Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2015

Minha Filha Nyara

Minha Filha Nyara, Salve Deus!
Lembro bem o dia em que você nasceu! A emoção que tomou conta de mim naquele momento em que vi aquela coisa “branquinha” nos braços da enfermeira.
Seus olhos abriram logo e podia sentir, quando me olhava, o carinho existente em espíritos afins.
Por você muita coisa mudou em minha vida! Senti o peso da responsabilidade em ter que amar, proteger, amar, ensinar, amar, corrigir e amar.
Muitas vezes a turbulência do dia a dia pesa minha consciência e sinto a necessidade de estar perto de você só para olhar a bela pessoa que ajudo a formar.
Observo seus defeitos e às vezes sou duro em querer de você uma perfeição que não tenho, afinal queria fazer de você a mais perfeita de minhas obras.
Mas, quando paramos para conversar vejo em seus olhos a admiração e o respeito que existem acima dos momentos em que cobro coisas de você, e, acima de tudo, vejo que me entende!
Seu velho pai pode parecer que não entende certas coisas, mas a experiência de uma vida dura, repleta de co…

União entre irmãos

Meus irmãos e minhas irmãs, Salve Deus!
Nossa jornada mediúnica foi assumida por nosso espírito por motivos que desconhecemos, porém podemos ter a certeza que não foi por acaso. Ninguém vem médium por acaso!
Alguns são verdadeiramente Jaguares! Espíritos milenares designados para promover o encaminhamento da maior quantidade possível de irmãozinhos neste período de transição. Foram reunidos em torno de uma Doutrina Crística para terminar os reajustes dos desequilíbrios que formaram ao longo de outras encarnações coletivas e, por este motivo, mesmo com um ideal superior, ainda se chocam uns com os outros.
Estivemos juntos em outras passagens importantes da atual humanidade e naturalmente, por vezes, em lados opostos, cumprindo os papéis designados e não escapando do endividamento comum.
Mas hoje estamos juntos e “do mesmo lado”. Em busca de terminarmos nossos karmas e com todas as ferramentas nas mãos.
Por isso escrevi ontem que é importante conviver com os irmãos! Buscar a tolerância de com…

Evolução Estagnada

Sempre afirmei que o mais importante em nossa caminhada espiritual é prestar a caridade e encaminhar espíritos! Encaminhar espíritos é a nossa missão!
Porém é preciso avaliar que tudo a nossa volta faz parte de nossa evolução. Quando vamos ao Templo temos várias opções de comportamento:
Podemos ir, realizar nossos trabalhos, prestar a caridade e não se envolver com ninguém, escapando de qualquer “fofoca” e desperdícios de tempo;
Podemos também fazer do Templo um ambiente de convívio social, onde nos envolvemos com todos e falamos de todos e ainda realizamos nossos trabalhos;
E ainda existe a possibilidade, assumida por diversos médiuns, de ir ao Templo para apenas conviver, conversar, expor suas frustrações e envolver-se em correntes negativas.
Qual seria o caminho certo? Muitos dirão que é apenas a primeira opção: ir ao Templo, realizar os trabalhos e “vazar”.
Mas... Sem nosso trabalho físico no Templo não haverá Templo! Nosso local sagrado exige manutenção e comprometimento. Possui contas …

O que outros querem…

As grandes dificuldades que enfrentamos nos relacionamentos normalmente esbarram nas diferenças de objetivos de cada ser envolvido.
Cada pessoa tem suas próprias prioridades, seus desejos, fantasias, metas, e, nem sempre são as mesmas em um relacionamento. Seja este relacionamento um casamento, uma amizade ou mesmo uma sociedade.
Aparentemente podem comungar dos mesmos ideais, mas os caminhos e as prioridades para atingi-los podem ser muito diferentes.
Ainda conta a questão da maneira como cada um observa e interpreta cada situação vivida em comum. Um mesmo fato pode ser avaliado e interpretado de maneiras muito diferentes.
Assim vemos naufragar grandes amores e amizades por conta da personalidade de cada um.
Conviver significa compreender! Somente compreendendo o outro é que podemos exercitar nossa tolerância com verdadeira sinceridade. Entender mesmo sem concordar!
Não é preciso anular nossa personalidade, mas pode ser necessário abrir mão de certas “certezas” em favor da convivência.
Tia …

Que máscara usou no Carnaval?

Qual foi sua máscara?
Esteve na Individualidade, lembrando-se dos milhares de espíritos a sua espera, precisando da verdadeira caridade no Templo?
Esteve na Personalidade, lembrando-se da família, dos seres queridos e fazendo-se presente com seu carinho, respeito e tolerância?
Esteve na Animalidade, entregando-se aos desejos do corpo físico?
Ou conseguiu o equilíbrio... Soube dividir seu tempo entre o Templo, a Família e as necessidades do físico?
Lembre-se: Qualquer extremismo gera desequilíbrio! Todo desequilíbrio semeia ventos, e a colheita da tempestade é inevitável.
Kazagrande

Meu filho Jaguar, Salve Deus!
Sabemos que a alma tenta fabricar e modificar o organismo através dos séculos.
Em geral, a sensibilidade fluídica do ser, é proporcional ao seu grau de pureza e de adiantamento moral.
Nesta regra, vivemos no meio de uma multidão que assiste, silenciosamente, atenta, às mesquinharias de nossa existência, participam pelo pensamento, de nosso trabalho, de nossas alegrias e de nossas penas…

Um carnaval no exílio

Há alguns anos eu fui assistir o desfile de carnaval aqui na Bolívia. É... Aqui tem também. Blocos e alegorias desfilam com marchas bem diferentes do nosso samba, exibindo fantasias e expressividade cultural características da região. É meio difícil para um brasileiro achar realmente bonito, principalmente depois de presenciar os desfiles do Rio de Janeiro, mas olhando sem preconceitos posso avaliar que tem sim uma beleza "distinta" (como se diz por aqui).
Estava “duro” nesta época, mas, como na maioria das vezes em minha vida, “algo acontece” e posso realizar meus projetos. Recebi o convite de um novo amigo para participar do seu camarote, em um local bem localizado na avenida e sem que nenhum dos presentes ingerisse bebida alcoólica.
Minhas meninas divertindo-se com as espumas em lata, que são uma tradição local; minha esposa observando atentamente a diversidade e riqueza cultural que compõe este país e eu ali sentado, tentando encontrar um motivo para estar ali. Aceitei, po…

Reclamar ou Fazer?

O Adjunto Aluxã, Mestre Mário Kioshi, tinha o dom da tranquilidade. Não importava a situação, ele estava sempre disposto a ouvir sem expressar aborrecimento, mesmo face às mais absurdas colocações.
Recordo de uma reunião em um Templo (não citarei qual) em que muitos médiuns queriam mudanças. Clamavam por uma atuação mais intensa do corpo mediúnico, reclamavam uns dos outros, sempre desejando que houvesse mais comprometimento dos irmãos.
Então marcou uma reunião afirmando que daria oportunidade a todos se manifestarem.
Neste dia o templo estava cheio! Parecia que até mesmo aqueles que só apareciam no Templo “quando o calo aperta”, estavam presentes. Fez longos instantes de concentração, uma bela prece e abriu a reunião.
Primeiramente falou da Doutrina. Do quanto era agradecido pelos trabalhos espirituais e que jamais desanimava, pois compreendia que não era Pai Seta Branca que precisava dele, e sim ele que precisava da Doutrina.
Depois abriu espaço para que todos se manifestassem. Um dos co…

De volta!

Meus irmãos e minhas irmãs, Salve Deus!
Estamos de volta ao lar! Durante um mês estivemos no Brasil aproveitando as férias para descansar, participar de trabalhos que ainda não temos na Bolívia e principalmente vivenciar o necessário contato pessoal com tantos que apenas nos conheciam pelos textos do Exílio do Jaguar.
Fomos inicialmente recebidos em Aracajú, onde o Adjunto Aleso, Mestre Valteilton, sua família e povo, tão bem nos acolheram. Nesta bela cidade tive a oportunidade de participar e comandar todos os trabalhos, inclusive a Estrela Candente, e reabastecer o plexo para este que deve ser nosso último ano nas terras que nosso amado Pai Seta Branca pisou encarnado.
Tenho que agradecer a este irmão que nas longas conversas identificamos tantos ideais em comum. Agradecer as oportunidades, o carinho de sua Ninfa e esposa Rosângela com minha família e principalmente o sentimento de fraternidade que constatamos permanecer vivo entre os verdadeiros jaguares!
Ainda sobre Aracajú tenho que r…