quarta-feira, 27 de março de 2013

Salve Deus Ninfa vamos para os Tronos? (Rep.)


Uma pergunta aparentemente tão simples de fazer e responder, mas que muitas vezes coloca todo nosso dia de Trabalho Espiritual em xeque. Mas por quê?

Uma Ninfa Lua é orientada em seu Desenvolvimento a aceitar sempre o convite, mas existem algumas situações, causadas pelos próprios Doutrinadores, que tornam difícil a resposta imediata.

Para um Doutrinador emplacado, também às vezes é difícil, até mesmo fazer a pergunta.

Para o Ajanã, tão assediado comumente, também pode ser difícil responder...

Vamos ver caso a caso:

A Ninfa recém emplacada normalmente aceita todos os convites que recebe. Está com toda a energia para trabalhar! Existe a natural insegurança, causada pela responsabilidade de ir tão rapidamente tratar de vidas humanas, porém, seu desejo de começar logo a missão que lhe é confiada, fala mais alto, e na maioria das vezes parte para a realização.

Com o passar do tempo, começa a identificar situações que a tornam mais “seletiva”... Imaginem como uma Ninfa, recém emplacada, se sente ao ir para os Tronos, e logo ao incorporar, descobre o cheiro terrível. O Doutrinador comeu um pastel de ovos e fumou uns três cigarros e foi direto para os Tronos. Tudo bem, ele “teoricamente” não vai falar com a Entidade, vai identificar a Entidade e passar ao atendimento, mas na hora da Elevação, quase que a Vovó sobe junto com o irmãozinho. O sovaco do cidadão parece que desconhece a palavra água.

Sei que muitos podem estar rindo disso, mas para uma Ninfa, incorporada conscientemente, manter a sintonia assim é difícil! Lavar o rosto e comer uma balinha “emprestada” já resolveria o primeiro problema. O segundo pode ser resolvido com um pouco de água, e um desodorante emprestado no banheiro ou mesmo umas gotinhas de álcool antes de sair de casa (o álcool nas axilas limpas acaba com o possível odor decorrente do suor – não se preocupe, não estará ingerindo álcool! – Leite de Rosas também é uma boa dica para quem está com o caixa baixo).

Além do fator higiene, que faz parte de nossa conduta, existe o fator sintonia. Como podemos recriminar uma Ninfa que não queira trabalhar com um Mestre que anteriormente estava “nas nuvens” na hora do trabalho? É complicado! Vejam, quando um Doutrinador está “ligado” no trabalho, é possível sentir esta ligação, a sintonia. O Doutrinador pode sentir a chegada do irmãozinho antes dele incorporar, se estiver em total sintonia com o trabalho! Agora, quando acontecem aqueles casos do Comandante ter que avisar o Doutrinador que tem um irmãozinho esperando que ele faça a puxada??? A Ninfa está ali... Consciente do que está se passando! E a confiança, a segurança que ela precisa para a perfeita realização? Como ficam?

Claro que existem as vaidosas... Que só trabalham com Mestres cheios de “medalhas” ou Arcanos. Mas sobre estas já tratamos em textos passados.

Ainda é importante considerar o “teste da Mesa”... O quê é isso? Simples! Quando passam pela Mesa Evangélica antes, as Ninfas percebem, consciente ou inconscientemente, o teor energético e dedicação do Mestre ao Doutrinar e Elevar o irmãozinho no Trabalho. Quando, depois da Mesa, escutam o convite, a voz é identificada, ficando mais fácil ou mais difícil aceitar.

Conheço Mestres (que não são Arcanos) que nunca receberam um não para trabalhar. E outros que nunca conseguem ir aos Tronos...

Em relação aos Doutrinadores emplacados, estes devem ter sempre seus convites aceitos. Negar a chance de trabalho para um Mestre que está iniciando sua jornada é no mínimo falta de caridade. Eles têm que ter total oportunidade. Deveriam ser convidados pelas Ninfas mais experientes e que ainda poderiam passar valiosas orientações, que se fixariam pelo restante de suas jornadas.

Os Ajanãs abordaremos em outra ocasião, mas estes também tem seus porquês.

Kazagrande

4 comentários:

Salve Deus Kazagrande,
Gostaria de citar neste texto, que outro fator que pesa muito, aliás, para mim o pior de todos, é o fato de grande parte dos mestres usar os tronos para assediar as ninfas ou estão preocupados demais com as "pacientes" e simplesmente se esquecem da ninfa incorporada. É vergonhoso parar diante dos tronos e ver a conduta de alguns mestres.
Tenho certeza que meus mentores entendem os meus SALVE DEUS, VOU TRABALHAR COM MEU MESTRE!

Ninfa Lua Rita Leite, escrava do Mestre Juliano Leite

Salve Deus ! Mestre , gostei muito da sua explanação sobre o assunto . Eu gostaria de sugerir um tema para seu próximo artigo se vc me permitir é claro . Eu gostaria de pedir que vc fala-se sobre as origens das entidades por exemplo pai manuel de angola,caboclo tupi da cachoeira etc.
Ou seja se estas origens (Angola,Matas,cachoeira) tem algum significado (eu ouvi falar uma vez que identifica o tipo de energia e trabalho que o mentor faz, por exemplo Angola trabalha muito com desmancho de magia negra) e gostaria se possivel uma lista das origens aceitas no Vale do Amanhecer coisa que muito Doutrinador novato pergunta muito , afinal tem medo de aceitar uma entidade com uma origem que não se permite no Vale.
Se vc puder me esclarecer sobre isso eu lhe agradecerei muito pois é uma dúvida antiga. ABraços fraternos,

Mestre Ajanã Aspirante Robson Gonzalez
Templo Aurimã do Amanhecer- Dq de CAxias , RJ

Sou aparelho de Pai João de Enoque, gostaria que meu irmão postasse algo que esclareça aos jaguares sobre a mistificação de que este abnegado Preto Velho não atende nos tronos. Para mim é muito complicado ter que explicar para os meus irmãos que grande movimentação de energias foi feita para que este humilde servo de Pai Seta Branca se tornasse digno de tamanhas energias. Desde já agradeço por sua compreensão e ajuda para mim e todos que tanto necessitamos de esclarecimentos produtivos e não de mistificações que só trazem interferências e atrazo á nossa missão.

É verdade, eu como Mestre Ajanã achei muito interessante a parte em que fala sobre "O teste da mesa" nós Aparás conseguimos sentir quando incorporamos um irmãozinho, o nível de harmonização de um Doutrinador, é maravilhoso quando saímos de uma Mesa Evangélica escutar a voz daquele Doutrinador ou daquela Doutrinadora nos chamando para ir aos tronos, ou ao menos escutar sua voz gostei muito do texto, perfeito. Salve Deus.

Mestre João Pedro Falcão.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.