quinta-feira, 28 de abril de 2011

Última Chance


Infelizmente nosso conhecimento acerca do espiritismo ou espiritualismo, muitas vezes nos leva a descartar o termo “última chance”.

Conhecedores que somos das leis que nos regem, sabemos que sempre existe uma nova oportunidade e enredados pelos sentimentos da personalidade, obscurecemos nossa passagem por este plano ao pensar “da próxima vez quem sabe...”.

Salve Deus!

Existe sim a “última chance”, pois a cada vez que recalcitramos  em sentimentos que não condizem com nosso nível de esclarecimento, podemos estar desperdiçando uma “última oportunidade” de resgate na lei do amor, restando, para a próxima passagem, somente “através da dor” para restabelecer o equilíbrio e harmonia.

Não podemos ver o quê se passa espiritualmente, mas podemos ter a clara noção de que este Primeiro de Maio pode ser uma “última chance”...

Uma última chance de ver novamente unidos no Radar da Estrela, os quatro irmãos, os nossos Adjuntos de Raiz, os nossos Comandantes preparados diretamente pela Clarividente...

A idade física avança e o corpo naturalmente entra em declínio. Não sabemos o momento reservado para a passagem, e, a qualquer momento, a última chance pode ter sido desperdiçada.


Compreendo que muitos já cansaram de ler estas mensagens dos últimos dias, mas vejo também que muitos vieram a somar a corrente de apelo à união de nossa Doutrina.

Temos ainda mais dois dias... Vibrando, orando e pedindo por nossos líderes maiores.

Acima de tudo, teremos a certeza de fazermos a nossa parte! Saberemos que, mesmo que o objetivo final não seja atingido, centenas, talvez milhares de corações sejam tocados e passem a ter em mente que somos todos irmãos! Não importa o Templo, as classificações, as siglas! Fomos reunidos sob a égide do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo e sob Seu Manto Sagrado caminhamos na Escola do Caminho.

Em uma só missão, com único Pai Seta Branca a nos reger.

Amor, Humildade e Tolerância! Perdão, Paz e Fraternidade!

Kazagrande

3 comentários:

Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse eu faço. Essa foi a angústia de Paulo de Tarso (apóstolo dos gentios) registrada na epístola aos Romanos (7:19). Por que não conseguimos fazer todo o bem que queremos? Sabemos o caminho, temos conhecimento dos ensinamentos de amor trazidos pelo nosso irmão e exemplo maior Jesus Cristo, temos os esclarecimentos do espiritismo e mesmo assim não fazemos o bem que desejamos. Por que? Porque não é fácil sermos quem somos. Não é fácil carregar uma bagagem milenar e topar com a doutrina espírita que desvenda os véus das ilusões humanas para apresentar o modelo de homem de bem*. Cada um de nós carrega uma bagagem transcendental com qualidades e defeitos impregnados no perispírito. Ou seja, cada ser humano é um arquivo ambulante da sua história transcendental e por onde passa imanta situações condizentes com a sua psicosfera atraindo pessoas, situações e ocorrências resultantes do seu livre arbítrio, desta e de outras encarnações. Por isso dizemos que não há destino traçado e nem coincidências, mas sim a justiça divina que possibilita o aprendizado ao aluno faltante. Cada defeito superado é um degrau rumo à evolução. Mas, será que temos maturidade suficiente para realizar um passeio íntimo, vasculhando quem realmente somos, e identificar as imperfeições que tanto teimamos em apontar nos nossos irmãos? Será fácil apontar o dedo indicador para nós mesmos e tratar as chagas que tanto tentamos camuflar ao mundo? A resposta é simples: não. Não é fácil alijarmos um defeito porque para conseguirmos tal proeza teríamos também que identificar o maior de todos os males humanos – o orgulho (pai de todos os demais defeitos) – e que se manifesta sob diferentes matizes. Essa ferida oculta que faz-nos crer maiores que os nossos irmãos e que enrijece o coração chamando para si o seu parceiro – o egoísmo. Não, meus irmãos. Essa não é a nossa última chance porque Deus misericordioso sabe das nossas dificuldades e dos nossos sucessos e se hoje estamos insatisfeitos com a nossa conduta é porque já compreendemos que as mazelas de ontem fazem parte da escada evolutiva para acertamos o dia de amanhã. A evolução é contínua e para ilustrar isso basta pensarmos nos espíritos que não tem contato algum com a Terra, cuja evolução está vinculada a outros sistemas solares. Pois é meus irmãos, o caminho é longo, mas para nosso conforto vamos enxergar com amor essa sábia lição: a dor física que nos chama à razão é a mesma que nos conduz à Deus. Sejamos felizes por essa oportunidade e tenhamos a fé no trabalho sincero, pois, Deus não nos enviou para sermos santos ao final dessa encarnação, mas para retornarmos à nossa Pátria Espiritual melhores do que aqui chegamos.
*O homem de bem - O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XVII, nº 3 e 4.

Salve Deus!

Espero sinceramente que os filhos queridos de Tia Neiva superem tudo isso, deixando os alimentadores do orgulho e da vaidade falarem sozinhos, vamos meus irmãos, não existe nada que os impeça de unirem-se em torno do objetivo maior que é servir com amor a todos, principalmente aqueles que se dizem nossos inimigos. Não é fácil suplantar o próprio orgulho e perdoarmos aos outros e principalmente a nós mesmos. Temos como base principal um velho adágio " palavra de Rei não volta atrás", quando o Mestre dos Mestres aqui esteve nos ensinou exatamente o contrário, que devemos sim voltar atrás e pedir perdão a quem ofendemos para depois fazer nossas oferendas a Deus Pai Todo Poderoso. Sei perfeitamente o que é o orgulho de nunca voltar atrás no que digo e no que faço. Nesse contexto muitos se perderam, pois ao dizer que irão fazer alguma coisa e para que as pessoas o vejam como pessoa corajosa fazem as coisas mais absurdas, chegam ao ponto de matar alguém só para provarem que são ótimos. Chega disso, dessa possição anticristã, reconciliemo-nos com nossos irmãos na certeza que posições radicais não nos leva a nada. Vamos nos unir em torno do mesmo objetivo, servir e amar a todos, encarnados e desencarnados. Não é fácil amar mas odiar é muito mais dificil. Não custará nada perdoar a nós e aos demais. Somos irmãos e devemos nos imbuir do amor de Nosso Jesus Cristo e fazer do dia do Doutrinador, esse magnifico filho de Tia Neiva, que manipula forças jamais imaginadas ou sonhadas por muito tempo,um dia muito especial. Aproveitem todos, pois a luz não brilha sempre e a escuridão trás muita dor e ranger de dentes.
Salve Deus

Este comentário colocado acima é perfeitamente válido e verdadeiro, se analisado á luz dos ensinamentos da Doutrina Kardecista.
Todas as Doutrinas têm suas Leis e seus ensinamentos, e cada grupo de seres humanos se agregam a essas mesmas dentro da tónica evolutiva do seu espírito.
O " Evangelho segundo o Espiritismo" ensina qual a conduta esperada de um missionário Kardecista, e não de um Jaguar.

Me perdoem a honestidade, mas Jaguares que que trabalhem nessa condição há já 30 ou 40 anos, e mesmo assim perdem tempo em disputas meramente físicas, e que em nada correspondem ao seu estatuto ou posição na hierarquia espiritual, com certeza ainda não devem ter percebido o que é esperado de um Jaguar em termos de conduta.

No mundo dos espíritos cada um é o que é, de acordo com o que seu espírito conquistou na sua passagem pela Terra.
Ninguém engana ninguém, e ninguém toma o que é seu por conquista evolutiva.
No Plano Espiritual ninguém obtém sua "Classificação " por ser amigo de A, puxar o saco de B, ou favorecimento de C.

Jaguar chega no Plano Espiritual sem colete. Será somente ele e sua bagagem.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.