sábado, 22 de novembro de 2014

Por que nos ofendemos?


Por que ficamos tão frágeis perante ao que nos cerca, permitindo que tudo venha nos afetar?

Por que não aceitamos como parte de nossa jornada, também os momentos desagradáveis?

O quê é a ofensa?

Primeiramente vamos ver o lado positivo, como sempre deve ser ao analisaremos qualquer fato de nossas vidas. Sim, a ofensa tem um lado positivo também! Ao nos sentirmos ofendidos deixamos de aceitar passivamente o quê nos faz sentir ameaçados ou prejudicados. Obviamente o motivo deste sentimento deverá ser de nos levar a refletir sobre como nos conduzir perante a natureza da agressão sofrida. Um assalto, uma briga, xingamentos, injustiça contra nós ou contra os que amamos, são situações com as quais naturalmente nos ofendemos e devemos ser levados a refletir sobre a conduta neste momento.

Agora existe um outro tipo de “ofensa”, esta com aspas mesmo, que é a reação descontrolada à ofensa. Pessoas afetadas por um estado doentio de suscetibilidade, que multiplicam o valor da ofensa, ou pretensa ofensa inicial, gerando reações desproporcionadas e repletas de mágoa e rancor, sem contar de energia negativa.

Para um médium, especificamente um Jaguar, dotado de um plexo iniciático, que multiplica suas forças de emissão, o perigo desta suscetibilidade inclui um risco muito maior, pois emite poderosas vibrações, de energia envenenada em direção ao agressor. Logo sua reação é sempre desproporcional e sempre injusta!!!!!!!

Esta reação neurótica às ofensas é um estado afetivo doentio de fragilidade, que dilata a proporção e natureza das agressões que sofremos, fazendo que seu portador se desgaste terrivelmente, fechando-se em círculo de mágoa e decepção com os fatos e as pessoas que lhe foram motivo de incômodos e contrariedade. Assim, aumenta a intensidade do fato e desgasta-se afetivamente através de imaginações febris sobre a natureza das ocorrências que lhe afetaram. E o pior de tudo: Se envenena e envenena aos outros! Pela sua energia, pela sua vibração!

Sabemos que a mágoa é o peso energético nascido das ofensas transportadas conosco dia após dia como fosse um "colesterol da alma", causando-nos males no corpo e no Espírito. Sabemos também que a irritação é como se fosse dura martelada no sistema nervoso, levando-nos ao estresse e perda energética. Então por que abrigar coisas que nos fazem mal quando temos tanto esclarecimento? Quando temos a consciência de que (REPITO) Para um médium, especificamente um Jaguar, dotado de um plexo iniciático, que multiplica suas forças de emissão, o perigo desta suscetibilidade inclui um risco muito maior, pois emite poderosas vibrações, de energia envenenada em direção ao agressor. Logo sua reação é sempre desproporcional e injusta!!!!!!!

Novamente a raiz da ofensa é o orgulho! Nos julgando superiores não admitimos que outro nos ofenda. Contrariar nossos desejos, sejam bons ou maus intuídos, só é suficiente para ofender ao orgulhoso, ao egoísta que ainda não consegue ver ao outro como igual, como irmão.

Deixar dominar-se pelo pessimismo, infelicidade, desapontamento, animosidade, tristeza e rancor, facilitam ofender e sentir-se ofendido, o quê é igualmente nocivo, quando ultrapassamos o momento do choque inicial.

Nosso instante de choque, ou desequilíbrio não pode ultrapassar os primeiros minutos. Mergulharmos em uma vibração contra quem quer que seja, sob qualquer pretexto, diante do poder de nosso plexo, pode destruir uma pessoa... e por a perder nossa encarnação!

Tenho certeza que muitos de nós já presenciaram situações em que foram ofendidos e ficaram “vibrando” no ofensor, acabando por saber que logo a seguir ele sofreu algum mal. Sendo que muitos até, inadvertidamente, consideraram “bem feito”.

Devemos refletir muito antes de entrarmos em um estado tão prejudicial, porém toda a ofensa, impingida ou sofrida tem um remédio eficaz: O perdão!

Kazagrande

1 comentários:

Texto maravilhoso, um remédio para os dias difíceis.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.