sábado, 2 de maio de 2015

Trabalho e Conhecimento


Em meios a tantos Trabalhos Espirituais, Rituais, Leis, Falanges Missionárias com coloridas Indumentárias, Radares, Complexos Iniciáticos, terminologias próprias, etc., já perceberam na real simplicidade de nossa Doutrina?

Tia Neiva conseguiu o quê inicialmente seria impensável em termos praticidade para a Doutrina Espírita: permitir o acesso simplificado à Cura Desobsessiva!

Qualquer um com sintomas de mediunidade, com problemas originados por desequilíbrios espirituais que incitam o desenvolvimento mediúnico, pode ter acesso e rapidamente colocar em prática o reequilíbrio de sua aura e o desenvolvimento de sua mediunidade. Sem importar realmente sua condição social, econômica ou cultural.

Ao passar pelos Tronos, tendo identificada sua condição mediúnica e recebendo o convite, o paciente pode buscar o Desenvolvimento.

As maiores críticas que recebemos externamente são justamente o maior fator positivo ao nosso favor: Não exigimos nada do médium! Nem estudos, nem aculturamento, conhecimento, condição econômica ou social, nada! Apresenta-se para a Triagem, determina sua mediunidade (como Doutrinador ou Apará) e depois de normalmente sete aulas, está apto a trabalhar.

Em meio a tantas informações citadas no primeiro parágrafo, isso pode parecer surreal e fantasioso, mas não é! É justamente o contrário. Tia Neiva apresentou a solução para os que sofriam com fenômenos mediúnicos de uma maneira prática, até então inimaginável: primeiro se aprender a trabalhar, e depois, com o tempo, o médium descobre se tem necessidade de partir em busca do conhecimento. Ou seja: primeiro ele se cura! Equilibra sua aura, desenvolve seu plexo, harmoniza seu Sol Interior e recebe os conhecimentos básicos para poder colocar em prática suas primeiras realizações mediúnicas. Depois, de acordo com sua necessidade, curiosidade ou mesmo capacidade intelectual, pode ir, ou não, em busca da informação e conhecimento para sua alma.

Falo “para sua alma”, porque seu espírito já é dotado de toda a informação necessária. Somos preparados ainda no período de planificação encarnatória, para sermos médiuns (acepção prática da palavra, pois todo ser encarnado é um médium).

O Desenvolvimento visa despertar a Individualidade e o conhecimento “adormecido”, para que a prática prevaleça sobre a instrução.

Alguns chegam à Doutrina cheios de perguntas, desejam conhecer tudo, saber tudo, e sofrem muito pela dificuldade inicial, sem compreender a máxima “quando o discípulo está pronto, o mestre aparece”. Colecionam acervos, leem todos os livros em menos de um mês...

Outros passam meses, anos e às vezes a vida toda, sem questionar. Apenas cumprem seu trabalho, doutrinam, emanam e encaminham espíritos.

Os dois estão corretos! E nenhuma atitude é garantia de que a Doutrina será absorvida em sua mais bela essência: amor, humildade e tolerância!

Para a Doutrina do Amanhecer o mais importante é trabalhar, é praticar a caridade! O conhecimento está “ali”, está à disposição! Temos inúmeras cartas, alguns livros e muita cultura que só chega pela própria prática de participação em todos os trabalhos.

Desde meus primeiros passos na Doutrina, como “perguntador nato” que sou (um verdadeiro chato, lembraram meus instrutores), sempre afirmei que o dia que não encontrasse uma resposta coerente no Vale, eu abandonaria meu colete e procuraria em outro lugar! É... Eu continuo aqui!!!

Não precisa correr! Cada um tem seu tempo! O conhecimento, embora aparentemente seja adquirido externamente, na verdade já existe dentro de cada um e o agente externo é apenas o catalisador que ativa a memória transcendental. Já repararam que por vezes buscamos uma determinada resposta, e quando finalmente a encontramos “parece que já sabíamos”, ou “não era nada diferente do que pensava”?

Trabalhe e comprovará que “quando o discípulo está pronto, o mestre aparece”.

Kazagrande

1 comentários:

Salve Deus!
na minha pobre analogia, eu classifico o médium da doutrina do amanhecer em algumas categorias: o Trabalhador, como vc mencionou, o mestre que só trabalha, trabalha, trabalha e nada mais que trabalho; O médium paciente, este, considerado até paciente 2x(rsrs), segundo meus instrutores - que trabalha sem compreender o que se passa consigo mesmo, não se satisfaz na LEI DO AUXILIO, e acaba tirando o uniforme se dirigindo aos tronos para se lamentar; O médium Admirador ou Simpatizante, que chega na doutrina, desenvolve sua mediunidade aprende alguma coisa, de fato, mas depois acaba se afastando - este conhecemos bem(rsrs); E o que mais gosto, o médium missionário e interessado, científico, filósofo, que busca compreender o que se passa em torno de si, mesmo não tendo êxito na maioria dos casos(rsrs), mas procura compreender e entender a doutrina com os mais antigos, e isso acontece no momento certo, pq os MESTRES vão aparecendo... Estes, acredito eu, que são os poucos médiuns que continuarão a ensinar a doutrina de geração a geração, na sua originalidade, transmitindo aquilo que ouviu com pureza e sem demagogia fazendo verdade a mais uma máxima iniciática que "os ensinamento são passados de mestre para discípulo de maneira verbal".
Acho que esqueci outros(muitos..rsrs), mas para mim, estes são bem interessantes.
Mestre Lua, 5º Yurê.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.