. Vamos todos meus irmãos, erguer a Bandeira Rósea de Jesus por todo este Brasil, por todo este planeta, aliviando o sofrimento de encarnados e desencarnados. Os que aceitarem a Mensagem e levantarem esta Bandeira, podem se evoluir. Os que não aceitarem... Salve Deus!

Trino Araken
Aula de Sétimo Raio

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Outras Atualizações

domingo, 13 de fevereiro de 2011 - 0 Comments


Coluna do Mestre Lua – Confiram o texto “A VONTADE DO VENTO” do Mestre Lua Anderson Augusto.

Página do Templo da Inglaterra – Com a graça de Nosso Amantíssimo Pai, o Exílio do Jaguar auxilia irmãos de diferentes nacionalidades a encontrarem-se na jornada missionária. Confiram o Mestre de Portugal que uniu-se a missão na Inglaterra.

Página do Templo dos Estados Unidos – Mais fotos dos trabalhos realizados com o precioso auxílio do Mestre Oliver junto ao Ministro Abazo.

·         Devo as respostas sobre a “bolsinha de prisioneiro” e sobre a incorporação de Pai João de Enoque nos Tronos. Salve Deus! Durante a semana trarei estes assuntos novamente a baila neste blog.

Um fraterno abraço a todos!
Kazagrande

sábado, 12 de fevereiro de 2011

A palhinha da Bênção

sábado, 12 de fevereiro de 2011 - 0 Comments


“Vejam meus filhos! Ainda tem luz aqui!”

Procurando uma caneta, em meio a bagunça organizada da mesa do seu Mário (Trino Tumuchy), Tia Neiva encontrou uma “palhinha” já seca e estorricada. Olhou para ela e não se contendo exclamou:

“Vejam meus filhos! Ainda tem luz aqui!”

A palhinha da Bênção de Pai Seta Branca é a representação material de uma célula de luz do Oráculo de Simiromba. Nos é presenteada, ao passarmos pelo ritual no primeiro domingo de cada mês no Templo Mãe.

Seu uso é pessoal. Com todo respeito, devemos guardar junto a algum objeto que levemos com freqüência (carteira, bolsa...) e tê-la como um símbolo da Bênção que recebemos, que nos protege e nos cura.

Quando eventualmente recebemos mais de uma palhinha, podemos presentear a um ente querido que compreenda a sua simbologia, ou ainda colocar em nosso Aledá.

A palhinha pode ser substituída a cada nova Bênção que passamos, afinal, não dá para sair colocando todas na carteira. Particularmente (não tomem isso como alguma Lei), eu não gosto de jogar fora as palhinhas de bênçãos passadas. Meu profundo respeito por qualquer objeto da Doutrina me impede de fazê-lo. Tenho uma caixinha que guardo junto com os cadernos de prisioneiro, onde as coloco depois de serem substituídas. Lembro da frase de Tia: “Vejam meus filhos! Ainda tem luz aqui!”

Kazagrande

Obs.: Não presenciei a frase dita por Tia Neiva, me foi contada quando disse a Tia Lúcia (sua filha Carmem Lúcia) que eu tinha dó de jogar a palhinha fora. Ela me contou a frase e disse que era eu quem deveria decidir o quê fazer. Salve Deus!

Obs.: As palhinhas da Bênção do Ministro devem ser tratadas com igual respeito e cuidado.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Troca de Adjunto

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011 - 4 Comments


Ao ingressar em um Adjunto pela primeira vez, o quê oficialmente acontece na Consagração de Centúria com o registro de sua emissão, o médium entrega nas mãos do Ministro do Adjunto a sua jornada missionária!

Não uma simples formalidade burocrática onde escolhemos um “homem” para nos liderar, o quê efetivamente acontece é nossa entrega à regência de um Ministro, que tem sua representação por meio daquele Mestre.

A escolha do Adjunto deve ser realizada com critério. Durante o período em que estamos em desenvolvimento, ou ainda freqüentando as aulas de Iniciação, Elevação e Pré-Centúria, devemos procurar participar das reuniões mensais promovidas pelos Adjuntos de Povo e buscar a afinidade com o representante daquele Ministro e também com o seu povo. Afinal irá conviver mais proximamente com aqueles irmãos. Fora do Templo Mãe esta oportunidade de escolha praticamente não existe.

Seja qual for o motivo, “trocar de Adjunto” não é um processo fácil. No plano físico já é complicado, por envolve um total respeito às nossas Leis e somente com a autorização máxima do Trino é que se pode efetivar a mudança. Espiritualmente é ainda mais complicado!

Falo do lado espiritual que envolve a “troca de Adjunto”. Como nos disse Tia Neiva: “Quando entras para um Adjunto, tu depositas tua herança transcendental nas mãos de um Ministro, que passa a te reger. Não deve ser tão fácil tomares daquele Ministro o que depositastes e dar a outro Ministro. Alguma coisa não fica bem naquela contagem”.

Vejam a seriedade do assunto! Segundo nossa Mãe Clarividente, depositamos nas mãos do Ministro nossas heranças transcendentais. Não temos como avaliar qual nossa situação: se colocamos nossos bônus, investindo para reajustar com um povo, ou mesmo diretamente com aquele representante; ou se apresentamos nossas dívidas, as quais o Ministro recebeu com seu compromisso de trabalhar dentro de seu Continente para saldá-las. O Ministro pode estar investindo em você, aliviando seu karma para que possa cumprir sua missão e compromisso.

O quê vai passar espiritualmente coma “troca de Adjunto”? Salve Deus!

Mas Mestre, eu mudei de cidade, estou em outro Templo, e me disseram que eu tenho que mudar de Adjunto...

Salve Deus! A atuação de um Ministro independe de espaço físico ou temporal! Levar as forças de um outro Ministro para o novo Templo que freqüenta, pode ser uma bênção muito maior do que podemos avaliar! Como podemos saber se não eram justamente aquelas forças, dentro da tônica específica daquele Ministro, que faltavam para aquele lugar? Não, não se pode obrigar um Jaguar a mudar da Ordem de um Ministro!!! Consulte os Devas e emita “a serviço” ou “em missão”.

Salve Deus! Repito: Não se pode obrigar um Jaguar a mudar de Ministro! Pode se autorizar a troca, assumindo assim a responsabilidade desta mudança.

Mas o Trino mandou todo mundo “trocar de Adjunto”...

O Trino com certeza autorizou a mudança com base em sua análise da situação. Pode até recomendar se assim considerar necessário, mas nunca vai ordenar a troca de Adjunto, pois ele sabe que a força do Ministro independe da conduta do seu representante.

Mesmo quando um Adjunto desencarna, seus componentes continuam emitindo em sua ordem, agregando um novo adjunto à sua emissão, deixando de emitir o nome do Mestre que partiu, mas não deixando de emitir o nome do Ministro, pois este permanece e cumprirá seu compromisso até o fim da sua jornada física!

Existem exceções? Sim existem exceções! Estas devem ser criteriosamente avaliadas e autorizadas se necessário, atendendo ao livre arbítrio de cada um, que assume a responsabilidade desta mudança.

Mas sinceramente? Lembro sempre das palavras de Tia: “Algo não fica bem naquela Contagem”... “Venho de um mundo onde as razões se encontram. Não temos erros!”.

Kazagrande

Dependendo do grau de incompatibilidade entre componente e Adjunto, é melhor que seja feita uma troca do que o médium deixar a Corrente. Tudo isso, claro, considerando o que nos disse Tia Neiva:

“O teu sacerdócio é o teu Oráculo.

Quando entras para um Adjunto, tu depositas tua herança transcendental nas mãos de um Ministro, que passa a te reger. Não deve ser tão fácil tomares daquele Ministro o que depositastes e dar a outro Ministro. Alguma coisa não fica bem naquela contagem.

O Ministro gastou muito contigo ou tu gastastes muito, confiado no teu Ministro. Tu te esqueces; porém, o Ministro não!

Por isso eu digo sempre a  todos: venho de um mundo onde as razões se encontram. Não temos erros!

Existem muitas causas que podem levar a mudar de Adjunto. Há os que não precisam, mas sofrem influências.”

Tia Neiva, em 17 de maio de 1984 - Lei Dharman Oxinto

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

O que seria de mim sem vocês?

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 - 2 Comments


Texto do Mestre “Tim” – (ex-1º Mago)
Salve Deus!

Hoje acordei e ao deparar- me com uma foto utilizando a indumentária de Mago, junto ao amigo e irmão Edvaldo de Vila Velha-ES, tive uma visão de tudo que vivi nesta maravilhosa Falange, onde pude ver de perto as dificuldades e todas as alegrias desse grupo de missionários.

Agradeço a Deus por onde pude ir levar os valores, e a importância desta Falange neste Amanhecer, nunca se esqueçam que ser Mago é ser diferente: nas vibrações, nas emanações...  É ter a essência de um perfume que se exala no vento, contagiando corações e dando oportunidades de acreditar que a vida pode ser melhor!

As oportunidades vividas servirão para montar e contar histórias vividas ao longo do tempo possibilitando assim transmitir aos jovens e adultos deste Amanhecer o quê vivi ao longo desses trinta anos, ombro a ombro com esta Falange!

As possibilidades e expectativas com o quê podemos fazer, e realizar juntos, em favor do bem, auxiliando contra os males, na perspectiva de alcançar o bem para viver uma vida melhor.

Evoluir além do que se imagina, transformando assim, no mundo espiritual, sem interferir no livre-arbítrio dos que um dia puderam viver neste mundo físico de Deus Pai Todo Poderoso. São grandes as possibilidades de se encontrar consigo mesmo revivendo na razão e no coração tudo que se pode fazer.

Lembrem-se de que a vida não termina quando achamos que completamos uma missão, mas sim quando temos a oportunidade de concluí-la com êxito e satisfação sabendo que sempre haverá chances para remontá-la ao longo do tempo.

Por isso, sei que nunca deixarei de ser um Mago do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo! Remontando séculos e vivendo nossas heranças transcendentais! Seja na manjedoura ou no rico Vale dos Reis, sempre que precisarem, não hesitem em chamar! Por menor que seja a causa material ou espiritual, estaremos juntos nesta missão!

Que Jesus, em sua infinita misericórdia, ilumine a todos! Ilumine os Trinos, para que eles possam conduzir esse exército de Pai Seta Branca, os 1os e as 1as de Falanges Missionárias, para que possam conduzir esses Missionários de Deus Pai Todo Poderoso; o Doutrinador e o Apará, para que possam se tornar verdadeiros medianeiros, e Magos do Evangelho por todo tempo sem fim! Salve Deus!  

Do amigo, irmão, e porque não dizer “mestre dos magos”   

Tim – Mestre Jeferson
Adjunto Valejo Koatay 108


Obs.: Mestre Jeferson o (Tim), deixou de emitir como 1º Mago, missão agora conduzida pelo Adjunto Arumã, Mestre José Augusto, desde 05 de janeiro de 2011.

RECEBA POR EMAIL

Inscreva seu e-mail e receba todas as publicações do EXÍLIO DO JAGUAR !!!

© 2013 O Exílio do Jaguar. All rights reserved.
Designed by SpicyTricks