segunda-feira, 16 de março de 2015

Trabalho Especial de Tronos


Meus irmãos e irmãs,
Salve Deus!

A realização de um Trabalho Especial não visa em absoluto a abertura de comunicação de sofredores nos Tronos! Salve Deus! Como já foi registrado anteriormente, uma comunicação de sofredor pode desequilibrar a vida de um paciente e por em risco toda a estrutura trazida dos Planos Espirituais por nossa Mãe Clarividente. Um sofredor não possui compromisso com a verdade e pode manipular a situação a seu bel prazer.

É claro que todos nossos trabalhos são especiais e devem ser realizados com todo nosso amor espiritual para com os pacientes encarnados e desencarnados. Porém, consideraremos uma recomendação dos nossos abnegados Pretos Velhos para um específico paciente, de passar em um Trabalho Especial.

Quando isso ocorre, o procedimento é passar o paciente por três Tronos. Os Comandantes do Radar devem ser avisados e soar a campainha. Assim, os responsáveis pelos Tronos ficam de sobreaviso para a possibilidade do paciente incorporar ou sentir algum mal-estar maior. Lembremos que a responsabilidade sobre o paciente é do Comandante dos Tronos, cabendo ao doutrinador que acompanha o Apará, seu cuidado exclusivo com o respectivo aparelho.

Dessa forma fica claro que:

Ao ser solicitado um trabalho especial nos tronos, ele deve ser imediatamente viabilizado. Conta-se o Trono de recomendação como o primeiro, e o paciente passará por mais dois.

O Comando no Radar deve ser avisado e soar a campainha (sineta).

No caso de haverem mais pacientes passando normalmente pelos Tronos, deverá haver um Comandante a mais, disponível para atender ao paciente, se necessário for.

Este paciente terá prioridade sobre o restante da fila de atendimento. Ou seja, ao sair de um Trono poderá ocupar imediatamente outro, sem necessidade de passar pela fila novamente. Não havendo Trono disponível, aguardará fora da fila.

Após o atendimento nos três tronos, as recomendações das Entidades devem ser seguidas normalmente.
Kazagrande

Sequência completa:
·   
   *  O PEDIDO: A Entidade avisa ao seu Doutrinador responsável sobre a necessidade da realização de um Trabalho Especial, ou seja, do paciente passar por três Tronos.

· REGISTRO NO COMANDO DOS TRONOS: O Doutrinador responsável pelo atendimento chama o Comandante dos Tronos e comunica o pedido.

·    *  REGISTRO NO RADAR: O Comandante dos Tronos se dirige ao Orixá do Dia e registra no Radar a necessidade.

·     *   REGISTRO NA ESPIRITUALIDADE: O Orixá do Dia toca a sineta de alerta e registro nos Planos Espirituais.

·   *  TODOS EM ALERTA: Um dos Comandantes dos Tronos fica a disposição para atender o paciente em suas necessidades e outro segue com o trabalho normal, não havendo mais de um Comandante nos Tronos, um Centurião deverá ser encarregado de posicionar-se temporariamente no Comando dos Tronos.

Este é o Trabalho Especial, sem mistérios, sem comunicações de sofredores e claramente efetivo! Vejam o que fiz Tia Neiva:

“Em muitos casos, as perturbações mentais dominam o homem de um modo clínico, pois todos os transtornos são de motivos psíquicos, profundos, dolorosos, de acordo com a sensibilidade do caso, da região afetada alucinatória. Devemos considerar o fator psíquico mesmo que seja no pé. Temos que destacar com um trabalho desobsessivo.

Me faz lembrar de um homem que tinha uma grande dor na espinha a ponto de não poder sentar-se. Não podia mais andar. Os médicos tiraram diversas radiografias e o homem sempre pior. Chegou ao Templo em uma cadeira de rodas, que mal podia sentar. Cheguei também na hora. Quando me viram foram dizendo:

- Este homem teve meningite e ficou com este defeito na espinha. O coitado ficou aleijado e o médico diz que não tem nada, é um absurdo!

Percebi que se tratava de um ELÍTRIO. Mandei que passasse em três tronos. Os Pretos Velhos mandaram que ele voltasse e, por fim, encontrei o homem restabelecido.”


Tia Neiva, em 16 de março de 1978

1 comentários:

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.