terça-feira, 3 de maio de 2011

Mensagem da Entidade para o Aparelho


Há alguns dias eu escrevi:   

Chegar no Templo pensando em qual problema vai mentalizar primeiro, passar na Mesa rezando por si próprio, ir aos Tronos e primeiro atender a si mesmo, consultar o Preto Velho enquanto os pacientes estão ali, vibrando para que você termine logo e comece a atender, ou ainda o Apará que fica “mandando recados” para o aparelho... Salve Deus!

Seus Mentores sabem exatamente o quê você precisa! Você só precisa estar em condições de receber a ajuda que tanto pede. Para isso deve servir o Trabalho Espiritual, para desprender-se de seus problemas, dedicar-se na Lei do Auxílio e sair do Templo sentindo que sua vida também pode mudar! Que tudo pode se resolver.

Sobre a frase: “uma Entidade de Luz manda recado para o Aparelho”, recebi alguns emails a respeito deste tema e não poderia me furtar a esclarecer para todos.

Ao estar incorporado o Apará está consciente de tudo que se passa. A consciência se desvanece após a incorporação, onde gradativamente vão se apagando todas as lembranças. Porém, as que verdadeiramente são necessárias para o próprio aparelho, estas ficam gravadas, pois são provenientes do Mentor que sabe exatamente a necessidade de cada um.

Ocorre que, por vezes, dentro da natural insegurança de uma incorporação consciente, o apará, ao sentir que “tem uma mensagem para ele mesmo”, sente a necessidade de registrar também, como uma forma de comprovar a autenticidade.

Não há nada de mal nisso, mas repito que é totalmente desnecessário, e estes “recados” apenas demonstram a insegurança do próprio médium. É um “animismo necessário” pela circunstância envolvida.

Realmente pode ser uma mensagem do próprio Mentor, mas que deveria ficar guardada na consciência apenas para o Apará.

O risco de dar a comunicação da própria mensagem, é que este animismo pode se desvirtuar e ter acréscimos desnecessários que partem daquele momento de insegurança.

Não é necessário que o Doutrinador chame a atenção (naquele momento) ou faça a “Elevação”, pois este fato não irá prejudicar ninguém, a não ser o próprio Apará, no caso do animismo se estender além da mensagem que deveria ser guardada.

Havendo possibilidade, dependendo do relacionamento e da personalidade do Médium, o Doutrinador tem o dever de alertar que a mensagem era para ser guardada dentro da própria consciência.

Esclarecido? Salve Deus! Um fraterno abraço,

Kazagrande

2 comentários:

Salve deus meu caro irmão! fazia algum tempo que não escrevia nada aqui no blog,mas sempre o acompanho como o senhor bem sabe, esse tema muito me chamou a atenção por que é algo que eu vivencio frequentemente no templo e é justamente nesse parte que me colocava a pensar "o preto-velho pede pra avisar ao meu filho aparelho isso ou aquilo" partindo do pressuposto de que a incorporação dos aparás é consciente ele não deveria lembrar da mensagem? mesmo que com o tempo a lembrança se vá,mas será que pelo menos não duraria pelo menos 5 minutinhos na mente do apará após o encerramento do trono[nesse caso] ?

enfim,como de costume um texto prestimoso e de sublime conteúdo!
Um grande abraço deste irmão das bandas de cá.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.