sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Qual “estação” sintonizamos?


Todos nós, em algum momento de nossas jornadas, passamos por sensações desanimadoras, é natural! Estamos envolvidos com diversas forças espirituais que nos circundam e influenciam diretamente nosso humor e disposição. Se, por um lado, temos nossos Mentores a nos proteger a incentivar, por outro, temos espíritos, que fazem parte de nossa caminhada e, que procuram interromper o processo evolutivo que ingressamos e os afastará definitivamente de nós.

É nosso padrão vibracional que determina qual destas forças irá atuar com mais intensidade e influenciar nossas decisões e reações. Quando mergulhamos no negativismo, ficaremos ainda mais negativos por conta destas influências. Se buscamos positivar nossos pensamentos e semear a esperança para nossa vida, recebemos o incentivo de nossos Mentores.

Nossas Entidades estão sempre ao nosso lado querendo nos auxiliar e proteger. Somos nós que impedimos pelo nosso pensamento negativo! Imagine um rádio... é preciso sintonizar uma estação para poder ouvir a música. Temos nossos Mentores em uma frequência e nossos “irmãozinhos” em outra. Se “movemos” nosso padrão para baixo sintonizamos a música deles (irmãozinhos), e, mesmo os Mentores desejando ajudar, não conseguem nos projetar energias e intuições, por estarmos em outra estação.

Por isso a célebre frase de Tia Neiva: “Seu padrão vibratório é sua sentença”. Recebemos sempre o que emitimos, consciente ou inconscientemente.

“Perceber” em qual estação estamos sintonizados faz total diferença em nossas vidas! Observar quando nos envolvemos em conversas não produtivas e que atraem coisas ruins para nossas vidas. Recordo sempre de um amigo que tinha que enviar seu filho em uma viagem de avião. Durante uma semana, em qualquer lugar que o encontrasse, vinha a mesma ladainha: “esta companhia sempre mexe nas bagagens, já soube de fulano que roubaram a câmera dele?”, “e outro que ... isso e aquilo”. Enfim, falava sempre da possibilidade de ter a bagagem do filho violada. Eu explicava que já tinha realizado quase uma centena de voos pela mesma companhia e nunca me aconteceu nada. Mas ele não desistia e eu passei a ignorar e mudar o assunto perguntando outra coisa qualquer.

Imaginam o resultado, não é? A bagagem do filho dele foi violada! Coincidência, intuição? Não! Ele atraiu aquilo que tanto repetia! Já reparam que quando começa a falar de doenças, ou mesmo roubos, logo aparecem outras pessoas com o mesmo assunto, conduzindo sua vibração para baixo e falando que “a dor dele é pior”, ou que sabe de um caso de roubo ainda mais terrível? É a atração pura e simples das frequências vibracionais!

Imagine o que podemos atrair quando falamos de coisas boas... Quando relatamos nossas experiências na Doutrina, ou contamos tudo de bom que pudemos fazer em determinadas situações, seja dentro ou fora do Vale?!

Melhor atrair o que nos faz bem, o que permitirá nossa frequência receber a sintonia de nossos Mentores, e não a emissão de cargas negativas que alimentam nossos irmãozinhos e suas cobranças.

Salve Deus!

Kazagrande

2 comentários:

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.