segunda-feira, 7 de novembro de 2011

A IMPORTÂNCIA DA HIERARQUIA


Texto do Mestre Lua - Anderson Augusto

Se nos ativermos à questão liberdade, poderemos até nos confundir e acreditar que a hierarquia seja algum tipo de quebra da igualdade. Em verdade, devido à natureza humana de, normalmente, seguir somente aquilo que acredita em atendimentos aos desejos individuais, as instituições para que sejam duráveis ou executem suas funções com o menor nível de falhas, precisam de uma contenção hierárquica, pelo menos enquanto perdurar neste plano terrestre o quantum maior de individualismo.

Nos planos superiores, a hierarquia é naturalmente conduzida pela aproximação das consciências na participação no Todo, ou todos trabalhando para todos, ainda mantendo suas individualidades, mas com objetivos comuns e essencialmente participantes do plano geral de evolução. Deste feito, são como o brilho maior que alcançam, por entregaram-se em doação de vida, algo muito distante à compreensão ao viajante no mundo de provas.

Acima de tudo, hierarquia é responsabilidade. Não são títulos concedidos, como na Idade Média, em que Reis, Condes, Duques, etc, mostravam-se imponentes e portadores da “verdade” diante dos plebeus, divulgando seus nomes acompanhados de suas aquisições, pela prata, pelo ouro e ainda por muitas disputas e intrigas. O ego buscará sempre se alimentar das consagrações, sendo o tentador do Ser, quando se esforçará em apresentar todas as suas “qualidades” ou títulos aos possíveis “aprendizes”. Mas isto é apenas uma ilusão para o espírito, o qual usará o seu livre arbítrio, vibrando na vaidade ou escolhendo a simplicidade das forças.as de Cristo Jesus.


Espíritos de “alta hierarquia” são apenas aqueles que se aproximaram mais de Deus, enxergando-se como fractais que são e portadores das energias transformadoras da igualdade. Já não se deixam levar pelo “bem” ou pelo “mal”, adquiriram um posicionamento distante à compreensão humana, porém, revestem-se da humildade, pois não acreditam mais na inferioridade de formas.

Qualquer agrupamento ou reunião de trabalhadores será melhor direcionada às suas funções quando houver aqueles dispostos a emanarem suas forças em momentos mesmo que boa parte preferirá estar agindo em causa própria. A esses condutores, tantas vezes, sem horários certos de finalização de suas jornadas e até mesmo deixando suas vontades pessoais de lado, são entregues os “títulos” ou consagrações de representantes dos missionários da Nova Era. Buscar tais consagrações apenas para os desfiles diante dos “plebeus” é uma grande porta que se abre para o desequilíbrio, pois a personalidade não consegue sustentar o compromisso da energia que chega para uma causa maior.

Então, qual a obrigação de exercer a hierarquia, após uma consagração? Nenhuma. Cada um é dono do seu trabalho e compromisso. A maior ‘obrigação’ seria entendermos e através da compreensão buscar o respeito dentro de nós àqueles que se dedicam em esforço contínuo as suas árduas tarefas de gerência e organização dos trabalhos de seres, tantas vezes, pouco tolerantes, apressados, desconfiados ou prontos ao combate fútil. Nosso trabalho interior do respeito não deixará qualquer propensão de ignorância espiritual atingir aos irmãos que comandam.

Por isto, a hierarquia, para que os olhos humanos possam ter um norte à pronta recondução de possíveis pensamentos desagregadores e tenham alguém pronto à preparação e alinhamento dos rituais de forças. Isto para quem está de ‘fora’. A quem recebe, conduz, se responsabiliza é algo que somente a própria sintonia pode encontrar voz além do som distinguível pelo corpo físico terreno.

Muitos de nós executaremos melhor nosso trabalho quando percebermos o alto nível de comprometimento daqueles que se propõem a seguirem à frente. Não há presentes e sim merecimento dos que ergueram suas missões acima de propostas diversas de castelos de areia, e agora precisam sublimar, na verdadeira simplicidade do Caminheiro, as suas heranças transcendentais.

Graças a Deus temos a hierarquia, ser o menor ainda é uma oportunidade. Mas sempre, podemos acessar a igualdade, ainda na diferença, pois somos a força que a força já contempla.

Salve Deus!

Anderson Augusto
Mestre Lua

3 comentários:

Salve Deus Mestre!
Gostaria de lembrar também que a quem muito é dado muito é cobrado.
Se Deus deu a mediunidade para uma pessoa que tem habilidades de comando é por que esta pessoa é a mais indicada para aquela funçao.
Se o espirito possui dividas enormes e varias encarnações falidas Deus nao recusará o remedio adequado mesmo que este espirito tenha vindo diretamente dos umbrais.
Se um comandante tem missão com seus comandados para salvaar a si proprio pagando suas dividas naquela coletividade, sendo nós seus antigos inimigos, certamente havera uma antipatia natural e uma vibraçao inconsciente.
Entao antes de condenarmos nossos irmaos hierarquicamente "superiores" ou "inferiores" buscando "achar defeitos" que certamente serão encontrados, vamos compreender esta condiçao e ajudá-lo com compreensao e amor incondicional mesmo que o caminho dele esteja errado no nosso ponto de vista ou no ponto de vista da maioria, vamos nos curar primeiro e assim apoiar nosso "provável devedor" mas principalmente nosso irmão para que ele consiga saldar as dividas que possui, pois ajudando a ele, estaremos mais ainda ajudando a nós mesmos.
Enfim, todos nós podemos fazer nossa parte, você se sente desanimado,irritado,iludido ou chateado com algum mestre na hierarquia acima ou abaixo da sua? busque mentalizar esta pessoa, mentalize ela sendo emanada de energias partindo de Jesus, Pai seta branca e Mae yara nas cores branco, lilas-amarelo com a nossa fita, e por fim o rosa que significa pureza, cura ,sabedoria e amor, se possivel faça uma prece por ela e veja os resultados quando puder se encontrar com estas pessoas.
Um abraço
Salve Deus

Adj. Aranto

Pagará um preço ALTÍSSIMO(sic) aquele que desrespeitar a hierarquia. Pai João Enoque.

Até mesmo os animais têm e respeitam a hierarquia que é um fator de primordial importância, em todo sistema organizado, eis que, mecanismo essencial à funcionalidade e eficiência.
O Jaguar que não a respeita é apenas um infeliz, pois se não a respeita na doutrina, é obrigado a obedecê-la no emprego, e certamente, não abre mão da sua autoridade em casa, ou seja, impõe o respeito à hierarquia e à sua figura de patriarca mas não a aceita no sistema doutrinário. Salve Deus! Cego e surdo!

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.