terça-feira, 12 de maio de 2015

Pontos de Desequilíbrio


Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

Em nossas vidas temos diversos “pontos de desequilíbrio” que fazem parte de nossa personalidade atual, provenientes de nossa formação cultural ou dos relacionamentos afetivos que vivemos até o presente momento. Estes são transitórios e podem ser superados pelas constantes mudanças que sofremos nesta mesma encarnação.

Também existem pontos de desequilíbrio que fazem parte de nossa Individualidade, podem ser defeitos e até mesmo falhas de caráter, e nos propomos a superar pela experiência que já adquirimos em nossas encarnações.

Identificar, trabalhar e superar estes pontos é fundamental para nossa verdadeira evolução. Sejam os pontos transitórios, decorrentes de nossa atual experiência, ou aqueles que despertam de nosso espírito para serem eliminados nossa consciência transcendental.

Somos “testados” diariamente por estas características e sofremos por não saber amar. Sofremos porque nossos “apegos” são invariavelmente mais fortes que nosso desejo de evolução ainda adormecido na maioria dos seres encarnados atualmente.

A pergunta é: O que nos leva ao desequilíbrio? O que nos faz gritar, alterar nosso comportamento? O que nos faz sofrer mesmo que disfarcemos este sofrimento em justificativas diversas?

Pessoas? Vale a pena sofrer por pessoas? Não entendemos ainda que o amor deve ser puro, incondicional? O apego nos relacionamentos nos faz sofrer... Amar incondicionalmente é não impor condições para este amor e também não sofrer pelas diferenças de caráter. Amar é respeitar o outro, seus sentimentos, por mais controversos que sejam ou agressivos em sua imaturidade. Se nós amamos, não podemos sofrer por amor. Se sofremos, não é amor... é reajuste, cobrança! Todo reajuste deve acabar por amor, seja cedendo em seus “quereres”, ou abrindo mão do próprio relacionamento.

Ligações de apego e comodismo não são por amor... São obsessões a serem eliminadas de nossas vidas!

Humildade não é humilhação, porém só se sente humilhado àquele que o orgulho ultrapassa o próprio amor! Ser humilde é ser acessível e tratável. Humildade é também saber retirar-se antes de se fazer presente a humilhação.

Tolerância é a compreensão independente da aceitação! Você tolerar simplesmente por compreender ou tentar compreender ao outro, e isso não quer dizer que concorda com ele. Tolerância é o primeiro passo do Amor Incondicional.

Amor... Humildade... Tolerância! Eis a receita para sanar nossos pontos desequilíbrio! Sejam pessoas ou situações. A lição ensinada pelo Divino Mestre há tanto tempo e que ainda hoje lutamos por compreender.

(Dinheiro nos desequilibra??? - CONTINUA>>>)
Kazagrande

0 comentários:

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.