sábado, 3 de outubro de 2015

VAMOS CONVERSAR ?


TEXTO DE JAIRO ZELAYA

Quero te dizer umas verdades que aprendi. Ouça com o coração. Reflita e discorde de mim, se quiser, você tem todo o direito.

O amor e a alegria são a solução para tudo que você busca. Sou uma pessoa que acredita muito nisso. Problemas? Todos nós temos doenças na família, dívidas aos montes, amores que não deram certo, incompreensão de pessoas que amamos, tristeza, falta de motivação, excesso de peso... eu tenho tudo isso também. Mas eu acredito que amanhã vai ser melhor. Louco? Talvez. Adianta ser diferente? Adianta chorar, se entregar à tristeza, ao desânimo ou à revolta? Não adianta, não. Piora muito a situação. Daí é espernear, vociferar, vagar vendo as pessoas fugindo de você como de alguém que fede, até perceber, depois de um tempo, que só você pode se ajudar. Até chegar esse momento, você perdeu muito tempo.

Pare de se fazer de vítima, pelo amor de Deus! Ninguém tem a menor obrigação de te carregar nas costas! Acorde! Atribua a si mesmo a responsabilidade dos seus fracassos e passe a agir diferente. Pare de apontar o dedo para o outro, como se dos outros dependesse alguma fração da nossa felicidade. Não depende! As pessoas estão em volta de nós para trocarmos experiências, elas vêm, trocam e vão, mais cedo ou mais tarde. Essa é a lei da vida.

Pare de buscar a felicidade. Ela não é um objetivo, algo a ser encontrado. Ser feliz é uma atitude, aceite isso. Basta querer, basta aceitar a sua vida como ela é, com tudo de bom e de ruim, trabalhando para mudar o que você não quer. Ser feliz é estar em harmonia consigo mesmo, amando cada pedaço do que você é e sendo grato ao Criador por você existir. Ser feliz é amar e deixar que esse amor se propague sem reservas, contamine as pessoas, assuma o controle de tudo. E a vida recompensa as pessoas felizes, atraindo para elas tudo que elas precisam.

A tolerância é a regra mais rígida da lei universal. Porque sua ausência gera muito carma. Respeitar o outro é fundamental. Permitir que ele se expresse e ouvi-lo com interesse é sublime. Todos nós somos diferentes em tudo. A intolerância é a semente do vício mais terrível de todos: julgar o outro. Então, entenda de uma vez, para o seu próprio bem, que as pessoas não tem que ser o que você acha que elas devem ser. Sua compreensão sobre o outro é muito limitada. Cada um tem seu caminho na vida, mais atrás ou mais à frente de nós, não importa. Todos merecem respeito. Até mesmo os demônios mais cruéis são seres humanos que ainda não compreenderam as regras da vida, que ainda não amadureceram, mesmo assim merecem respeito em suas jornadas.

Vamos tirar os santos e anjos dos quadros. Sentir a presença deles ao nosso lado é muito mais forte, buscando uma relação de convivência direta com eles, conversando com eles, mesmo em pensamento, e parando para ouvir o que eles tem a nos dizer, seja dentro de nós ou na mediunidade. Porque eles estão ao nosso lado o tempo todo, muitas vezes quase gritando para que os escutemos. Deus é indescritível, indecifrável, hieroglífico, mas para dialogar com Ele basta abrir o coração. Leia o Evangelho de Jesus de vez em quando. Não se pode exercer o ofício de viver sem conhecer nada do “manual de instruções”. Jesus veio ao mundo para mostrar, por seu exemplo, que é possível viver com amor, tolerância e humildade neste mundo.

Aprenda a diferença entre oração e afirmação. Na oração, você fala com alguém. Na afirmação, você fala consigo mesmo. O Pai Nosso é uma prece. A de Sabá é uma afirmação, a mais poderosa que eu já conheci. Através da prece, você pede ajuda e agradece. Pela afirmação, você equilibra os três reinos de sua natureza: corpo, alma e espírito, fortalecendo-se e erguendo-se para lutar.

Você já parou pra pensar onde está o Cristo? Onde ele vive? Olhe para o espelho. Ele reside em você. A centelha crística, que liga seu corpo, seu espírito e sua alma é um pedaço dele. Aprendemos que essa centelha localiza-se na altura do coração, daí colocarmos a mão sobre ele toda vez que buscamos força.

Pare de falar de vaidade como se fosse um mal. É a vaidade que nos move, que nos faz levantar, cuidar de nossa aparência, aprender, querer o bem do outro, nos sentirmos úteis. É a lei da compensação. Sem a vaidade de nos sentirmos belos, inteligentes, humildes, progredindo, nada vale a pena. Como tudo que faz mal em excesso, aí sim, a vaidade sem controle se torna arrogância, prepotência, soberba, ciúme, dentre outros males. Eu sou muito vaidoso. Eu me amo muito. Se eu não me amar, se eu não me achar o máximo, que ânimo terei para viver? Para amar as pessoas? Para achá-las o máximo? Para ajudá-las no que elas precisam de mim? Me amar não me torna cego ao ponto de não enxergar o meu lugar, o meu papel diante do coletivo. Retomando a lição máxima do Evangelho: “amar ao próximo COMO A SI MESMO e a Deus sobre todas as coisas”. Ame-se mesmo. Se ache o máximo, sim. Porque só quem se acha o máximo tem fôlego para encarar os desafios da vida e vencê-los.

Permita-se. Pare de se cobrar. Seja você mesmo. Nosso corpo cansa, pare de vez em quando. Nossa mente cansa, ouça música ou veja TV, passeie. Não dedique-se a ninguém nem a nada que te faça sofrer, liberte-se. O chão é a nossa cama, o céu é o nosso teto. O quem vem além disso é lucro. Seja você mesmo a trilhar o seu caminho, faça suas escolhas, erre, conserte, não sofra por isso. Deus não tem pressa, mas a nossa alma divina nos exige o nosso bom comportamento, a conduta moral proporciona merecimento. Choro quase todas as noites pelos amigos que perdi, mas me encho sempre de alegria ao receber um abraço de quem não conheço. Não estamos neste mundo para sermos compreendidos ou reverenciados. Pé no chão e mãos à obra, faça sua parte.

Aprenda a reconhecer quando está errado e a pedir perdão. Se todos pedíssemos perdão, nosso coração jamais se prenderia a nada. Aprenda a ouvir o outro e deixá-lo falar. Ouvir é a mais simples e a mais poderosa caridade que podemos praticar. Ouvir com interesse o problema do outro, aconselhar com o coração, isso não nos custa nada. Sorrir é a mais simples e mais bela expressão do amor. Um sorriso extraído do coração cura qualquer mal de quem o recebe. Um abraço sincero faz bem à saúde física e mental.

Ah, e antes que eu me esqueça: todo o poder, toda a magia e toda a glória residem na simplicidade e na alegria. O amor transforma tudo. Essa é a chave.

E me perdoe por falar tanto, mas meu coração precisava desabafar essas verdades, que às vezes ficam entaladas e sufocam se não forem compartilhadas. Esses pensamentos não são meus, são lições que a vida não se cansa de nos dar. Mas confesso que uma linda e sábia senhora conhecida por Tia Neiva me fez compreender tudo isso, não só pelo seu ensinamento, mas pelo seu exemplo de vida.

Salve Deus !

Jairo Zelaya

8 comentários:

Simples,qdo verdadeiramente despertamos o divino em nós! Salve Deus!

Magnífico, é um texto delicioso e suculento de degustar. Palavras maravilhosas, que encanta o leitor.

Magnífico, é um texto delicioso e suculento de degustar. Palavras maravilhosas, que encanta o leitor.

Obrigado, irmão Kazagrande, obrigado.
Esse texto veio do fundo do meu coração, partindo da compreensão de tudo o que eu aprendi. Sou seu fã, tamo junto.

Para bom entendedor, meias palavras bastam!!! Legal, muito precioso esse texto, para todos os jaguares... é um aprendizado.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.