segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

COMO ANDA NOSSO TEMPLO?


O médium chegou ao Templo já estranhando a falta do tradicional burburinho de outros médiuns e pacientes. Olhava em volta e via poucos trabalhadores uniformizados e uma grande quantidade de pacientes que circulavam na área externa, sem demonstrarem nenhuma preocupação em entrar no Templo.

Desconcertado olhou o relógio: 20hs! Era sábado, e, aos sábados o templo fervia naquele horário. Tentando entender se aproximou de um Jaguar que não via há muito tempo, um destes que somem e nunca ninguém pergunta o que aconteceu com ele, e perguntou:

- Salve Deus! O que está acontecendo meu irmão? Por que tudo está assim parado?

- Salve Deus! – respondeu o mestre “sumido” – Está tudo normal, é sempre assim por aqui.

- Como assim? Aos sábados eu sempre deixo para chegar mais tarde porque assim os trabalhos já foram encaminhados e posso trabalhar mais tranquilo. Mas hoje está tudo parado! Não tem nenhum trabalho funcionando, os pacientes estão todos do lado de fora e lá dentro, quando olhei pela entrada, só vi um Orixá cochilando na Radar. Isso não é nada normal não!

- É porque você está no SEU templo. No templo que você construiu interiormente com suas atitudes, e com seus conceitos de trabalho.

- Não estou entendendo nada. Fale em português homem!

- Meu irmão... Cada vez que você fugia dos trabalhos, chegando mais tarde apenas por preguiça, ou por alguma desculpa forçada; cada vez que preferia ficar circulando ao invés de trabalhar, conversando com um e outro, falando do que estava “errado”; criticando justamente onde poderia estar efetivamente ajudando; cada vez que agiu assim contribuiu para que o SEU templo estivesse assim hoje.

- Meu Templo? Eu não sou o Adjunto, mestre você está enganado!

- SEU Templo, meu irmão! Um lugar onde os irmãozinhos que você devia encaminhar ficam circulando esperando lhe encontrar. Logo que eles lhe virem vai ver onde é que você vai parar. Se olhar direito vai ver que o Orixá cochilando no Radar, é você mesmo! Os poucos médiuns andando aqui fora também são aqueles que você abandonou, como eu... Lembra? Você foi meu instrutor, mas ao observar seu exemplo fora das aulas eu desisti da Doutrina e desencarnei em acidente, provocado por um cobrador que eu deveria ter encaminhado.

- Mas... Mas... então eu desencarnei?

Antes que chegasse a resposta a sirene tocou avisando um desencarne. Acordou sobressaltado no Radar e foi logo apalpando o corpo para ver se estava “vivo”.

Kazagrande

1 comentários:

nossa me vi nessa historia,so pesso a Deus que me encaminhe certo ,me de força ,estou muito tempo afastada,pesso perdao a DEUS e MEUS GUIAS.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.