sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Desencarnando


Quando um espírito desencarna ele é conduzido, pelas forças magnéticas, a um determinado lugar onde passará por um breve período de restabelecimento de suas forças magnéticas, afim de  adaptar-se às novas condições de sua atual situação, ou seja vai acumular forças e se posicionar com o corpo espiritual.

Chamamos em nossa doutrina este lugar de Pedra Branca.

Pedra Branca é um local onde estão muitos espíritos, na mesma situação de desencarnados, mas não se vêem, isolados totalmente uns dos outros pelo neutrôm, ocasionalmente ouvindo vozes, sermões e mantras, muitos sem terem consciência de seu estado de desencarnado.

Ali, o espírito tem oportunidade de fazer reflexões, avaliar sua encarnação como se, em uma tela projetada em sua mente, passasse toda a sua jornada detalhadamente. Vê as oportunidades que lhe foram dadas; as boas ou más coisas que fez; o quê havia se comprometido a fazer, antes de reencarnar, e o que cumpriu ou deixou de fazer!

Ali é que se passa a famosa história do “filme de nossa vida”. Durante aproximadamente sete dias, o espírito vive as recordações de sua passagem pelo plano físico e determina com isso sua real situação espiritual.

Não existem mais máscaras e não se pode mais fantasiar seu verdadeiro caráter. Sua aura, claramente visível, toma a cor e a forma de seus pensamentos e é o perfeito reflexo de sua jornada. O padrão vibratório determina para onde deverá seguir.

Ao terminar este curto período de absorção de energia e determinação de sua condição espiritual, o espírito é novamente conduzido ao plano etérico da Terra, onde é orientado pelo seu Mentor que deve buscar continuar seu caminho, agora, nos planos espirituais. Este momento é decisivo! Pois se o espírito aceita seguir com seu Mentor, será encaminhado, de acordo com suas condições energéticas, a um dos planos dimensionais onde tenha condição de permanecer e se instruir para preparar-se para as novas jornadas. Muitas vezes, ainda sem energias que permitam que parta, é levado para a Mesa Evangélica, e lá obtém o fluído magnético que lhe proporciona condições de partir. Por isso a Mesa Evangélica, na verdade, não é para “espíritos pesados”... Sua função principal é receber e doar esclarecimento e energia para os recém desencarnados. As Mesas “pesadas e desequilibradas” são atraídas pelos próprios médiuns.

“De fato, Tia, tentei me levantar de Pedra Branca, de onde estava, mas acredito que nem o super-homem o conseguiria.

Foi então que me passaram pela mente minhas faltas, na concentração daqueles dias. Senti imensa frustração pelo que havia feito.

Interessante, Tia, que eu não senti tanto pelo que fiz, mas, sim, pelo que deixei de fazer. Quantas pessoas a quem deixei de ajudar, e as quais desprezei!
Ia deixar, agora, a Pedra Branca, porque foram sete dias dentro de mim mesmo.”  Tia Neiva em 30 de novembro de 1975

“17 ÀS 18 HORAS - As amacês fazem, por  toda a Terra, um balé de forças, emitindo a inteligência, a religião e muita energia.

É a hora da Vida e da Morte!

Quando estamos nos planos espirituais, onde o Homem desencarnado se queixa pela falta de comunicação, de um esclarecimento de sua vida religiosa ou doutrinária, é neste horário que ele é levado à Terra, onde lhe é mostrada a grande Atalaia, onde tudo lhe é esclarecido, onde ele sabe que, por sua própria culpa, abandonou sua grande oportunidade.

A obra de Deus é perfeita e não tem mistérios nem usa subterfúgios.” Tia Neiva - Horários, 1984

Porém, se o espírito não aceita o convite de seu Mentor para que o acompanhe rumo ao novo caminho que se abre; se ele ainda se sente preso aos sentimentos físicos; se a negatividade, preocupação e remorso, o dominam; e ele insiste em ficar, em ver de imediato os familiares, em não aceitar o desencarne... Neste momento a missão do Mentor termina! Sim, ele foi designado para acompanhá-lo durante toda a sua encarnação e conduzi-lo de volta ao Plano de origem. Porém, o livre arbítrio é soberano sempre! O compromisso do Mentor acaba ali.

Este espírito, que resolve ficar na Terra, fica sujeito as suas vibrações e ao quê elas atraírem. Poderá tornar-se um peso para sua família, ou mesmo, levado pelos tristes pensamentos a regiões de muita dor e sofrimento. Criará seu inferno e sofrerá até o momento da conscientização de sua real condição. Muitos são verdadeiramente capturados e vendidos como escravos. A dor, a humilhação, a degradação nos planos inferiores é muito, mas muito superior a qualquer castigo ou condenação que ainda exista aqui no plano físico.

Já o espírito que segue seu Mentor irá passar por períodos de trabalho, estudo e reabilitação para uma nova jornada. Estes períodos podem ser maiores ou menores, e são definidos exclusivamente pelas condições vibracionais do espírito.
Kazagrande

5 comentários:

Foi muito esclaredor este texto, ainda hoje de manha no pajezinho, uma ninfa abordou duvidas a respeito deste assunto, apartir de um sonho que teve com o esposo desencarnado, a menos de 20 dias. Que em sonho contava para ela que estava muito difícil de subir, e ainda falou que eles falharam na missão, eles tinham que ter caminhado juntos na terra, e como se separaram, não cumpriram a missão. Salve Deus ainda temos muito o que aprender.

ah mestre, lendo esse texto me fez refletir, que aqui na terra temos que amar muito nossos familiares, nossos amores e tambem aqueles que se dizem nossos inimigos porque eles não tem o esclarecimento que temos, quando partimos não se tem mais lugar para o arrependimento pois e tudo razao.

Este texto nos faz refletir muito

impressionante,temos a percepção das coisas,mas não sabemos por vezes transpor para a vida pratica,porque estamos sempre a temer em errar,e heis que estes esclarecimentos nos sossegam,de tal forma,que nossa mente fica muito mais consciente.porque temos sempre e sentimos sempre uma protecção.obrigado Mestre,Muita Luz,

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.