terça-feira, 25 de janeiro de 2011

RESPOSTA 01: Angical e Tronos em um “Templo Pequeno”


(respondendo aos comentários)

Minha irmã Yuricy,
Salve Deus!

O Trabalho de Angical é uma conquista! Sendo assim, os médiuns devem valorizá-lo ao máximo, sob pena não manterem a emanação necessária para sua manutenção.

Entendo também que o Angical é um trabalho que necessita da Corrente Mestre e por tanto não deveria ser realizado em um Templo pequeno.

Realmente, para poder iniciar o Trabalho, existe a necessidade de no mínimo sete pares, mas esta quantidade não é considerada para o Encerramento. Haja visto, que para os próprios médiuns, o Encerramento se dá no momento em que terminam seu trabalho pessoal.

Quanto aos Tronos, é importante ressaltar, da mesma maneira, que um Templo deve viver suas condições reais! Se tem Corrente Mestre, deve obedecer rigorosamente às Leis. Não tendo condições de cumpri-las corretamente, é preferível que se adéqüe à realidade e volte a funcionar em regime de Trabalho Especial, onde não há a necessidade mínima dos três pares.

Concluindo: Cada Templo deve viver sua realidade, deixando as fantasias de implantar um Corrente Mestre, sem que tenha real condição de sustentá-la. Iniciar um novo trabalho dentro do Templo é uma responsabilidade a ser assumida por todos (assim como a Corrente Mestre).

No mundo espiritual não existem máscaras! Se a Corrente Mestre não é sustentável, ela não estará atuante! É preferível humildemente manter um Trabalho Especial, do que aventurar-se com forças que ainda não se têm a capacidade REAL de manipular e sustentar.

O Adjunto assume um compromisso ao trazer o Trabalho, confiando em seus componentes. Se estes não cumprem o compromisso... Salve Deus!
Agora, se o Adjunto assume o compromisso sem ter reais condições, sem deixar ciente todos os médiuns da responsabilidade, e leva em conta somente a vaidade... Salve Deus, de novo!

Agradeço a oportunidade de falar neste tema, que com certeza ainda renderá um excelente texto: “Os templos pequenos”.

Kazagrande

Comentado em Pérolas do Trino Araken

Desde nossas primeiras aulas no templo, sabemos que Tia Neiva deixou a Doutrina pronta. Deixou as Leis para serem cumpridas. Pois bem, tenho algumas dúvidas: Um templo pequeno onde existem poucos médios e muitos pacientes é correto deixar de atende-los porque não tem o mínimo de três pares? O Angical é formado por um mínimo de sete pares, um casal vai embora e ficam o comandante e mais seis pares e uma ninfa, este trabalho deve ser realizado mesmo assim ou se encerra o retiro e diz aos médios que infelizmente não se realizará o trabalho por falta de um jaguar? Tenho visto este tipo de situação acontecer e alguns médios julgarem o adjunto por ele realizar o trabalho.Mas o que o adjunto vai fazer com aqueles milhares de espíritos que aguardam esta oportunidade? Por favor me esclareça e também aos muitos que com certeza tem esta dúvida. Abraços fraternos, ninfa sol Yurycy

5 comentários:

Salve Deus Mestre

Pertenço a um templo pequeno, Nos ate temos Mestre suficiente para trabalharmos em 2º estagio, mas, Falta compromisso dos mestres e ninfas, Minha duvida e Podemos abrir os trabalhos em 2º estagio de vez em quando, Ou seja quando tivermos da disposição de mestres e ninfas um domingo ou outro?

meu irmão kazagrande, Salve Deus! não achei nem um "ACERVO da Tia Neiva ou LEI" que falace que necessita da corrente mestra para realiza o trabalho de Angical. para abrir o trabalho de Angical num encerra o retiro e so abre o trabalho de Angical de 09:45 hs. normal como ja vem mostrando no livro de Leis. não precisa puxar as forças da corrente mestra. Salve Deus! nosso templo é 2° estagio e vamos ter essa conquista do Angical. fica com Deus e um forte abraço do Adj. Faram Mestre Fraiano Fred e do povo do Adj. Agreiro. :)

Meu Estimado irmão,
Salve Deus!

Normalmente não respondo nada nos comentários, reservo par respostas particulares poe Email, para evitar qualquer polêmica. Mas este assunto exigiu que assim o fizesse, por não possuir seu endereço de Email.

Observe no item FORMAÇÃO. Esta é a Lei revisada para os Templos do Amanhecer, aprovada com a anuência e assinatura do Trino Akaken, Trino Sumanã e Trino Ajarã, para dirimir qualquer caso omisso do Livro de Leis. o Angical é somente Para templos com Corrente Mestre!!! Excepcionalmente um Trino Presidente pode autorizar uma realização especial presidida por um Regente representante.

Um fraterno abraço,
Kazagrande

ANGICAL

Angical é um trabalho específico para a passagem de cobradores, realizado uma vez por mês, originado nos acontecimentos narrados por Tia Neiva em sua mensagem de 5.3.79, que consta abaixo. Mais detalhadamente, nossa passagem no Angical pode ser vista em “O Amanhecer das Princesas na Cachoeira do Jaguar”. Também, em MÀE TILDES, encontra-se a história da “Fazenda Três Coqueiros”, importante episódio em nossas vidas, reflexos do Angical.
O trabalho em que se manipulam as forças provenientes do Angical consta do Livro de Leis, com todas as observações pertinentes. Mestres e ninfas devem fazer sua preparação exclusivamente diante da Pira, sem fazer os cruzamento na parte evangélica. Aquele que estiver apona pode passar como paciente. Quem trabalhar não deve passar como paciente depois de encerrar seu trabalho.
No dia 30/abr/2003, foi realizada reunião de Sub-Coordenadores e Presidentes para a implantação, pelo Trino Ajarã, da 2ª Etapa da Unificação das Leis do Amanhecer, com a matéria aprovada pelo Trino Araken. A reunião foi gravada em fitas de vídeo e documentada em ata, para registrar e comprovar a veracidade das informações. Sobre o ANGICAL ficou estabelecido:

HISTÓRICO
• O Angical é um trabalho realizado especificamente para a passagem de espíritos cobradores.
• O nome ANGICAL deriva de um Arraial que existia no Sul da Bahia, primeiramente chamado Abóboras, existindo neste local as Fazendas 3 Coqueiros e dos Ferreiras. Neste Arraial, e redondezas, no período do Brasil império, milhares de espíritos encarnaram provocando grandes desatinos, gerando tristes carmas, haja visto os dramas desenvolvidos no palco da vida escrava.
• Nossos mentores, alcançando a condição mediúnica, autorizaram este trabalho, adequado para a vida destes espíritos com os quais contraímos débitos, para a rica oportunidade do reajuste.
• “Então eis porque Deus nos confronta frente a frente com as nossas vítimas do passado e delas ou por elas, inconscientemente, sentimos na carne o que as fizemos sentir. Hoje, nos Templos do Amanhecer, os mais esclarecidos buscam os que ainda estão nas trevas ou no alcance de suas cobranças. Agem, se esclarecem e se voltam para Deus”.

HORÁRIOS
• Este trabalho é realizado uma vez por mês, sendo sempre na segunda-feira mais próxima do dia 13 (veja Calendário distribuído pela Coordenação).
• Os Templos do Amanhecer deverão realizar o Angical na mesma data e horário do Templo Mãe.
• Horário da Abertura: entre 21h30 e 22h. (Em reunião de 28/08/2005, o Trino Sumanã estabeleceu o horário de abertura às 21h30)

MESTRADO
• Os mestres e ninfas só poderão participar desse trabalho após terem recebido a consagração da Elevação de Espadas.

UNIFORMES
• MESTRES:  Calça marrom (do uniforme de jaguar)  camisa xadrez de manga comprida  placa de identificação do mentor (Preto Velho ou Princesa)  e fita.
• NINFAS:  Saia estampada (ou de chita) com fundo escuro, godê duplo, lisa  blusa preta (do uniforme de jaguar) sem morsas  placa de identificação do mentor (Preta Velha ou Princesa)  e fita.

FORMAÇÃO
• Este trabalho só poderá ser realizado em Templos que disponham de Corrente Mestra.
• Os pares se distribuem nos bancos a partir da entrada do templo e nos Tronos.
• Um comandante ou mais, designado pelo dirigente ou escalado previamente para comandar a Mesa Evangélica, convida aqueles que desejarem participar da Mesa Evangélica para se posicionarem naquele Setor aguardando instruções do Comandante. A Mesa deverá funcionar tantas vezes quanto possível. No decorrer do trabalho os faróis da Mesa deverão estar ocupados para o funcionamento da mesma com revezamentos.
• Não havendo possibilidade de abertura da Mesa, após 15 minutos da abertura do trabalho, os faróis serão dispensados.
• Só é permitido incorporações em lugares visíveis pelo dirigente (em frente e nas laterais do Radar). Não devem ser feitas incorporações nos castelos.
(Em reunião de 28/08/2005, o Trino Sumanã estabeleceu que os pares devem ficar sentados lado a lado, e não um diante do outro, como vinha sendo feito, com o Apará em um banco e o Doutrinador em outro.)
RITUAL
• Na Abertura, os mestres emitem Mantras. O Dirigente, do Radar, faz as recomendações convencionais, solicita à recepção que feche a porta do Templo parcialmente e aos mestres que entrem em sintonia com seus Mentores.
• Quando da harmonização feita pelo Comandante, deve-se conscientizar, principalmente aqueles que estão participando pela 1ª vez, da grande oportunidade deste reencontro e do propósito deste trabalho.
• Em seguida faz a abertura do trabalho da seguinte forma:
(a) faz uma breve harmonização;
(b) emite o Mantra Pai Nosso;
(c) depois, pausadamente, abre o trabalho:
LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO (3 vezes)
EM NOME DE DEUS PAI TODO PODEROSO,
DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO E DA VIRGEM SANTÍSSIMA,
DE PAI SETA BRANCA E MÃE YARA,
DA CORRENTE INDIANA DO ESPAÇO,
DAS CORRENTES BRANCAS DO ORIENTE MAIOR,
EM NOME DOS MENTORES RESPONSÁVEIS
POR ESTE TRABALHO, EU, (emissão do mestre)
TENHO POR ABERTO ESTE TRABALHO DE ANGICAL,
PEDINDO A TI, JESUS DIVINO E AMADO MESTRE,
QUE ILUMINE A MINHA CONSCIÊNCIA,
PARA QUE SANTIFICADO SEJA O MEU ESPÍRITO ALGUM DIA.
LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO (3 vezes)

JESUS, DIVINO E AMADO MESTRE, PEDIMOS A PRESENÇA
DOS NOSSOS ABNEGADOS PRETOS VELHOS! SALVE DEUS!

• Após a abertura, o dirigente solicita ao Comandante da Mesa Evangélica, que dê início à abertura da mesma. Nos Tronos e nos bancos se iniciam as incorporações. Obs.: A Mesa Evangélica não precisa ser, necessariamente, o 1O trabalho a ser realizado pelos mestres.
• O Radar deverá permanecer ocupado, durante o trabalho pelo dirigente ou outro mestre por ele designado.
ENCERRAMENTO
• Não há encerramento na Pira nem coletiva. Os Mestres, ao final do seu trabalho, estarão liberados.
• Horário: entre 24h (meia noite) e 1h (da manhã).
PRISIONEIROS
• Os Prisioneiros poderão pedir bônus até 1 h antes do início do trabalho.
OBSERVAÇÕES
• Não será permitida incorporação nos Castelos.
• Na impossibilidade dos Mestres participarem da abertura do trabalho, os mesmos deverão se dirigir à Pira, fazer sua preparação sem a necessidade de circular na Parte Evangélica.
• Não há necessidade de ionizar o Apará, contudo o Passe Magnético é indispensável.
• Os recepcionistas escalados para o Angical, deverão estar usando o uniforme de Jaguar ou de Angical, com o Radar de identificação.
• O acesso dos Mestres ao Templo é controlado pelos recepcionistas.
• Se não realizar o Retiro do dia, não poderá ter o Angical.
• Não há incorporações de Ciganos. Só Pretos Velhos e Pretas Velhas.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.