quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Um Adjunto de Verdade – Adjunto Afaram


Há aproximadamente um ano eu “entreguei os pontos”... Tudo o quê poderia dar errado havia acontecido.

Estava em um país estranho, com costumes diferentes, idioma ainda por dominar, sem nenhum trabalho, sem recursos e sem perspectivas. Praticamente esperava a catástrofe acontecer sem qualquer possibilidade palpável de revertê-la.

Passava o hoje, temeroso pelo amanhã.

Mas por quê? Tudo estava tão bem planejado... Eu era tão capaz! Homem da mídia, formador de opiniões, influente e muito bem remunerado, estava acabado! O quê tão facilmente reconstruíra, desabava novamente sem que eu pudesse compreender e aceitar.

Espiritualmente abandonado por quem deveria me socorrer fisicamente naquela hora, mesmo que fosse com uma palavra de coragem, restou-me mergulhar nas coisas do espírito! Não havia mais nada!

Voltei a estudar, a escrever, buscando livrar a mente das dores psíquicas impostas pela incerteza e pela dúvida.

Resgatei a oração, a resignação, a humildade. Sufoquei a revolta, o orgulho, a vaidade.

Ao ter por fim o padrão vibratório em condições de ser auxiliado, por que quando pedimos ajuda aos Céus, ela só chega até você se você puder receber, as “coincidências” da Lei da Atração começaram.

Minha esposa encontrou um Mestre com que eu nunca havia falado em um ônibus. E este perguntou por mim, sem sequer me conhecer. Pediu que eu o procurasse. Um tanto decepcionado pela atitude de quem poderia e mesmo deveria ter me auxiliado antes, decidi não procurá-lo. Outra semana e outro encontro. Em outro lugar de uma forma totalmente imprevisível.

Decidi então procurá-lo. Ele não tinha dinheiro para oferecer, não ocupava uma posição que pudesse me dar emprego, vivia com suas próprias dificuldades como todo Jaguar comum.

Mas teve uma palavra de ânimo, uma boa vontade inspirada e amor fraterno que deveria unir todos os Jaguares.

Elevou mais meu padrão, encontrou pequenos serviços que poderia realizar. Alguns humildes, outros mais técnicos, e assim levou-me a acreditar que ainda seria possível me reerguer das cinzas.

Analisando hoje, vejo que não foi nada de “especial”. Foi apenas o acolhimento de um irmão com a palavra serena de incentivo, “a mão e a voz amiga de um Preto Velho” que vinha trazer o ânimo, elevar o padrão, para que assim os caminhos da mente se abrissem e criassem no presente um futuro melhor.

Como seria bom se todos nós olhássemos para o lado e enxergássemos o nosso irmão Jaguar... Precisando de carinho, de acolhimento, de uma palavra de força e coragem.

Como seria bom se considerássemos, baseados em nossa própria vivência, que nem sempre o homem consegue ouvir um Preto Velho, pois precisa da palavra vinda da experiência pessoal de um encarnado como ele.

Nossos Mentores estão sempre ao nosso lado, para nos inspirar, para nos intuir, para usar de nossa própria experiência na Terra revelando ao irmão que “é possível sim!”.

Salve Deus! Hoje venho registrar minha homenagem ao boliviano Mestre Bóris Villegas, do Adjunto Yumatã, que ao passar em minha vida despertou a coragem que a fé necessitava.

Meu irmão Bóris! Que suas pegadas sobre a terra sejam sempre marcos preciosos, atestando que por estes caminhos, passa um ser humano que se lembra do exemplo do Divino Mestre e sabe, como Ele, doar-se com amor aos seus irmãos em um ideal construtivo e gratificante

Da mesma forma onde o jardineiro não consegue tirar das mãos o perfume das flores que colhe, que sua jornada leve sempre o perfume do respeito e gratidão que tenho por você. Salve Deus!

Kazagrande

2 comentários:

Momentos difíceis, situações complicadas, de repente chega o auxílio de irmãos certos na hora certa; esta é a verdadeira caridade cristã, a verdadeira conduta doutrinária.
A sua gratidão aqui exposta mostra o que é a verdadeira essência da nossa doutrina.
Deus, Jesus, Pai seta Branca e todos os seus mentores continuem te assistindo e abençoando nesta sua grandiosa missão meu irmão.

Salve Deus!

Salve Deus!

Deus se revela em tudo que vivemos e ele nunca nos abandona, nós é que não enxergamos na mão amiga, na palavra de carinho ou até naquela reprimenda carinhosa que nos fazem, alertando para a fé... a fé, força gigantesca que move a solução das nossas vidas de encontro as nossas necessidades. Obrigado por nos lembrar do quanto recebemos retorno para as nossas preces.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.