sexta-feira, 28 de agosto de 2015

OS FARÓIS DA MESA EVANGÉLICA


Meus irmãos e irmãs, já comentamos aqui, que a Mesa Evangélica recebe primordialmente irmãozinhos recém-desencarnados, trazidos por seus Mentores, para receber uma “dose” de fluído magnético que lhes permite facilitar sua partida para o Canal Vermelho.

Tendo este conhecimento, creio que já podemos visualizar a importância do total silêncio e respeito que deve imperar neste Setor de Trabalho. Sim, o Setor da Mesa Evangélica do Templo deve ser um local onde a mais perfeita sintonia deve se fazer presente e o médium tem a consciência de que não comporta conversas desnecessárias.

Aprofundando um pouco mais este assunto, chegamos a uma posição, dentro deste nobre trabalho, que poucas vezes se valoriza: O Farol!

O Doutrinador que ocupa esta posição necessita estar o mais harmonizado possível, pois a sua harmonia irá levar a luz do trabalho, fazendo com que seja sentida em distancias que nossas mentes humanas não conseguem imaginar.

O Farol trabalha em silêncio, em total sintonia com seus Mentores, e não deve conversar, mesmo que o trabalho de incorporações não esteja acontecendo. Creio que muitos não compreenderam ainda que o Farol está “em Trabalho” independente do funcionamento da Mesa ou não! E mais do que isso, que o Trabalho de todo o Templo está interligado a sua presença ali!

Concentrado, com as mãos sobre a Mesa, o Farol emite Luz para todo o Templo, tornando-se um verdadeiro sustentáculo para a Corrente Mestre. Para que tenham a idéia da importância desta realização, um farol desarmonizado, irritado pela demora na substituição, batendo papo, ou ainda com necessidades físicas, coloca em risco a harmonia de todo o Templo! Farol substituído, luz renovada.

É possível verificar que com a substituição correta dos faróis, respeitando os 20 minutos de permanência, uma nova onda de harmonia desce sobre pacientes e médiuns.

Manter-se no farol deve ser considerada uma grande oportunidade, de vibrar em favor de todos os trabalhos e mesmo de mentalizar em prol de sua jornada. Quem dera em nossas vidas diárias tivéssemos 20 minutos para poder parar tudo e reordenar nossos pensamentos!

Jamais se pode considerar o Farol como um sacrifício a ser cumprido! É uma missão, e das mais grandiosas.

Por isso o grande alerta aos responsáveis pelo setor: Nunca deixem um farol em desarmonia, auxiliem a evitar que existam conversas, procure os novos substitutos assim que colocar os novos. Pois o grande medo dos médiuns é ser “esquecido” no Farol... Este esquecimento prejudica a todos! Ao médium, que se desarmoniza, ao comandante, que é vibrado a partir de um ponto chave do Templo, e ao próprio Templo, que recebe a projeção da desarmonia do Médium.

Tudo nos foi trazido dos Planos Espirituais por uma Clarividente! Por isso, todas as posições tem um porquê fundamental nos Trabalhos. Lembremos sempre: O quê provêm da Luz, jamais é inútil.

Kazagrande
(Texto baseado nos escritos do Mestre Paulo Mairink)

14 comentários:

Aproveito o ensejo e levanto uma questão pertinente ao texto:

No ato de abertura dos trabalhos oficiais, no momento em que o 1º Orixá do radar daquele dia aplicando a Lei contida no Livro de Leis... diz:

TODOS DE PÉ PARA EMITIRMOS EM CONJUNTO O HINO OFICIAL DESTE AMANHECER...

Coloco aqui o meu ponto de vista para servir de fonte de pesquisa e análise por vossa parte irmão Kazagrande.

- Em primeiro lugar entendo que ao estar contido na Lei a palavra TODOS, deveria-se incluir-se também os mestres sentados nos faróis;

- Em segundo lugar entendo que o Mestre bem harmonizado com sua função no faról é por sí somente a LUZ necessária a sua funcionalidade como prevista no texto do Mestre Paulo Mairink;

- Por último entendo que não é o fato de o Mestre estar sentado que faz funcionar a LUZ, mas a prática de estar sentado se dá para que o mesmo tenha toda a condição de conforto durante os momentos de mediunização que lá estiver desenvolmendo em favor da Corrente Mestra.

De fato, eu acredito firmemente que os faróis nesta ocasião do HINO OFICIAL (igualmente feito quando nos deparamos com o HINO NACIONAL), quando nos colocamos de pé TODOS em respeito ao seu simbolismo!

Apesar de minhas convicções acima, eu mesmo por poucas vezes testei o ficar de pé e poucas vezes fui seguido..., desde então me coloquei na prática dos demais evitando vibrações indesejadas por parte daqueles que por ventura descordariam do meu singelo ponto de vista.

Fica aí o questionamento sem qualquer pretensão de testar conhecimentos, mas motivando-nos a sempre pensar, analisar e concluir sobre toda e qualquer prática em nossa doutrina.

Forte abraço,

Adj. Numanto, Mestre Juliano

Mestre Kasagrnde, quem lê a obra indicada pelo mestre hoje ( Um Roqueiro do Além ), não terá coragem de brincar ou sair da sintonia em uma mesa evangélica. Se nossos irmãozinhos que usam drogas em sua passagem aqui na terra e prejudicaram somente a si mesmos vão para um lugar horrível e i sofrem e imploraram por uma simples oração que vem dos encarnados, pois, assim eles encontram um pouco de e alivio . Salve Deus qual devem ser o sofrimento dos que fizeram maldades com outros seres humanos, e qual terrível e o lugar aonde vão paga por seus erros. Salve Deus hoje vi qual grande é a responsabilidade de um médium ,apara ou doutrinador , no trabalho de mesa evangélica.

CARO IRMÃO KAZAGRANDE. QUANDO É CANTADO O HINO OFICIAL DO AMANHECER, É NECESSÁRIO QUE TODOS OS MÉDIOS ALÉM DE FICAREM EM PÉ, E PRECISO QUE FIQUEM TODOS COM OS BRAÇOS LEVANTADOS EM POSIÇÃO DE ANTENAS.

hbcred_01@hotmail.com

Disse Allan Kardec: "Para bem saber uma coisa, antes é preciso tudo ler, entender, saber os pros e contras, depois emitir a sua opinião".

Façamos isso, antes de falar, falar, falar.....sem causa e conhecimento.

Salve Deus!
Jaguar Petrônio/Nerano do Amanhecer

quem se esconde para nao ir pro farou nao sabe aoportunidade que estar perdendo!

eu estou esperando uma resposta adj numare

Estimado irmão, Adjunto Numarê,
Recebi seu e-mail e assim que retornar das férias estarei respondendo todos os emails atrasados. Infelizmente a internet na viagem está sendo complicada.
UM fraterno abraço,
Kazagrande

Salve Deus!!
Eu gostaria de dizer 2 coisinhas:
A 1ª) Não sei nos outros templos do amanhecer, mas aqui no templo mãe eu sempre, nestes meus 14 anos de doutrina, vi os mestres faróis da mesa evangélica de pé ao se imantrar o hino oficial do amanhecer.
A 2ª) Não existe esse negócio de levantar os braços em forma de antenas ao se imantrar o hino oficial da doutrina, no começo, quando era iniciado o mantra na troca de ninfas no dia da Bênção de Pai Seta Branca todos ficavam de pé e com os braços para trás, como que em posição de respeito, mas aí é que está a questão, sempre tem aquele que começa a fazer alguma coisa diferente e todo mundo começa a copiar, então uma ninfa que tinha essa mania de erguer os braços na hora da troca das ninfas da cultura, começou a levantar os braços e muitos começaram a copiar ela, foi mais uma moda que se inventou, é igual as ninfas sol fazerem limpeza no ajanã incorporado com seu médico de cura no randy, isso NÃO EXISTE e já foi desmentido pelo mestre Manoel Leite, responsável pelo randy na época da Tia Neiva...

todos saben a inportansia dos mantras porque não e falado em aulas

por que se diz que não pode encorporar ministro sem cultura de ajanã ou não pode fazer um sanday de tronos sem cultura?acho que um ministro independente de quem for pode encorporar até mesmo no seu primeiro dia de desenvolvimento basta ele vir....por que então para encorporar um ministro preciso de fazer cultura?ese em um templo não houver ninguém com cultura deixaremos de realizar um sanday?disseram-me uma vez no vale.Meu irmão conhecemos ajanãs que tem cultura só de olhar pra ele....o mais engraçado que todos eles não foram os menores dos servos e sempre nos corrigem esquecendo (eu vim para ensinar e não para corrigir),na maioria das vezes consentido pelos próprios adjuntos das casas e assim como servos aceitamos ...se um advogado ou um médico estiverem vestidos com trapos alguém reconheceria qual a profissão deles?será que um ajanã verdadeiro precisa de um curso?ou uma boa conduta?sei que conhecimento é bom ,muito melhor quando praticado.Mas muitos doutores sem estudo existem nese universo,e muitos arruinados por ai cursados e concursados ,essa éa lei da vida ....SALVE DEUS

Caros irmãos do amanhecer, Salve Deus a todos!
Temos a ciência e a fé. Tudo tem sua razão de ser.
Analisando a questão levantada pelo irmão acima pude ao meu modo entender o por quê é necessário ter cultura para se incorporar um ministro.
Imaginemos um fio fino ligado numa alta tensão. Lá existe uma alta energia e é necessário um fio mais forte para que a energia flua através dele sem o desgastar.
Assim com um espírito de alta hierarquia, quanto mais alta mais luz, mais energia emanada por ele. Em cada consagração recebemos um reforço a mais em nossos chakras e plexo. Um ajanã sem cultura não está com seus chakras e plexos preparados para canalizar essa luz emanada pelo mentor. è como se fosse uma voltagem que ele não suporta. Seria um sacrifício fazer com que o ministro baixasse um pouco suas vibrações para serem compativeis com o ajanã. Por isso existe regras a serem seguidas para que não cause uma desordem e incompatibilidades.

um abraço a todos elielbertcs@gmail.com

O MINISTRO
sábado, 7 de abril de 2012

Quem é um Ministro?

O Ministro é uma Entidade de altíssima hierarquia, cuja assistência foi conquistada para nós, por Tia Neiva, ao recebermos a Consagração de Adjunto Koatay 108.

Diferente dos nossos mentores na linha dos Pretos Velhos ou Princesas, que atuam nos acompanhando em todos os momentos, o Ministro atua pela Lei Maior da Razão. Atende ao seu chamado de acordo com sua real sintonia.

Ao fazer uma prece, uma harmonização e sua emissão, você realmente tem que estar totalmente mediunizado, em total harmonia e devidamente concentrado na necessidade das forças que pode receber, para manipular em favor do próximo, ou até mesmo em seu favor. Somente atingindo este estado de concentração praticamente impecável, é que se “chega” até o Ministro!

Dispomos de nossas forças, alcançamos nosso Cavaleiro quando emitimos com – 0 –, recebemos a assistência de nossa Princesa, ou do Preto Velho, mas com o Ministro a conversa é diferente! Tem que merecer chegar até ele! Estar realmente em condições de ser recebido para dispor das forças que ele pode lhe enviar.

O próprio nome já diz “ministro”. Imagine o quanto de respaldo você necessita para poder chegar a falar com um Ministro do Governo, por exemplo!

Como Jaguares, Centuriões, médiuns preparados, temos todo o gabarito necessário que nos habilita chegar até esta Entidade, porém, existe um protocolo a ser atendido. Tem que ter um forte motivo e estar realmente em condições de “falar” com ele.

Ao realizar um trabalho onde se necessita da força decrescente do Ministro, tudo está em suas mãos! Mas sem sintonia, sem concentração, sem mediunização, não vai chegar até lá!

Ao receber a Consagração, onde se adquire o direto de invocar o Ministro pelo nome, e mais do que isso, de emitir como Adjunto usando o nome de seu Ministro, o mestre tem que estar consciente do tamanho desta responsabilidade! É preferível esperar para receber esta grandeza, do que ir em busca não estando apto a manipular.

Como já escrevi anteriormente: A Lei do Ministro é a Razão! Ele não tem tempo para perder com você! Tia Neiva, como Koatay 108, obteve este mérito para nós, agora somos nós que temos por fazer merecer, por avinhar esta Consagração valiosíssima.

Basta que você deixe de emitir, para que seu Ministro se afaste! Mesmo sem se afastar da Doutrina, se deixamos de lado nossa emissão e os trabalhos onde é necessária aquela força, não há porque o Ministro permanecer de honra e guarda de um Mestre que não utiliza o quê lhe é dado para dispor.

Ao retomar seus trabalhos, sua emissão, estando verdadeiramente consciente da necessidade destas energias, outro Ministro lhe é designado, usando a mesma roupagem e nome, pois o primeiro que recebeu já está acompanhado outro que verdadeiramente está necessitando e merecendo.

Não tem nenhuma outra conseqüência grave. Apenas perdemos um valioso tempo, que teremos que recuperar e fazer por merecer a nova assistência, sabendo conservar e respeitar toda grandeza depositada em nossas mãos.

Mestre, e as Ninfas? Não tem Ministro?

O Ministro que rege a Ninfa é o Ministro do seu Mestre! É a ele que ela se refere ao emitir “levando os poderes de seu mestre”. Muitas vezes é a Ninfa que mantém o Ministro “original” próximo do Mestre que recebeu a Consagração, evitando, por sua dedicação e amor, que ele se afaste.

As Princesas de Falange Missionária estão no patamar hierárquico correspondente a um Ministro.

Kazagrande

O teu sacerdócio é o teu Oráculo! Quando você entra para um Adjunto, você deposita sua herança transcendental nas mãos de um Ministro, que passa a lhe reger. Não deve ser tão fácil você tomar daquele Ministro o que você depositou e dar a outro Ministro. Alguma coisa não fica boa naquela contagem. O Ministro gastou muito com você ou você gastou muito, confiado no seu Ministro. Você se esquece. Porém, o Ministro não!
Tia Neiva, em 17 de maio de 1984

Um Adjunto é um Sétimo Raio de seu Ministro.
Tia Neiva, 1º de maio de 1985

No templo Perladio do amanhecer em Campo Grande :MS .
todos seguem em pè ao emitir o mantra oficial .porque entendemos que o fisico presente faz parte do corpo mediunico

Salve Deus!!! Sinto muita tristeza quando estou em trabalho na mesa evangelica, quando, ali, chegam ninfas, que por se sentirem 'ESPECIAIS" e mandonas, tentam conversar e tirar a concentração do trabalho, aqui em Cuiaba e bem complicado

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.