quinta-feira, 17 de março de 2016

Opiniões Diferentes


Mesmo estando unidos sob a égide de uma mesma Doutrina com os princípios fundamentados em Amor, Humildade e Tolerância, sempre aparecerão pontos de discordância em relação a interpretações e pontos de vista.

Temos personalidades próprias e, como todos deve saber, ainda em constante evolução. É muito difícil formar uma mesma ótica sob todos os aspectos, mesmo que exclusivamente doutrinários.

Nesta convicção de Individualidades distintas e personalidades ainda mais, vemos o quanto é bela a Sabedoria Divina que nos permite interagir e sempre ter o quê aprender com cada um que passa a fazer parte de nosso convívio.

Mantendo esta linha de raciocínio fica patente que mesmo fazendo parte de uma “tribo”, ou seja, de um grupo de espíritos afins, e mesmo que este grupo seja Crístico, regido pelos três conceitos supracitados, sempre poderá haver discordâncias em relação as diversas observações sobre temas doutrinários - comparações, idéias, interpretações e pensamentos.

Na família, no trabalho material, em todos os aspectos de nossa vida é assim, e não é exclusividade de nossa Doutrina, basta observar qualquer religião e suas diversas correntes internas ou mesmo dissidências formadas.

Nossa Doutrina não é, em absoluto, dogmática! É dinâmica e sempre está evoluindo. Creio por isso a insistência do Trino Tumuchy em sempre negar que a Doutrina do Amanhecer fosse uma religião. Dizia ser uma ciência espiritual. Somos cientistas e médicos do espírito! E como cientistas e médicos, não podemos ficar estagnados. Estamos sempre aprendendo, reciclando, reavaliando pontos de vista e evoluindo nosso nível de aculturamento e conhecimento efetivo.

Todo o acervo deixado pela Clarividente está disponível para quem deseje se aprofundar e evoluir a nível de conhecimento. Ao mesmo tempo as simples técnicas aprendidas durante o Desenvolvimento podem nos manter no trabalho, semeando o bem e praticando a caridade, mesmo que nunca cheguemos a ler uma única carta de Tia Neiva.

Este é um ponto de grande diferenciação de nossa Doutrina perante outras correntes espíritas ou espiritualistas. Nas outras o estudo é exigido para permitir o avanço e compreensão. No Vale do amanhecer é opcional. Do mais simples trabalhador braçal ao mais culto catedrático, todos terão as mesmas possibilidades de crescer dentro da Doutrina e pelo merecimento dos trabalhos realizados.

Permanece o conhecimento disponível... Para quem queira, para quem necessite de “mais” para poder seguir em frente.

Já ouvi a infeliz frase de que “quem tem o conhecimento tem o poder”... Por isso muitos líderes envolvem-se com terríveis energias, colocando a perder a oportunidade que possuem, ao querer serem “poderosos”.

O conhecimento está para ser difundido, explicado, ampliado! Não importa se toda a platéia é capaz de compreender, e normalmente a maioria não é! Mas nem por isso deve ser guardado a sete chaves e imposto como uma prerrogativa “dos especiais”.

Mais do que isso... Quem é que é dono da verdade?  Quem tem suas interpretações isentas de erros?

Cada Individualidade tem com que contribuir e precisa ser despertada para que o conhecimento não se restrinja às cartas deixadas, seja acrescentado pela herança transcendental de cada um que agrega mais um valor, mais uma informação, mais uma ótica dentro do momento atual.

As divergências que falei no início, quando observadas dentro do equilíbrio espiritual, são fatores de esclarecimento e evolução.

Ao mesmo passo, quando colocadas como fator de ruptura, ou de desunião, tornam-se inúteis disputas sem fundamentos na infantilidade da alma.

Nossas bases doutrinárias devem ser preservadas. Isso é inquestionável!!! Mas que esta preservação não seja manchada pelos orgulhosos e “sabetudos” colecionadores de acervo que decoram palavras e não absorvem o real conteúdo. Arrogando-se de donos da verdade, maculando com palavras ferinas, cuidadosamente e ironicamente direcionadas aos antagonistas, sem qualquer amor em suas apresentações.

Cada um de nós é senhor do próprio destino e livre para expressar-se. O livre-arbítrio nos encaminha ou nos condena, dentro de nossas próprias decisões. Nossa opinião sempre pode ser manifestada, mas sempre deverá ser encarada como “nossa opinião”, jamais como verdade absoluta!

Ninguém é dono da verdade ou “senhor do Acervo”! Sempre haverá o quê aprender. Ninguém é tão pobre que nada tenha a oferecer e nem tão rico que nada tenha a receber.

Kazagrande

8 comentários:

Que tal um dia trocarmos idéia sobre o tema conduta doutrinária. É um assunto interessante.

A verdade absoluta só Deus conhece, e ele dá a cada um de nós a capacidade de conhecer somente a nossa própria verdade. E quando aprendemos a equilibrar o amor, a humildade e a tolerância, termos alcançado a condição de ser espelho e espalharmos a verdade sem a necessidade das palavras, pois o amor de nossos corações falara por nós.
Salve Deus!
Ninfa Lua

salve deus
maravilha de texto,vc me surpriende a cada dia que passa, se mostra um belo jaguar de seta branca,vejo em vc uma linhagem de tumuchy curioso,cientista da mente e um conhecedor da energia eterica isto sim faz de vc " a " diferença,parabens pelo texto nele se fez a verdade ja que a verdade sempre nos liberta.
abraço

Estive comentando este assunto recentemente. Me assusto quando ouço, não somente de um Mestre ou Ninfa da nossa iluminada Doutrina mas como de qualquer pessoa, que já conheçe todo o assunto ou tudo sobre um trabalho. Tudo é perene, tudo se transforma mesmo que não seja perceptível aos nossos olhos carnais ou a terceira visão.
O que mais admiro na nossa Doutrina é a humildade dos queridos Pretos Velhos que numa roupagem tão simples e suave nos transmitem palavras de encorajamento em porções de verdades e jamais se colocam como sabedores de tudo.
E, sobre a interpretação, depende do nosso grau evolutivo. Em tudo haverá ponto de vistas diferentes porque somos indivíduos embora para Nosso Pai Maior, sejamos iguais.Salve Deus.

Estive comentando este assunto recentemente. Me assusto quando ouço, não somente de um Mestre ou Ninfa da nossa iluminada Doutrina mas como de qualquer pessoa, que já conheçe todo o assunto ou tudo sobre um trabalho. Tudo é perene, tudo se transforma mesmo que não seja perceptível aos nossos olhos carnais ou a terceira visão.
O que mais admiro na nossa Doutrina é a humildade dos queridos Pretos Velhos que numa roupagem tão simples e suave nos transmitem palavras de encorajamento em porções de verdades e jamais se colocam como sabedores de tudo.
E, sobre a interpretação, depende do nosso grau evolutivo. Em tudo haverá ponto de vistas diferentes porque somos indivíduos embora para Nosso Pai Maior, sejamos iguais.Salve Deus.

Concordo, porém quanto a questão do acervo estar disponível, não é bem assim...Aonde ele está disponível? Pois no meu templo não temos acesso a quase nada, acho que isso deveria ser revisto não somente no meu templo, mas em outros também...Depois vem os dirigentes querendo ''cobrar'' algo do corpo mediúnico...rsrs...Como? Se o conhecimento não é difundido!

Palavras são simplesmente palavras e que o vento leva
O conhecimento nos facilita o entendimento mas não o suficiente para nos fazer entender os Desígnios Divinos.
Portanto, independente do conhecimento adquirido, ele torna-se irrelevante e dispensável quando precisamos na verdade “sentir” mais do que conhecer
Aquele Jaguar sem conhecimento e até sem escolaridade, mas que na sua simplicidade aja com humildade e amor, terá o poder de cura muitas vezes maior do que aquele letrado , que detém o conhecimento ainda não assimilado.
Venho do Kardecismo e estou nessa Doutrina a 12 anos. Ainda preciso da leitura para ajudar minha caminhada.
Coitado de mim! Tenho ainda muito que aprender com esses “sábios analfabetos”.

Palavras são simplesmente palavras que o vento leva
O conhecimento nos facilita o entendimento mas não o suficiente para nos fazer entender os Desígnios Divinos.
Portanto, independente do conhecimento adquirido, ele torna-se irrelevante e dispensável quando precisamos na verdade “sentir” mais do que conhecer
Por isso aquele Jaguar sem conhecimento e até sem escolaridade, mas que na sua simplicidade aja com humildade e amor, terá o poder de cura muitas vezes maior do que aquele letrado , que detém o conhecimento mas ainda não assimilado
Venho do Kardecismo e estou nessa Doutrina a 12 anos. Ainda preciso da leitura para ajudar minha caminhada.
Coitado de mim! Tenho ainda muito que aprender com esses “sábios analfabetos

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.