segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Um dia em um Templo Pequeno



O pequeno Templo do Amanhecer estava lotado. Os pacientes aguardavam ansiosos o encerramento da Mesa Evangélica para o início dos atendimentos. O espaço físico já não comportava tanta gente e o pequeno aparelho de ar condicionado trabalhava a todo vapor para amenizar o calor que se intensificava em ambiente tão pequeno.

Terminada a Mesa, os cinco Tronos foram preenchidos rapidamente, e outros pares aguardavam a oportunidade em poder prestar a caridade. Eu e minha Ninfa atendemos uns poucos pacientes e liberamos a vez, passando a conversar com as muitas pessoas que nos procuravam e necessitavam de esclarecimentos a respeito de tudo!

Entre as explicações sobre mediunidade, cobranças, reencarnação e principalmente a respeito de mudanças de atitude para superar problemas pessoais, sempre surgem pequenos relatos.

Por mais que observemos as aflições e pedidos de conselhos, invariavelmente muitos desejam apenas relatar seus “milagres”. Fatos que aconteceram depois de uma ou algumas visitas ao Templo.

Quantas curas que nem sempre nos damos conta! Quantos amores reafirmados, decisões judiciais, reconciliações familiares, soluções materiais, que tiveram um final feliz ou uma explicação     que mudou vidas e trouxe esperança! Tudo iniciado em atendimentos nos Tronos. Relatos mesmo de curas que quebram qualquer ceticismo e reafirmam nossa fé.

Ahhhh!!! Meus irmãos e minhas irmãs, Salve Deus! Como é bela nossa Doutrina sendo praticada em sua essência em pequenos Templos do Amanhecer! Sem preocupações com grandes decisões nas esferas de comando os médiuns apenas se esforçam em cumprir o papel de prestar a caridade. E a maioria absoluta de nossos irmãos vive assim: apenas cumprindo a missão! São felizes por sentirem-se úteis à Espiritualidade.

Vocês não imaginam como é gratificante um Adjunto ouvir do Aspirante “eu podia ficar na Mesa o dia inteiro, tinha que ter isso todo dia”. Não podem avaliar a alegria em nosso coração ao ver que não existem disputas por comandos e tudo que movimenta os médiuns é o desejo de servir.

Tem sido assim por aqui, nestas terras que nosso Amado Pai Seta Branca encarnado pisou.

Obviamente ninguém é ignorante e tem a consciência das divisões que existem nas “altas esferas de comando”, mas apenas vibram para que, quando houver oportunidade, possam ir a qualquer Templo sem discriminação ou sem a estúpida pergunta: “Osoec ou Cgta?”.

Em nossas Contagens os Trinos são recordados e assim vibramos em prol do amor se expandindo em todos os corações de Jaguares.

Imaginem o quanto poderia ser feito se todos, ou muitos Templos trabalhassem na mesma sintonia e direcionassem seus trabalhos e energias em conjunto! Se em um pequeno Templo, evangélico ainda, um câncer poder ser curado de maneira inexplicável; um tumor desaparecer; um parente perdido há anos ser reencontrado do nada; um juiz decidir em favor mesmo com todos os argumentos contra... Imaginem o quanto poderíamos fazer pela humanidade trabalhando em sintonia e dedicando trabalhos conjuntos, em vários Templos, em prol de uma situação global... Imaginem! Eu sonho, eu não desisto! Eu tenho fé que ainda cumpriremos o que nossa Mãe via como possível!

Kazagrande

5 comentários:

Salve Deus!
Adoro esses relatos sobre os trabalhos da espiritualidade que nos alcançam com tanto amor, ajuda e paz. Muito obrigado a todos os trabalhadores dos muitos templos do Vale do Amanhecer. Deus nos abençoe a todos. Salve Deus!

Acredito que este dia chegará! Salve Deus!

Ótimo comentário.Nós jaguares sabedores de nosso passado:erros e acertos, mesmo tendo nosso carma a cumprir, nossas dividas a pagar, devíamos nos comportar com consciência e procurar a todo custo manter nossa União em nome de Koatay 108.

Missão dada é Missão cumprida.

Ahh que beleza é amar uns aos outros. A essência tá no amor,que lindo texto.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.