quarta-feira, 7 de agosto de 2013

TEXTO NOVO: O pé-de-boi*


(* expressão usada em alguns Templos para designar o médium que segura os trabalhos, que está sempre presente e trabalhando)

Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

O encantamento verificado quando entramos para a Doutrina do Amanhecer jamais deve servir de desculpa para nos descuidarmos de nossa jornada física.

Somos físicos e devemos respeitar às leis que nos regem no mundo físico, onde, uma delas diz que “devemos ganhar o pão de cada dia com o suor de nosso rosto”.

Nestes anos de Doutrina tive a oportunidade de conhecer muitos médiuns que se encantam de tal maneira com a missão que esquecem por completo a vida material. São “pés-de-boi*” que muitas vezes seguram os trabalhos espirituais a custo de sua estagnação na vida física. Mas será que é isso que o Pai quer de nós? Que abramos mão de nossa personalidade, de nossos desejos, de nosso progresso na vida física, para nos dedicarmos quase que totalmente à vida espiritual e nos tornemos todos “pés-de-boi*”?

Não! Em absoluto! Pai Seta Branca nunca exigiu que nosso compromisso com a Doutrina anulasse a nossa personalidade. Tia Neiva nos garantiu isso justamente pedindo ao Pai que pudesse manter sua personalidade, que pudesse continuar sendo a “Neiva”. Tanto que continuou fumando, ralhando forte com os meninos do Orfanato (quando necessário) e tendo suas atitudes de uma pessoa normal. Não queria ser “uma santinha” e temos esta herança para não nos tornarmos “robôs místicos”.

Temos que trabalhar, estudar, ganhar o pão de cada dia com nosso esforço, dedicação e aperfeiçoamento. É preciso que apenas tenhamos responsabilidade com nosso compromisso espiritual e cumpramos com amor. Não é preciso abrir mão da família, emprego, estudos... Ao contrário! É preciso demonstrar que, em nossa Doutrina, nós aprendemos coisas que nos permitem progredir e sermos felizes.

Nossas frustrações não podem nos transformar em uma “ostra doutrinária”, imóvel, fechada e escondendo seu tesouro do mundo. Transformar-se em um missionário não significa arrumar um “quartinho” e viver de favores e pequenos trabalhos. Ser missionário é mostrar para o mundo físico que somos pessoas felizes, espiritualizadas, apesar de vivermos os mesmo dramas que eles.

Ser “pé-de-boi” é cumprir sua responsabilidade e não sair assumindo o quê irá comprometer sua jornada física.

“Mas Mestre, se o senhor publicar isso não vão sumir os “pé-de-boi” e prejudicar os Templos?”

Salve Deus! Muitas vezes os médiuns se eximem de responsabilidade justamente por ter os que “sempre estão lá”, os que “comandam tudo” e principalmente os que acabam se julgando “donos de um trabalho”.

A necessidade é que faz com que se revelem os novos comandantes! Muitos estão ocultos, tímidos, esperando que sejam necessários para demostrar seu valor. Mas enquanto houver os que “sempre estão lá”, esta luz de emergência não se acende.


Kazagrande

5 comentários:

importante esse conhecimento.

Muito bom!
É exatamente isso que eu acredito e infelizmente me afastei do meu templo de origem por causa das cobranças exageradas da aponara, que queria que eu faltasse à faculdade ou o trabalho pra ir no templo e quando eu não podia ela me ralhava dizendo q eu q sabia, q por minha causa não daria pra fazer uma mesa evangélica naquele dia. Mas a culpa disso não é minha, aliás se não ia dar mesa, é pq não era pra ter aquele trabalho naquele dia. Mas a gente que era novata sempre recebia as culpas quando faltava alguém pra completar as mesas. Mas como a gente pode ajudar os outros se a gente não ajudar a si mesmo? Não podemos trabalhar o espírito e abandonar familia, faculdade, trabalho... que são missões tbm, são karmas individuais e coletivos tbm, são coisas que temos programadas desde a espiritualidade para fazer aqui na terra. Se fosse pra viver só de vida espiritual, a gente não precisaria estar encarnado!

Salve Deus meu Mestre, entendi muito bem, e agradeço o seu ensinamento, mas permita-me, com respeito e com muito Amor, acrescentar uma coisa. E quando o "pé-de.boi", não está lá? Será que o Templo abre? Será que há Mestres para que todos os Trabalhos abram?
Me desculpe Mestre, este desabafo, mas sei que me entendeu. Obrigado por me ouvir, obrigado pelo que tenho aprendido consigo, obrigado por ser o Mestre que é. Um forte abraço meu irmão.

Salve Deus !

Eu só acho que se o "pé-de-boi" quer ficar marcando passo dentro do templo parabéns para ele que de certo não deve ter nenhuma obrigação no físico, mas viver dentro de um templo boa parte da encarnação não lhe dar direito nenhum de ficar batendo o registro de ponto de outros médiuns na entrada dos templos.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.