sábado, 28 de maio de 2011

É POSSÍVEL UM MESTRE SER CONSAGRADO ANTES DA HORA?




     É possível um mestre ser Consagrado antes da hora?
    
     Texto do Mestre Lua Anderson   -  

NÃO. Então porque tanta polêmica ocorreu com o texto “Fábrica de Médiuns” do nosso irmão Kazagrande? Na verdade ele quis alertar para o compromisso que os instrutores têm em seguir um roteiro da melhor forma possível, que atenda ao planejamento deixado pela Espiritualidade, para que intenções de diversas naturezas não sejam a derrocada de muitos Mestres nesta função ou em outra que determine a aprovação para uma Consagração.

Então as Consagrações obtidas na “correria”, e não respeitando os prazos têm validade?

SIM. Quem irá arcar com as conseqüências de haver desrespeitado o cronograma será o Mestre que autorizou os demais a serem encaminhados à Consagração, pois a quem muito foi dado (conhecimento), muito será cobrado (responsabilidade).

O problema não está no encaminhamento em si e sim na INTENÇÃO de quem procedeu desta forma. Se o Mestre quis fazer crescer seu Templo, atropelando e instigando seus médiuns à correria (achando que é ele quem faz, e não a emanação de Deus) em atendimento a sua vaidade, já estará comprometido na devolução de muita energia, que nem imagina, Salve Deus! Se quis trocar favores ou misturar política com doutrina, vibrando no exercício do poder, terá também que repor esta energia que usou para fins individualistas. Agora, se o Mestre agiu de boa fé, acertando arestas, ajustando o calendário de Consagrações para os trabalhos necessários ou utilizou sua intuição na indicação de uma brevidade necessária, sem nada querer ganhar, nem um obrigado, este nada deve e ainda executou com perfeição o trabalho para o qual se comprometeu.

E qual a responsabilidade do Consagrado?

A mesma em relação de quem o encaminhou, ou seja, depende também de sua INTENÇÃO. Se fez a busca fervorosa por uma Consagração apenas para o exercício da vaidade, sem aplicar as novas forças na Lei do Auxílio, estará na mesma sintonia de quem garantiu sua chegada até ali, fazendo-se devedor em sociedade com o mesmo, onde energias serão requisitadas para fecharem o ciclo desta corrente e evitar a criação de uma corrente negativa. Não é raro que se afastem ou abandonem a Doutrina, pois a carga requisitada pode estar além de suas forças quando não se entregam ao trabalho mediúnico constante.

Alguns responsáveis encaminham muitos Mestres, que em suas simplicidades, nem entendem a “constante Tempo” necessária para que melhor adquiram conhecimento e forças, estes, geralmente, são os trabalhadores dedicados e, mesmo que precisassem, estariam com amplitude energética suficiente para recompor uma eventual aceleração em sua formação.

Deste modo, mesmo se vermos um Mestre recém-chegado e que rapidamente recebeu suas Consagrações, é bom que não façamos juízo de seu merecimento, pois se assim o fizermos, estaremos entrando no enredo da energia densa do julgamento, sobrando-nos também a necessidade de reposição energética que só será reequilibrada com muito trabalho na Lei do Auxílio e no controle de nossa maneira de olhar aos demais.

O mesmo acontece se nos aventurarmos a tentar elucidar as atitudes de qualquer Mestre desta Doutrina, ainda que ele esteja, aos nossos olhos, fora da Conduta Doutrinária, estaremos também a compartilhar a sua falta de Conduta, se fizermos correr aos quatro ventos qualquer tipo de escandalização com o mesmo, pois assim propagaremos uma energia contida em que mereceu portá-la e estaremos participando da mesma, já que ela se prorroga diante de nossa vibração. A reposição também é obrigatória, pois faz parte da colheita de quem estava olhando para o vizinho e esqueceu-se de cuidar do próprio jardim.

Por fim, façamos a nossa parte, e ademais o acaso por estes Templos não caminha, apenas o merecimento e a oportunidade para que muitos encontrem-se emanados na força positiva do Sol e em equilíbrio e complemento com a força da Lua. Novos tempos, novos Mestres, a mesma Tribo, uma única Origem.

Salve Deus!

Anderson Augusto
Mestre Lua

1 comentários:

Aqui no templo de Olinda só ocorrem duas consagrações por ano,uma em março e uma em agosto,sendo assim o mestre só poderia tornar-se centurião em no mínimo 1 ano de doutrina,o que ao meu ver é correto por que a doutrina é muito rica em detalhes,particularidades que o mestre só conhece com a vivência na doutrina, muitos "por quês" só são desvendados com o tempo.
Esta é a minha humilde opnião né isso?

Um fraterno abraço a todos!

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.