TIA NEIVA

TEU PADRÃO VIBRATÓRIO É A TUA SENTENÇA

O CENTURIÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

ADJUNTO ANAVO

MESTRE KAZAGRANDE

PÉROLAS DE PAI JOÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

MINHA MISSÃO É MEU SACERDÓCIO

EXÍLIO DO JAGUAR - KAZAGRANDE.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Vivendo o Presente


Muitos de nós perdem tempo demais se preocupando, simplesmente não conseguem se concentrar no presente.

Acabam considerando que o tempo passa depressa demais, ou que não está passando. Mudam este conceito a todo momento, de acordo com seu próprio padrão vibracional.

“Passam o tempo” (expressão terrível esta!) pensando no que já fizeram no passado, em como poderiam ter agido de forma diferente e talvez hoje tudo fosse melhor. Perdem tempo sofrendo com atos do passado e se martirizando pelas suas conseqüências.

Também temos entre nós os futuristas, que de novo “perdem o tempo” se preocupando com o futuro... O quê vou fazer amanhã? Como vou agir quando encontrar com tal pessoa? Será que não vou correr um risco ao passar por ali? Como vou evitar as situações desagradáveis? Como vou “correr atrás” de meus sonhos?

O conceito de tempo espiritual, que sempre ouvimos os Mentores ensinar, que “nosso tempo é diferente do de vocês”, precisa ser entendido... Intuído!

O tempo presente que nossas Entidades falam é diferente, porque o conceito de tempo depende de cada um. Para elas, o presente é a Eternidade! O futuro pode ser agora ou ontem... E o passado por ser realmente passado ou ainda presente... Já estamos na hora de compreender que o quê fizemos no passado, nesta e nas outras vidas, está ligado ao momento imediato já vivido, pois o presente real, o quê fazemos agora, é que nos redime do passado e por conseguinte transforma nosso futuro.

O quê fizemos e suas conseqüências, já está vivido... Acima de tudo respondemos pelo que estamos agora semeando! Assim foi possível Pai Seta Branca nos afirmar que Jesus prescreveria nossos restos cármicos.

O trabalho incessante vos livrará das dores. Jesus prescreverá vosso resto cármico e melhor cumprireis esta missão simétrica. Esta faixa que atravessais no peito, da Cura e do Conhecimento, simboliza o Cristo na Sua caminhada, fronteira vívida na técnica da salvação. Salve Deus, que assim sereis conhecidos em todo o Universo! Pai Seta Branca 31/12/1972

Um fraterno abraço,

Kazagrande

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

O PESO DA RESPONSABILIDADE


Muitas vezes pensamos em desistir, em deixar de lado ideais e sonhos. Em bater em retirada, com o coração amargurado pela injustiça.

Tantas vezes sentimos o peso da responsabilidade, sem ter com quem dividir. Sentir-se só, mesmo tendo uma multidão a nossa volta. Falamos ser notados, escrevemos ser lidos.

Quantas vezes insistimos em lutar uma causa perdida, voltando para casa com a sensação de derrota. As vezes as lágrimas teimaram em cair, justamente quando mais precisamos parecer fortes.

Então pedimos a Deus um sinal, mais força, um pouco de Luz!!!

Ah... A resposta sempre acaba chegando!

Um email, um texto encontrado por acaso, um livro redescoberto, um sorriso, um olhar de aprovação, um cartão, um bilhete, um gesto de gratidão, de amor...

Aí insistimos!

Em prosseguir. Em acreditar mais uma vez, em transformar, em compartilhar, em estar, em ser...

Insistimos porque sabemos, sentimos que temos uma missão a cumprir.

Por essas e outras razões, tenha sempre em mente que você é capaz, senão Deus não teria lhe confiado essa missão que só você é capaz de realizar.

Nossa responsabilidade está diretamente ligada a sua missão! Vamos conseguir!

O peso de nossa responsabilidade é relativo ao tamanho de nossa fé!!!


Kazagrande

Indo ao Templo

Ao assumirmos o compromisso do Trabalho Espiritual, de nos doarmos ao próximo e seguirmos para dentro do Templo, é imprescindível que observemos nossos verdadeiros propósitos.

Vamos em busca de impor nossas idéias e suposições, cheios de vaidade e orgulho, ou nosso objetivo é somente trabalhar espiritualmente pelo bem de todos, pelo entendimento e equilíbrio?

Vamos ao Templo por amor ou há alguma outra razão distorcida?

Nossa Doutrina só irá se manter enquanto embasada no amor, na humildade, na tolerância e nos Trabalhos Espirituais em favor dos que necessitados nos procuram.

“Fora da caridade não há salvação”. Que tal abandonar os questionamentos de ordem temporal, esquecer o orgulho, as classificações e a falsa humildade, totalmente afastada de nossas orientações espirituais e trabalhar com amor exclusivamente cumprindo a missão que nos é confiada? Creio que é isso que Pai Seta Branca verdadeiramente espera de nós.

Ser tolerante implica em aceitar as limitações dos outros, compreender seus defeitos, e reconhecer que muitos destes defeitos ainda fazem parte de nosso ser.

Nosso objetivo maior é praticar a verdadeira caridade, alimentar o espírito com a mediunidade que pedimos a Deus e nos foi concedida pelo compromisso assumido. Amor, Humildade e Tolerância... Não deveria escrever mais nada, apenas repetir dia a dia, estas três palavras para que eu mesmo interiorizasse cada vez mais, e cada um que as lesse, sentisse se aproximar um pouco mais da grande semente plantada pelo Divino Mestre.

É preciso manter na mente os pensamentos benéficos, orar todos os dias pelos nossos Comandantes, e ter na língua apenas palavras para o progresso geral, emitindo fé, esperança e o aconchego para os que nos procuram ou são enviados.

Não tendo nada de bom para falar aos nossos irmãos de jornada, cerremos nossa boca e ouvidos ao quê não seja bom e produtivo.

Tia Neiva não nos ensinou a criticar e mostrar os defeitos dos outros, muito menos a justificar atitudes impensadas falando que o outro fez pior!

Os encarnados que se tornaram discípulos de Jesus, naquela era distante, eram pessoas simples, limitadas, e mesmo assim foram os verdadeiros instrumentos de divulgação da grandiosa missão do Divino Mestre, que até hoje ecoam por toda esta humanidade!

Kazagrande

O Eldorado da Eletrônica.


 “Então, o espírito do El Dourado pousará pela eletrônica e tudo se modificará.”  Tia Neiva em 11 de dezembro de 1972.

Tia Neiva não gostava das “profecias e previsões”, dizia que apenas se manifestava porque fazia parte de sua herança e não podia negá-las simplesmente.

Nas poucas previsões que registrou, temos a recordação da carta “Brasil – Celeiro do Mundo”, redigida em 1972, onde encontramos confirmações de tudo que hoje vivemos em nosso país.

Na finalização desta carta, nossa Mãe Clarividente afirmou que “o espírito do El Dourado pousará pela eletrônica e tudo se modificará”, fazendo referencia à transição dos momentos mais difíceis para a chegada da Luz por todo nosso planeta.

Hoje já vivenciamos a chegada do Eldorado e começamos a sentir seus eflúvios iluminadores. Muitos pensam que o mundo está pior, com mais violência, catástrofes, etc... Mas na verdade o quê existe é mais luz, que permite que possamos ver, com mais clareza, tudo o quê nos cerca.

Antes do advento das comunicações “ao vivo”, informações em tempo real, câmeras por todas as partes do mundo, internet acessível, computadores mais baratos; as notícias chegavam devagar, desatualizadas e com menos impacto. Não temos grandes registros de todas as catástrofes naturais, ou epidemias que aconteciam antes.

A Gripe Espanhola (1918-1919), que afetou 50% da população do mundo e ceifou de 20 a 40 milhões de vidas, por exemplo, nem é tão comentada.

Em de Maio de 1960, um terremoto em nosso vizinho Chile matou mais de 1.600, deixou 3000 feridos, 2.000.000 de desabrigados.

Hoje acreditamos que as novas catástrofes naturais ou epidêmicas são o fim do mundo, apenas porque a informação existe e é muito rápida e precisa.

Existe mais Luz para permitir que enxerguemos melhor o quê estava oculto! É como chegar em casa à noite: antes de acender a luz, tudo parece em ordem e não aparece tanta bagunça assim. Ao ligar o interruptor, podemos ver melhor e saber o quê precisa ser arrumado.

A Eletrônica, especialmente no mundo informatizado das comunicações, vem trazendo esta luz. Mostrando que existe muito mais desordem do que antes aparentava, não é que tudo está pior, na verdade está mais visível e passa a ter condições de ser arrumado.

Aqui, no Exílio do Jaguar, chegam e-mails de irmãos nossos espalhados por todo nosso planeta. Médiuns que encontraram um ponto de união doutrinária e que já pensam em retomar suas missões e seguir em frente. Sentem-se mais seguros por encontrar um pouco de apoio e respostas para suas dúvidas.

Além de Brasil, Portugal, Estados Unidos, Bolívia, Inglaterra, que já possuem Templos do Amanhecer, já recebi contatos da Alemanha, Japão, Rússia, Inglaterra, Escócia, França, Argentina, Bélgica, Holanda, Ucrânia, Polônia... Nunca pensei que poderíamos ter irmãos Jaguares, que já iniciaram suas caminhadas e foram parar nestes recantos do mundo. Será por acaso? Chegaram lá “à toa”? Ou existe uma missão? Um porquê... Encontraram nosso pequeno site sem motivo? Já passei da época em que acreditava em coincidências!!!

Hoje entendo a seriedade de uma frase que marcou minha caminhada: eu disse que o dia que não encontrasse respostas em nossa Doutrina, deixaria meu colete e seguiria para busca-las. Nunca fiquei sem respostas (coerentes, plausíveis e que não agredissem minha inteligência), logo, não posso deixar ninguém sem respostas!

O Espírito do Eldorado já pousa sobre a aura deste plano! Deixemos de lado o quê não é produtivo, as discussões infrutíferas, os absurdos questionamentos jurídicos e olhemos para o espiritual! Para tudo que temos em nossas mãos! Para a missão que nos foi confiada! Unifiquemo-nos a tantos outros que hoje são Jaguares Exilados, mas que podem retomar a missão, e levar a Doutrina por todo nosso planeta!

Kazagrande

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

São Paulo – 26/27 e 28 de Outubro



Meus irmãos e irmãs,
Salve Deus!

Com a permissão de Pai Seta Branca, mais uma vez estarei presente no Brasil, neste ano de 2012.

Na Sexta-feira a noite, dia 26 próximo, estaremos no Templo Ogafã do Amanhecer, em Santana de Parnaíba-SP, para a realização de Curso e Palestra sobre “Tronos Milenares” e “Cura Iniciática”. Procurando multiplicar forças ao lado do Mestre José Donato, André Luís e Eduardo, e seus Ministros Oliban, Ajuvano e Ogafã.

Sábado, dia 27, haverá Consagrações no Templo de Osasco, onde espero também ter a oportunidade de estar presente e rever tantos irmãos e irmãs Aluxã, cuja saudade aperta o coração deste exilado.

Domingo, dia 28, teremos a implantação da Cura Iniciática e Tronos Milenares, em Santana do Parnaíba.

Neste momento de grande emoção torna-se impossível redigir um texto  mediúnico de agradecimento por esta oportunidade, perdoem-me!

Resta apenas convidar a todos, com a certeza de uma grandiosa realização espiritual para todos os presentes. Tentarei levar alguns livros.

Um fraterno abraço,
Kazagrande

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Gravação de Tia Neiva – O poder da Mentalização



Tia Neiva comenta que a Elevação é nossa grande defesa, que através dela podemos nos proteger das vibrações de pessoas que, mesmo por necessidade, vibram em nós pensando que podemos ajuda-las.

Depois fala:

- Agora, outra coisa, eu gosto de contar assim casos pra vocês, que aconteceram comigo, para vocês se basearem. Vocês lembram de um rapaizão loiro, grandão, que quando ele vinha aqui, eu largava tudo e ia atender? Ele estava preso, por uma questão de cheques, e eu fui chamada. Senti muito carinho por ele ao ver toda a desmoralização que estava passando.

Quando ele já estava no presídio, ele encontrou lá dentro um policial com quem tinha um ajuste do passado. Ah... O policial nem podia ver ele! Maltratava, humilhava, batia, fazia ele passar por várias situações.

Ele me contou isso e eu falei: “Olha meu filho, quando você ver ele de longe, você lembre das costas do Doutrinador, pense nele com esse Colete, você mentaliza as costas dele. Quando for nos horários dos Mantras, você faz o mesmo, você mentaliza esse homem...”

Então ele começou a fazer assim. O primeiro dia ele não respeitou. E foi passando, passando, e ele modificou o homem! O policial fez uma viagem, e quando voltou, o preso já estava preparado para medir forças com ele, sentiu que seu dia! Encontrei com ele e ele me disse:

– Olha Tia, eu percebo, hoje é meu dia, ele queria medir forças, lutava com ele. Mas só via esses Coletes Brancos com a Cruz Negra, não via mais nada. O policial se aproximou e me disse:

– Olha, eu vim aqui falar com você que eu lhe maltratei muito, você vai me perdoar um dia...

- Tia, eu não tive mão para levantar para ele não!

Vejam o tanto de mágoas, meus filhos! E o modificou mesmo, tanto que em outra visita ele comentou:

– Tia, agora ele está até enjoado, fica me pedindo perdão tododia. Eu preferia até que ele esquecesse de mim.

Isso já tem um tempo, ele foi solto e embora pra São Paulo. Ele ficou preso, acho que, um ano e seis meses, mas a folguinha dele era aqui, sabem?

Vejam que interessante esta minha fila de atendimento... as vezes chega uma pessoa assim e eu corro para atender a pessoa depressa, então muita gente fala:

– Olha, é só porquê é rico!

Aqui mesmo teve um que falou:

– É só porque são gente rica...

Mas não sabe se às vezes até é um preso, entendeu, é uma pessoa que está com um problema tão difícil de verdade! Por que esse problema de pobreza é igual ao meu, estou tão acostumada, e é tão mais fácil de resolver...

Pergunta de um Mestre que assistia à Aula: Tia, um detalhe importante que existe, se um Presidiário for pedir licença no caso para visitar Tia Neiva, eles liberam na hora, não é?

- É, liberam na hora. Não digo assim, na hora, mas eles liberam mesmo. Eles já telefonaram para mim no Natal, se eu aceitava ficar aqui com não sei quantos Presidiários, e eu disse que pode vir, eu só não me responsabilizo de levá-los daqui, mas nunca houve uma fuga.

Pergunta de um Mestre que assistia à Aula: E a Senhora acha que existe uma Força atuante na condução deles até aqui?

- Sim, o Pai Seta Branca! É uma Força, uma Força mesmo! Sim Meus Filhos, é isso aí que me faz ficar feliz.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Razão x Emoção



No Plano espiritual as razões se encontram.

Uma das grandes dificuldades do ser encarnado é traçar a linha de equilíbrio entre razão e emoção. Encontrar o ponto que delimita nossas ações entre pensamento racional e os sentimentos.

Uma decisão mal tomada pode colocar todo um planejamento abaixo e nos obrigar a passar por situações constrangedoras e por vezes “caras espiritualmente”.

O extremismo levado em decisões baseadas somente no lado racional, pode nos levara frieza e até mesmo a crueldade. Se este extremismo for aplicado junto ao lado emocional, a frustração é quase sempre inevitável.

O grande segredo é seguirmos nossa intuição, o verdadeiro fiel da balança entre razão e emoção!

Somente ouvindo a voz de nosso espírito, sentindo em nossa Individualidade qual é o real caminho que naturalmente se apresenta, é que teremos a segurança necessária para nossas grandes decisões.

Escrevo pensando nas situações recentemente por mim vividas, onde decisões precisavam ser tomadas e o apelo emocional era muito intenso, e, se levado em conta ao extremo, traria minha própria infelicidade. Sim! Quando nos deixamos levar apenas pelo coração, sem ponderar todas as consequências, estamos semeando nossa própria infelicidade... “No Plano espiritual as razões se encontram”...

Não podemos entregar todo o amor de nosso coração sem avaliar racionalmente as situações que se apresentam. Observemos que somente recebemos de acordo com nossa sintonia e merecimento, nossos Mentores jamais interferem em nosso karma, jamais nos dão decisões que possam ferir nosso livre-arbítrio ou interferir em nossa caminhada. Como podemos nós encarnados considerar interferir na jornada de um irmão? Desejamos sempre ajudar, mas não vemos o merecimento de cada um... Por isso temos que raciocinar, usar a razão em conjunto com o sentimento para as decisões, e por fim aplicar a intuição que naturalmente nos envolve.

Não devemos negar ajuda a quem nos pede, mas também devemos ponderar todos os aspectos envolvidos e suas possíveis consequências. E nestas consequências observar os fatores que podem desequilibrar os outros pesos da tríplice balança da vida: físico (saúde, tempo, material, dinheiro), alma (sentimentos, emoções, família, equilíbrio psicológico) e espiritual (nossa vida doutrinária).

A intuição, quando observada em sintonia Individual, jamais irá nos enganar! Nesta hora flui a experiência milenar de nosso espírito e a sabedoria de nossos Mentores, sempre presentes nas horas precisas.

Resumindo: tudo é equilíbrio! E novamente se apresenta a triplicidade de nosso ser, pois a decisão que aparentava estar entre razão e emoção, une-se a intuição espiritual!

Já passamos do tempo de brincar. Tudo agora é decisivo para nós e afeta aos que nos cercam, os que confiam em nós ou nos são confiados, também os que nos são enviados, e os que se aproximam pela Luz que gradativamente devemos passar a emitir.

Kazagrande

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Evasão Doutrinária



Meus irmãos e irmãs, Salve Deus!

Neste mês em que celebramos o aniversário natalício de nossa Mãe Clarividente, tenho publicado diversos trechos de gravações que não foram editadas em forma de “cartas”.

Nestas lembranças o mais forte é sempre o sentimento de “mãe” que impera, sempre que escuto sua voz gravada. No meio das reuniões, ela para, cumprimenta um médium que chega atrasado, preocupa-se com outro se tomou seus medicamentos, brinca com algum, chama à razão outro... Enfim, fica claríssimo seu sentimento de mãe, onde ela, em meio a uma mensagem espiritual, deseja abraçar a cada um dos presentes e distribuir seu imenso amor!

“Ter um filho ingrato é mais doloroso que a mordida de uma serpente!”. Esta frase de Shakespeare, nunca foi repetida por ela, mas acredito que assim ela sente quando um filho, que ela acolheu sob a égide dos nossos mistérios da Iniciação Dharma Oxinto, a mesma de Nosso Senhor Jesus Cristo, abandona a Doutrina pela falta de suporte doutrinário. Abandona por incompatibilidade com seus irmãos. Abandona porque não entendeu sua missão dentro do Vale.

Não falo daqueles que “passam” pela Doutrina... Daqueles que iniciam suas aulas, por vezes emplacam e trabalham um tempo e, depois de manipulada a energia que necessitavam para sua evolução, partem para seguir suas vidas, curados espiritualmente.

Falo daqueles que penetram nos Mistérios da Iniciação. Que fazem seus Juramentos e assumem um compromisso perante Nosso Senhor Jesus Cristo.

Não podemos jamais permitir que se banalize a Iniciação! O médium deve estar preparado para dar este passo! Uma Iniciação fica marcada em nosso plexo por 10.000 anos, não foi assim que aprendemos?

Vamos dividir nossos conhecimentos! Informar, ensinar, passar a experiência vivida! Não precisamos de fariseus doutores da lei... Precisamos de missionários desprendidos que compartilhem o conhecimento e auxiliem aos aspirantes a compreender a simplicidade da essência da Doutrina: Amor, Humildade e Tolerância!

A Iniciação tem um Mantra Sagrado que revela toda a verdade da vida a ser assimilada! Nestas simples palavras, que temos o compromisso de repetir nos três horários Iniciáticos, está toda a sabedoria a ser vivenciada neste plano físico!

Mas por que um Iniciado deixa a Doutrina?

Estaríamos perdendo a magia consagrada que Tia Neiva nos deixou? Estaríamos tão envolvidos em disputas de poder temporal que envenenamos a pureza do iniciante sincero em suas intenções de servir?

Como Filho Adotivo de Koatay 108 não posso admitir estas perguntas!!!

A Doutrina do Amanhecer segue encaminhando milhares, milhões de espíritos. A simples presença de um par, Doutrinador e Apará, já permite a realização de trabalho de valor incalculável. Pode salvar uma vida! Pode resgatar um espírito há séculos acrisolado no etérico terrestre.

A grande nave da Doutrina do Amanhecer segue seu curso e continua cumprindo a jornada de encaminhar, doutrinar e emanar!

Vocês podem dizer que não pode alienar-se... Salve Deus! Nunca nos alienamos, apenas compreendemos que devemos mergulhar na Individualidade e nela não existem os problemas deste plano. Somos espíritos experientes, com toda uma consciência transcendental a ser despertada e que nos trará a compreensão do Juramento a ser respeitado.

“Mestre, eu não suporto nem olhar para determinado Mestre ou Ninfa, saio de sintonia até em ouvir o nome dele”...

Salve Deus! Jesus nos disse:

“Perdoa o teu irmão não só sete vezes, e sim setenta vezes sete”.

Kazagrande

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Sou um Jaguar comum


Sou um Jaguar comum! Igualzinho a grande maioria dos médiuns desta Corrente. Não tenho poderes especiais, não sou vidente e dificilmente recordo de algum “transporte” ou desdobramento.

Tenho problemas com a vida material, embora não possa em absoluto reclamar de qualquer momento mais difícil que tenha vivido, todos me ensinaram lições valiosas para o aprimoramento pessoal. Tenho altos e baixos que já me levaram à falência e que me reergueram “magicamente” em pouquíssimo tempo.

Minha família é harmoniosa, o quê não impede que as diferenças de pensamento provoquem algumas discussões, as quais procuramos sempre, depois de alguns minutos de reflexão, buscar um ponto de equilíbrio, onde os envolvidos têm sempre que ceder em alguma coisa.

Não posso ir sempre ao Templo. Não tanto quanto gostaria, por motivos diversos e como envolvem questões polêmicas da atualidade, me abstenho de abordar.

Minha saúde é de “ferro”, e como tal, às vezes aparece alguma ferrugem.

Ou seja, sou igualzinho a maioria de vocês! Preocupado com as “questões do momento”, porém compreendendo que minha opinião não vai mudar a cabeça de quem se envolve em “política doutrinária”, restrinjo minha participação a trabalhar e escrever sobre o quê possa efetivamente ser bom e produtivo.

Recebo diariamente agradecimentos por este pequeno trabalho aqui no Exílio do Jaguar, que me servem de apoio, que me auxiliam a manter a disciplina e alertam sobre a grande responsabilidade de escrever, mas tenho total consciência de que sem nossos Mentores de nada valeria escrever. Seriam apenas palavras tantas vezes já repetidas e não chegariam ao coração de outros irmãos Jaguares. Assim que rezo todos os dias, mas todos os dias mesmo, para poder continuar digno desta jornada e perder as minhas mãos se me envaidecer por esta oportunidade. Oportunidade esta, que ainda terei que fazer por merecer. Sinto que recebi mais do que mereço e o compromisso é cumprir a jornada para poder ser digno dela.

Emociono-me a cada email e posso sentir a energia que chega, ou inexplicavelmente é enviada “em anexo”, com direito a confirmação de recebimento e tudo.

Aprendi muito com esta Doutrina e devo a ela oportunidade de manter-me nesta encarnação. Sem ela estaria em algum sanatório ou quem sabe perdido em alguma caverna do etérico.

Por isso escrevo! Inicialmente foi apenas para me sentir de novo perto de meus irmãos e irmãs, mas a missão se revelou mais abrangente, levando-me a participar de suas vidas e fazer com que participem da minha também. Não me sinto mais “exilado” e devo a vocês esta proximidade.

Sou um Jaguar comum! Ainda manipulando meus restos cármicos, doutrinando-me a cada momento para aprender a ser mais tolerante, mais paciente.

Já errei muito nesta vida. Às vezes acho que vivi várias das minhas encarnações em apenas uma. São tantas passagens, lembranças, que por vezes penso se já não desencarnei e estou apenas recordando.

Sinto que toda a experiência desta vida deve ser compartilhada, não importa se eu me exponha, o objetivo maior é tentar fazer com que possa ser mais útil do que foi para mim mesmo. Se puder evitar que um único irmão de um passo em falso que o conduza a dores que já vivi, pelo mesmo ato ou pensamento, já poderei sentir-me realizado. Saberei que aquela passagem serviu para mais alguém.

Muitos falam com impensado orgulho da herança espartana... Salve Deus! Éramos sanguinários e dominávamos pela força e pelo medo.

Outros se envaidecem com a passagem cigana, esquecendo que quem terminou melhor naquela história foi Mãe Calaça, e olhe que ela foi devorada viva por lobos...

Nossas heranças, nossas passagens, não são para nos envaidecer! São apenas parcelas de uma individualidade de sofredores encarnados, que por mais que hoje se esforcem para ser missionários, no máximo seremos missionários cármicos, pela força de nossas dívidas.

Já me importei demasiadamente com classificações, com posições, lugar na fila, medalhas no colete e coleção de acervos... Hoje entendo que nosso tesouro é o trabalho! É doutrinar, emanar e curar! É buscar a cada oportunidade ser Doutrinador com o Terceiro Verbo, é ser Apará com a Voz Direta.

Não importa o lugar na fila, a classificação e qualquer outra honraria que alimenta nossa perigosa vaidade e nosso destrutivo orgulho...

O quê vale é compreender as coisas mais simples. É saber que entre um Arcano e um Branquinho não há diferença, os dois devem ser Trabalhadores da Luz e não podemos ver qual o nível de evolução que cada um possui. Já contei que há muito tempo, quando recebi o Rama 2000, Pai João me disse que eu já estava “quase” conseguindo o direito de usar o colete, mas que ainda faltava... Salve Deus!

Sou um Jaguar comum, feliz, mas muito feliz de poder chamá-los de Meus Irmãos!

Kazagrande

Encontros com a Clarividente



No dia  18 de novembro, aqui na Bolívia, além das Consagrações, ocorrerá o lançamento do livro “Encontros com a Clarividente”, de autoria do Mestre José Donato, Adjunto Oliban, e editado pela Editora Exílio do Jaguar. Segue abaixo a apresentação desta obra pelo autor:

Ao ingressar na Doutrina do Amanhecer em 11/04/76, não esperava encontrar tantas realizações na minha vida.

São 36 anos de trabalhos espirituais em todos os níveis de aprendizagem, que me fizeram um Mestre Jaguar privilegiado pelo carinho especial daquela missionária, e “grande mãe” de todos nós.

As dúvidas e indagações, que permeavam minha vida, foram esclarecidas, e fui preparado para o mundo dos espíritos. Seria um Doutrinador! Missionário, conquistador de fronteiras, desbravador, conduzindo povos e abrindo templos no Brasil e no Exterior.

Por diversas vezes me inspirei no trabalho missionário do Mestre Gilberto Zelaya, Trino Ajarã, na conquista também de povos, no qual reverencio sua dedicação e conduta irrefutável ao lado de sua Ninfa Nair Zelaya, 1ª Aponara deste Amanhecer, formando um exemplo de casal missionário, unidos por um ideal, inspirados na nossa Mãe Clarividente.

Este trabalho, “Encontros com a Clarividente”, visa apresentar aos mais jovens, que não conviveram com nossa Mãe, a experiência de um Adjunto que foi preparado por ela e que teve a oportunidade de conviver, ver, ouvir e participar da implantação de todos os trabalhos Iniciáticos desta Doutrina.

Ao ingressar na Doutrina do Amanhecer, o trabalho de Estrela Candente estava para ser inaugurado, em 01/5/1976, bem como o Mestrado (com suas classificações e indumentárias), vindo depois a Consagração de Centúria, seguidos pelos Trabalhos Iniciáticos (Randy, Cura, Junção, Indução, Turigano, Estrela de Sublimação, etc.), Consagração de Adjuntos sendo este um dos grandes momentos da Doutrina.

A implantação de forças através desta extraordinária missionária, com poderes paranormais, que vivia simultaneamente o passado, presente e futuro, chegou a gerar o temor em alguns médiuns de estar frente á frente com ela.

Desta feita, muitas vezes fui procurado por ela para realizar trabalhos espirituais nas casas dos médiuns e lá, ela se fazia presente. Foi um grande ensinamento para minha formação doutrinária.

Neste ensaio procuro transmitir para os leitores a experiência do convívio com ela e os casos que mereçam maior atenção.

Todos os relatos narrados neste livro aconteceram no período de 1976 a 1985,  com nossa Mãe Clarividente – TIA NEIVA. As pessoas mencionadas, encontram-se vivas ou cumpriram suas missões na terra, não é uma obra de FICÇÃO, OS FATOS FORAM REAIS.”
Mestre JOSÉ DONATO DE SOUSA

Cuidando das próprias dores


Quando somos atingidos por uma flecha, não devemos perder tempo buscando saber quem e por que nos feriu. Mas, sim, arrancar a flecha fora e cuidar, o quanto antes, da ferida.

O necessário questionamento sobre a causa das dores deve vir sempre em forma de reflexão, mas acima do questionamento está o foco da questão: direcionar as energias de maneira positiva de modo que se possa transformar qualquer situação de nossas vidas em algo produtivo.

Permitir que nos envenenemos pela indignação ou nos entreguemos ao cansaço, somente poderá gerar negatividade e nossas respostas serão sempre tendenciosas, unilaterais e/ou vingativas.

Antes da percepção mental do fato e sua aceitação em nível de alma, temos a consciência de que o espírito já tem programado o roteiro de sua vida, e as lições a serem interiorizadas chegam, em maior ou menor intensidade, de acordo com nosso atual posicionamento e atitude de compreensão.

A vinda do Divino Mestre Jesus não foi para formar religiões e estabelecer regras de salvação! O Evangelho que deve estar em nosso coração, tão sabiamente traduzido por nosso Pai Seta Branca em Amor, Humildade e Tolerância, abriu um novo ciclo em nosso Planeta. Sua chegada encarnatória reabriu a passagem de comunicação direta com os Planos Espirituais permitindo o início da ruptura dos intermináveis ciclos kármicos e instituindo a Escola do Caminho.

Neste novo ciclo a tônica a ser implantada traz o conceito do Perdão! Permite que semeemos o perdão para termos direito a ele quando chegar nossa hora de necessidade. Em caridade e perdão fundamenta-se a possibilidade de espíritos endurecidos e endividados recartilharem suas jornadas e mudarem definitivamente o peso kármico que os envolvia.

“Perdoai as nossas dívidas se nos perdoarmos aos nossos devedores...”.

Portanto, mais do que buscar culpados ou mesmo se culpar, é necessário vivenciar a oportunidade vislumbrando sempre o positivo, que pode estar oculto, mas que sempre está presente. Quando direcionamos a energia em direção a sanar a dor, ao invés de ficar indagando os porquês, aprendemos a praticidade do perdão e não nos entregamos a questionamentos e síndromes de injustiçados que normalmente levam a uma paralisia nas atitudes práticas e mentais.

Temos que ser um verdadeiro e fiel reflexo daquilo que pregamos! Como médiuns, como Jaguares, já passamos do tempo de brincar e agora não há mais tempo para ficar se perguntando porquês... Perdão e caridade deverá ser sempre a resposta.

A dificuldade em lidar com determinadas emoções será mais facilmente superada se eliminarmos qualquer possibilidade de rancor e revide. Trocando o negativo passado pelo positivo presente e igualmente direcionado ao futuro.

A projeção das soluções substituindo o remordimento e/ou rancor é um dos fundamentos do verdadeiro Jaguar no Terceiro Milênio.

Kazagrande

O Paciente na Cura


Depois de passar pelos Tronos, recebendo a emanação de nossos abnegados mensageiros, trocando as energias pesadas que o envolvia e, principalmente obtendo a esperança, que eleva o padrão vibratório, o paciente pode ser encaminhado para a Cura.

O encaminhamento para este trabalho, ou para qualquer outro, somente pode ser determinado por uma Entidade de Luz nos Tronos! Nenhum médium pode tomar a decisão de recomendar um trabalho. Isso acontece porque somente a Entidade pode avaliar as condições da aura do paciente e sua real necessidade. Uma passagem não recomendada por um determinado trabalho espiritual... Salve Deus! A responsabilidade recai principalmente no incauto que assume o risco, e, sendo médium, o preço é dobrado.

Na Cura, o paciente será atendido por Médicos Espirituais da bendita Falange de Médicos do Dr. Ralph, pelas forças curadoras de nossa Corrente e, no caso da Cura Iniciática, a força Luz do Cavaleiro da Lança Lilás.

Este silencioso atendimento médico visa reequilibrar a aura do paciente. Os Médicos Espirituais atuam de maneira a reorganizar os centros energéticos de emissão e recepção, emitindo um sutil e refinado fluído magnético que atua desobstruindo os chackras.

Muitos de nossos pacientes, arriscaria dizer que mesmo a maioria, passam por diversas outras correntes antes de chegar ao Vale do Amanhecer. Embora existam muitos outros tratamentos espirituais efetivos, que se levados a cabo poderiam também chegar a uma cura, cada um deles opera em uma determinada frequência energética e com isso vai produzindo alterações na aura. Usemos um exemplo da medicina tradicional para entender melhor: Você tem uma inflamação e começa a usar um determinado remédio que deve ser ingerido de 8 em 8 horas; toma o primeiro, não sente uma resposta imediata e interrompe o tratamento, buscando outro medicamento, e depois outro, e depois outro. Seu corpo físico vai ficando em desequilíbrio por tantos remédios, que se usados de acordo com a prescrição correta, na dosagem correta e no tempo exigido, poderiam ter levado à solução do problema. A passagem por diversas correntes e religiões, provoca o mesmo efeito espiritualmente falando. Até mesmo um elítrio, programado para iniciar sua cobrança em determinado lugar, poder ser deslocado e iniciar seu “trabalho” antes da hora e no lugar incorreto.

Dessa maneira, nossas Entidades de Cura processam um reequilíbrio, é como se fosse a desintoxicação de tantos tratamentos. Se houverem elítrios, serão “recolocados” no ponto correto ou até mesmo preparados para uma remoção na Junção (de acordo com o merecimento espiritual do paciente).

Novamente buscando exemplos na prática: um elítrio, posicionado no ombro direito do paciente, que por passar em diversas correntes acabou se deslocando para a área renal, provoca dores abdominais terríveis e sem explicações médicas. Passando pela Cura, devidamente recomendado, o paciente tem seu elítrio deslocado ao seu ponto de origem e com isso sai do trabalho já sem dores! Se este elítrio será libertado ou ainda virá a processar sua cobrança no tempo certo, isso não podemos afirmar. Mas a cura física se processa no espiritual e o paciente sente-se curado.

Também a liberação de acúmulos energéticos, em uma determinada área do corpo espiritual, pode desmascarar uma determinada enfermidade que não era encontrada pelo “médicos da terra”. Passando pela Cura, este acúmulo pode ser manipulado e após uma nova revisão médica, o problema antes oculto, torna-se visível para o alívio do paciente e seus médicos.
Cabe ainda acrescentar que em uma Cura Iniciática, sob a projeção direta do Cavaleiro da Lança Lilás, e toda uma Corte Espiritual projetada sobre o Sanday, podem acontecer fenômenos extraordinários! Pois a precisão é muito mais apurada. Podemos, novamente comparando com termos físicos, dizer que o atendimento em uma Cura Evangélica é o atendimento por um Clínico Geral, no Pronto Socorro; e na Cura Iniciática, o atendimento é por um especialista. Os dois são médicos e podem resolver o problema, tanto o Clínico, quanto o Especialista, mas existem fortes diferenças.

Amanhã seguiremos pela Junção.
Kazagrande

O Paciente na Junção


A Junção é um trabalho Iniciático, de poderosíssima força Luz e só podem passar neste trabalho, pacientes devidamente recomendados.

Seu poder é tão grande que pode realizar a libertação de elítrios!

Aí vem a pergunta: mas se pode até libertar elítrio, todos não deveriam passar por lá?

Salve Deus! Um elítrio é agregado ao ser encarnado pela necessidade de reajuste. Muitas vezes a encarnação da pessoa é totalmente embasada no reajuste com estes elítrios. Se forem libertados antes da hora, podem até mesmo tirar o sentido da encarnação da pessoa e ela desencarnar! (sob a responsabilidade do incauto que recomendou o trabalho por conta própria).

As libertações ocorrem pelo poder da Cura Luminosa ali manifestada, e não em um atendimento particular, como ocorre na Cura. O poder Iniciático se manifesta recebendo a tônica do magnético dos mantras emitidos pelos Doutrinadores e Doutrinadoras, impregnados do necessário ectoplasma.

O controle espiritual é realizado no conjunto e não de maneira individual, por isso o risco de uma libertação extemporânea.

Antes de descrever o paciente dentro da Junção, lembremos que determinados espíritos das sombras podem aprisionar elítrios, removidos fora das bênçãos Divinas (em outras manipulações energéticas de outras correntes igualmente efetivas), e usá-los em trabalhos de magia negra, prendendo à aura de encarnados para sugarem suas energias. Assim a Junção é eficaz não somente para o elítrio cobrador pessoal do paciente, mas também para os que indevidamente estão sendo utilizados para o mal.

O paciente ao entrar no Castelo da Junção, sente o clima favorável de imediato. Ele já passou pelos Tronos e na maioria das vezes pela Cura (digo na maioria porque nada impede de que uma Entidade recomende que o paciente passe apenas pela Junção, sem a necessidade de passar pela Cura antes), e assim está tranquilo e cheio de esperanças.

Encontra-se com a luz tênue e logo passa a sentir a emanação impregnante dos mantras que vão sendo emitidos.

Recebe os passes magnéticos como se estivesse recebendo uma benção de valor incalculável. Está susceptível a tudo que passa ao seu redor, por isso o cuidado na hora dos passes, evitando gestos bruscos e toques além do necessário. Os mantras são a base de todo o trabalho, por isso, ao ingressar no trabalho o médium tem que realmente emitir (cantar).

Quando ocorre uma libertação, o paciente sente de imediato um vazio na área que era afetada. Por vezes pode achar que está com fome ou mesmo que aconteceu algo muito estranho (ele poderia já estará acostumado com a situação). De qualquer maneira, sempre sairá melhor do que entrou. Se houver alguma manifestação negativa, por parte do paciente ao sair da Junção, ele deverá ser abordado e esclarecido. Não tem como sair “passando mal dali”, é realmente algo psicológico. É necessário mostrar para ele a grandeza que está se passando desde sua chegada e levantar seu padrão vibratório para que continue a ser beneficiado.

Kazagrande

O Paciente na Indução


Na Indução o paciente tem suas “amarras finais” rompidas. Passa por sua cabeça todos os pensamentos que lhe obsessionam e agridem. Ele recorda pessoas e situações que já deveriam estar resolvidas, mas que ficam se arrastando em pensamentos inúteis, que nada solucionam e trazem tristeza.

De início parece que o trabalho vai deixa-lo para baixo, mas ao passar as invocações e a absorção da corrente, a sensação de alívio é imediata. É como se aquele pensamento obsessivo, que não saía de sua cabeça, se esvaísse e ele pudesse refletir melhor. Em seguida, a luz bendita dos Pretos Velhos tranquiliza definitivamente o trabalho, trazendo de volta a mesma sensação de esperança de quando saiu dos Tronos.

Nem todos os pacientes estão em condições de enfrentar uma Indução. Por mais que possam mesmo precisar, somente nos Tronos as Entidades podem verificar o merecimento e as condições vibracionais necessárias, pois, neste aspecto, o paciente despreparado pode baixar seu padrão e não sair bem do trabalho.

A Indução é um maravilhoso trabalho de grandiosa precisão e poder. Dispõe de uma nave exclusivamente para sua realização. Ao passar pela Indução, as correntes negativas são absorvidas e rompidas pelo poder do trabalho.

Rompendo as correntes, a pessoa sai de lá pronta para um novo começo, e vigiando seu padrão vibratório, poderá evitar novas formações e seguir sua vida sem as “amarras” que antes atravancavam sua jornada. De modo que naturalmente os negócios parados começam a se mover, as pessoas voltam a se aproximar, e os problemas de irritabilidade e depressão desaparecem sem medicamentos fortes. A vida material caminha livre para seguir seus destinos kármicos.

Porém cabe ressaltar que: A Indução não é um trabalho mágico para sua “vida material”! É muito triste verificar que muitos médiuns chegam ao Templo pensando em fazer uma Indução em benefício próprio, afinal este trabalho rompe as correntes tanto dos pacientes, quando dos médiuns que dele participam na formação.

Ao entrar no Templo nossa preocupação deverá ser somente servir! Havendo a necessidade de passarmos por uma Indução, com certeza nossos Mentores nos proporcionarão a oportunidade.

Kazagrande

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Samara!




-     - Kazagrande, hoje eu trouxe a Samara para lhe ajudar.

Assim meu antigo chefe me apresentou a jovem que se aproximava falando alto e com gestos bruscos. Não gostei de cara, mas era empregado e tinha que aceitar.

Enquanto eu atendia os clientes ela ficava praticamente atrás de mim, me deixando agoniado com esta postura. “Fique do meu lado, na minha frente, mas não atrás!”. Quando eu terminava um atendimento ela fazia algumas perguntas. Em determinando momento tentou participar junto comigo e deixei claro “meu território”. No segundo dia ela procurou sua mesa e começou a atender com segurança e de maneira bastante precisa. Observei atentamente e percebi que realmente ela poderia ajudar. A procurei para conversar e tirar suas dúvidas, mas ela realmente havia prestado a atenção em tudo e já sabia como trabalhar.

Sua evolução no trabalho foi fantástica e pela sua dedicação e comprometimento eu resolvi ensinar mais e ir além, mostrando a importância da postura física, da colocação das palavras e até mesmo da apresentação pessoal.

De colegas passamos a amigos, e o convívio mais próximo a levou até minha casa, passando a “amiga da família”. Sua vida havia sido muito difícil, estava sofrida e precisava sentir o carinho familiar.

O trabalho lhe abriu as portas para recuperar sua autoestima, e a família proporcionou o carinho para aplacar a solidão espiritual.

Passados mais de dois anos, Samara hoje é meu braço direito na empresa que abri. Na família é minha “filha mais velha”, presente em todos os eventos familiares, amada e respeitada como tal.

Hoje, dia de seu aniversário, revelo uma mensagem que recebi, há algum tempo de Vovó Maria de Aruanda:

- Filho, esta filha que você recebeu como filha em sua casa, é realmente sua filha. Cuide desta jóia preciosa, pois ela será uma grande missionária de Pai Seta Branca.

Respondi:

- Mas Vovó, ela é evangélica desde que nasceu e olha desconfiada cada vez que me vê falando de Doutrina com alguém. Além do mais, eu nunca convido ninguém para vir ao Templo. Claro que eu gostaria de tê-la por aqui também, mas a respeito demais para tratar deste assunto tão delicado.

- Meu filho, não vai precisar falar nada. Vai chegar a hora dela e ela mesma vai pedir. Há tempos ela observa sua conduta e vai superar os conflitos religiosos, sozinha.

Pensei que isso iria demorar muito, mas muito tempo mesmo.

Que nada!

Aos poucos ela já usava “nossa linguagem” doutrinária, conversando abertamente sobre “energias”, “vibrações”, etc.. Quando sua mãe, origem de sua cultura evangélica, veio visita-la aqui na Bolívia, elas foram juntas conhecer o Vale do Amanhecer. E quando parecia que seria o momento dela voltar para seu berço religioso, foi justamente quando tomou a decisão de ingressar na Doutrina. E sua mãe ainda afirmou: “Kazagrande, a Samara foi preparada a vida inteira para este dia”.

Existem pessoas que passam em nossas vidas, já escrevi sobre este assunto. Mas neste relato exemplifico os encontros espirituais. Hoje é aniversário de minha filha espiritual Samara! Que ela guarde para sempre as lembranças das grandes vitórias que a vida lhe proporcionou e, se um dia nossos caminhos tomarem rumos diferentes, sei que ficará para sempre a lembrança deste reencontro e a Doutrina em seu coração missionário.

Feliz Aniversário Samara! Salve Deus!

KAZAGRANDE