quinta-feira, 20 de outubro de 2016

As cores do Templo



Estes dias estava ouvindo umas besteiras a respeito dos motivos de tantas cores em nossos Templos, e agora até mesmo um fanatismo que vai muito além dos significados originais.

Vocês querem saber porque nossos Templos são coloridos? Porque as paredes não são pintadas de maneira monocromática?

Para que todos entendam vou reproduzir uma pequena história contada em um destes corujões de Tia Neiva:

Às vezes um espírito demora muito tempo para poder chegar aqui no Vale. Ai pelo merecimento dele, pelas orações dos familiares espirituais, ele começa a avistar ao longe, como se estivesse em cima de um morro, ele vê nosso Templo. Uma construção como a nossa com uma bandeira cor de rosa em cima.

Lá no etérico não tem luz do sol, e com isso não tem cor, é um mundo todo cinzento.

Este espírito então começa a caminhar... Enquanto ele caminha vai refletindo na vida, vai perdoando, vai se perdoando, entendem? Ele chega aqui pronto!

Então ele caminha, alguns caminham por anos. Quando ele entra no Templo o primeiro choque que recebe é voltar a ver as cores. Para ele que só via o cinzento tudo toma uma nova forma! Passa a ter luz e cor! Fica maravilhado ao reencontrar-se com as cores, se sente no céu! O cheiro da mescla parece o mais fino perfume, e nossos mantras, mesmo que estejam desafinados, são a expressão da mais bela música para ele! Onde ele estava não tinha cor, fedia e só tinha gritos!

Ao ver esta descrição de Tia Neiva creio que todos podem estender porque não dá para aceitar fanatismos. Nossas coisas são assim, com explicação lógica e simples e que na verdade abrem todo um leque para outras explicações que ainda podemos explorar face esta colocação.


Kazagrande

4 comentários:

Salve deus,obrigado mestre kazagrande pelos encinamentos já estava sentindo falta destas maravilhas,um fraterno Abraço.

Acompanho sempre suas explanações Mestre Kazagrande! Um fraterno abraço!

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.