domingo, 31 de janeiro de 2016

Um cobrador na Doutrina



Muitos médiuns questionam a conduta, o comportamento e as atitudes de seus irmãos e irmãs de Doutrina, questionando suas ações, verificando a incompatibilidade com os ensinamentos que recebemos.

Alguns vão além do questionamento e incorrem no julgamento, gerando pesadas e nocivas vibrações que acabam atravancando a própria vida.

É compreensível que quando nos encontramos com alguém que insiste em incomodar e até mesmo atrapalhar nossa jornada, que nos rebelemos e acabemos desabafando contra situações que nos prejudicam.

Porém é preciso sempre recordar que é muito melhor encontrar seus cobradores de uniforme, do que na figura de um vizinho, de um chefe ou de um familiar.

A simples presença destas pessoas na Doutrina já indica que elas estão a caminho! Que embora os conceitos de amor, humildade e tolerância possam parecer distantes de seus comportamentos, o espírito delas clama pelas mudanças e a levaram a ingressar nesta fraternidade.

Obviamente nem tudo é cobrança e determinadas situações são geradas pela incompatibilidade de personalidades. Mas ainda assim devemos ter a consciência da necessidade de compreender. Não digo concordar! Apenas compreender. Procurar calçar os sapatos do outro e tentar enxergar a vida pela ótica limitada daquele que ainda não absorveu a essência de nossa Doutrina.

Não podemos mudar as pessoas tentando faze-las enxergar “na marra” aquilo que nós um dia também demoramos em compreender. “Abrir os olhos” é algo do tempo e da evolução de cada um.

Permitir seu padrão vibratório cair pela influência alheia não vale a pena! Como já afirmei: é natural que nos incomodemos, que nos choquemos com a chegada da desarmonia provocada... Mas não temos mais o direito de mergulhar nestas energias, permitindo que elas ganhem força e formem uma corrente negativa.

A missão do Jaguar é coletiva, mas é cumprida na Individualidade de cada um!

Liberte-se de uma vez do julgamento! Chega de querer mudar o outro, prossiga modificando seu interior e cumprindo a sua missão. Tenha a consciência de que, para a Espiritualidade, o quê verdadeiramente interessa é que a missão esteja sendo cumprida.

Pergunte sempre: minha atitude vai resolver alguma coisa? Vai fazer bem para mim ou para os outros? Se a resposta for “não”... Para que prosseguir com as mesmas atitudes? Perdoe para ser perdoado, não é isso que sempre repetimos? Façamos valer nossas palavras!

Kazagrande

8 comentários:

Oi Kasa bom dia irmaõ,
muito bom seu artigo
vivo essa situaçao na doutrina peço muito a meus mentores que me ajuden a sair desse patamar de nao concordar com meus irmaos ,sei que devo aceita-los nao cabe a mim Julga-los nao é mesmo,como é complicado povo meu me ajudo cigana walkiria povo cigano , povo meu
se Deus quiser vou conseguir abraços irmaõ fica com Deus .

Salve Deus,nem mais,nem menos,por vezes é muito dificil,porque existem Mestres e Ninfas,que nos tiram do sério,mas é efectivamente correcto aquilo que o Mestre diz.Principalmente,quando existem Pacientes para atender,e alguns andam apenas e só,a mostrar a indomentária.Salve Deus e Graças a Deus.

Salve Deus mestre Kazagrande gostaria de saber porque não frequenta o templo mãe se a doutrina é igual para todos,Pai Seta Branca não dividiu seus médiuns em CGTA ou Templo Mãe então mestre acho que o senhor com todo seu conhecimento deveria era incentivar os médiuns a não fazer mais isso,e todos os médiuns do templo mãe as ficam chateados com essa atitude,quem sou para falar de sua,apenas gostaria de deixar aqui minha opinião.
Salve Deus.

Meu Estimado irmão,
Salve Deus!

Não frequento o Templo Mãe porque atualmente moro na Bolívia. Não tenho muitas oportunidades de ir ao Brasil e quando vou a trabalho, dificilmente passo por Brasília.

Nestas férias estive em vários Templos, seguindo pelo litoral de carro. O final da viagem foi em Brasília, onde cheguei já com o tempo de retorno estourado. Passei por aí sim, estive no Templo Mãe e foi muito bom rever pessoas que fizeram parte do início de minha jornada.

Foi um pena não ter tempo para ficar mais.

Em diversas ocasiões publiquei aqui no Exílio minha clara opinião a respeito desta pretensa divisão. Para mim existe a Doutrina do Amanhecer, a qual respeito em sua essência e original hierarquia.

Um fraterno abraço,
Kazagrande

fale um pouco da historia do cavaleiro da lança vermelha

Alguém, hoje ainda, talvez te procure pedindo auxílio.
Alguém que provavelmente não fale, mas que trará nos olhos
ou nos próprios atos a súplica de amparo
que a palavra nem sempre diz.
Alguém que terá errado, a rogar-te um gesto de simpatia,
a fim de retificar-se; que se vê sob o frio da angústia, esmolando segurança; que haverá perdido afeições inesquecíveis no nevoeiro
da morte, a implorar-te reconforto;
que padecerá solidão, mendigando momentos de companhia...
Não te afirmes incapaz, nem te digas inútil.
Auxilia como puderes.
O Céu saberá usar-te.
Organiza as tuas prateleiras de bondade e serve esperança
e coragem aos que te busquem apoio.
Oferece-te para o trabalho do bem, como te encontras
e tal qual és, fazendo o melhor de ti.
Não temas.
Se desejas renovação e se tens fé, podes claramente entrar
no serviço ao próximo, a colaborar no supermercado da luz,
entregando as bênçãos de Deus.
Paz e Luz!

Nesse ano tive a oportunidade de fazer um abatá com o kazagrande,sua energia é muita grandiosa e conseguir sentir isso durante muito tempo...salve deus!!!

Mestre, que comentário maravilhoso.Isso tem muito haver comigo.As vezes, ou melhor, muitas vezes, passo dos cometários para o julgamento.É horrível isso.Agradeço a Deus por essa luz.Salve Deus!!!

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.