quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Qual Ditador queremos derrubar?


Texto do Mestre Lua Anderson Augusto

Recentemente, os acontecimentos no Norte da África, no país conhecido como Líbia, têm-nos chamado a atenção. Há notícias de um povo reprimido, sob uma ditadura, que finalmente agora pode ‘conquistar’ a sua liberdade. Será?

“As pessoas com as quais nascemos e vivemos na Terra são os primeiros e mais importantes instrumentos que recebemos do Pai, para a edificação do Reino do Céu em nós mesmos. Quando falhamos no aproveitamento deles, que constituem elementos de nossa melhoria, é quase impossível triunfar com recursos alheios, porque o Pai nos concede os problemas da vida, de acordo com a nossa capacidade de lhes dar solução.” (Livro Jesus no Lar, de Chico Xavier).

Todos os acontecimentos são a força de Deus, disto não podemos nos enganar. Mas se vibrarmos a desfavor de qualquer ser vivente, mesmo sendo considerado um ditador, o que em nós haveria de diferente do mesmo?

O que consideramos Pátria, de certo modo, é um tipo de família onde são agrupados espíritos que precisam trabalhar uma especificidade do egoísmo ainda presente em suas consciências. Então, cada povo tem o governo que merece. No Brasil, o “levar vantagem” é patente e de conhecimento comum, mas quando aos poucos vamos observando que ao levarmos vantagem, vibrando nisto, outro poderá estar perdendo e consequentemente sofrendo, assim começamos a desvendar o equilíbrio do Universo.

Os ditadores, autoritários, despóticos ou outros personagens de características de mando não se fortificam e se mantêm à frente por uma questão de sorte, ou de conquista própria ou por comodismo de alguns que não ‘lutam’; são eles tão somente os representantes das consciências que o elevam por trazerem em si, mesmo que não declarados, os mesmos traços da vontade de dominação ou do ganho individual. Assim, Deus, em sua infinita sabedoria, reúne a todos.

Mahatma Gandhi já dizia: “Seja a mudança que você quer ver no mundo.”

Sejamos então o despertar desta mudança, não buscando os problemas no outro, mas olhando primeiramente dentro de nós, no ditador que pode estar planejando chegar ao poder em nós, vibrando numa atitude de dominação. O verdadeiro senhor é aquele que domina a si próprio.

O mais fácil é acompanhar as reportagens, reunir-se em grupos e falar mal de quem encontrou um desfecho cármico tido como desfavorável ou julgado "merecido", mas isto até o pagãos fazem. Cristo Jesus não fugiu da cruz, foi sim, de encontro à mesma. Depreciar o mais "errado" do seres é fortificar o próprio ego, é ver-se melhor que a imagem ilusória que alimenta o caminho do afastamento da unicidade.

O Governo externo, de um país, com suas leis e características, este é o necessário para que cada um busque a sua trajetória para a consecução do brilho interior. Culpar, demonstrar, atingir, isto até os pagãos fazem. A verdadeira coragem é como o Apóstolo Paulo nos demonstrou, que mesmo encarcerado, viu ali uma possibilidade de aumentar a fé daqueles que o viam na firmeza do caminhar Crístico. Podemos até sentir medo de perder alguma liberdade, mas de que adiantaria ganhar o mundo a troco de uma luz que se apaga?

O homem, construído de tanto conhecimento, mas quase sempre desprovido de sabedoria, ainda crê controlar os acontecimentos do mundo. O menor dos servos não pode se considerar o maior dos homens, mesmo exercendo funções ou cargos de liderança. Muito deste aprendizado poderia ter sido colhido no período da Revolução Francesa, mas pela não obrigação do entendimento, as histórias se repetem.

A revolta é só um sintoma, e acreditar que a sua execução soluciona outros sintomas, como a violência, é uma descaracterização da simplicidade do âmago de cada um. São mesmas faces de uma moeda sem valor ... O Mestre Jesus não se revoltou contra as prostitutas, juízes ou cobradores de impostos, pois sabia a função de cada um no plano universal de evolução e não via erro neles como a maioria na época vislumbrava. Outros estereótipos de possíveis causadores do “mal” continuarão a surgir, desde que haja a força vibracional que os sustentem, não pela culpa e sim pela falta do perdão.

Afinal, qual ditador queremos derrubar?

Salve Deus!
Anderson Augusto
Mestre Lua

2 comentários:

Mensagem transformadora!!
Quem não tem pecado que atire a primeira pedra...
Salve Deus!!

Salve Deus, mestre acredito de verdade que cada um tem o governo que merece, pedimos a Deus Pai Todo Poderoso, a oportunidade da reencarnação para reparar nossos erros. E nascemos exatamente onde precisamos corrigir os erros cometidos no passado, no país onde vamos ter a oportunidade de encontrar os que não soubemos amar os que não perdoamos. E toda situação difícil que encontramos ao nosso redor como governantes ruins, vizinhos maus humorados, etc. são as pedrinhas colocadas em nosso caminho, testando a nossa tolerância e o nosso propósito em cumprir o prometemos a para Deus Pai Todo Poderoso. Nós seres humanos, só buscamos estar conectados, rezando e fazendo caridade quando estamos em uma situação ruim, quando temos algum problemão, ou algum problema de difícil solução. Quando estamos bem esquecemos, de nos colocar a disposição para fazer caridade. A dificuldade por viver uma repressão, ou viver em um país com péssimos governantes, seja a causa para estarmos sempre conectados a Deus Pai Todo Poderoso.
Por Ninfa Lua.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.