ÚLTIMOS TEXTOS

quinta-feira, 28 de junho de 2012

A Primeira Missão

quinta-feira, 28 de junho de 2012 - 6 Comments


Antes de continuar respondendo as inúmeras questões provenientes do texto “Valores Espirituais”, tenho que dar uma pausa e tocar neste ponto: A primeira missão do Jaguar!

Meus irmãos e irmãs, o quê mais importa em nossa jornada é trabalhar! Nossa Mãe Clarividente trouxe dos Planos Espirituais um sistema que revolucionou o trabalho espiritual. Recordemos o espiritismo antes de Tia Neiva!

Existiam três vertentes principais:

O Kardecismo: Exigindo inúmeros estudos, uma aculturação e intelectualização primordial para que o médium iniciasse seus primeiros trabalhos. Muitos passavam anos estudando antes de terem as primeiras oportunidades de participar ativamente de uma linha de passes ou de uma mesa. Esta necessidade de estudo elitizava o espiritismo e afastava os mais carentes de letras, ou mesmo de capacidade intelectual. Não é uma crítica, é uma constatação temporal referente a época em que nossa Doutrina surgiu.

A Umbanda: Que trazia o fetichismo das heranças africanas e que nada exigia do médium. A compreensão dos fenômenos se dava na prática, mas o tratamento da desobsessão carecia de uma normativa organizada, sendo entregue integralmente ao médium de incorporação, através de seus Guias.

O Espiritualismo: Reunindo diversas correntes com as mais diversas práticas de manipulação energética reunidas de escolas com direcionamentos diferentes. Pedia o estudo na dose possível, mas a prática tornava-se confusa pelo agregar desordenado de tantas informações de carácter ocultista.

Pai Seta Branca entregou a Tia Neiva a Chave do Espiritismo do Terceiro Milênio. Juntos trouxeram, dos Planos Espirituais, um sistema perfeito que permite ao médium o início quase imediato no trabalho espiritual, curando-se a si mesmo e podendo, mesmo sem ainda dispor de conhecimentos profundos, trabalhar na Lei do Auxílio, na prática da verdadeira caridade.

Tia trouxe o Doutrinador. Médium que organiza, intui, explica. Antes os que “não incorporavam” sequer eram reconhecidos como médiuns. Institui a figura do Apará, médium de incorporação consciente, sem mitos e fantasias. Unifica estas duas forças mediúnicas em uma modalidade de trabalho precisa e eficaz. Permite o fim da fantasia mediúnica com o inicio da realidade mediúnica clara, sem mistérios, e onde qualquer um que apresente a necessidade de desenvolver sua mediunidade, independente de suas condições sociais, intelectuais, econômicas, etc., pode trabalhar espiritualmente. Pode com poucas aulas, que ensinam basicamente as técnicas de trabalho, iniciar a própria cura, pela liberação da energia acumulada, e começar a curar os que lhe são enviados.

Desejando aculturar-se, compreender tudo ao seu redor, existe todo um acervo a disposição diante da máxima “quando o discípulo está pronto, o mestre aparece”. Também lembremos que sempre seremos “mestres ensinando mestres”. Pois o principal conhecimento já está adormecido em nosso espírito, só precisa ser despertado.

Assim, podemos verificar claramente que: apesar de todo acervo, apesar toda hierarquia, apenas das contradições humanas que povoam as mentes, apesar de qualquer conflito que possa surgir de divergências de interpretação, apesar de qualquer outro tema, que possa estar atrelado ã Doutrina, mas que foi levantado apenas por homens... Apesar de tudo, o quê importa é trabalhar! Tia e Pai Seta Branca primaram pela possibilidade de permitir o trabalho imediato, que cura, que salva, que reequilibra e se faz Luz!

Enquanto houver um Templo que permita sua presença você deve trabalhar! Os problemas, os questionamentos, as divergências, se você foi consagrado ou não, se o Templo é de A ou B... Tudo isso é secundário diante da oportunidade de poder encontrar seu par, doutrinador ou apará, e juntos seguirem praticar a verdadeira caridade.

Kazagrande

quarta-feira, 27 de junho de 2012

PASSE MAGNÉTICO (Rep.)

quarta-feira, 27 de junho de 2012 - 13 Comments


A PEDIDOS:

O Passe Magnético não tem contra-indicações! É dado para aliviar o plexo, dele retirando todas as impregnações pesadas.

É um movimento Iniciático e que requer precisão. Recordo de uma vez em que nossa saudosa Mestre Edelves me chamou a atenção sobre o passe magnético. Em um dia de Retiro, ela me chamou para elogiar o trabalho que estava fazendo, tinha acompanhado com bastante interesse minha doutrina na Mesa Evangélica e até me perguntou se eu não queria ser Príncipe Maya, porém avisou que meu passe magnético não estaria correto. Ela disse que não se deveria voltar as mãos ao plexo quando se estava encerrando o passe, antes de descarregar.

Na minha juventude fiquei muito incomodado com isso, pois eu já era instrutor e assim ensinava a todos os aspirantes. Por tanto a coisa ficava muito séria! Afinal todos os instrutores assim faziam também.

Busquei em meus guardados uma fita cassete onde o Trino Araken falava aos instrutores especificamente sobre o passe magnético. Fiz uma cópia e levei para ela. Não satisfeito, ainda busquei pessoalmente nosso Trino para que me orientasse.

Na gravação, o Trino Araken deixava claríssimo a necessidade de voltar às mãos ao plexo. O Doutrinador, em pé, atrás do receptor, devidamente posicionado com as mãos sobre os joelhos, palmas voltadas para cima (salientando que está ali para receber - sem ter as pernas cruzadas), abre seu plexo, eleva seus braços, entrelaçando as mãos no alto enquanto emite a chave: “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!”. Vira as palmas das mãos para cima e desce os braços até o plexo do receptor; sobe com as mãos ainda entrelaçadas na testa do receptor e toca suavemente, passa então para suas costas, na altura da onde estaria a “ponta da cruz do colete de doutrinador”, onde dá três toques firmes, mas sem empurrar o receptor; volta as palmas das mãos para o plexo e descarrega junto ao corpo com as palmas voltadas para trás.

Não existem as “limpadinhas” feitas depois, e estranhos toques feitos no ombro.

Também não existe este negócio de “distribuir os empurrões pelas costas”, fazendo um no meio, e os outros, um em cada canto. Os três são no mesmo lugar!

Não tem “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo” a cada movimento.

O Passe Magnético faz parte de um rito iniciático e não se deve agregar nada mais. Portanto, não existe “super-passe” ou “passe especial de Arcano”.

Nossa doutrina segue uma orientação Iniciática e qualquer invenção que venha a descaracterizá-la só serve para gerar vibrações ou induzir ao erro.

Sobre os “sete passos” do passe magnético, o Trino Araken explicou cada um deles, mas deixou na gravação: “Estou falando isso para vocês que são instrutores, não é para sair falando por aí, se eu souber que algum de vocês saiu falando, eu torço seu pescoço”. Quem assistiu à aula ou ouviu a gravação irá recordar deste detalhe bem característico.

Vamos fazer corretamente!

Não sei se Mestre Edelves mudou sua forma de pensar depois de ter conversado com o Nestor (que a chamou para isso), mas estivemos presentes em muitos outros Retiros e nunca mais a vi tocando neste assunto. Continuávamos, sempre que possível conversando, e sempre me tratava com o mesmo carinho e respeito.

Kazagrande

OS SETE PASSOS DO PASSE MAGNÉTICO


1º Passo – Plexo - Mão esquerda sobre a direita. Abrimos nosso plexo em busca das forças espirituais.

2º Passo – Chave – Partimos erguendo os braços e emitimos a chave “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo”, estendendo os braços completamente, entrelaçando as mãos logo após emitir a chave, trazendo a energia projetada para ligar-se a energia de nosso plexo, envolvendo-a no entrelaçar das mãos. Então voltamos as palmas das mãos para cima. Importante: não partimos com os “braços abertos” como se envolvêssemos a aura! Os braços são erguidos diretamente como na Elevação.

3º Passo – Plexo - Descemos até o plexo solar do receptor, sem tocá-lo, formando a perfeita integração de forças: positivo – espiritual – negativo.

4º Passo – Testa - Leve toque na testa do receptor. Promovendo um pequeno “choque” e conseqüente descarga na área do “terceiro olho”.

5º Passo – Costas – Na altura da “ponta do triângulo do Colete” promovemos três toques. Suaves, mas firmes, momento em que efetivamente ocorre a descarga negativa do receptor.

6º Passo – PlexoVolta para o plexo do Doutrinador. Neste momento é que muitos se sentem em dúvidas: Não estariam “sujando o próprio plexo?” Salve Deus! O quê acontece quando uma carga negativa recebe uma positiva? Ela se neutraliza! Simples assim! Por isso voltamos as mãos para o plexo, neutralizamos a carga retirada e então vamos ao sétimo passo.

7º Descarga – Descarregamos estalando os dedos na lateral do corpo, com as palmas voltadas para trás.

Não existem “conferência do passe” dando umas “limpadinhas” depois “só para garantir”, e muito menos estranhos toques feitos no ombro.

Também não existe este negócio de “distribuir os empurrões pelas costas”, fazendo um no meio, e os outros, um em cada canto. Os três são no mesmo lugar!

Não tem “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo” a cada movimento.

O Passe Magnético faz parte de um rito iniciático e não se deve agregar nada mais. Portanto, não existe “super-passe” ou “passe especial de Arcano”.

Nossa doutrina segue uma orientação Iniciática e qualquer invenção que venha a descaracterizá-la só serve para gerar vibrações ou induzir ao erro.

Nos primórdios de nossa Doutrina, antes de ocorrer a padronização Iniciática dos movimentos, eram aceitas algumas variações, mas após a consagração do Mestre Nestor, como Primeiro Mestre Jaguar, responsável pelas instruções e Leis, o movimento chegou ao grau iniciático e adquiriu uma característica precisa que deve ser 100% respeitada.

No avanço de nossa Doutrina, passando de Evangélica para Iniciática e depois Cabalística, muitos movimentos e tolerâncias foram sendo eliminadas, visando a precisão exigida para estes novos passos.

Kazagrande

Passe Magnético e Livro de Símbolos


(respondendo aos comentários)

O grande problema são as invenções que descaracterizam um movimento iniciático e preciso!

Mãos no Plexo:

SIM! Temos que VOLTAR AS MAOS AO PLEXO ANTES DE DESCARREGAR. Relatei um episódio quê se passou comigo, e não que ouvi dizer. Tive minhas dúvidas sanadas pessoalmente pelo Trino Araken, e mais que isso, esta dúvida foi tema de reunião do Trino com os instrutores de desenvolvimento, que eram de sua responsabilidade pessoal. Portanto, não tenho receio de afirmar que as mãos devem voltar para o plexo. Compreendo que existem versões diferentes circulando, e este detalhe pode até ser menor, perto de outras invencionices que podemos encontrar, mas é um detalhe importante, por tratar-se de um movimento iniciático e que deve ser preciso.

Quanto ao áudio da Reunião, eu infelizmente emprestei a fita e até hoje ela não voltou. Por favor, se o “emprestador” estiver lendo, que me devolva para que possa postar e todos possam baixar.

Livro dos Símbolos da Doutrina

Meu estimado irmão,

Gostaria muito de atendê-lo e disponibilizar o Livro de Símbolos para baixar. Mas temos que considerar que é uma obra recente e ainda disponível para todos que desejem adquirir Informações em http://www.orkut.com/Community?cmm=107366509).

Também existe a questão da dificuldade em scanear um livro tão grande, que necessitaria muita dedicação, cuidado e de um tempo que por hora não disponho. O Livro é repleto de fotos em todas as suas páginas e não se poderia usar um programa de OCR com precisão. A revisão, depois de scaneado tomaria muito tempo. Por isso, por agora eu não posso prometer, mas quem sabe mais tarde terei condições de reavaliar esta possibilidade.

Um fraterno abraço,
Kazagrande

O Centurião, Pérolas e Sétimo


Meus irmãos e irmãs, Salve Deus!

Visando facilitar o download dos livros, armazenei ambos no opendrive (valiosa dica do Mestre Cristiano de Portugal). É só clicar no link e automaticamente começa baixar, sem contagem regressiva, letras de confirmação e outras dificuldades.

Também acrescento o livrete do Terceiro Sétimo dos Cavaleiros da Luz, primorosamente formatado pelo Mestre Ayrton Moussallen, e gentilmente cedido para postagem.

Um fraterno abraço, boa leitura e bom trabalho,
Kazagrande

PÉROLAS DE PAI JOÃO

O CENTURIÃO

TERCEIRO SÉTIMO DOS CAVALEIROS DA LUZ

terça-feira, 26 de junho de 2012

Respondendo as questões

terça-feira, 26 de junho de 2012 - 4 Comments


Meus irmãos e irmãs, muitos me escreveram pedindo as repostas para as diversas questões levantadas no texto “Valores Espirituais”. Grande parte destas informações já foi publicada aqui, no Exílio do Jaguar, outras, ainda não.

A partir de hoje passarei a registrar estas importantes informações doutrinárias, republicando alguns textos referentes a elas e publicando novos textos com questões que ainda não foram abordadas.

Hoje começamos com a Pira e seguiremos pelos outros questionamentos até concluir mais este pequeno trabalho.

Não sou dono da verdade e nem “sei tudo da Doutrina”, nunca saberei! Mas tudo o quê tenho é nosso, e deve ser compartilhado.

Um fraterno abraço,
Kazagrande

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Trinta Moedas

sexta-feira, 22 de junho de 2012 - 12 Comments


Texto do Adjunto Adelano   

Então um dos doze discípulos, chamado Judas Iscariotes, foi falar com os chefes dos sacerdotes. Ele disse: - Quanto vocês me pagam para eu lhes entregar Jesus? E eles lhe pagaram trinta moedas de prata.  E daí em diante Judas ficou procurando uma oportunidade para entregar Jesus. (Evangelho segundo Mateus)

Por trinta moedas de prata Judas entregou Jesus aos chefes dos sacerdotes. Visto sob o ponto de vista literal é realmente algo muito triste. Mas, espiritualmente, Judas pode ter sido o instrumento para o cumprimento e complementação da missão de Nosso senhor Jesus Cristo.

Tia Neiva no trilhar da sua missão para a implantação e edificação da Doutrina do Amanhecer também foi “vendida” várias vezes por seus seguidores. Para quantos, e quantas vezes, ela estendeu a mão,  preparou, colocou o homem a caminho de Deus, e no entanto foi traída?

Quantas vezes, nós outros que nos intitulamos seus seguidores traímos, acima de tudo nosso compromisso, aquele que não nos obrigaram a fazer, mas, no entanto, sem razões que justifiquem, ou quebramos, e por muito menos que trinta moedas de pratas, o traímos.

Em nossa Doutrina o médium faz poucos juramentos, em alguns deles, faz a si mesmo, mas, mesmo assim, no meio de sua caminhada, abandona seu compromisso espiritual, volta-se contra aquele que deu tudo para que ele tornasse um Mestre, vira as costas, e parte para outros caminhos.

Trinta moedas... Hoje, por muito menos os valores espirituais estão sendo substituídos por posições hierárquicas que, na verdade, podem até valer diante dos homens, mas que no mundo espiritual não existem.

Nossas Consagrações têm valor espiritual, são heranças transcendentais! Quando um médium é classificado por direito de conquista, ele brilha como um farol na noite escura.

Tia Neiva abdicou de sua vida para a criação da Doutrina do Amanhecer, escolheu viver em um barraco de tábua até os últimos dias de sua existência. Deixou todo um sistema técnico espiritual baseado em Leis e Rituais que movimentam forças, e estas formam a Cabala de Nosso Senhor Jesus Cristo. Um poder de forças que só consegue movimentá-lo aquele é fiel aos desígnios dessa Doutrina.

Em trinta de outubro de mil novecentos e oitenta e cinco, quando foram lhe entregar flores, data de seu aniversário Tia Neiva disse: “De que me valem essas flores? Meus filhos, eu quero vê-los em harmonia!”.

Hoje querem estabelecer e dizer que há dois reinos, e não pode haver de forma alguma. Certa vez também ela disse: "Eu não divido meus filhos”. E as trintas moedas continuam ainda presentes em nosso sacerdócio, principalmente quando há Consagrações que são feitas sem nenhuma preocupação com o Princípio Divino, com a hierarquia que a Clarividente deixou. Somente um iniciado pode conduzir outro a uma Iniciação, nos disse o Primeiro Mestre Sol Trino Tumuchy. Um Trino Presidente que enverga todos os poderes conferidos pela Clarividente e tem poderes para tal... Por que então, grandes mestres,  tomam para si poderes que não lhe foram confiados? ... Trinta moedas...

E Jesus disse: Pai perdoai-os, porque não sabem o que fazem! Mas em nossa Doutrina existem homens que tem o pleno conhecimento do bem e do mal, se outorgam Mestres de um sacerdócio cujos poderes vão além de nossa compreensão... Nós sabemos o quê fazemos! Como pedir perdão?

Trinta moedas... E depois, o quê fazer delas? De que vale uma Consagração que  não pode ser ouvida nos Planos Espirituais?

Trinta moedas hoje representam o não cumprimento de um juramento realizado na Pira com o gume de uma espada apontado para o próprio peito.

Lembrando Tia Neiva:

Eu me ajoelhei todos os anos, e pedi a Jesus que arrancasse os meus olhos no dia em que eu deixasse de amar... Que Jesus arrancasse os meus olhos no dia em que eu dissesse alguma coisa que não fosse verdadeira, por vaidade ou por qualquer pretensão..

Decepcionar os outros é o mesmo que assassinar, matar as ilusões, os sentimentos dos que acreditam em nós!

Quando chego no Templo ou nas horas de trabalho, esqueço de Neiva e passo a viver somente Tia Neiva.

Só conhecemos que estamos evoluídos quando não estamos nos preocupando com os erros dos nossos vizinhos!

A mente enferma produz o constante desequilíbrio.

Vamos equilibrar os três reinos de nossa natureza e pagar com amor o que destruímos por não saber amar.

É preciso pensar! Refletir... Trinta moedas valem a pena? – Gilmar, Adjunto Adelano

Año Nuevo Aymara


El solsticio de invierno y su significación

¿Qué es Noël?

Noël es, ante todo, la noche más larga y el día más corto del año. Es la fiesta del solsticio de invierno, celebrada (bajo diferentes nombres) por nuestros ancestros, y a su vez, por los ancestros de nuestros ancestros, desde hace milenios.

Esta fiesta está perfectamente integrada en nuestra cultura, y nada ha podido desenraizarla. Es la imagen misma de la eternidad. Es una fiesta espontánea, casi instintiva. En ella se puede ver la imagen de un símbolo fundamental: la alternancia de los contrarios.

La fiesta de la familia

Por oposición al solsticio de verano cuya celebración es más “abierta”, la fiesta del solsticio de invierno es más “cerrada”. Es ante todo la fiesta de la familia, lo cual denota la influencia evidente de la estación: cuando hace frío los hombres se reúnen y se aprietan alrededor del fuego.

Pero la palabra “familia” puede entenderse en sentido amplio: clan –comunidad, familia espiritual (los que comparten lazos comunes). Así, en razón de este aspecto “cerrado”, íntimo, Noël implica el recogimiento, la dulzura, el don de sí.

Momento en el que todo se detiene

La naturaleza parece recobrar su hálito. No se sabe si el sol volverá. Los procesos de vida han ralentizado su curso. Noël, fiesta de la esperanza y de la inquietud.

Los hombres sustituyen al luminoso astro que no les alumbra, se reúnen para “ayudarle” a retomar su punto de partida.

Una antigua tradición quiere que durante los doce días nada “gire” (que la rueca no hile, que no se lave la ropa).

El sentido simbólico de este “descanso anual” es claro. Se trata de hacer volver sobre sí mismo, de hacer un balance, un examen de conciencia, para recomenzar, como el sol, hacia un nuevo año.

La fiesta de lo que recomienza

Entre lo que se cierra y lo que se abre. La certidumbre del eterno retorno: lo que fue, será; lo que ha sido, volverá. El pasado es la memoria del futuro.

Pero ese retorno no es una simple repetición. Al igual que la tradición es un “molde” para las innovaciones, del mismo modo todo cambio tiene en el interior una estructura idéntica.

El pasado da ejemplos más que modelos, es siempre el mismo sol y nunca es el mismo. Es siempre el mismo hombre pero no son nunca los mismos hombres.

La fiesta del recuerdo

Porque justamente todo regresa, es necesario acordarse de aquellos que nos han precedido antes de este solsticio, otros solsticios han tenido lugar.

Solsticios alegres, pero también tristes, solsticios de bosques profundos, de combates, de pena, de angustia.

Acordarse de los ancestros, sin los cuales no existiríamos. Y también de los ausentes, de los desconocidos. Acordarse, en fin, de los muertos y de los que aún no han nacido.

La fiesta de lo que no muere

En la noche todo parece negro, sin vida. Pero la noche es también promesa. Esta promesa es su verdad profunda, pues bajo los hielos la vida se presta a renacer, las plantas a crecer, los arroyos a correr.

Todo un renacimiento se prepara en secreto. Del invierno renacerá no sólo la próxima primavera, sino miles y miles de primaveras que le seguirán, y que le permitirán ser una promesa de luz en lo más negro de la noche.

El Mañana

Nuestra época entera es un invierno. No vivimos una página luminosa “solar” de nuestra historia, sino una página sombría, negra y helada. Vivimos el “invierno del pensamiento”. Llamamos a la primavera renovación.

En Noël se festejan los “siempre verdes”. Los árboles que pueden permanecer siendo ellos mismos, continuar siendo cuando se suceden las estaciones y los otros perecen. Seamos nosotros también “siempre verdes”. Sepamos permanecer inalterables y evolucionar al mismo tiempo. Seamos el símbolo viviente de certidumbres reencontradas. El sol volverá.

Año aymara 5520

El año aymara comienza el 21 de junio, en coincidencia con el solsticio de invierno o “reinicio del acercamiento” del sol a la tierra y con el inicio de un nuevo ciclo agrícola (nueva época de siembra).

Para el mundo aymara, el año 5.520 se explica en el desembarco de los españoles en América, en 1492, cuando comienza un período de regresión, resistencia o la “era del mundo al revés” o desequilibrio.

El 21 de junio de 2012 comienza el año 520 de la quinta era (una era es igual a 1.000 años). El calendario aymara tiene 13 meses y un día durante 3 años. El cuarto año tiene trece meses y dos días, que están exactamente calculados en los 49 coloridos cuadros que componen la, cada vez más popular, whiphala o bandera indígena.

Este cálculo de los años proviene de un estudio realizado en Cuzco (Perú), sobre la base de la teoría del arquitecto peruano Milla Villena, quien a su vez basó sus estudios en las ruinas de Cuzco (método que también tenían los egipcios) para marcar el tiempo.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Passos 5ª Parte: O Rama 2000

quarta-feira, 20 de junho de 2012 - 3 Comments


O Rama 2000 é o “coronel de campo” de nossa Doutrina! É o Mestre preparado e compromissado com, e para todos, os trabalhos do Amanhecer.

Ser Rama 2000 implica em assumir uma série de responsabilidades. Não é apenas uma classificação ou “hierarquia”, é a expressão máxima de compreensão do Evangelho em sua síntese de Amor, Humildade e Tolerância.

O Rama 2000 é o Mestre que compreendeu que necessita buscar paulatinamente a perfeição em seus trabalhos espirituais e trazer para o dia a dia, na vida material, familiar e emocional, o exemplo e o conhecimento do qual é detentor.

Após dois anos manipulando em sua classificação de Adjunto Koatay 108, sendo assíduo e cumpridor de seus compromissos, o médium pode buscar a Reclassificação para Rama 2000. Porém, deverá ter em conta de que não é apenas por “tempo de trabalho” e sim pela real dedicação ao trabalho!

Partir em busca desta classificação é uma decisão individual, e a decisão deve ser muito consciente, pois além de todos os compromissos já acumulados no decorrer da jornada missionária no Vale do Amanhecer terá outro mais: O Rama 2000 é o Mestre que se compromete a estar presente em todos os dias de Trabalho Oficial do Templo a que pertence. Salve Deus!

Além de: Um Retiro Mensal; Uma Estrela Candente Mensal*; Cumprir os três horários; Participar sempre que possível da Sessão Branca e Angical; Assumir, de acordo com sua sintonia, o Trabalho de Prisioneiros da Espiritualidade Maior;

Passa a ter o compromisso de estar presente em todos os Trabalhos Oficiais. Seja nos comandos ou por algum período de tempo em determinado trabalho. Também deverá esforçar-se para, assim que possível, participar do Curso de Sétimo Raio.

Entendem porque só se deve ir em busca de uma Reclassificação quando estiverem verdadeiramente preparados para assumir compromissos? Não é fácil, e tão pouco ninguém é obrigado a assumir nada, mas a partir do momento que assumir, estará registrado espiritualmente e deverá cumprir. Ninguém “precisa” correr atrás de Classificações. Muitos olham apenas a suposta hierarquia que representam e esquecem a quantidade de compromissos assumidos em cada novo passo dentro da Doutrina! Repito, ninguém é obrigado a prometer... mas se prometeu, deve cumprir!

É preferível esperar o tempo certo, sentir-se preparado, consultar seus Mentores e principalmente seu próprio espírito. Por conta dos “alpinistas doutrinários” é que nasceu o mito de que a cada classificação “a vida dá uma complicada”.

As Ninfas devem acompanhar o Mestre nestas decisões. O Mestre que possui uma Ninfa emitindo como sua escrava, deve estar de acordo com ela ao buscar a Reclassificação, pois ela assume em conjunto as mesmas obrigações!

As Ninfas que não possuem Mestre seguem com seus compromissos atrelados apenas à Falange Missionária a que pertencem. Não possuindo Falange, mantém os compromissos normais da missão, já anteriormente citados.

Nossa Doutrina não é uma formalidade e as classificações não são apenas uma fantasia hierárquica! A Doutrina provém de um Plano Espiritual onde as razões se encontram e não há “brincadeiras”. A hierarquia não é uma mera honraria, é a representação do que você espiritualmente e espontaneamente assumiu cumprir.

Kazagrande


* Obs.: Médiuns dos Templos do Amanhecer, distantes das Estrelas Candentes em funcionamento, estão liberados do compromisso mensal, mas devem, ao menos uma vez ao ano, verificar a possibilidade de participar deste grandioso trabalho.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Passos – 4ª Parte: Chegando a Vancares

terça-feira, 19 de junho de 2012 - 1 Comment


Decidindo seguir rumo a Estrela Vancares o Ajanã deve estar preparado para ser padrinho. O Mestre Vancares passa a ter uma projeção especial para os trabalhos Iniciáticos e assume o compromisso de estar sempre à disposição para facilitar suas realizações.

O Quinto Yurê Vancares ou Cautanenses, após receber a instrução de sua Estrela, terá a força necessária e precisa para certos comandos. No entanto, um Quinto Yurê ou Mestre Lua não pode sentar sozinho numa Cassandra, porque ele entra nas Sete Linhas de Olorum e vai formando a sua vibração fluídica, podendo, assim, atrapalhar todo o comando de um Trabalho Oficial.
Tia Neiva, em 21 de agosto de 1983.

Classificações do Ajanã:

5º Yurê Raio Autorizado Cautanenses Raio Rama Ajanã

5º Yurê Adjunto Regente Cautanenses Raio Rama Ajanã

5º Yurê Adjunto Koatay 108 Cautanenses Raio Rama Ajanã

5º Yurê Adjunto Koatay 108 Cautanenses Raio Ajanã Rama 2.000

5º Yurê Adjunto Koatay 108 Vancares Raio Rama Ajanã

5º Yurê Adjunto Koatay 108 Vancares Raio Ajanã Rama 2.000

Conseguimos! Depois de um acervo muito grande de trabalho e perseverança, conseguimos chegar a uma grande afirmação e, depois de mais de um ano, recebermos estas benditas Estrelas, escadas vivas que já percorremos, para o equilíbrio do mestrado e de novas formas de fenômenos que agora temos e podemos dizer que somos verdadeiros curadores de um poder desobsessivo.

Hoje, temos dois poderes e, graças a Deus, vamos enfrentar. Temos o Sol e a Lua, temos Harpázios e temos Vancares! Harpázios, o Grande Oráculo!

Quem está numa nave Cautanenses, Tisanos, está a caminho de Vancares.

Taumantes, Tenaros, Sardyos, estão a caminho de Harpázios.

Tia Neiva, sem data

Amanhã finalizarei escrevendo sobre o Rama 2000 (Ajanã ou Doutrinador) e a quantidade de obrigações que passa a acumular. Estou pronto para ser Rama 2000?

Kazagrande

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Passos – 3ª Parte: Harpázios e Cautanenses

segunda-feira, 18 de junho de 2012 - 2 Comments


Ao passar pela Reclassificação e receber a Estrela Harpázios o Doutrinador passa a ser Adjunto Koatay 108. Passa a poder usar a lança “Adjunto em Projeção” em seu colete.

A Estrela Harpázios emite energias mais refinadas e exige que o Mestre esteja em real sintonia para recebe-las. Ele não está mais sob a “proteção” de Taumantes e considera-se que neste ponto esteja sempre em condições de partir em busca da projeção e não de apenas emitir a energia projetada. Explicando: Em Taumantes, ao emitir o Mestre sempre recebe as energias buscadas, mas ao tornar-se Adjunto Koatay 108 emitindo em Harpázios, sua sintonia passa a reger esta projeção. Não é a Estrela que lhe projeta, é ele que parte em busca desta projeção. Por isso a importância de estar seguro e em reais condições de ir buscar a nova classificação.

Um Adjunto Koatay 108 é o Mestre preparado para tudo, dentro e fora do Templo! Quando em sintonia real com Espiritualidade estará imediatamente com o Canal de recepção aberto, independente de estar emitindo.

Considera-se também que ao receber Harpázios o Mestre já esteja Evangelizado, ou seja, verdadeiramente vivendo o Evangelho redivivo de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Tia Neiva: “...são Mestres capazes de qualquer manifestação de ordem doutrinária que lhe convenha. O Mestre HARPÁZIOS, apesar de todo acervo adquirido nesta consagração, ficará compromissado neste sacerdócio, pela evolução evangélica de determinados componentes, pela promoção de eventos, principalmente na ordem das Falanges Missionárias, suas escalas e no equilíbrio dos SANDAYS... o Mestre HARPÁZIOS é o trabalhador da última hora, é a convocação da última conquista para uma nova era... os Adjuntos Koatay 108 Triada "HARPÁZIOS" são Mestres capazes, porém o seu desenvolvimento total Evangélico Iniciático lhe dará toda força de ação”.(Lei do Adjunto Koatay 108 Triada Harpázios em 26 de dezembro de 1981 – Tia Neiva)

Agrega-se a responsabilidade de que, estando dentro do Templo, estar sempre à disposição para os trabalhos Iniciáticos, não devendo recusar as oportunidades apresentadas pelos Comandantes, ou quando no Comando, vibrar e empenhar-se integralmente para o contínuo funcionamento da escala do dia.

Voltando aos Metres Lua, encontramos as Estrelas Vancares e Cautanenses. Normalmente um Ajanã recebe como sua primeira estrela a projeção de Cautanenses, passa por todas as etapas, chega a Vancares, e recomeça até chegar a Rama 2000. Mas não é uma regra totalmente regular. Por isso me limitarei a diferenciar as duas projeções destas Estrelas.

Quando em Cautanenses o Ajanã recebe uma projeção direta, mais concreta e se afina melhor com os trabalhos evangélicos. O dom da comunicação se aprimora e a segurança vai gradativamente aumentando, de acordo com a experiência e entrega de cada um. Cautanenses projeta para a Comunicação!
Muitos acreditam que devem continuar sempre insistindo nas reclassificações para chegar a Vancares, pois teriam mais força ou “mais hierarquia”... Salve Deus! Ao Ajanã não deve importar a hierarquia! Ele é o instrumento da Luz! Deve ser respeitado pela sua condição de receber um mensageiro de Deus, independente de estar de branquinho ou com o colete cheio de “medalhas”. O Ajanã é a mais perfeita expressão de autoridade, pois mesmo que ainda esteja nos primeiros passos, já pode receber a Voz Direta de um Espírito de Luz igual aos mais veteranos desta Doutrina! Reafirmarei sempre a necessidade de total respeito aos Mestres Lua e sempre pedirei que estes irmãos jamais se percam pelo triste caminho de busca do que não lhes pertence. Em nossa Doutrina cada um tem uma função específica, já traçada no Plano Espiritual. Se não houvesse estas divisões de “tarefas”, imagem o quê os vaidosos não fariam para “querer ser tudo”?

Amanhã completamos o comentário sobre Cautanenses e descreverei Vancares, da mesma maneira simples e sem mistérios.

Kazagrande

sábado, 9 de junho de 2012

IPHAN - Vale do Amanhecer

sábado, 9 de junho de 2012 - 5 Comments


Meus irmãos e irmãs, Salve Deus!

Com a colaboração do Mestre Juliano Leite, que digitalizou e postou livremente no Diário do Jaguar, disponibilizo para baixar gratuitamente o “IPHAN - Vale do Amanhecer”. Um livro atual com 280 páginas, com textos explicativos e belíssimas fotos do Vale do Amanhecer em Brasília.

Basta clicar e baixar direto! É só clicar no link e automaticamente começa baixar, sem contagem regressiva, letras de confirmação e outras dificuldades.

Um fraterno abraço e boa leitura,

Kazagrande

IPHAN - Vale do Amanhecer

Livro de Mantras


Meus irmãos e irmãs, Salve Deus!

Em mais uma colaboração do Mestre Ayrton Moussalllen, que digitou e formatou, disponibilizo para baixar gratuitamente o “Livro de Hinos e Mantras do Vale do Amanhecer”.

Basta clicar e baixar direto! É só clicar no link e automaticamente começa baixar, sem contagem regressiva, letras de confirmação e outras dificuldades.

Um fraterno abraço, 

Kazagrande

Livro de Mantras

terça-feira, 5 de junho de 2012

Sintonia 1 - Apará

terça-feira, 5 de junho de 2012 - 2 Comments


Para haver incorporação fiel é imprescindível que se estabeleça a sintonia da mente do médium com a mente do espírito. O mecanismo das comunicações espirituais é regido de acordo com o tipo de mediunidade e o estado psíquico dos agentes - ativo e passivo - valores espirituais, etc.

Estabelecida a sintonia entre entidade e médium, o pensamento do primeiro se exterioriza através do campo físico do segundo, em forma de mensagens e manipulação. Na incorporação, o Apará cede o corpo à entidade, mas, de acordo com os seus próprios recursos, pode comandar a comunicação, fiscalizando os pensamentos, disciplinando os gestos e controlando o vocabulário do Espírito.

O pensamento do Espírito, antes de chegar ao cérebro físico do médium, passa pela consciência espiritual, com isso pode, pela sua consciência Iniciática, fazer ou não fazer o que a entidade pretende.

Sintonia é entendimento, harmonia, compreensão, ressonância ou equivalência. Portanto, na incorporação, é um fenômeno de harmonia psíquica, funcionando naturalmente, a base de vibrações. Duas entidades, o encarnado e o espírito, estarão com as mentes perfeitamente entrosadas, formando uma ponte magnética a vinculá-las, imantando-as profundamente. Estarão vibrando na mesma faixa, intimamente associadas.

Observem o grande amor e desprendimento de nossos Mentores ao se disporem a realizar a caridade! São espíritos de Luz, vibram em um padrão muito, mas muito mais elevado que o nosso. E se revestem de uma roupagem simples, como a de um Preto Velho, para “densificar” sua Luz, para terem condições de serem compreendidos e para vibrarem na mesma faixa de um encarnado.

Nas incorporações de sofredores é triste quando um Apará se deixa sugestionar, permitindo que extravasem seus desequilíbrios, entrando em um padrão mais baixo. Isso normalmente acontece quando o médium desconsidera sua grande responsabilidade na incorporação.

Controlar as manifestações mediúnicas, evitando, sempre que possível, respirações ofegantes, gemidos, gritos e contorções, batimento de mãos e pés ou gestos desafiadores. É normal “sentir vontade” de fazer tudo isso, pois é a expressão do sofrimento do irmãozinho, mas cabe ao Apará se opor a estas sugestões, moderando com sua consciência.

Na Mesa, ou nos Tronos, como um irmãozinho poderia aproveitar melhor a Doutrina e a energia empregada pelo Doutrinador? Através de um Médium com quem se identifica e dá vazão aos desequilíbrios, ou através de um médium que naturalmente irradia vibrações de paz e harmonia, auxiliando o Doutrinador a envolvê-lo com Luz e energia?

Praticamos a Cura desobsessiva, não é? A desobsessão é obra de reequilíbrio, refazimento, nunca de agitação e teatralidade.
Claro que existem situações difíceis de controlar, o Apará não é uma máquina, é um humano carregado de todas as emoções, e estas emoções as vezes encontram identificação com as do sofredor. Mas cabe o alerta! Tem que estar bem, pronto para o trabalho! Pois se colocou o uniforme está para servir, para praticar a caridade, e ninguém pode dar o que não tem.

A Mesa Evangélica é para a passagem de espíritos recém-desencarnados que necessitam de uma energia magnética animal para seguir viagem. São trazidos pelos seus Mentores, recebem um esclarecimento, a energia e seguem!

Mesas Especiais, para Centuriões, o Trino Araken realizava pelas condições que lhe foram confiadas.

Fazer uma “puxada”, em um dia de Retiro, sob total responsabilidade do Presidente e do Comandante, pode até acontecer.

Mas no “dia a dia”, a Mesa não pode ser uma fonte de desequilíbrio e desarmonia.

Ficamos com esta pequena introdução, ainda teremos que aprofundar sobre a Mesa e chegar aos Tronos, e abordar a sintonia do Doutrinador.

Kazagrande

Texto baseado no texto enviado pelo Mestre Jorge Gouvêa.
“A mente permanece na base de todos os fenômenos mediúnicos”.
“Em mediunidade não podemos descuidar do problema da sintonia”.

Pérolas para baixar


OUTRAS OPÇÕES PARA BAIXAR O LIVRO PÉROLAS DE PAI JOÃO   

Meus irmãos e irmãs, Salve Deus!

Alertado pelo Mestre Cristiano Patrício, de Portugal, soube que agora o 4Shared, onde deixei o livro para baixar, pede que o usuário se cadastre para poder baixar. Considerando que isso pode gerar dificuldades, o próprio Mestre Cristiano forneceu um novo link, muito mais simples de baixar.


Também aproveitei e disponibilizei em outros sites para facilitar. Os links abaixo também dão acesso, mas o postado pelo Mestre Cristiano me pareceu o mais simples e eficiente de todos.




Obrigado de coração meu irmão, por fazer parte desta pequena jornada auxiliando a todos!

Um fraterno abraço,

Kazagrande

LIVRO PARA BAIXAR GRÁTIS

Humildemente, mas com grande alegria, apresento a todos o livro “Pérolas de Pai João”.

Considerando este livro como obra mediúnica (de diversos médiuns), todos os textos aqui presentes trazem a marca de uma autoria espiritual, da qual sou apenas um mero agente físico. Os textos de autoria de Tia Neiva igualmente pertencem à Doutrina do Amanhecer, como todos os direitos sobre este livro.

Kazagrande
Para baixar clique no link abaixo:


Ao abrir a página clique em “Baixar Agora” (um botão azul, não clique no botão verde: “Download”);

Irá abrir uma contagem regressiva de 20 segundos;

Espere a contagem chegar a zero, quando isso acontecer aparecerá logo acima um link “Baixar o arquivo agora”.

Pronto! Sem qualquer custo.

Caso ainda tenha dificuldade, pode solicitar por e-mail, que enviarei diretamente para você.

Um Fraterno Abraço,
Kazagrande

Índice – Pérolas de Pai João

Alguns dos textos já foram publicados no Exílio do Jaguar, porém outros seguem inéditos. Este livro foi dividido em capítulos, a saber:

Textos Introdutórios – Textos pessoais que relatam a presença de Pai João em minha vida.

Histórias – Relatos em forma de crônicas de narrativas de Pai João de Enoque.

Pérolas – Mensagens de Pai João.

Atendimento – Passagens de atendimentos relatadas de forma a impossibilitar a identificação dos interlocutores.

Pretos Velhos – Mensagens, histórias e atendimentos de outros Pretos Velhos.

A Cachoeira do Jaguar – Texto.

Índice

Contatos
Esclarecimento Inicial
Participaram deste livro
Agradecimentos
Demais Esclarecimentos
Prefácio
Dedicatória
Prólogo

Textos Introdutórios
O Início
O Encontro
Seguindo com Pai João
Parando para agradecer
O Terço de Pai João

Histórias
O Pastor e Pai João de Enoque
O Líder Espiritual
O livro ponto
A Lojinha
O Para-brisas
Exemplo de Tia Neiva
A Vida em um Cemitério
Mãe Tildes
A Passagem no Império Romano

Pérolas
Paciência
Mensagem ao Jaguar Exilado
Adjunto de Jurema
Quando chegam melhores que nós
A vida é amor
Resistindo às mudanças
Reprimendas
Aprendendo a falar menos
Pecado
Páscoa 2012
Pobre Imperador
Pai João é Razão
Dor e Bom Senso
Respeito às Ninfas
Castelo de Autorização
Capa do Livro de Autorizações
Julgamentos
Erros Mediúnicos
Conduta Doutrinária
Primeiro de Maio
Importância da Oração
Natal
Vida Nova
Experiência
Sintonia
Profecias
Com o Ministro Ypuena

Atendimentos
Disputas no Vale
Reclamando da Vida
Críticas
Pai João e o Primeiro de Maio de 2011
Órfãos
Aceitação
No Evangelho
Quero ir embora
Sou Jaguar?
Consagrado por acaso
Conduta do Ajanã
Médium ou Paciente?
Fé e Força
Sou Arcano?
Vergonha da Verdade
Aborto
Pai João e o Presidente de Templo
Auxílio de Preto Velho
Ajanã bebendo
Deixa-me ir embora
Quem está perdendo?
Só de Passagem

Pretos Velhos
Doutrinando o Adjunto
História de Severino – Pai Joaquim
Reajuste injusto?
Sem Vidência!
Um Jaguar no Inferno
Tolerância de Preto Velho
Pedro e Nilce
As Pérolas de um Preto Velho
Perdas
Agitação e ansiedade
Posses
Pai Joaquim das Cachoeiras
As Lágrimas de Pai Zé Pedro

A Cachoeira do Jaguar

RECEBA POR EMAIL

Inscreva seu e-mail e receba todas as publicações do EXÍLIO DO JAGUAR !!!

© 2013 O Exílio do Jaguar. All rights reserved.
Designed by SpicyTricks