TIA NEIVA

TEU PADRÃO VIBRATÓRIO É A TUA SENTENÇA

O CENTURIÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

ADJUNTO ANAVO

MESTRE KAZAGRANDE

PÉROLAS DE PAI JOÃO

Todos os direitos autorais e edições impressas doadas à Doutrina do Amanhecer.

MINHA MISSÃO É MEU SACERDÓCIO

EXÍLIO DO JAGUAR - KAZAGRANDE.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

COMO ERA A PESSOA DE JESUS

OBS: 1
A descrição abaixo foi traduzida de uma carta de Públius Lentulus a César Augusto, Imperador de Roma.

Públius Lentulus foi predecessor de Pôncio Pilatos como governador da Judéia, na época em que Jesus Cristo iniciou seu ministério.

O texto original encontra-se na biblioteca do Vaticano.

Comprovada sua autenticidade (pelos doutores da Igreja Católica - referendados pelo Papa), tornou-se, fora da Bíblia, o documento mais importante sobre a pessoa do Senhor Jesus.

OBS: 2

Sabemos também que após a crucificação de Cristo, Públius Lentulus tornou-se seu seguidor e, juntamente com sua filha Lívia, levava a palavra de Deus aos povos da época. Cabe lembrar ainda que Públio em sua última encarnação foi o padre Manoel da Nóbrega que rezou a primeira missa no Brasil. Depois disso o conhecemos como Emmanuel, guia espiritual de Chico Xavier, naquela época, Lívia, sua filha.

Do governador da Judéia, Públios Lentulus, ao César Romano:

- Soube, ó César, que desejavas informações acerca desse homem virtuoso que se chama Jesus, que o povo considera um profeta, e seus discípulos, o filho de Deus, criador do céu e da terra.

Com efeito, César, todos os dias se ouve contar dele coisas maravilhosas.

Numa palavra, ele ressuscita os mortos e cura os enfermos. É um homem de estatura regular, em cuja fisionomia se reflete tal doçura e tal dignidade que a gente se sente obrigado a amá-lo e a temê-lo ao mesmo tempo.

A sua cabeleira tem até as orelhas, a cor das nozes maduras e, daí aos ombros tingem-se de um louro claro e brilhante; divide-se uma risca ao meio, á moda nazarena.A sua barba, da mesma cor da cabeleira, e encaracolada, não longa e também repartida ao meio. Os seus olhos severos têm o brilho de um raio de sol; ninguém o pode olhar em face.

Quando ele acusa ou verbera, inspira o temor, mas logo se põe a chorar. Até nos rigores é afável e benévolo. Diz-se que nunca ninguém o viu rir, mas muitas vezes foi visto chorando.

As suas mãos são belas como seus braços, toda gente acha sua conversação agradável e sedutora.

Não é visto amiúde em público e, quando aparece, apresenta-se modestíssimamente vestido.

O seu porte é muito distinto. É belo. Sua mãe, aliás, é a mais bela das mulheres que já se viu neste país.

Se o queres conhecer, ó César, como uma vez me escreveste, repete a tua ordem e eu te o mandarei.

Se bem que nunca houvesse estudado, esse homem conhece todas as ciências.

Anda descalço e de cabeça descoberta. Muitos riem, quando ao longe o enxergam; desde que, porém, se encontram face a face com ele, tremem e admiram-no.

Dizem os hebreus que nunca viram um homem semelhante, nem doutrinas iguais às suas. Muitos crêem que ele seja Deus, outros afirmam que é teu inimigo, ó César.

Diz-se ainda que ele nunca desgostou ninguém, antes se esforça para fazer toda gente venturosa.




"A gravura acima de Jesus, pintada pelo próprio Públios Lentulus"

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

O porquê da dor...

Você já parou para pensar na razão da existência da dor, do sofrimento, em nossas vidas?

Talvez num daqueles momentos de extrema angústia, em que o coração parece apertar forte, você tenha pensado em Deus, na vida, e gritado intimamente: por quê?!

Nossas Entidades vêm nos esclarecer que a dor é uma lei de equilíbrio e educação.

De Homero a Dante, a Camões, a Tasso, a Milton, todos os grandes homens, como eles, têm sofrido.

A dor fez-lhes vibrar a alma, inspirou-lhes a nobreza dos sentimentos, a intensidade da emoção que souberam traduzir com os acentos do gênio, e que os imortalizou.

É na dor que mais sobressaem os cânticos da alma.

Quando ela atinge as profundezas do ser, faz de lá saírem os gritos sinceros, os poderosos apelos que comovem e arrastam as multidões.

Dá-se o mesmo com todos os heróis, com todas as pessoas de grande caráter, com os corações generosos, com os espíritos mais eminentes. Sua elevação mede-se pela soma dos sofrimentos que passaram.

Ante a dor e a morte, a alma do herói e do mártir revela-se em sua beleza comovedora, em sua grandeza trágica que toca, às vezes, o sublime, e o inunda de uma luz inapagável.

A história do mundo não é outra coisa mais que a sagração do espírito pela dor. Sem ela, não pode haver virtude completa, nem glória imperecível.

Se, nas horas da provação, soubéssemos observar o trabalho interno, a ação misteriosa da dor em nós, em nosso "eu", em nossa consciência, compreenderíamos melhor sua obra sublime de educação e aperfeiçoamento.

A dor é um dos meios de que Deus se utiliza para nos chamar a Si e, ao mesmo tempo, nos tornar mais rapidamente acessíveis à felicidade espiritual, única duradoura.

É, pois, realmente pelo amor que nos tem que Deus envia o sofrimento.

Fere-nos, corrige-nos como a mãe corrige o filho para educá-lo e melhorá-lo; trabalha incessantemente para tornar dóceis, para purificar e embelezar nossas almas, porque elas não podem ser completamente felizes, senão na medida correspondente às suas perfeições.

A todos aqueles que perguntam:

Para que serve a dor? A sabedoria divina responde:

Para polir a pedra, esculpir o mármore, fundir o vidro, martelar o ferro.

***

A dor física é, em geral, um aviso da natureza, que procura preservar-nos dos excessos. Sem ela, abusaríamos de nossos órgãos até o ponto de os destruirmos antes do tempo.

Quando um mal perigoso se vai insinuando em nós, que aconteceria se não lhes sentíssemos logo os efeitos desagradáveis? Ele nos invadiria cada vez mais, terminando por secar em nós as fontes de vida.

É assim que, em nosso mundo, para o nosso crescimento, a dor ainda se faz necessária.

Kazagrande

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

AGIR OU REAGIR

Vez ou outra ela nos atinge. É a violência que vige nas almas e se exterioriza em palavras e ações grosseiras.

Por vezes, a impressão que se tem é que a grande maioria dos seres anda armada contra seu semelhante.


São funcionários em estabelecimentos comerciais ou serviços públicos que parecem abarrotados de tarefas e, por isso mesmo, estressados.


Basta que se lhes peça uma pequena coisa a mais e pronto: lá vem uma resposta grosseira, que soa como um desabafo.


Às vezes, o que diz o funcionário não é verdadeiramente grosseiro, mas o tom de voz ou a inflexão que imprime aos seus vocábulos, agride.


São clientes que aguardam o atendimento nota dez e reclamam por ele não se apresentar.


Assim, em consultórios, é bastante comum se ouvir reclamações acerca do atraso do profissional. E quem ouve são as recepcionistas, as atendentes.


O próprio telefone tem se tornado uma arma violenta, na boca de uns tantos. Através dele, as criaturas se permitem gritar, esbravejar e dizer palavras que, normalmente, face a face, corariam de vergonha em utilizar.


Por tudo isso é deveras importante que principiemos a nos exercitar para agir nas mais intrincadas situações, a fim de evitar cedermos à onda de agressividade e má educação, que parece levar de roldão a quase todos.


Usar expressões mágicas como: Por favor. Seria possível? Poderia me fazer a gentileza? Com licença funcionam muito bem.


Contudo, preparar-se para desarmar quem agride, é imprescindível, mesmo para se evitar ser envolvido em situações constrangedoras.


Ante um funcionário que reclama do que lhe é solicitado, de bom alvitre solidarizar-se com ele, com frases como: Dificultosa esta sua tarefa, não é? Ou Deve estar sendo um dia difícil, não é mesmo?


Perante o cliente enfadado pela demora de mercadoria não recebida, do horário não respeitado, mostrar-se disposto a ajudar, verificar as razões da demora e informar com paciência.


Temos, de um modo geral, medo de pedir desculpas pois acreditamos que isto significa estar assumindo um erro, que nem sempre é nosso.


Mas na verdade, desculpar-se significa tomar ciência da frustração do cliente e atender a sua reclamação.


Em todo momento, buscar soluções é melhor do que perder tempo com discussões e resolver os problemas, antes que mais se agravem.


Promover a paz nem sempre significa sentar-se à mesa internacional das negociações para decidir sobre a extinção de minas terrestres, de armas nucleares.


Mas, com certeza, quer dizer desarmar-se, amar-se e amar o próximo, propondo e dispondo a calma, a sensatez e o entendimento.


* * *


Jesus, no Sermão da Montanha, declarou que seriam bem-aventurados os pacíficos, porque seriam chamados filhos de Deus.


Pacífico significa amigo da paz.


Paz é condição intrínseca da criatura, que se reflete em suas atitudes, dissertando da harmonia de que se reveste, não podendo ser alcançada senão à custa da disciplina e de férrea vontade.


Com base no cap. 5, versículo 9 do Evangelho de Mateus e no artigo Só discute quem quer, da revista Seleções do Reader´s Digest, de junho de 1997

VAMPIROS DE ENERGIA

VAMPIROS DE ENERGIA:

São pessoas que nos derrubam literalmente.

O vampiro pode estar ao seu lado: 10 formas para identificá-lo(s).

Existe um tipo de vampiro que é de carne e osso, com quem convivemos diariamente. Estamos falando dos "Vampiros de Energia".

Os Vampiros de Energia são pessoas de nosso relacionamento diário.

Pode ser nosso irmão(a), marido/esposa, empregado, familiar, amigo de trabalho. vizinhos, gerente do banco, ou seja, qualquer pessoa de nosso convívio, que está roubando nossas energias, para se abastecer. Eles roubam nossa energia vital. Mas, por que estas pessoas sugam nossa energia, afinal?

Bem, em primeiro lugar a maioria dos Vampiros de Energia atuam inconscientemente, sugando a energia de suas vítimas, sem saber o que estão fazendo.

O vampirismo ocorre porque as pessoas não conseguem absorver as energias das fontes naturais (cósmicas, telúricas, etc), tão abundantes, e ficam desequilibradas energeticamente.

Quando as pessoas bloqueiam o recebimento destas energias naturais (ou vitais), elas precisam encontrar outras fontes de energia mais próxima, que nada mais são do que as outras pessoas, ou seja, você.

Na verdade, quase todos nós, num momento ou outro de nossas vidas, quando nos encontramos em um estado de desequilíbrio, acabamos nos tornando Vampiros de Energia alheia.

Tipos de vampiros:

Mas, como identificar estas pessoas, ou estes vampiros?

Em estudos feitos, foram identificados os seguintes tipos de vampiros (você provavelmente conhece mais de um):

a) Vampiro Cobrador: Cobra sempre, de tudo e todos. Quando nos encontramos com ele, já vem cobrando o por que não lhe telefonamos ou visitamos. Se você vestir a carapuça e se sentir culpado, estará abrindo as portas.

O melhor a fazer é usar de sua própria arma, ou seja, cobrar de volta e perguntar por que ele não liga ou aparece. Deixe-o confuso, não o deixe retrucar e se retire rapidamente.

b) Vampiro Crítico: é aquele que critica a tudo e a todos, e o pior que é só critica negativa e destrutiva. Vê a vida somente pelo lado sombrio. A maledicência tende a criar na vítima um estado de alma escuro e pesado e abrirá seu sistema para que a energia seja sugada.

Diga "não" às suas críticas. Nunca concorde com ele. A vida não é tão negra assim. Não entre nesta vibração. O melhor é cair fora e cortar até todo o tipo de contato..

c) Vampiro Adulador: é o famoso "puxa-saco". Adula o ego da vítima, cobrindo-a de lisonjas e elogios falsos, tentando seduzir pela adulação. Muito cuidado para não dar ouvidos ao adulador, pois ele simplesmente espera que o orgulho da vítima abra as portas da aura para sugar a energia.

d) Vampiro Reclamador: é aquele tipo que reclama de tudo, de todos, da vida do governo, do tempo, etc. Opõe-se a tudo, exige, reivindica, protesta sem parar. E o mais engraçado é que nem sempre dispõe de argumentos sólidos e válidos para justificar seus protestos. Melhor tática é deixá-lo falando sozinho.

e) Vampiro Inquiridor: sua língua é uma metralhadora. Dispara perguntas sobre tudo, e não dá tempo para que a vítima responda, pois já dispara mais uma rajada de perguntas. Na verdade, ele não quer respostas e, sim, apenas desestabilizar o equilíbrio mental da vítima, perturbando seu fluxo normal de pensamentos.

Para sair de suas garras, não ocupe sua mente à procura de respostas. Para cortar seu ataque, reaja fazendo-lhe uma pergunta bem pessoal e contundente, e procure se afastar assim que possível.

f) Vampiro Lamentoso: são os lamentadores profissionais, que anos a fio choram sua desgraças. Para sugar a energia da vítima, ataca pelo lado emocional e afetivo. Chora, lamenta-se e faz de tudo para despertar pena. È sempre o coitado, a vítima.

Só há um jeito de tratar com este tipo de vampiro, é cortando suas asas. Corte suas lamentações dizendo que não gosta de queixas, ainda mais que não elas não resolvem situação alguma.

g) Vampiro Pegajoso: investe contra as portas da sensualidade e sexualidade da vítima. Aproxima-se como se quisesse lambê-la com os olhos, com as mãos, com a língua. Parece um polvo querendo envolver a pessoa com seus tentáculos. Se você não escapar rápido, ele irá sugar sua energia em qualquer uma das possibilidades:

Seja conseguindo seduzi-lo com seu jogo pegajoso, seja provocando náuseas e repulsa. Em ambos os casos você estará desestabilizado, e, portanto, vulnerável. Saia o mais rápido possível. Invente uma desculpa e fuja rapidamente.

h) Vampiro Grilo-Falante: a porta de entrada que ele quer arrombar é o seu ouvido. Fala, absoluto, durante horas, enquanto mantém a atenção da vítima ocupada, suga sua energia vital. Para livrar-se, invente uma desculpa, levante-se e vá embora.

i) Vampiro Hipocondríaco: cada dia aparece com uma doença nova. Adora colecionar bula de remédios. Desse jeito chama a atenção dos outros, despertando preocupação e cuidados. Enquanto descreve os pormenores de seus males e conta seus infindáveis sofrimentos, rouba a energia do ouvinte, que depois sente-se péssimo.

j) Vampiro Encrenqueiro: para ele, o mundo é um campo de batalha onde as coisas só são resolvidas na base do tapa. Quer que a vítima compre a sua briga, provocando nela um estado raivoso, irado e agressivo.. Esse é um dos métodos mais eficientes para desestabilizar a vítima e roubar-lhe a energia.

Não dê campo para agressividade, procure manter a calma e corte laços com este vampiro.

Agora que você já conhece como agem os Vampiros de Energia, vá a caça deles, ou melhor, saia fora deles o mais rápido possível .

Mas, não esqueça de verificar se você, sem querer, é obvio, não é um destes tipos de Vampiro...

Mestre Kazagrande

FERNANDO PESSOA

"É sempre preciso saber quando uma etapa chega ao final...

Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedida/o do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver noutro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?

Você pode passar muito tempo perguntando-se por que tal aconteceu...

Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas na sua vida, serem subitamente transformadas em pó.. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: os seus pais, os seus amigos, os seus filhos, os seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.

O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor a fazermos é deixar que elas realmente possam ir embora...

Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.

Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo no nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar. Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.

Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.

Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam o seu esforço, que descubram o seu gênio, que entendam o seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando e nada mais..

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceites, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".

Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.

Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.

Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.

Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e transforme-se em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és..

E lembra-te:

Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão"

Fernando Pessoa

A GRANDE JORNADA

Rezo para que meus irmãos cresçam e evoluam espiritualmente,


para que possamos nos ajudar, na grande jornada evolutiva!


Ao ser humano, mesmo em seu alto estado evolutivo,


não lhe é dado o conhecimento de vidas passadas,


pois esse conhecimento o faria estagnar em sua atual jornada.


Quando doamos algo a alguém, pouco vai e pouco fica.


Mas tenho a certeza que, indiretamente,


a maior recompensa é a que misteriosamente retorna.


Eu não temo o progresso, pois não posso perder o que ainda não tenho.


O progresso não caminha junto com a ganância.


Um acontecimento só é uma tragédia quando dele não se aprende nada.

ACREDITO


Acredito que mesmo distante, o pensamento é energia e quando vem do fundo do coração, transforma-se em lembrança e da lembrança o sorriso e deste a vontade de ligar, de escrever ou de simplesmente responder um e-mail.

Não deixe a chama da amizade se apagar, seja leal, honesto e acima de tudo amigo. Pois de todos os sentimentos que levamos quando despertamos na morte, a amizade é tudo que temos, pois dela nascem todos os sentimentos que nos unem pelo coração, a alegria, a paz, a humildade, a sinceridade, e o amor...

Onde ambos se completam e mesmo ausentes, ou distantes, jamais se distanciam ou se esquecem porque um é a metade do outro...

A amizade não existe sem amor e o amor não nasce, cresce e reproduz sem a amizade.

De tudo que podes ser na vida o mérito maior é SER AMIGO.

O que percebemos hoje, é que as pessoas se machucam e se agridem por tão pouco, talvez seja por isso que nas grandes dores de nosso corpo físico e/ou espiritual, Deus se mostra tão misericordioso e nos abençoe com anjos sem asas que são nossos verdadeiros amigos.

Não! Acredito que não seja necessário sentirmos a dor de uma despedida, para percebemos a importância de uma presença amiga.

Não é necessária uma lágrima rolando para enxergarmos um belo sorriso.

E não é necessário pedir perdão para aprender a perdoar.

E que não seja necessário a ida física para percebermos a grandiosidade de uma alma bela e florida que encanta nossos jardins, que aqui chamo de vida e que essas flores, pétalas filhas e perfumadas do mais profundo e dileto amor aqui chamarei de AMIGO.

UMA PRECE


Que Deus não permita que eu perca o
romantismo,mesmo eu sabendo que as rosas não falam;
Que eu não perca o otimismo, mesmo sabendo
que o futuro que nos espera não é assim tão alegre;
Que eu não perca a vontade de viver,
mesmo sabendo que a vida é,
em muitos momentos, dolorosa;
Que eu não perca a vontade de ter grandes amigos,
mesmo sabendo que com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas;
Que eu não perca a vontade de ajudar as pessoas,
mesmo sabendo que muitas delas são
incapazes de ver, reconhecer e retribuir esta ajuda;
Que eu não perca o equilíbrio, mesmo
sabendo que inúmeras forças querem que eu caia;
Que eu não perca a vontade de amar,
mesmo sabendo que a pessoa que eu mais
amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim;
Que eu não perca a luz e o brilho no olhar,
mesmo sabendo que muitas coisas que verei
no mundo escurecerão meus olhos;
Que eu não perca a garra, mesmo sabendo que a derrota
e a perda são dois adversários extremamente poderosos;
Que eu não perca a razão, mesmo sabendo que
as tentações da vida são inúmeras e deliciosas;
Que eu não perca o sentimento de justiça,
mesmo sabendo que o prejudicado possa ser eu;
Que eu não perca o meu forte abraço,
mesmo sabendo que um dia meus braços estarão fracos;
Que eu não perca a beleza e a alegria de ver,
mesmo sabendo que muitas
lágrimas brotarão dos meus olhos
e escorrerão por minha alma;
Que eu não perca o amor por minha família,
mesmo sabendo que ela muitas vezes me
exigirá esforços incríveis para manter sua harmonia;
Que eu não perca a vontade de doar este enorme
amor que existe em meu coração,mesmo sabendo
que muitas vezes ele será subestimado e até rejeitado;
Que eu não perca a vontade de ser grande,
mesmo sabendo que o mundo é pequeno.

E acima de tudo...

que eu jamais me esqueça de que Deus me ama infinitamente,
de que um pequeno grão de alegria e esperança
dentro de cada um é capaz de mudar e transformar
qualquer coisa, pois
A VIDA É CONSTRUIDA NOS
SONHOS E CONCRETIZADA NO AMOR!'

EDUCAR COM SABEDORIA

A educação é a arte de formar o carater. E não há melhor período para educar do que o da infância, em que a criança é mais suscetível aos ensinamentos.

A garotinha, de pouco mais de três anos de idade, tentava rabiscar a agenda da mãe e esta lhe dizia, com carinho, apontando o caderno que estava ao lado: "filha, esta agenda é da mamãe, e este caderno é seu. Você pode escrever no seu caderno, não na agenda da mamãe. Está bem?"

A filha tentou, disfarçadamente, mais algumas vezes, mas a mãe se manteve firme no propósito de educar e colocar limites nas ações da criança.

Minutos depois, o pai entrou na sala e a menina fez uma nova tentativa. Levou o lápis sobre a agenda da mãe, mas o pai a orientou: "querida, escreva no seu caderno e não na agenda da mamãe."

A garotinha, esperta como toda criança, sentiu que não teria a ajuda do pai e passou a agir certo.

Se o pai tivesse apoiado a atitude da filha, contrariando as orientações da mãe, certamente a criança saberia onde buscar aprovação quando a mãe lhe negasse algo.

Felizmente aquele casal sabia educar com sabedoria, falando a mesma linguagem para que a filha não tivesse outra opção a não ser obedecer.

Todavia, nem todos os casais agem dessa forma. Lamentavelmente, há pais e mães que agem de maneira infantil para conquistar o amor dos filhos, fazendo concessões que deseducam a criança e deformam seus caracteres.

Se a mãe diz não, o pai diz sim, e se o pai diz não, a mãe permite. Essa disparidade é extremamente prejudicial, pois a criança se sente insegura ou passa a tirar vantagem da situação.

Quando não consegue a aprovação da mãe para seu intento, ela busca o pai, e vice-versa. A criança passa a fazer um jogo perigoso entre os pais, colocando, tantas vezes, um contra o outro, ou chantageando a um ou outro.

Ademais, o filho fica sem parâmetro, não sente firmeza nas orientações que os pais lhe passam, pois o que um diz o outro desdiz.

Por essa razão, os pais devem ter sempre, pelo menos diante dos filhos, a mesma posição. Sim, sim. Não, não.

Se um, ou outro, não concordar com a orientação que foi dada, depois, a sós, discutem a questão, mas nunca na frente dos filhos.

O mais lamentável, ainda, é quando um dos cônjuges se une ao filho para criticar ou depreciar o outro, desmoralizando-o para tirar algum tipo de vantagem afetiva.

Importante lembrar que a criança deve ser educada para respeitar limites.

E os limites devem ser estabelecidos desde cedo, como, por exemplo, não permitir que ela tome conta de tudo, como se fosse a dona do mundo.

Na hora de brincar, a criança deve saber quais são os limites do seu "território".

Ela poderá usar seus brinquedos, seu espaço, seus pertences, e nunca os aparelhos de áudio e vídeo, controles remotos, vasos de flores ou outros objetos da casa.

Os limites são de extrema necessidade para que a criança cresça consciente de que vive num mundo onde vivem também outras pessoas, que também têm direitos tanto quando ela.

Se você, pai ou mãe, ainda não havia pensado nisso, pense agora.

Pense que a única maneira de evitar conflitos e desgastes na relação com seus filhos adolescentes, mais tarde, é educar bem a criança, hoje, enquanto ela está receptiva.

Pense nisso!

A educação é a arte de formar caracteres. E não há melhor período para educar do que o da infância, em que a criança é mais suscetível aos ensinamentos.

É por essa razão que o Criador faz com que o espírito encarnado passe por esse período, de mais ou menos 7 anos, para receber dos educadores uma base de valores morais sólidos a fim de se conduzir com dignidade na fase adulta.

Pense nisso e analise seriamente sua importante missão de educador.

SER JAGUAR


SER JAGUAR, OU QUERER SER JAGUAR, OU ARROGAR-SE O DIREITO DE USAR UM COLETE...

Muitos alegam sê-lo, por terem sido "iniciados"...

Outros por terem sido "iniciados" e ser filhos de jaguares...

Outros tanto usam palavras bonitas, construções verbais adequadas para "sensibilizar" e apresentar suas classificações...

Alguns são reconhecidos porque conheceram Tia Neiva, são veteranos e posam de cidadãos conhecedores de seu acervo...

Outros, omissos, displicentes, falastrões se dizem Jaguares...

Outros mais, mercantilistas, vêem no Vale do Amanhecer a oportunidade de encontrar incautos, crentes e confiantes “irmãos” para "usá-los" em sua busca de poder, certos de que o "colete com classificações" o dá o verniz que precisam para robustecer seus argumentos...

Alguns outros vão e vem... Sem nunca terem feito nada!

Absolutamente nada! Não suaram seus coletes!

São velhos no tempo de doutrina. Só isto.

Só falam e criticam, sem nunca terem arregaçado as mangas das camisas e suado pelos ideais de Tia Neiva, mas se dizem jaguares...

A Doutrina do Amanhecer sempre foi e continuará sendo o que sempre foi!

Sempre foi a coragem de Tia Neiva! A chegada em uma época de passagem da Terra em momentos de grandes mudanças!

Um instantâneo do momento vivido e ao mesmo tempo uma amostragem do todo!

Se hoje faz muito menos do que verdadeiramente poderia, é porque os que “se dizem jaguares” de hoje nada fazem.

Falam mais que fazem.

Criticam mais que produzem. Como é fácil criticar...

Os verdadeiros jaguares que vibram e sentem a Doutrina em suas veias, que além de "estarem jaguares", são, efetivamente, JAGUARES, sentem-se ultrajados ao ver tudo isto...

“Mestres” que não cumprem suas mais simples promessas, seus solenes juramentos...

Aqueles ficam tristes ao ver os seus irmãos trapacearem, mentirem, perjurarem, enganarem seus irmãos, seus afilhados, seu Templo, e arrogarem-se o direito de serem chamados: JAGUAR!

Nossos “segredos” já estão na Internet! O Acervo Doutrinário!

Ah, para quem não sabe, até mesmo descrições de trabalhos, Leis e Chaves Ritualísticas, exclusivas de Centuriões, também!

Jaguar não pode ser reconhecido pelo conhecimento do acervo!!!

Jaguar é aquele que cumpre seus solenes juramentos, honrando, respeitando, protegendo, amparando, ensinando, aprendendo aos que o rodeiam, familiares, amigos e Irmãos de Doutrina!

Jaguar lembra todos os dias do primeiro e tão simples compromisso da Iniciação: os Três horários!

Jaguar é aquele que não engana o próximo, com mentiras, promessas e projetos inalcançáveis, nem a si mesmo!

Jaguar é JAGUAR... Aquele que usa e honra seu colete.

Jaguar é o socorro do fim de um ciclo! É aquele que recebe de braços abertos até mesmo aquele que desesperado está para lhe agredir.

Jaguar respeita o “Estatuto do Jaguar”:

I. Amar ardentemente a caridade.

II. Colocar-se no lugar do paciente socorrido.

III. Considerar a situação constrangedora da pessoa menos feliz.

IV. Amparar com discrição e gentileza.

V. Encontrar tempo para ouvir os necessitados.

VI. Nunca ferir alguém com indagações ou observações inoportunas.

VII. Abster-se de quaisquer exibições de superioridade.

VIII. Usar a máxima paciência para que o necessitado se interesse pelo auxílio que se lhe ofereça.

IX. Jamais demonstrar qualquer estranheza ante os quadros de penúria ou delinqüência, buscando compreender fraternalmente as provações dos pacientes ou irmãos em sofrimento.

X. Respeitar a dor alheia, seja ela qual for.

XI. Aceitar os hábitos e os pontos de vista do paciente assistido ou do irmão, sem tentar impor as próprias idéias.

XII. Tolerar com serenidade e sem revides quaisquer palavras de incompreensão ou de injúria que venha a receber.

XIII. Esquecer os melindres pessoais.

XIV. Evitar cochichos ou grupinhos para comentários de feição pejorativa.

XV. Dedicar-se ao trabalho espiritual para ser mais útil.

XVI. Não apenas verificar os males que encontre, mas, verificar-lhes as causas para contribuir com o reajuste.

XVII. Cultivar sistematicamente a oração e os nossos três horários.

XVIII. Admitir os pacientes não somente na condição de pessoas que se candidatam a recolher os benefícios que lhes possamos prestar, mas, também, na qualidade de companheiros que nos fazem o favor de receber-nos a assistência, promovendo e facilitando a nossa aproximação de Pai Seta Branca.

Este deveria ser nosso verdadeiro e único estatuto!

Adjunto Anavo

Mestre Kazagrande
(Estatuto Adaptado de Psicografia de André Luiz, por Chico Xavier)

JESUS EM NÓS


Contempla o quadro sublime da natureza, ante o sol da manhã. Tudo brilha ao clarão do Céu.

Aqui, a lama reflete cintilações, além, o grão de areia assemelha-se a pequeno diamante perdido, e a poeira esparsa lembra filigranas de luz.

Assim, também, no grande mundo de nossa alma, quando Jesus encontra meios de fulgurar em nós, tudo é amor e criação, alegria e serenidade.

Envolvidas em seus divinos raios, a tristeza ou a dor, a necessidade ou a luta representam estímulos à caminhada de ascensão.

Não empanes a glória do astro vivo da fé com a sombra do desânimo ou da indiferença.

Abre as janelas do Ideal à Bênção do Senhor.

Deixa que o pensamento santificante do Mestre te invada o campo íntimo e ouvirás, em ti mesmo, o cântico da paz e do bom ânimo em perene ressurreição.

A existência é o resultado de nossos desejos.

O destino responde às nossas aspirações.

A Graça de Deus vibra em toda parte. É imprescindível, porém, saibamos dilatar a própria visão, de modo a não perder-lhe o favor e o ensinamento.

Cansaço e amargura são ilusões.

Dissabores e desencantos são simples experiências.

Brilhe o sol de Jesus em nossa alma, e tudo será, dentro de nós, entusiasmo de fazer o bem, alegria de viver e privilégio de servir, em plena juvenilidade espiritual para a Vida Eterna.

pelo Espírito Agar - Do livro Cartas do Coração. Psicografia Francisco Cândido Xavier.

PROVAS IRREVELADAS

Do ponto de vista moral, há bastante infortúnio escondido em toda a parte. Nos ambientes mais diversos, nos momentos em que menos se espera, com as pessoas fisionomicamente mais seguras de si, a aflição desponta inesperada e o pranto pode estar surgindo às ocultas.

Desilusão, moléstia, revolta e desalento não afluem, em muitos casos, à face das circunstâncias exteriores.

Familiar decepcionado com o noticiário desairoso que vem a saber com respeito ao parente querido.

Jovem agoniada na frustração de projetos matrimoniais.

Pai fustigado pela doença incurável de um filho.

Mãe ansiosa pela reconciliação impraticável com o pai de sua prole.

Cavalheiro bem posto, mas absolutamente inconformado com a deficiência física de que se sabe portador, sem que os outros percebam.

Viúva atormentada pela falta de garantias no lar.

Cônjuge que não mais confia na companheira de vinte anos.

Homem ferido pela consciência na fase de transição entre um passado recente de erros e um futuro de maiores acertos.

Chefe enfermo de família numerosa, repentinamente desempregado.

Criatura robusta e aparentemente normal, envolvida em tramas de obsessão.

Aprendamos com a Doutrina Espírita que o pretérito se reflete no presente e que a lei de causa e efeito funciona em qualquer paisagem social, com qualquer pessoa, em todos os bastidores profissionais e em todos os dias.

Ponderemos nisso, a fim de não faltarmos com o apoio devido à harmonia que nos cabe manter nos domínios da vida.

Se alguém lhe respondeu asperamente, se um amigo aparece incompreensivo, se aquele companheiro passou de súbito a dedicar-lhe antipatia gratuita, se aquele outro lhe abalroa as edificações espirituais e se muitos não lhe correspondem, de leve, às esperanças, suponha semelhantes irmãos presos mentalmente a problemas irrevelados de angústia e coloque-se na posição deles, com as provas e desvantagens que experimentam, e decerto você se compadecerá de cada um, dispondo-se a auxiliá-los.

Nem sempre a voz corrente fala tudo o que vai nas almas.

Repitamos para nós que a verdadeira caridade se resume na compreensão para além das aparências dos espíritos com os quais se convive, perdoando e ajudando silenciosa e desinteressadamente, de nossa parte, onde estejamos, como se faça necessário e tanto quanto seja possível.

pelo Espírito André Luiz - Página recebida pelo médium Waldo Vieira, em reunião pública da Comunhão Espírita Cristã, na noite de 19-10-64, em Uberaba, Minas. fevereiro, 1965.

Luther King


"Não vejo a miséria no mundo a grassar


Não vejo jamais os problemas sociais


Não ouço o clamor do que sofre


Não ouço a voz da minha consciência


Calo-me ante o ódio, a dor e a maldade


Calo-me também, à tortura e à violência..."


Não ouço, não vejo, me calo...


"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, dos corruptos,


dos desonestos, dos sem carácter, dos sem ética.


O que mais preocupa é o silêncio dos bons".


Martin Luther King, Jr.


A glória não consiste em jamais cair, mas sim de erguer se toda vez que for necessário!


Kazagrande

FIM DE ANO

Como é bom poder manter este contato informatizado com vocês, neste canal de forças desbravado pelo Adjunto Apurê, principalmente ao final de um ano tão intenso e que tão rapidamente passou por nossas vidas.

O final do ano é tradicionalmente é um momento de reflexão, de avaliar o quê aconteceu e também lembrar tudo o quê conseguimos realizar de bom. Percebo, ao olhar para trás, que todos mudamos bastante, e em profundidade... Nos encontramos ainda mais focados na caminhada, em sintonia mútua e com a consciência amplamente desperta. Chegamos ainda mais unidos e inteiros ao término deste ciclo de nossa existência aqui no Planeta Azul.

Mesmo que estejamos sofrendo bastante - junto com a Mãe Natureza, nas mãos dos governantes de plantão e de outros poderosos, ainda afastados do amor verdadeiro, ignaros de sua própria essência divina, creio mesmo seja tempo de festejar, de celebrar. Não tanto em função dessa barulhenta e consumista data consagrada a papai noel, esta figura que em nosso clima se torna no mínimo esquisita, que veio sorrateiramente a substituir, quase por completo, a bonita tradição dos presépios, do Menino Jesus nascido em pobre manjedoura, o Salvador que resgataria, com seu exemplo e suas palavras, os seres humanos de seu egoísmo, de sua ignorância, de sua condição sombria...

Refiro-me à nossa caminhada, à nossa busca interior e às novas ferramentas que agora temos à disposição. Sim, olhando para trás verificamos que avançamos na direção correta, assimilamos melhor as experiências que nos viram como protagonistas: é compensador aliviar o fardo das emoções represadas, vale a pena viver no aqui e agora, é preciso semear bondade, carinho e presença.

Descobrimos que somos muitos, que a distância não separa, que o perdão - e não o tempo-, cura as feridas. Aprendemos a viver com simplicidade, a priorizar o SER em vez do TER, a olhar para dentro e, no silencio, encontrar as respostas. E, decididamente, através do site interagimos e partilhamos nossas experiências, descobertas e intuições...

E o ruído confuso, incessante e outrora perturbador do mundo que nos cerca, começa a ficar mais distante e a incomodar cada vez menos... Sabemos tratar-se de algo passageiro, de aprendizado, lembramos que estamos aqui a serviço e não para passar férias, visto que não somos turistas ou passageiros distraídos e sim tripulantes cada vez mais preparados, engajados e hábeis a bordo da espaçonave da Doutrina do Amanhecer.

O caminho da evolução do espírito é longo, na realidade não tem fim, mas é o que salvará a todos, pois não há outra saída mágica ou que possa ser implantada por decreto. Os atalhos - nesse caso, não estão à disposição. E não será a maioria dos detentores de pomposos títulos, de altissonantes classificações ou possuidores de espantoso volume de bens materiais a elevar a vibração do sistema, a nos guiar ou acompanhar até a "nossa verdadeira casa". Para passar de fase precisaremos sutilizar a nossa Alma, deixando-a transparente, impoluta, sem manchas, culpas ou teias que a impeçam de se elevar, de voar livremente. E Pai João me pede aqui para lembrar que o pecado não é bem aquele que se encontra nos espreitando e ameaçando a partir das paginas de estatutos e novas constituições jurídicas, ou gritado pela intolerância dos que ostentam algo que não lhes pertence...

Estamos cometendo "pecado" somente quando agimos contra a Unidade da Doutrina, ferindo deliberadamente outros irmãos, encarnados ou desencarnados.

E nosso site conseguiu sobreviver aos ataques, a incompreensão, até mesmo às armadilhas do “Registro BR”. O engajamento na missão continua absoluto; a realimentação que recebemos aqui, nos permite reafirmar que estamos nesta jornada com a necessária coragem e determinação a nossa missão, a missão de vida que escolhemos antes de chegar por aqui, a missão de Jaguar!

Se você tem acompanhado as histórias, as mensagens, as repostas aos emails e as novas apresentações em Power Point, pense em tudo já leu de bom, naquilo que serviu para você, que pode aproveitar!

Vamos celebrar por estarmos unidos em Pai Seta Branca, independente do templo que você esteja, de que parte do Brasil ou do mundo, independente de OSOEC, CTGA, apenas em contato de espírito e aproveitar para desejar um Feliz Natal de Renascimento e um 2010 repleto de Transformação no Amor Incondicional!

Adjunto Anavo

Mestre Kazagrande

Filho Adotivo de Koatay 108 em Tia Neiva