TIA NEIVA

TEU PADRÃO VIBRATÓRIO É A TUA SENTENÇA

O CENTURIÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

ADJUNTO ANAVO

MESTRE KAZAGRANDE

PÉROLAS DE PAI JOÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

MINHA MISSÃO É MEU SACERDÓCIO

EXÍLIO DO JAGUAR - KAZAGRANDE.

domingo, 29 de dezembro de 2013

Rep.: Interpretando Sonhos


Hoje tive uma enxaqueca daquelas! Cheguei em casa e procurei imediatamente a cama sem qualquer possibilidade de tentar escrever.

Acordei chorando! Um choro comovido e feliz! Sonhei com minha madrinha onde a abraçava com o mesmo carinho de anos passados. Como foi bom! Não recordo quase nada, exceto algumas poucas imagens e palavras, suficientes para me emocionarem e fazerem o coração bater mais forte.

Levantei agora pouco e fui para os emails mais urgentes. 4 horas da madrugada e nem percebi o tempo passar... Precisava escrever e não tinha um tema definido, por isso iniciei este texto pensando neste sonho!

De um modo bem simplista e didático, procuro esclarecer o quê se passa com as lembranças do sono: Os sonhos!

Os sonhos devem sempre ser vistos com certo cuidado, pois refletem as lembranças dos três estágios do sono:

1º - As lembranças do seu dia a dia, o quê fez, onde esteve, as coisas que deram certo e as coisas que deram errado;

2º - Os desejos da alma, as coisas que você gostaria que acontecessem;

3º - Por fim, vagas lembranças de seus desdobramentos espirituais; os lugares e as pessoas que seu espírito efetivamente visitou e as lições que recebeu para auxiliar sua caminhada física.

Ao despertar misturamos tudo... Um sonho pode apresentar-se assim: Estava conversando com seu preto velho, no trabalho, digitando uma planilha e falando, e no meio da conversa chega um amigo lha presenteando um carro novo. Entenderam? As lembranças do seu dia (trabalho e a planilha), seu desdobramento (falando com o Mentor) e o sonho da sua personalidade (ganhar um carro novo)... É mais ou menos assim.

Desta forma, as lembranças, ao acordar são sempre tumultuadas e não podem ser levadas a sério na íntegra. Como é difícil “filtrar” a mensagem, no meio dos desejos e lembranças, durante o dia acabamos esquecendo por completo o teor do sonho.

Os Jaguares, em determinado momento de suas missões, passam a complementar seus trabalhos iniciados no Templo, dentro do Canal Vermelho. Lembranças destas passagens, só ocorrem com algum nexo, quando existe uma real necessidade da recordação. O natural é a “mistura” destas três etapas do sono e o desvanecimento das lembranças, em sua íntegra, durante o dia.

Aos mais exigentes repito: é apenas uma analogia simplista visando esclarecer e remover qualquer vestígio de fanatismo gerado pelos “exploradores de sonhos”, que perdem seu tempo tentando ordenar a bagunça da própria mente, ou pior, mergulham na internet em busca de explicações para determinado símbolo visualizado e que por vezes não passa de uma mera recordação do subconsciente.

Kazagrande

Um lembrança de Tia Neiva sobre o tema:

Filho, vamos começar os primeiros passos para uma vida missionária!

Seja você mesmo a descobrir a sua entrada na Vida, sem profeta nem profetiza.

Descubra o seu próprio caminho e ande com suas próprias pernas.

Desperte para a Vida!

Não desanime à frente dos obstáculos: os obstáculos são atraídos pela força do nosso triste pensamento! 

Não se impressione com os sonhos e nem fique a querer interpretá-los: o sonho é uma arma dos supersticiosos!

Procure o lado bom da vida, seja otimista!

Procure subir e espere, sempre, o melhor...

Com o coração esperançoso, teremos todas as coisas nobres que desejamos.

O que desejo é transmitir um pouco desta sabedoria que a vida iniciática tem nos proporcionado nesta jornada.

Tia Neiva em 17 de junho de 1983

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

REP. a pedido: CRUZAMENTO DE CORRENTES

Este é um tema muito delicado, pois inúmeros de nossos irmãos, buscando instruções e repletos de boa vontade em saber mais para melhor poder ajudar, acabam se envolvendo em outras correntes de manipulação energética, atrasando suas vidas e cumprindo inadequadamente seus compromissos.

Uma das únicas exigências ao ligar-se a Doutrina do Amanhecer é que não cruze correntes!

Vamos primeiramente exemplificar de uma forma simples e inteligível para todos:

Morei em uma cidade onde a corrente elétrica era de 110 Voltz. Mas existe um grande número de cidades cuja voltagem da rede local é de 220 Voltz. Imaginemos que eu tivesse um aparelho simples, um secador de cabelos, por exemplo, de voltagem única. Caso o aparelho tivesse uma resistência de 110 voltz, e fosse ligado em uma tomada de 220 voltz, naturalmente ele se queimaria. Ao contrário, se tivesse uma resistência de 220 voltz, e fosse ligado em uma tomada de 110 voltz, ele não queimaria, mas funcionaria “pela metade”, sem força para executar sua função.

Quando nos ligamos a Doutrina do Amanhecer recebemos esta resistência apropriada (somos como o secador de 110 ou 220 voltz). Nossa ligação, não é apenas uma mera formalidade, é um registro espiritual no qual passamos a dispor de energias, dentro de uma força decrescente de uma mesma linha (uma mesma rede de voltagem). Ao nos “ligarmos” a outra Corrente, diferente daquela a qual juramos, receberemos os efeitos desta distonia de cargas.

Um secador de cabelos, de mesma potência, se for projetado para 110 ou para 220 voltz, irá executar o mesmo trabalho (1.000 wattz a 110, ou 1.000 wattz a 220 produzem a mesma energia térmica). Dessa forma explico que tanto em nossa corrente, quanto em outras, um médium pode ter a mesma capacidade de trabalho, mas, se está ligado a uma corrente e insistimos em participar de outra o quê acontecerá? Irá “queimar” ou funcionar “pela metade”. Não que uma seja mais forte ou mais fraca que a outra, apenas o aparelho é que foi preparado especificamente direcionado para aquela forma de manipulação.

O médium do Amanhecer é um aparelho Iniciado (projetado) para a manipulação especifica dentro de nossa corrente. Ao buscar participar de outros rituais, em outras correntes, com certeza irá sofrer prejuízos, e estes prejuízos serão somente pessoais. Não interferem na corrente! Assim como a rede elétrica não sofre com o uso de um aparelho fora do seu padrão e somente o aparelho é que sofre as conseqüências.

Desta maneira exemplificada e simplista é que procuro mostrar a parte técnica de um cruzamento de correntes.

Porém, muito mais está envolvido na verdade! Ao iniciarmos, assumimos um compromisso, e como já afirmei acima, não é apenas uma mera formalidade. Seu nome estará registrado no Grande Livro dos Iniciados dos Himalaias. Você poderá deixar a Doutrina, desencarnar na bebedeira, e ainda sim seu nome estará lá!

Nossa Doutrina é completa e oferece tudo que podemos precisar de apoio espiritual para bem viver e nos conduzir.

Agora vamos esclarecer alguns pontos obscuros e que por vezes levam nossos médiuns ao fanatismo por excesso de zelo.

Mestre, minha irmã vai casar, minha família toda é católica somente eu faço parte do Vale, que vou fazer?

Salve Deus! Jamais nossa Doutrina deve trazer a desarmonia para dentro de uma família. Existe um compromisso espiritual ao escolhermos nossa família e isso é muito sério. Pode assistir o casamento de sua irmã e, de preferência, na primeira fila, para enxergar a beleza deste ritual bem direitinho! Você só não pode é participar do ritual.

Mas o quê seria participar?

Participar é você ser o padrinho ou madrinha do casamento, fazer uma leitura, tomar comunhão, confessar, rezar as preces ritualísticas, participando ativamente da cerimônia. Não pode ocupar nenhuma posição em que se exponha como se fosse um membro. Você está ali para assistir a realização! Se pedirem para sentar, sente-se, para levantar levante, mas tenha em mente as suas preces e não se envolva naquele ritual (nada de preces e cantos próprios daquele rito). Você é um assistente, não um participante. Como se fosse um fotógrafo em nosso templo.

Mestre, posso tomar um passe no Preto Velho de um Terreiro aqui perto de casa? Dizem que é uma entidade maravilhosa e que lá somente trabalham com Umbanda Branca, só coisas do bem!

Salve Deus! Em nossa Doutrina você não só toma o passe com o Preto Velho, como também é parte integrante desta junção de forças de Luz. Caso considere que não encontra aqui o quê precisa, você está no lugar errado. Afirmo categoricamente que o dia que não encontrar alguma resposta dentro do Vale, eu abandono minhas armas e saio à procura! Nunca fiquei sem respostas em nossa Doutrina, por isso afirmo com tanta segurança.

Mestre, Batizado posso assistir?

O mesmo caso do Casamento. Assistir pode, não pode é ser padrinho (madrinha) e participar ativamente do ritual. No Vale do Amanhecer temos o Ritual de Batismo mais bonito que já conheci (conheci muitos!!!).

Mestre, e o Kardecismo? São tão próximos de nós, lá não tem problema, né?

Lá também é uma corrente mediúnica maravilhosa. E da mesma forma, por ser uma corrente mediúnica, tem sua “voltagem”. Participar, ou tomar passes dentro do singelo ritual Kardecista é cruzar correntes sim!!! Quem diz o contrário está desvalorizando esta grandiosa doutrina de Alan Kardec e Chico Xavier, pois seria o mesmo que afirmar que lá não se manipulam forças.

Da mesma forma afirmo: Qualquer, religião, seita, ordem religiosa, filosófica, doutrinária, iniciática, cabalística, etc., que detenha alguma forma de ritual, tem a sua “voltagem” e por tanto é um cruzamento de correntes!!!

Insisto, se você diz que “tal lugar” não tem problema porque lá se tratam de outras coisas, significa que está negando que neste local tenha algum ritual e que lá não se manipulam forças. “Não tem problema” só se aplica para onde não existe manipulação energética ou sequer tenha alguma ritualística!!!

Existindo ritual, ou manipulando algum tipo de energia ou força, sua participação será um cruzamento de correntes!

Mestre, disseram para mim que ler livros espíritas pode ser um cruzamento de correntes?

Salve Deus! Você deve ter confundido alguma coisa. Quando se está em desenvolvimento, antes de emplacar e mesmo até a Elevação de Espadas, é oportuno se abster de qualquer leitura fora de nossa Doutrina, apenas porque neste momento de desenvolvimento, de suas aulas, você tem um farto material a sua disposição, e valiosas instruções, características de nossa Doutrina, lhe são passadas. Ao envolver-se com leituras estranhas à corrente, você poderá ficar confuso, e mesmo trazer questionamentos para as aulas que não estão dentro dos necessários e estruturados roteiros deixados por Tia Neiva e Mário Sassi. Somente isso! Após este período de aulas, você pode ler normalmente todo tipo de livros, procurando os que lhe façam bem! Que enriqueçam sua cultura doutrinária. Aqui mesmo, no Exílio do Jaguar, sempre esclareço ao indicar livros que não são de nossa Doutrina, como um fonte de conhecimento interplanos e enriquecimento doutrinário. Estando seguros de nossa fé, podemos ler artigos e livros de qualquer religião, desde que sintamos que fazem bem para nós.

Encontramos nos livros kardecistas milhares de histórias, e informações, que nos levam a compreender, e refletir a luz de nossa própria Doutrina. Relendo nossos próprios livros e Cartas de Tia Neiva, descobrimos uma magia deslumbrante, pois sempre parece que encontramos algo que nunca havíamos lido antes. Assim se passa porque nosso amadurecimento doutrinário descortina nossa consciência espiritual, e permite vermos mais longe a cada nova releitura.

Livros de filosofia, psicologia, misticismo, ocultismo, etc., são para aqueles que conseguem filtrar bem as informações sem envolver-se em sugestões de pequenos rituais ou ceticismos acadêmicos.

Mestre, posso fazer o sinal da cruz ao passar em frente a uma igreja?

Salve Deus! Salve Deus é a nossa chave!

Kazagrande

“A participação do médium em nossa Corrente não é uma simples formalidade. Ela funciona nos vários planos do médium e ele sintoniza com forças desde o plano físico até às várias gamas do plano espiritual. Na verdade, o progresso de nossos médiuns é avaliado em termos de impregnação, de assimilação da Doutrina. Se praticar seu mediunismo por outros métodos, ele não consegue a sintonia necessária e vive desequilibrado.” Trino Tumuchy – Mestre Mário Sassi