domingo, 2 de setembro de 2012

Visitas Inesperadas


Minha casa vive cheia de gente procurando conselhos e trazendo suas mazelas, o quê devo fazer? (pergunta de um médium)

Salve Deus!

Sua vida não é diferente da vida de outros missionários verdadeiros. Estes, são um foco de luz que atrai as mariposas perdidas em busca do calor e da claridade que emitem.

Em nossa jornada encontramos diversas pessoas: muitas nos são verdadeiramente encaminhadas pelos Mentores, deles ou nossos; outras nos verdadeiramente confiadas; e há ainda aqueles que estão marcados para passarem por nossas vidas. Não temos como identificar cada caso e nossa missão é receber os que nos procuram. Se chegam até nós, devemos crer que existe um motivo e que teremos a necessária proteção e intuição de nossos Mentores.

Obviamente não podemos desenvolver a “síndrome de salvador da pátria” e querer consertar a vida de todo mundo. Muito menos sair “procurando problemas” e oferecendo ajuda.

Nossa missão, quando procurados fora das linhas do Templo, se restringe a escutar, e sentindo a intuição e assistência espiritual, aconselhar, sempre dentro de nossa fé e, principalmente, sem se envolver!

Não envolver-se é a chave! Não importa se são nossos amigos, vizinhos ou mesmo familiares, no momento em que nos mediunizamos, todos passam a ser pacientes.

Receber gente em casa é bastante complicado, pois nunca sabemos quais as energias que a pessoa está carregando e se estas energias não irão encontrar acesso em nós mesmos.

Eu e minha esposa também temos o dom de “fazer os outros desabafarem”, colocarem para fora não apenas as angústias, mas também as energias que lhes estão fazendo mal. Já passamos por diversos problemas por acabar carregando o que não nos pertence, afinal, na Espiritualidade, impera a Lei da Razão, e se nos envolvemos ou “nos metemos” aonde não fomos chamados, passaremos a ter uma parcela de responsabilidade.

Temos que aprender a ouvir sem nos envolver. Igual a uma incorporação: na hora você está consciente, mas depois... tudo vai se apagando.

Receber pacientes em casa: Quer um conselho pessoal? Evite o máximo! Até hoje recebo quem chega “de paraquedas” (sem avisar), no portão, e somente se a intuição mandar, é que convido para entrar! Temos nossas vidas sociais, compromissos, família e trabalho. Antes de permitir a entrada, um bom conselho e um convite para conversarmos no Templo, é sempre possível! Com carinho, respeito, atenção e dizendo que “sim, precisamos conversar, vamos marcar no Templo, tenho um compromisso agora”, soluciona a maioria dos casos e ainda encaminha de forma segura a energia ao lugar correto (Templo).

Devido à dificuldade de estar sempre no Templo (distância, horários irregulares dos trabalhos e outros fatores...), tenho uma noite da semana que reservo para conversas doutrinárias. Quem deseja ir a minha casa falar de Doutrina ou de problemas pessoais, eu peço para vir tal dia e hora. Coloco as cadeiras e uma mesinha lá fora, perto do portão de entrada e passo a noite conversando. Instituí um “dia de doutrina”, melhor, uma noite... rsrsrs Assim o povo se disciplina a vir quando sabe que estou justamente para recebe-los. O ideal é que este dia fosse ainda dentro do Templo, mas a distância impediria a maioria de chegar!

Obviamente cada caso é um caso, e cada missão é uma missão. Não posso dizer que faça o quê eu fiz, apenas lhe passo a experiência vivida e a maneira como particularmente controlamos este caso da “procura”, que tanto problemas nos trouxeram no passado.

Kazagrande

1 comentários:

No universo tudo é energia em movimento...
Cada ser humano possui a capacidade de se vencer!

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.