TIA NEIVA

TEU PADRÃO VIBRATÓRIO É A TUA SENTENÇA

O CENTURIÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

ADJUNTO ANAVO

MESTRE KAZAGRANDE

PÉROLAS DE PAI JOÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

MINHA MISSÃO É MEU SACERDÓCIO

EXÍLIO DO JAGUAR - KAZAGRANDE.

domingo, 18 de maio de 2014

TEXTO NOVO: Cuidados com nossas Indumentárias e Uniformes


Já escrevi anteriormente sobre uniformes e Indumentárias, mas sempre em nível de cuidados pessoais. Hoje buscaremos cuidados mais específicos com a roupa.

Meus irmãos e irmãs,
Salve Deus!

É preciso muito respeito com suas armas! Já pensaram no tanto que elas significam para a sua jornada? E para os seus Mentores?

Nossos uniformes requerem um carinho especial. É preciso lembrar sua importância ao guardar, transportar... Tenha um cantinho especial para eles, guarde com carinho, mantenha tudo limpo e organizado. Lembre que são impregnadas com a sua energia e com a energia de seus Mentores, e não com a sujeira. É muito triste ver médiuns com os coletes imundos, com as fitas encardidas, com suas plaquinhas corroídas.

Cada radar de seu colete representa um conquista e emite uma luz própria. Procure se esforçar para colocar em seu colete “tudo que tem direito”, mas jamais colocar “enfeites”. Enfeites não representam nenhuma classificação! Estrelas de prisioneiros no colete não vão lhe dar mais autoridade, Salve Deus!

No seu dia a dia você não usa “havaiana” com calça social ou saias longas, então porque fazer para ir ao Templo? Também não coloca meias brancas ou cinto verde em uma calça social marrom. Bom senso!!! Tia Neiva sempre aparecia impecável para seus trabalhos espirituais, sigamos mais este exemplo.

As Indumentárias merecem comentários à parte, pois, onde é que temos oportunidade de usar vestidos tão elegantes, capas e brilhos? Somente em grandes festas e nem todos podemos frequentar “noites de gala” em nossa vida cotidiana. Então, respeitemos nossas indumentárias como trajes de uma grande “gala espiritual”.

Você não guardaria sua roupa de festa toda amassada dentro de uma gaveta! É preciso carinho, cuidado! Tem que ter uma capa própria para cobrir, nem que seja feita de um lençol velho, ou um plástico. Mas é preciso proteger e preservar a grandeza espiritual que representam. Deixe secar na sombra, passe, pendure em um cabide para não voltar a amassar e depois ainda cubra com uma capa. Não use uma indumentária suja, com mal cheiro, descorada. Procure sua Primeira, Regente, ou a Aponara do Templo e peça ajuda para substituir as lantejoulas descoradas. Aprenda a fazer se não pode pagar! Demonstre seu carinho e compromisso com tudo que lhe foi confiado e com a missão que livremente assumiu!

“Ah, Mestre, as Espiritualidade não vai notar meu uniforme, o importante é meu amor no coração”.

Salve Deus! É claro que o amor em seu coração está acima de tudo, porém lembre-se que estamos aqui pela nossa necessidade de evolução e esta oportunidade também se apresenta ao demonstrarmos respeito pelas nossas armas e compromisso com seu zelo.

Você acreditaria se sua Guia Missionária se apresentasse para você toda bagunçada? Você ficaria feliz se o Vilela pintasse seu Cavaleiro com a capa toda amassada e com um colete todo sujo? Acreditaria ou pensaria sabe Deus o quê?

Então... Se queremos que nossos irmãozinhos acreditem em nossa Doutrina, se desejamos que nossos pacientes acreditem em nossos Mentores, vamos nos cuidar, cuidar de nossos uniformes e Indumentárias. Lembremos que eles veem a nós e não aos nossos Mentores.

A própria Luz de nossos Mentores será ofuscada pelo nosso desleixo visual! Somos nós que representamos a Espiritualidade em nossos trabalhos.


Kazagrande

terça-feira, 13 de maio de 2014

13 DE MAIO - PAI JOÃO



Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Meus filhos,

Hoje, 13 de maio, celebra-se no Brasil o dia da Abolição da Escravidão. Salve Deus!

Na Espiritualidade também acontece um grande festa, pois significa a redenção de vários espíritos, que endurecidos pelas grandes oportunidades de outrora, ocupando posições de destaque e liderança, assumiram o compromisso de uma encarnação nas mais difíceis condições, para abrandar o espírito e seguir rumo a evolução.

Muitos de nós estivemos lá! Eu, Zé Pedro, Matildes, Zefa e tantos que não são nomeados nas cartas de vossa Mãe Clarividente, mas que hoje assumem o papel de seus mentores.
Somente pela ausência total de esperanças na vida material, é que pudemos voltar nossos olhos para o quê nos restava: o interior, onde habita o espírito!

Este planeta ainda possui locais onde a escravidão existe. Distante das notícias, a África ainda sofre pela porta velada e entregue ao fetichismo. Mas a pior escravidão é a que muitos assumem inconscientemente. Deixam o mundo vos escravizar pelo que vos és mostrado, esquecendo do espiritual e vivendo somente o lado material e físico. Quantos grandes líderes ainda terão que reencarnar nestas difíceis condições para poder abrandar o espírito? Para voltarem-se para Deus...

Meus filhos Jaguares, nossa herança é de grandes lideranças. Estivemos presentes em tantas decisões neste planeta, e hoje vosotros recebem a oportunidade de dominar vossos espíritos pelo conhecimento, pelo amor de Koatay 108, e pela Doutrina que vos foi revelada.

Aproveitem esta oportunidade! Entendam que a humildade e a tolerância podem ser cultivadas pelo amor, e que assim não serão necessárias novas encarnações.

Tudo está em vossas mãos! A disciplina espartana, a humildade de Assis e o infinito amor de Seta Branca.

Que Jesus, nosso Divino e Amado Mestre vos traga a paz, e que a razão não vos leve novamente ao julgamento, mas desperte a coragem de assumir que ainda há muito para ser feito.

Pai Joao de Enoque
(mensagem recebida em 13 de maio de 2012 - postada sem correções, de acordo com o original gravado)

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Ciência e Fé


Texto do Mestre Zílcio, Adjunto Parlo

“ A fé que nega a ciência é tão inútil quanto a ciência que nega  a fé.”

Estas palavras de Pai Seta Branca resumem o posicionamento do mestre do Amanhecer diante dos aspectos místico e científico da Doutrina.

O conhecimento  das encarnações sucessivas, da Lei de causa e efeito e   da Ciência da vida fora da matéria  são necessários para que o médium compreenda o que está fazendo na Doutrina. Este conhecimento, se bem assimilado, traz segurança ao médium fazendo-o entender que o trabalho na  Lei de auxílio, além de equilibrar sua vida, vai permitir que se livre de dívidas de outras vidas quando, por falta de amor, fez outras pessoas sofrerem. De modo singelo, como nos disse Tia Neiva, ele vai evoluindo, se libertando de velhos hábitos, deixando de dar valor a muitas coisas que antes o faziam sofrer.
Se bem posicionado, ele aprende que deve lutar por suas realizações materiais, tendo, porém, o entendimento de aceitar em sua faixa kármica aquilo que não pode evitar, atravessando os seus momentos difíceis sem se desequilibrar e, acima de tudo, sem deixar de trabalhar espiritualmente.

A fé é o conhecimento da Individualidade, que chega à personalidade na forma de segurança e convicção. O lado místico do médium, se bem dosado, traz, ao trabalho mediúnico, poderosas energias espirituais.

Equilíbrio deve ser a palavra de ordem. Muitas vezes, vemos mestres tão apegados à forma que se esquecem da essência. A Doutrina do Amanhecer trabalha em sintonia com o 7° Raio, movimentando, através da Magia Ritualística, um poder enorme. Para se controlar esta força e com ela realizar curas, o mestre precisa colocar sua mente na sintonia correta e executar os rituais com precisão. O grande perigo é a realização de rituais frios e sem vibração.  O ritual deve ser um meio de se atingir objetivos espirituais e não um fim.

Certamente, haverá um dia nesta terra em que não fará sentido fazer distinção entre fé e ciência, pois estes dois aspectos estarão unificados em um só: o conhecimento. Com este conhecimento, o homem saberá se relacionar com outros mundos e movimentar as energias que necessita. Este tempo ainda não chegou e o misticismo da alma, que dá calor aos rituais e impulsiona o homem para Deus, ainda está muito associado ao aspecto religioso.

Da fé e do conhecimento surge a conscientização que, se verdadeira, traz a sabedoria e coloca o ser humano em contacto com sua individualidade, sem afastá-lo das metas racionais, que a sua condição de medianeiro exige.

E mais uma vez, como nos disse nosso Pai Seta Branca:

 “Filho Jaguar, filho esparta, ao cruzar as espadas em teu peito exigi que empunhasses sempre dividindo da direita para a esquerda, resguardando-se na conduta doutrinária, na ciência e na fé, porque tudo te pertencerá na alegria e na dor. Na filosofia dividirás o bem e o mal. Na religião, o amor, unirás todas as pérolas e com elas enfeitarás o caminho onde um dia caminharás junto a quem tanto suspiras.”


Texto do Mestre Zílcio, Adjunto Parlo

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Acidente de Trânsito


Anteontem, segunda-feira, ainda cansado fisicamente da “aventura” no retorno à Bolívia, passei um dia de expectativas, pois a ausência no trabalho material sempre traz situações acumuladas e que exigem decisões imediatas. Contribuindo com esta tensão inicial, minha assistente, uma Ninfa Lua Samaritana, havia ficado doente, deste o dia de minha viagem.

Ao tomar ciência de que ela retornava para casa, após quatro dias de hospitalização, decidi reunir um pequeno grupo para visita-la, fazer umas orações e uma defumação em seu lar (este é um papel de Adjunto que me deixa feliz: procurar dar atenção a todos os componentes, independente de nosso cansaço físico).

Ao reunir o último componente de nossa pequena missão, um motorista tentou encontrar um espaço entre meu carro e a calçada, resultado: batida! Ao ouvir o som da lataria amassando, soltei um palavrão e imediatamente passaram dezenas de pensamentos na minha cabeça, do mais terrível ao mais tranquilo. O Jaguar ao meu lado já colocou a mão na maçaneta da porta “pronto para o que der e vier”, já parecia estar com a espada na mão do tipo “atacaram meu Adjunto”.

Olhei para o espelho e observei o carro velho que havia acertado o meu e verifiquei que o motorista estava estático, sem menção de desligar o carro ou tentar descer para a rua.

Como disse: dezenas de pensamentos ao mesmo tempo! Tomei a decisão: estava em missão, era preciso seguir adiante. Fiz um gesto com a mão e nem desci para ver o estrago. Fui bem devagar para o caso do outro resolver sinalizar para parar e nada!

Os médiuns que me acompanhavam, provavelmente com outras dezenas de pensamentos na cabeça, não falavam nada. Até que alguém soltou um “será que estragou muito”. Instintivamente respondi: não aconteceu nada, não vai ter nem risco na lata, só a vibração e vocês que deve ter amassado muito o outro carro. Rimos da situação e seguimos adiante.

Ao chegar à casa de nossa irmã, a “surpresa”, nem um mínimo risco sequer! Meio assustados, me olhavam admirados e recordei do dia da véspera de nossas primeiras consagrações do Povo Anavo, onde um ônibus avançou o sinal fechado e acertou o meio do carro, e o único prejuízo foi dar uma polida na pintura, pois nem amassou.

Carro blindado? Proteção espiritual? Não entro nestes méritos! Só me arrependo de não ter controlado o palavrão inicial.

Com esta pequena passagem trago vários assuntos que podem ser refletidos pelas mentes despertas. Sei que muitos entenderão os vários objetivos e assuntos nas entrelinhas, e alguns apenas enxergarão um breve relato pessoal.

Mas, talvez o principal aprendizado desta pequena passagem (sempre temos algo a aprender em cada situação de nosso dia a dia), seja o fato de priorizar o padrão vibratório independente do que nos aflige.

O mal só nos alcança quando permitimos, quando estamos nos aborrecendo por qualquer coisa, quando estamos repletos de pensamentos negativos e damos forças a eles. Dezenas, centenas, milhares de pensamentos nos invadem, mas somente o que for positivo deve ter continuidade. Precisamos “positivar” nossa mente, dar força ao que seja bom e produtivo e eliminar tudo o que nos faz sofrer.

São nossos pensamentos que determinam nosso estado vibracional. Negativismo, pensamentos em problemas e não em soluções, recordações tristes, sofrimentos passados e projeção de sofrimentos futuros, somente baixam nosso padrão e permitem que nossos pesadelos se tornem realidade.

Escolha o que pensar! Não canso de reafirmar.

Em tempo: A Ninfa já se recuperou.

Um fraterno abraço,

Kazagrande