segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Sem Mãe


Meus irmãos e irmãs,
Salve Deus!

Amanhã, 15 de novembro, completará 31 anos que Tia Neiva, nossa Mãe em Cristo, nos deixou fisicamente. Inevitavelmente, aqueles que buscam a essência de nossa Doutrina, procuram um elo de ligação com um passado que vai tornando-se cada vez mais distante.

Tia Neiva trazia uma segurança incomparável, não apenas pela sua Clarividência, que determinava os rumos a serem seguidos e as constantes “novidades” do Plano Espiritual, mas também pela presença da Mãe! Aquela que acolhia, entendia, tolerava e resolvia. Meia dúzia de suas palavras, ou mesmo um olhar com um esboço de sorriso no canto dos lábios, resolvia e decidia qualquer situação. Sua liderança era inquestionável!

Vivemos uma orfandade deste sua partida. Uma orfandade provocada pela falta de amadurecimento de seus ensinamentos em nosso coração. Ela preparou o Doutrinador para ser seu “substituto”. Não “um doutrinador”, mas “O” Doutrinador. O médium capaz de decidir com a intuição diretamente conectada com os mesmos Planos Espirituais que a regiam. Aquele que sentiria o clamor dos mais sofridos, se emocionaria ao encaminhar a cada espírito em uma mesa ou trono. O Doutrinador que viveria a essência de seus ensinamentos na prática, sem semear discussões inúteis ou questionamentos não produtivos.

O Doutrinador que respeitaria a Voz Direta trazida pelo Apará, mas que ao mesmo tempo seria consciente da missão de ter nas mãos o livre arbítrio, jamais ferido por qualquer comunicação do Céu.

O Doutrinador que onde chegasse fosse o Farol da Luz do Amor! Falando de coisas boas e produtivas, trazendo sempre alento e esperança! Trazendo a liderança conquistada e nunca imposta por classificações.

O Doutrinador despido das vaidades e avesso às adulações. Que entendesse os mais pobres e permitisse a caminhada daqueles que sequer podem comprar a primeira fita. Que entendesse os mais ricos, rejeitando suas benesses materiais, mesmo que fossem por uma boa causa... Não pode haver agradecimento material! Não pode haver impedimento aos que nada de material  podem oferecer também.

Não falarei do que vejo, do que sinto, do que calo... Apenas convido a todos para que não desistam de buscar este Doutrinador! Que deixem de procurar nos homens, e passem a encontrar em seu coração.

Aos Aparás, que recordem que quando falamos “Doutrinador”, não falamos da mediunidade atribuída em seu teste mediúnico. Falamos daquele que “carrega a Doutrina em seu coração”... Este é o verdadeiro Doutrinador!

Kazagrande
14/11/2016


0 comentários:

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.