domingo, 24 de novembro de 2013

TEXTO NOVO - Sentimento Espartano


Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

A grande vitória, o grande registro, realizado em nossa Doutrina, por Tia Neiva, a respeito de nossa passagem por Esparta, não foi a respeito de guerras, mortes, e decisões a fio da espada... Não!

O grande registro foi a espiritualização daquela tribo no encontro com Pytia! O momento em que o arrogante Leônidas rendeu-se ao poder da espiritualidade representada no Culto ao deus Apolo, que posteriormente foi unificado em Cristo Jesus, quando os cultos se fundiram pela conversão do Imperador Constantino de Roma.

Pytia trouxe a espiritualização para aquela tribo! Seus poderes foram respeitados e a única tribo que não prestava nenhum culto ao espiritual, rendeu-se ao amor e coragem daquela pitonisa.

De Esparta trazemos a disciplina, a obediência à hierarquia e o respeito pelos valores do verdadeiro guerreiro, que hoje abandonou a espada e enverga as armas da LUZ. Hoje somos missionários e não guerreiros em busca de conquistas. Somos missionários que visam resgatar espíritos e curar aos enfermos de corpo e alma.

Ao citarem a herança espartana, citem a disciplina e a capacidade de espiritualização perante o incontestável. Lembrem de Leônidas não pelas guerras, pelo sangue e pela espada, mas como o Rei que não contestou o poder de Pytia! Mesmo com toda sua arrogância, mesmo com toda a brutalidade da formação dos soldados espartanos, onde os menores eram sempre desprezados e mortos, mesmo com tudo isso arraigado em suas personalidades, a voz do espírito se fez mais forte e renderam-se perante o poder da Espiritualidade.

Esta é a lição daquela passagem! Não é o orgulho espartano, mas o rufar dos tambores por Pytia, hoje nossa mãe em Agla Koatay 108...

Tia Neiva uma vez mais nos unificou e trouxe a oportunidade de por em prática a espiritualização, desta vez como missionários da Luz, cujas únicas armas devem ser o amor, a humildade e a tolerância; e cujos valores devem ser respeito, disciplina e união!

Atualmente, em nossa Doutrina, somente os ignorantes, ou aqueles que ainda não entendem a essência Crística de nosso trabalhos é que fomentam guerras e sentimentos de um passado manchado de sangue. Somente os menos esclarecidos que seguem presos ao sentimentos do guerreiro e esquecem a missão. Não somos Guerreiros de Seta Branca, somos MISSIONÁRIOS DE SETA BRANCA!

Se dividir, não é Doutrina!

Kazagrande

0 comentários:

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.