quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

DISCIPLINA



A grande herança de nossa saudosa Esparta não é a “espada do guerreiro”, mas sim a “disciplina do soldado”. Hoje não temos mais as ordens do Rei Leônidas, mas aprendemos, paulatinamente, a disciplina de Pai João.

Falar em disciplina não implica somente em nossas questões doutrinárias, pois aqui no Exílio do Jaguar tratamos também de nossa vida física, onde a felicidade pode ser atingida por atitudes que possam trazer a prosperidade e semear a necessária evolução do espírito.

É preciso largar a espada, abandonar as respostas ferinas, desarmar-se... Não é possível sermos pessoas melhores, e semear a evolução, enquanto insistimos em ferir os outros pelas palavras e vibrações. Libertar-se da negatividade e da preguiça são primeiros passos para atender ao chamado da disciplina.

Em nossa Doutrina a disciplina é marcada por compromissos que vamos amealhando no transcurso de nossas consagrações. Primeiro assumimos o compromisso de renovar nosso juramento de Iniciação, todos os dias, três vezes ao dia (12, 15 e 20 horas), emitindo em favor de todo o Universo a Energia do Jaguar Iniciado, que se unifica a todos, encarnados e desencanados, que passaram por este ritual. Depois vamos acumulando outros compromissos: Retiro, Estrela... A cada novo passo, mais um compromisso assumido.

Para nossa vida física não existe melhor começo, ou recomeço, que reavivar este compromisso e insertar, no dia a dia, mais rotinas de ações que semeiem vibrações positivas e contribuam em atrair pessoas e oportunidades melhores para nossas vidas.

Anteriormente falei em acordar cedo (Texto: A Preguiça), em ter um sorriso de “bom dia”, de metas traçadas para cada dia. Devemos aliar estas ações à criação de rotinas mais ou menos fixas para nosso dia, por exemplo: Ter horários em que determinamos, e cumprimos, atividades benéficas para nosso corpo. Algum tipo de exercício, uma caminhada, algo dentro das possibilidades do físico de nossa idade. Horários para alimentar-se, para convívio familiar, para o trabalho, ou mesmo a procura dele. Também é importante direcionar uma parte do tempo para sua missão espiritual.

A balança de nossa vida é tríplice, assim como também somos seres tríplices. Corpo, mente e espírito, vida física, psíquica e espiritual. Equacionar nosso tempo de forma sensata é a chave do equilíbrio e do sucesso! Ter tempo para o físico (vida material, trabalho, estudos, saúde); ter tempo para a vida psíquica (vida emocional, amores, família, relações sociais) e ter tempo para a vida espiritual (nossos trabalhos no templo).

Não é possível ser feliz vivendo extremismos! Não será feliz internando-se no Templo, pois ali não traz dinheiro e não é lugar para conversas sociais ou afetivas. Não seremos felizes mergulhando no trabalho material e esquecendo o restante, e menos ainda se nos entregamos a uma paixão e deixamos de lado o trabalho e o espírito. Equilíbrio é a chave! Tudo é importante, e tudo ao mesmo tempo, não resolve direcionar sua energia somente para um dos pratos da balança. Somos tríplices eu repito!

A disciplina em cumprir o planejado, porém estando aberto às intuições, é uma das melhores maneiras de ser feliz! Todas as vezes em que abandonei algum destes pratos a vida desandou. Trabalho, família e Templo, em uma divisão consciente de prioridades, tempo e dedicação igual para cada uma.

Kazagrande

0 comentários:

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.