TIA NEIVA

TEU PADRÃO VIBRATÓRIO É A TUA SENTENÇA

O CENTURIÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

ADJUNTO ANAVO

MESTRE KAZAGRANDE

PÉROLAS DE PAI JOÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

MINHA MISSÃO É MEU SACERDÓCIO

EXÍLIO DO JAGUAR - KAZAGRANDE.

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

A força-luz do Jaguar



Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

O poder em nossas mãos é muito grande! A nomenclatura escolhida para nossa terceira consagração (Centúria) não poderia ter uma definição melhor. Cada um pode efetivamente valer por 100.

A vibração que emitimos ultrapassa as possibilidades de explicação com palavras humanas e mesmo Tia Neiva tinha dificuldade em expressar tudo que via em sua clarividência.

Pensamos... e atingimos! A emanação de amor não se limita pelas distâncias ou tempo, e sempre alcança o receptor em sintonia.

Um exemplo prático encontramos nestes contatos. Pequenos textos aqui postados, e-mails respondidos e mais recentemente áudios de whatsapp trazem em “anexo” uma energia que emociona corações e por vezes chega a modificar trajetórias.

Imaginem então o quanto representam nossos trabalhos espirituais!!! A união de nossas forças, transmutada em energia positiva direcionada para finalidades de caridade pode provocar grandes mudanças em toda a humanidade.

Obviamente a primeira mudança está em nosso interior e em nossas próprias jornadas. Buscamos o conhecimento de nossas forças, porém, mesmo na inconsciência deste poder, o amor permite grandes realizações.

Por isso a necessidade de unificarmos nossos pensamentos... Tanto pode ser realizado e já não devemos perder mais tempo!

É hora de cuidarmos de nossa sintonia! De irmos para o Templo e assumirmos os trabalhos com a mente clara no objetivo maior de prestar a caridade. Ao envergar nossas armas, procurar estar revestido da Individualidade e deixar do lado de fora nossos problemas pessoais. Trabalhemos verdadeiramente pela humanidade que clama pela força-luz do Jaguar!!! Tudo o mais nos será acrescentado!

Em nossos três horários reafirmamos nosso compromisso de Iniciação e “batemos o ponto” na Corrente Indiana do Espaço. Todos os Jaguares, onde quer que se encontrem, encarnados ou desencarnados, unem suas vibrações naquele mantra. Se encontrarmos esta sintonia imaginem o quanto pode ser feito!

As Contagens, o Leito Magnético, a Estrela Candente... É preciso despertar a sintonia e o desprendimento na realização destes trabalhos! É preciso um comando que emocione, direcione, emita! Que possa conduzir as mentes para a seara da verdadeira caridade.

Salve Deus!

Kazagrande

sábado, 28 de novembro de 2015

Os Fanáticos


Embora não se deva considerar nossa Doutrina como uma religião (o correto é uma Ciência Espiritual), temos muitas características comuns com as correntes exclusivamente religiosas. Uma das tristes características, que também permeia em nosso meio, é a presença de fanáticos.

Dentre as diversas maneiras como estes se apresentam, podemos identificar algumas de forma bem clara:

Fanático cobrador: Para este, tudo é cobrança! Todos ao seu redor são cobradores e quando ele mesmo faz alguma besteira é porque também está cobrando. Prende-se à concepção dos reajustes e esquece de viver sua vida com naturalidade. Não é muito chegado ao trabalho espiritual, pois sempre tem alguma desculpa de estar passando por uma nova cobrança que lhe impede de chegar ao Templo.

Fanático internado: Vive dentro do Templo chorando as mágoas. Desempregado, com problemas familiares e desajustes sociais. “Interna-se” no Templo crendo que tem que trabalhar o tempo todo para a “vida melhorar”. Com isso, não procura emprego e não dá atenção à família, agravando a cada dia seus problemas.

Fanático Egoísta: Crê que através dos trabalhos espirituais a vida vai melhorar... Vai ao Templo, mas não para se doar, e sim para “tratar dos próprios problemas”. Está sempre de uniforme. Se é Doutrinador, monopoliza a Entidade e quase não atende nenhum paciente. Consulta a Entidade antes e depois dos pacientes por um tempo interminável. Se não fica satisfeito com o quê ouviu, sai em busca de outro Apará para “confirmar as mensagens”. Quando é Apará, encerra antes seus trabalhos para poder consultar com as Entidades dos outros, sempre passando com paciente.

Fanático Profeta e Visionário: Este “vê” tudo! Explica tudo ao seu redor com aquilo que “vê”. Sabe das encarnações de todos e sempre são seus cobradores. Está em constante contato com os Capelinos e volta e meia lhe pergunta: “Você não vi? Viu, né? Olha só! Acabou de passar por aqui!” Afirmações sempre sem qualquer utilidade, onde para desmascarar a ilusão, basta perguntar intimamente: para que me serve isso? Lembremos que da Luz nada é inútil ou alimenta vaidades.

Fanático Desagregador: O mais perigoso deles! O verdadeiro fanático! Este se aferroa a determinadas frases de alguma Carta ou Mensagem, retirando-as de um contexto e decretando que aquela é a verdade absoluta. Toma “partidos”, e quem ele apóia é abençoado por Pai Seta Branca, enquanto o outro é o próprio diabo. Por onde passa expressa suas idéias distorcidas e semeia mais desunião, levando outros médiuns a baixar seus padrões vibratórios e vibrar negativamente contra quem sequer conheceu. Vive de “suas próprias verdades”, é parcial e nunca vê nada de bom em quem julga seu inimigo. Sim, ele tem inimigos e semeia a cada dia mais desafetos. Mergulha em sue orgulho e sonha ser reconhecido por seu “apoio incondicional” a qualquer facção que escolha. O verdadeiro esquerdista doutrinário, sempre contestando, alegando que leva a bandeira do esclarecimento, quando na verdade deseja apenas aparecer.

Meus irmãos, é necessária extrema tolerância com estes irmãos ainda sem esclarecimento. São fanáticos! De nada adianta tentar explicar ou mostrar uma nova visão dos fatos. Temos que nos afastar e deixar que o tempo, senhor de todas as verdades e de todos os destinos, cumpra seu papel e os leve ao esclarecimento face à inegável verdade da Luz.

O importante é jamais envolver-se em suas vibrações e permitir que você ingresse em uma poderosa corrente negativa de falta de esclarecimento.

Kazagrande

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Não existe Jaguar covarde


Dentre os muitos médiuns que assumem sua missão, existem aqueles que verdadeiramente são Jaguares, que não temem as mudanças e desmandos, seguindo em frente independente do ambiente ou pessoas que os cercam.

Já falamos de nossa herança espartana e o quê ela definitivamente deve traduzir: disciplina aliada a espiritualização! Sim, somos soldados, soldados da Luz, mas ainda assim soldados.

Não preferimos o caminho mais fácil, sabemos que muitas vezes temos que arriscar. Somos conscientes de nossas qualidades, mas travamos batalha diária contra nossos defeitos.

Não viramos as costas quando precisam de nós e não cultuamos opiniões repetidas. Lidamos com as diferenças todos os dias, preferindo sempre entender sem julgar.

Sonhamos muito com coisas que para os outros é utopia, porque acreditamos e sabemos que nada é impossível.

Respeitamos a hierarquia, assumimos as responsabilidades, mas nos recusamos a ser mandados pela insensatez ou pela visão deturpada do poder que pode alterar o que nos foi trazido diretamente dos Planos Espirituais.

Buscamos ser humildes, mas não aceitamos ser humilhados. Afinal combatemos a injustiça semeando o perdão e a Luz não é apenas Amor, é Amor e Razão.

Afastamo-nos dos prepotentes, dos corruptos, dos sedentos de poder e glória, pois estes nada mais são que verdadeiros covardes.

A covardia é palavra fora do vocabulário do Jaguar, pois neste único verbete se une a hipocrisia, o egoísmo e o medo disfarçado de força.

Um Jaguar deve ser a tradução perfeita do equilíbrio das três forças: Material, Psíquico e Espiritual!

Kazagrande

Ingratidão



A verdadeira caridade é prestada quando está totalmente desprovida de expectativas! (Ministro Anavo)

Meus irmãos e irmãs, muitas vezes nos decepcionamos com as pessoas que ajudamos, pois esperamos um reconhecimento pelo bem prestado. É um sentimento humano esperar por isso.

Quem de nós não passou por alguma situação em que além da falta de reconhecimento ainda recebeu de volta a triste ingratidão?

Porém, a ingratidão é igualmente um sentimento humano e ela só torna-se real quando havia expectativa de reconhecimento, e assim, o bem proporcionado não real caridade.

Em nossa Doutrina aprendemos e realizamos a mais pura caridade: auxiliamos a espíritos, encarnados e desencarnados, totalmente desconhecidos e que na maioria das vezes não possuem qualquer possibilidade de “retribuição”, e se houver reconhecimento, não saberemos.

Esta lição prática de nossa vida doutrinária deveria ser levada adiante em nosso dia a dia também! Quando auxiliamos alguma pessoa não podemos esperar retribuição ou reconhecimento, somente assim estaremos prestando a verdadeira caridade.

Desta forma a ingratidão também passa a ser uma escolha pessoal. Podemos escolher não esperar nada em troca e assim jamais existirá a ingratidão. É natural se entristecer ao constatar que o beneficiado não percebe o bem recebido, mas jamais podemos nos deixar levar pela negatividade de uma pretensa cobrança.

Por outro lado, ao recebermos algum benefício, devemos ter a consciência de sermos gratos, de reconhecermos o esforço alheio ao menos com nossas vibrações, lembrando-se de nossos benfeitores em nossas orações e com o carinho de nossos pensamentos.

Cabe ainda recordar uma mensagem de Pai Joaquim das Cachoeiras, que recebi em um momento em que havia me decepcionado com um amigo:

“Meu filho, você não precisa da gratidão de ninguém deste plano. Saiba que cada espírito que você elevou, com amor e desprendimento, jamais lhe esquecerá! Um espírito jamais esquece aquele casal que participou de sua libertação. Eles seguem seus caminhos, vão para hospitais, escolas, se preparam para seus novos reajustes, mas nunca esquecem. Filho, já tem um montão de gente orando por você aqui deste lado e quando você desencarnar haverão milhares de rostos desconhecidos e braços amigos querendo lhe abraçar e agradecer”.

Kazagrande

História de Aragana



Salve Deus!
Meus filhos, nunca se esqueçam de que tudo é consciência.

Não podemos ficar alheios ao nosso passado, ao que fizemos, ou deixamos de fazer, pois no ciclo evolutivo da vida não podemos deixar marcas por onde passamos.

Às vezes, por inconsciência, vaidade ou mesmo autoafirmação, prejudicamos alguém e continuamos nossa marcha como se nada tivesse acontecido, mas, um dia acontece o reencontro, tem que haver o reencontro, e a prisão é o meio mais sutil, pois há Amor e consciência, assim como na historia de ARAGANA.

Veja como Deus não tem pressa:

ARAGANA, hoje, é um espírito muito evoluído, é uma Guia Missionária, porém, na sua passagem pela Terra, assassinou seu marido, que morreu com muito ódio e ficou aprisionado na escuridão.

Passaram-se muitos anos, ARAGANA encontrou sua ALMA GÊMEA... Mas não podia voltar a sua ORIGEM, deixando um inimigo sofrendo as conseqüências.

Todos se preocupavam com o sofrimento de ARAGANA, pois era um espírito bom e trabalhador, e era impossível voltar a Terra. Tinham que tirá-la das garras daquele terrível espírito e tinham certeza que ele só voltaria para Deus sentindo-se justiçado.

Foi então reunido um conselho de Entidades, incluindo Ministros... Assim, decidiram, num Plano Superior, fazerem um tribunal para julgar ARAGANA na presença daquele espírito SOFREDOR, que sentia por ela e por toda aquela “gente” um ódio terrível.

O “advogado” deu inicio ao grande julgamento.

Foi um choque terrível para ARAGANA, que chorava muito, sentindo vergonha daqueles que se achavam presentes: CAVALEIROS, GUIAS MISSIONÁRIAS, MINISTROS... Enfim, sentia vergonha de todo aquele povo.

Os debates eram terríveis ... E prosseguiam aquele julgamento tão serio.

O espírito foi sendo DOUTRINADO, enquanto ARAGANA, sentada a sua frente, expressava todo seu amor, pedindo que Jesus o libertasse. O SOFREDOR, vendo que ARAGANA se humilhava e lhe transmitia todo aquele amor, não suportou mais e gritou que parassem, pois ele não desejava mais vê-la naquele sofrimento. Por ele, ARAGANA estava perdoada e, em prantos voltou-se para Deus.

Terminado aquele sofrimento, tudo ficou bem e, tempos depois ele ingressou na LEGIÃO DO GRANDIOSO MESTRE LÁZARO. Passando muitos anos eles se encontraram num PLANO que ele não conhecia, mas, a libertação total havia lhe dado fácil adaptação mesmo ainda em lugares desconhecidos.

ARAGANA, durante sua “prisão” não podia participar das GRANDES ESCALADAS  com seus companheiros, em nenhum Trabalho onde sua Luz pudesse aparecer. ARAGANA e PAI SETA BRANCA acharam por bem contar esta história através da minha CLARIVIDÊNCIA buscando lhes mostrar a seriedade desta PRISÃO.

Meus filhos, sem a ajuda dos CAVALEIROS VERDES, seria impossível termos esta oportunidade de trazer até aqui um espírito MILENAR, para uma DOUTRINA, INCORPORADO, pois um espírito desses IRRADIA DO ESPAÇO até aqui... Eles não vem até aqui, ou seja, não vem a este PLANO, mas nos PROJETAM e nos atacam de qualquer maneira. Mas, tudo acontece pela bênção de Deus.

Tia Neiva
Retirado do livro de Leis

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Perdão pela ausência



Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

Perdoem o “sumiço” destes dias! Além da organização de nossa festa cigana que ocorreu dia 14, a criação dos grupos de Whatsapp trouxe uma necessária reorganização do tempo disponível.

Também as mudanças do perfil do Facebook gerando uma infinidade de explicações para que autorizassem transformar o perfil em página e mudar o nome... Tinha tempo que estava com o limite de 5.000 add, e quase 300 esperando e as vezes se aborrecendo por não ser adicionado.

Tudo resolvido, ou quase... A criação dos grupos do Zap foi um sucesso. Mas ficou muita gente de fora e precisarei criar mais. Atualmente são cinco e todos lotados. Estou encontrando uma maneira de poder atender a todos, mas é preciso um pouco de paciência.

Volto às postagens normais nas páginas do Exílio do Jaguar, no blog e também nos grupos do Facebook.

Novamente, perdão pela ausência!

Um fraterno abraço,

Kazagrande

sábado, 7 de novembro de 2015

Whatsapp – Exílio do Jaguar



Meus irmãos e irmãs,
Salve Deus!

Atendendo aos pedidos dos que desejam compartilhar textos doutrinários por whatsapp, estou criando o grupo Exílio do Jaguar. Neste grupo também irei disponibilizar áudios doutrinários!

Para que tudo fique organizado é necessário que coloquemos algumas regras:

·       O perfil do whatsapp deverá ter a foto e o nome do médium (imprescindível para que seja adicionado);

·       Não serão aceitas mensagens que fujam do propósito doutrinário;

·       Sugestões de temas para novos textos serão sempre bem vindas;

·       Não serão aceitas propostas que visem gerar polêmica ou gerar atritos com Adjuntos;

·       Comentários maldosos ocasionarão exclusão imediata;

·       Discussões infrutíferas serão ignoradas;

·       Uma vez por semana irei disponibilizar um tempo para me dedicar exclusivamente a responder as questões on-line, assim todos podem acompanhar e participar do bate-papo. O dia e horário será sempre avisado no grupo a cada semana;

·       Nem sempre é possível responder às perguntas de imediato, pois todos nós temos nossos afazeres pessoais;

·       Seguiremos o mesmo princípio de comentar com amor e sempre estarmos abertos a rever nossos conceitos;

·       O mais importante: Não existem siglas e nem discussões sobre elas no grupo! O princípio deste trabalho é entender que Pai Seta Branca é o mesmo em todos os Templos e somos todos irmãos! Devemos entender as diferenças que hoje existem e respeitar a todos como verdadeiros filhos do mesmo Pai que nos uniu nesta jornada.

Deixem seus números (com o ddd) em mensagem in-box, ou para o e-mail exiliodojaguar@gmail.com,  para maior privacidade, e irei adicionando em acordo com o tempo disponível.

Bem... É isso! Sejam bem vindos ao Grupo Exílio do Jaguar!
Um fraterno abraço,

Kazagrande

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Família – Parte 01 – Tia Neiva



   Extraído de áudio de aula dominical com Tia Neiva, gravada em fita f-7...

Salve Deus!
Meus Filhos, minhas filhas!

Quando nós viemos para a terra, chegamos cheios de Amor para aqueles que se dizem nossos inimigos. Nós contraímos uma dívida, e pedimos numa Encarnação, para vir e pra resgatar esta dívida, para fazer voltar a Deus aqueles irmãos, as nossas vítimas, que nós tanto ofendemos, que conduzimos, com a nossa ira e incompreensão, ao erro!

Chegamos aqui equipados de tudo que é bom, e aqui criamos uma Família com nossas vítimas do passado. Dívidas, desamor de outras Eras. Encarnamos, e Deus nos concede a graça da escolha.

Muitas vezes, um Homem e uma Mulher, vão longe buscar sua companheira ou companheiro, para se reajustarem, e receber em seu Lar suas vítimas do passado como filhos queridos.

Deus nos dá a Bênção do Amor, para amar os filhos. Filhos que, cheios de esperança, recebemos nos nossos lares. Mas chega a triste hora dos reajustes...

O Homem, impensadamente, abandona aquele lar, a mulher, muitas vezes nas horas mais difíceis não lhe ajuda a mãe que deu a vida a aquele filho, e transformam em inimigos.

Filhos que uma vez mais se lançam contra seus assassinos. E ainda faz pior, joga os filhos contra a mãe, e joga as mães contra os filhos. Esse homem perde tudo. O filho passa a não confiar em ninguém. Não acredita em sua mãe, não acredita no seu pai, não acredita em quem lhe deu a Vida. Por quê? Por falta de paciência, por falta de Amor, ou melhor, por irresponsabilidade do próprio Espírito.

Meus Filhos, a Família é algo muito sério. Eu estou vendo um caminho desastroso, homens se perdendo por falta do olhar daquela que lhe pôs no mundo, por falta do olhar de amor de mãe, daquela que diz que seu próprio Pai é um irresponsável, um tirano.

E esse homem caminha desesperado, sem Lei, sem Deus, o Deus era sua mãe, que nunca lhe ensinou, nunca colocou em seu coração. Então, não existe Deus para este homem, e a vida vai cada dia se complicando por esses Corações impensados.

Eu não aceito! Eu não aceito que um homem seja criado sem o calor de sua mãe. Então, firme neste propósito eu estou aqui, amando vocês cada vez mais. E digo, pela luz dos meus olhos que entreguei a JESUS, sou verdadeiramente VOSSA MÃE!

Tenho Amor por todos como se fossem filhos de minhas entranhas, amo verdadeiramente, porque nós, Filhos de Seta Branca, todos vós meus filhos, só encontrarão o Caminho da Verdade e do Amor se me tiverem como Mãe!

Mil pessoas falam que eu sou líder, que eu domino vocês, vinte mil, setenta mil, sabe Deus... Eu não sou nada, eu sou apenas Mãe! E vocês me acompanharão, porque eu tenho o Espírito da Verdade, e posso dizer a vocês o que estou dizendo!

Filhos Queridos do meu Coração! Vamos erguer as nossas mentes, vamos lembrar daquele espírito, daquele Espírito desejoso de acolher em seu lar aquelas vítimas, que já estão como obsessores, e vamos pedir a Deus o Amor. Vamos lembrar daquele Espírito que não tinha a oportunidade de uma Encarnação, pedindo a Deus a caridade, uma oportunidade de vir nessa Encarnação como mãe.

Salve Deus! Eu sei que muitos casamentos a incompatibilidade é tão grande, que é preciso um desquite, uma separação. Eu não sou absolutamente contra. Eu sei que pode haver desespero, dor, ou vai piorar a situação daqueles que vieram receber esta oportunidade de Amor, muitas vezes eu digo: – Vá meu filho, faça a separação, você tem a Bênção de Deus... Certo, mas quando fizer, saiba repartir com Amor. Nunca jogue um contra o outro, lembrem-se desse filho, lembre-se de fazer de seu filho aquilo que você não conseguiu ser.

Salve Deus! Meus filhos, eu estou dizendo, com o Coração cheio de mágoa, porque vi acontecer, e senti uma dor muito grande.

Meus filhos, quem está vos dizendo é sua Mãe! Eu crio moças, jovens, na minha casa com meus próprios filhos. Muitas vezes tenho problemas de separação entre eles, de casamentos, de desquitados.

Já vi uma jovem esposa com três, quatro filhos, e o marido encontrou uma outra mais bonitinha, e ali abandona aquela esposa, abandona aqueles filhos, e começam novamente.

Porém antes se amavam, pediram a oportunidade de virem na Terra e se encontrarem para criar suas vítimas, e terminam subindo com suas vítimas ainda mais enfurecidas, e a inimiga, os inimigos não sobem.

E isso acontece até com Almas Gêmeas!

Às vezes dois espíritos se amando, vêm na Terra, e precisam de uma prova. Uma das mais dolorosas é a traição, a mentira, e aqueles dois entes queridos às vezes se traem entre eles, e sofrem terrivelmente. Muitas vezes passam cem anos no Canal Vermelho, vagando, sem poderem chegar nas suas Origens.

Que não aconteça isso com um Filho de Seta Branca! Que a vida aqui seja diferente, que a gente possa, quando houver necessidade de dividir essas vítimas, faça com dignidade, faça com Amor. Não destrua o que vocês fizeram com tanto sacrifício, não abandone a Bênção de Deus, porque Deus Abençoou quando você veio para cá encontrar com o Amor da sua vida, com seu esposo, com sua esposa, e aqui, a traição, as ganâncias sociais, enfim, tudo acontece...

Tia Neiva

Os valores familiares e a Doutrina


Tia Neiva nunca cansou de repetir: “Em primeiro lugar a família”.

Nesta afirmativa residia a recomendação da necessária harmonia familiar.

Nem sempre é fácil, eu sei! Mas nossas atitudes devem estar sempre direcionadas para poder obter um consenso, uma convivência melhor.

Os reajustes familiares normalmente são os mais duros, mas ao mesmo tempo podem ser o melhor caminho para a evolução de nosso espírito.

Nossos valores familiares dentro da Doutrina pregam a necessidade em sermos verdadeiros em nossas atitudes, palavras e pensamentos. Assim, é preferível um casal separar a se tornar “inimigo íntimo”. É preferível sair de casa e ir construir sua própria vida, do que viver em eterno conflito com os pais.

Tudo pode ser respondido com bom senso e verdade! Afinal as colunas do respeito e da confiança são impossíveis de remendar!

Os que assumem papel de liderança dentro de nossa Doutrina devem dar o exemplo. Seja em uma convivência harmoniosa ou em uma separação sem tantos traumas.

Entendo que o karma familiar pode ser bastante pesado, porém aprendemos que ninguém, nem o mais endividado dos espíritos vêm a este mundo para ser infeliz. Podemos cumprir nossos reajustes e ainda sermos felizes sim! Existem situações em que a “paz” não depende somente de nós, depende “do outro”. E neste ponto novamente reside o bom senso... Não afirmamos sempre que quando “um não quer, dois não brigam”? Então nestes casos, em que nos esforçamos para manter o equilíbrio, mas todos nossos esforços são infrutíferos e seguimos em um ambiente que nos faz mal e prejudica a todos em volta, o correto é procurar seu caminho!

Nossos Mentores jamais exigem que continuemos em situações falidas. Às vezes podem dizer “meu filho, você tem um reajuste com sua parceira”, mas nunca irão dizer que você tem que continuar ao lado da pessoa para que o reajuste se cumpra.

Todos assumimos o compromisso de reajustar por amor, por tolerância... Jamais pela dor! A dor somente ocorre quando as partes envolvidas, ou uma delas, não entende, não aceita ou simplesmente não consegue superar  as diferenças que houveram em um passado distante.

Meus irmãos e minhas irmãs! É preciso recordar que nosso primeiro reajuste é a família! Esforçar-se para evitar o escândalo que tanto nos distancia da missão, que denigre a conduta e abala a moral.

Pregamos valores em que nossas crianças frequentam o Pajé e casais estão juntos para o trabalho espiritual!

Somente pelo exemplo do casal é que os filhos encontram o caminho dentro da Doutrina!

Nem sempre é possível, eu sei, mas estes são nossos valores! E jamais a permissividade, a conivência, a traição, a mentira e a dissimulação!

Preguemos valores e jamais consideremos “normais” atos que fogem do que Tia Neiva pregava e que escandalizam e denigrem a Doutrina do Amanhecer.


Kazagrande

CARATER

Reconhece-se o caráter de um homem pela qualidade de sua fala (ou escrita)”.

*  Publicado em 2010...!!!

Nestes últimos dias tenho recebido emails questionando textos que circulam pela internet com a clara intenção de justificar a situação atual realizando um proselitismo claro a favor de uma das “ditas partes”.

Muitos incitam uma resposta virulenta, ou caem nas malhas das bonitas construções e se dizem divididos sem saber para onde pender.

Não cabe a mim, ou qualquer ou médium justificar A ou B ou mesmo questionar atitudes às quais somente quem as pratica é responsável.

Pai João já me alertou para não me imiscuir nas disputas, por que corro o risco de emitir minhas opiniões e justificativas pessoais, fazendo exatamente aquilo que não concordo que outros façam.

Por tanto, não vou responder às questões desta ordem, não vou cair no mesmo padrão e realizar o proselitismo tão reprovado por nossas entidades. Não podemos acreditar que estamos defendendo a Doutrina quando acusamos um lado, ou dissimuladamente justificamos o outro dizendo que “estes sim estão corretos”, “nós que temos a força”, “nós que temos a herança” e etc.

Quando falamos ou escrevemos sobre Doutrina, não podem existir “lados” a Doutrina é una, se existe alguma separação física, ela não pode povoar nosso Sol Interior, que deverá estar unido no espiritual, independente de qualquer questão física.

Exibir-se com pseudo-sábias palavras bonitas mostrando apenas sua versão é uma transmissão mal-intencionada de informações ou simplesmente: fofoca! Uma das redes mais importantes de preservação e transporte de rancor. Para que se possa compreender este péssimo exemplo, vamos dividir a “fofoca” em três tipos de formas: o ‘repassador de histórias’, a ‘má-língua’ e o caluniador”.

O caluniador é alguém que propaga uma mentira em relação a outra pessoa.

A ‘má-língua’ é a atitude do indivíduo que transmite uma informação verdadeira, porém com a única intenção de difamar.

O ‘repassador de histórias’ repete de forma falsamente involuntária informações comprometedoras, sempre com interesses escusos.

Se pudéssemos graduar estes níveis de manipulação de informação, encontraríamos uma situação inversa à que pareceria óbvia: a mais nociva das fofocas é justamente o ‘repasse de histórias’, seguido da ‘má-língua’ e por último da calúnia.

Tanto na calúnia como na má-língua, há o desejo de se difamar quem ‘merece ser difamado’; alimentam-se da justificativa de que não se podem deixar passar a oportunidade de denunciar aqueles que agem erroneamente. São, portanto, do ponto de vista da conservação do ódio, instrumentos muito parecidos.

À primeira vista, o fato de o caluniador estar mentindo definiria seu crime como sendo de maior gravidade, mas não é assim. É evidente que o caluniador é responsável pelos danos e conseqüências de seus atos, no que se refere a propagar uma mentira, mas a destrutividade de sua malícia é menor que a de uma má-língua.

O caluniador está na categoria de nada. Isto porque, sendo desmascarada sua mentira, a reputação do caluniado é restaurada imediatamente.

A má-língua é um instrumento que agrava uma intriga, sofisticando sua malícia. Em relação ao repassador de histórias, assume a posição de tolo, pois seu desejo de difamar é neutralizável por qualquer um que tenha um mínimo de senso crítico, e consiga questionar quais os interesses que teriam levado alguém a relatar tais fatos a outras pessoas.

O repassador de histórias é o nosso grande vilão.

Sua natureza enquadra-se na dimensão do perverso.

Com falsa imparcialidade, dissimula seus interesses. Passa adiante fatos que deixa para seus ouvintes julgarem.

Porém, a conveniência de repassar a informação num dado momento, e de uma determinada forma, contém elementos muito propícios para a manutenção de ódios e rixas.

Desta maneira, o repassador de histórias deixa de ser suspeito de possuir qualquer interesse em relação à informação.

Este elemento subliminar faz com que o ouvinte da fofoca assimile a informação infectada com rancor e acredite, depois de decodificá-la, que é seu o julgamento que, na verdade, já estava embutido na informação.

O repassador de histórias representa a mais nociva e endêmica forma de transporte e preservação de rancor, pois é praticada pela grande maioria das pessoas que, certamente, desconhecem seu poder destrutivo.

A fofoca também depende daquele que se presta a ouvi-la.

“Saiba que aquele que escuta uma afirmação maldosa é tão perverso quanto aquele que a transmite. O simples fato de se dar atenção permite àqueles que estão próximos pensar: ‘fulano ouviu o que lhe dizem e concordou, portanto, o que dizem deve ser verdadeiro’. “

A propagação da fofoca depende da disponibilidade dos ouvintes para perpetuar os processos de rancor e ódio. Todos, uns mais, outros menos, fazemos parte desta rede informal, cujos custos à paz mundial são incalculáveis.

Romper com esta rede requer sabedoria e disciplina. Deve-se perceber que sua eficácia está nas artimanhas com que desvia energia de nosso discurso e comportamento, logrando-nos constantemente. Somos então feitos receptáculos do rancor.

O embuste da intriga não está na essência do que é dito, mas na forma como é transmitida. Por isso, tanto a lisonja como o elogio podem conter tanto veneno quanto a blasfêmia.

A adulação é uma incitação à inveja. Tanto aqueles que o ouvem, quanto o que o expressa, sentem-se seduzidos pelo desejo de diminuir aquele a quem se destina a lisonja. Através do louvor, pode-se abrir caminho à malícia.

Termino este texto exatamente como comecei: “Reconhece-se o caráter de um homem pela qualidade de sua fala (ou escrita)”.

Kazagrande

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Constante Renovação


Nossa Doutrina é maravilhosamente dinâmica em todos os aspectos!

Este fim de semana foi muito especial: Na sexta-feira a noite uma energia fantástica envolveu a todos para a Troca de Rosas e cheguei a sentir o perfume de Nossa Mãe no momento da Contagem.

No sábado nosso Curso de Conhecimentos Doutrinários, maneira como denominamos nossas aulas semanais para o aculturamento do médium, apresentou tantas participações que não dava vontade de terminar a aula.

Domingo o Desenvolvimento trouxe dois novos emplacados, completando mais sete novos médiuns nos últimos trinta dias. E depois a Benção do Ministro trazendo mensagens de Luz, Amor e União. Após os trabalhos a energia ainda permitiu um jantar para celebrar o aniversário de uma Ninfa.

Sentado na cabeceira de uma mesa que parecia interminável, eu observava um por um... Suas faces felizes, rindo, falando de Doutrina, questionando e brincando de maneira saudável. Olhei um por um e, depois de comer é claro, me aproximei para sentir de cada um o olhar de carinho e tentar retribuir um pouco do muito de recebo.

Como se não bastasse, ontem, nem o feriado e uma “ameaça de chuva” que tornava a cama ainda mais convidativa, impediu que nos reuníssemos no Templo para pequenos reparos e preparativos para a Festa Cigana iminente.

Aos poucos foram todos chegando e deixando sua cota de energia para a parte física do Templo. Em cada detalhe um pouco de cada um! Obrigado meus irmãos e irmãs, sou um Adjunto feliz!

Nosso Templo está em constante renovação! Muitos médiuns chegam e seguem seus caminhos depois. Praticamente todos os brasileiros passam uma temporada e um dia terão que retornar para suas famílias. Aos poucos novos bolivianos foram formando a sustentabilidade futura, e hoje tenho certeza da continuidade da missão quando chegar a minha vez de retornar à terra natal.

Quando comecei a missão por aqui, um Adjunto me disse: Meu irmão, a missão é bonita. O começo será difícil, pois todos querem mais já de cara. Não se contentam ou não entendem a pequena semente ainda nas mãos, requerendo toda atenção e trabalho para que possa transformar-se em uma planta. Quando começa a nascer, aparecem os cobradores... Aqueles que vêm somente para misturar suas desarmonias pessoais com a Doutrina. Alguns dos que você mais acreditar irão partir, outros lhe decepcionar... E depois que as máscaras caem, que se afastam os que vieram apenas semear suas intrigas e fazer suas cobranças, aparecem os que vieram para ajudar de verdade.

Eu ouvi tudo isso sem concordar! Minha “síndrome de Poliana” sempre procura estar ativa quando se trata de Doutrina. Mas hoje vejo que ele estava certo, e com as bençãos de Deus, os que desejam apenas ajudar chegaram!


Kazagrande

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Recordando os que partiram


No Dia de Finados muitos trazem à lembrança aqueles que já realizaram sua passagem para os planos espirituais.

Para nós, que seguimos uma doutrina espiritualista, é o momento de permitir a saudade, mas jamais a tristeza! Temos a consciência de que a vida continua e que, cada um, estará inevitavelmente continuando sua jornada pelas sendas espirituais.

Recordar com carinho e amor, fazer sua prece, permitir as boas lembranças dos momentos vividos, levará esta energia de consolo e fortalecimento até aqueles que fizeram parte destas recordações.

Entristecer? Não! Por quê? A vida continua! Um universo interior será desvendado e os frutos da caminhada terrestre serão colhidos.

Ao permitir a tristeza além da natural saudade, igualmente estaremos enviados estas pesadas vibrações aos que terminaram sua missão encarnada. Corremos o risco de atrair estes espíritos e até mesmo atrasar suas evoluções por conta de apegos ainda não superados.

Ao passo que, se oramos, relembramos bons momentos e sorrimos com saudade de espíritos afins, estas vibrações de amor sempre irão alcança-los nas horas precisas.

“Na vida ninguém é de ninguém”... recordando Tia Neiva. Cada um deverá seguir sua caminhada livre dos apegos. Até mesmo o grande amor de nossa vida não estará acessível se o nível evolutivo for diferente.

Neste dia temos nosso Retiro em honra e guarda até as 17:30, sem os trabalhos normais, apenas com a manutenção dos faróis da mesa (segundo orientação da carta de Tia Neiva). Caminhamos com respeito, não provocamos alvoroços e levamos a sério o sentimento de todos que podem estar sofrendo com suas saudades e apegos.


Kazagrande