quinta-feira, 1 de junho de 2017

BASTA APENAS TRABALHAR?



Será que somente precisamos de trabalho espiritual? Seria apenas a fé a nos mover em direção à evolução? Teremos apenas que trabalhar pois a “mesa está posta”? Salve Deus!

Embora a fé seja um fator decisivo para aqueles que desejam contribuir nesta missão, devemos recordar das palavras de Tia Neiva, repetidas deste a palestra inicial: “A fé que nega a ciência é tão inútil quanto a ciência que nega a fé”.

Sim, meu irmão e irmãs! É preciso mais do que a fé! É preciso o conhecimento, sob pena de nos tornarmos “robôs místicos”, um dos temores de Tia Neiva. É preciso saber o que estamos fazendo, entender, conhecer, saber explicar. Já passamos da fase dos “mistérios da fé”, onde ficávamos sem explicações e somente rezávamos. Atualmente, principalmente para os que chegam na Doutrina agora, cheios de informações e questionando com propriedade às realizações, é preciso esclarecer, ensinar, compartilhar conhecimentos que não sejam apenas embasados na fé e experiência... É preciso coerência, instruções que não agridam a inteligência, sob pena de nos tornarmos uma seita de seguidores robotizados.

Evangelizar é trazer o conhecimento! Jamais será pregar o fanatismo ou a fé pela fé. Evangelizar é trazer os princípios de Jesus que justificam a realização dos trabalhos, mas que devem também trazer o conhecimento que nos liberta e dá a necessária segurança e emoção na realização destes trabalhos.

Por vezes vemos médiuns sedentos de conhecimento perguntando sobre o que se passa no Turigano, por exemplo... Respostas desencontradas, cheias de mistérios e misticismos, para não dizer fanatismo, acabam por desiludir aos que hoje se apresentam na Doutrina com dúvidas que não serão sanadas pelos “mistérios da fé”.

Não basta dizer “vocês precisam trabalhar”! É preciso ensinar sobre o trabalho, esclarecer, explicar o que se passa ali e trazer a correspondência com a missão de cada ato praticado. Antes tínhamos Tia Neiva e os fenômenos de sua clarividência eram incontestáveis, por isso muitos se abstinham de perguntar, pois a simples observação já era a prova necessária. Mas, sabedora que não duraria para sempre neste plano físico, ela registrou na cores de nossa fita a necessidade do conhecimento! A cura e a sabedoria, a fé e a ciência, o conhecimento e o trabalho espiritual.

Claro que muitos não precisam de nada disso. Simplesmente trabalham e se sentem felizes com isso, cumprindo tão somente pela fé. Mas os encarnados nesta Nova Era chegam em busca da compreensão, desejam entender para poder transmitir, não se satisfazem com a indicação do trabalho, querem entender. Não aceitam mais que o Adjunto os mande trabalhar, querem do Adjunto o papel de Instrutor, de pai. Querem sua experiência aliada ao verdadeiro conhecimento.

Temos um grandioso acervo, deixado por Tia Neiva, e o conhecimento não pode ficar velado. Não basta distribuir as cartas marcadas para determinadas aulas, é preciso comentar, explicar cada uma delas, e ir além, trazendo a cada semana, ou a cada reunião, uma nova carta, uma nova explicação, uma nova aula!

O povo já não precisa apenas de trabalho, precisa de conhecimento para trabalhar com esclarecimento e direcionando suas energias por esta compreensão. Imagine se o médium entende o papel que desempenha na posição que assume no Turigano? Se entende o que recebe no momento da invocação das forças? Se sabe do que se trata cada canto específico e que tipo de energia é manipulada naquele momento? Tenho certeza absoluta que já não seria o mesmo! Que a cada novo canto saberia o que mentalizar, teria motivos para manter sua concentração... E, vou mais longe, teria motivos para participar do trabalho além da fé que o conduziu até ali.
Kazagrande


(O Turigano foi usado apenas como exemplo, aplica-se este questionamento a todos os demais trabalhos).

7 comentários:

O mestre caldeira, deu muitas aulas de como funcionam os trabalhos etc. precisamos de mais aulas como as dele.

Salve Deus Mestre! Sempre quis que tivéssemos congressos doutrinários nos templos externos para falar dos trabalhos o que cada um representa pois nas aulas vemos muito superficialmente.. Aprendo muito com seus textos!

Salve Deus!Grande verdade mestre,o povo não precisa só de trabalho, mas de conhecimento para trabalhar.Mts médios hoje circula pelo o templo,saindo de um trabalho e entrando em outro sem saber exatamente para que serve cada um deles!Fico feliz em receber seus textos,aprendo mt com eles.Gratidão sempre.🙏🙏

Ótima postagem.
No Templo que frequento parei de perguntar os "detalhes" e o porquê dos trabalhos.
Por quê? A resposta é sempre a mesma: trabalho Desobsessivo.

Essa resposta até os pacientes sabem.

Gostei de uma certa vez, quando um Comandante explicou para os pacientes, sinteticamente, o porquê foi passado aquele trabalho Desobsessivo.

Concordo plenamente!!!
É uma pena que poucos Adjuntos têm essa visão.
E quem paga o preço somos ''nós''

Salve Deus, mestre Kazagrande! É exatamente este o dilema em que me encontro. Sou uma pessoa que gosta de saber de tudo o que faço dentro da doutrina, justamente por entender que ao saber o que se está fazendo podemos nos concentrar melhor nos trabalhos e atingir nossos objetivos com mais firmeza. Sou de um templo evangélico e temos poucos trabalhos em relação aos templos iniciáticos, que ficam distantes da cidade onde moro. Os rituais dos trabalhos evangélicos eu domino todos e entendo seu funcionamento, porém vejo irmãos que ainda não compreendem e ficam "robotizados" repetindo frases feitas sem saber o sentido do que estão fazendo. Quando vou a um templo iniciático faço os trabalhos mas sem o conhecimento necessário para me doar inteiramente, a dúvida de que estou fazendo algo errado, ou para que serve o ritual do trabalho, às vezes me deixa muito inseguro em relação à realização plena da doutrina. O presidente do templo a que pertenço é um bom jaguar, tem suas qualidades e defeitos, como todos nós, porém ele me parece ser daqueles doutrinadores "das antigas" que não se preocupa muito em explicar para que, ou porque, serve determinado trabalho, ou que forças estamos manipulando, etc.
Gostei muito deste texto e peço que se for possível pense em trabalhar em textos onde possa nos explicar detalhadamente os trabalhos para que pessoas como eu, que sentem necessidade de conhecimento, possa realizar os trabalhos em sua plenitude.
Obrigado.
Salve Deus!

Não so de pai viverá o homem mas também de toda a palavra que vem do senhor

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.