quarta-feira, 20 de julho de 2011

Reflexão – Instrutores - 01


Considerando a primeira parte da carta de Tia Neiva, postada com o título de “Para os Instrutores – 01” podemos ver claramente que nossa Mãe Clarividente desejava um esclarecimento de amplo aspecto em relação à recepção dos Aspirantes.

O lugar que ocupam é previamente preparado pela Espiritualidade, a palestra inicial, que muitos podem considerar repetitiva, já faz parte deste preparo inicial, da harmonização do futuro médium da Doutrina do Amanhecer, visando entrar em contato com sua Individualidade. Com este preparo inicial os problemas são deixados do “lado de fora do Templo” e somente os assuntos doutrinários devem povoar a mente do Aspirante.

Assim, a palestra, além de obrigatória e recomendada para todos os Aspirantes em qualquer uma das etapas (aulas) do Desenvolvimento, já faz parte desta Contagem e não pode ser dispensada, tendo o responsável a necessária busca de elementos que não a tornem repetitiva e desanimadora. Deve agregar sempre algo que o Aspirante possa “descobrir” como novidade!

Consideramos que quem foi recomendado a desenvolver pela Espiritualidade está com o plexo “encharcado” de energia, e esta energia, atraindo obsessores, está “atravancando” a sua vida. Desse modo, a harmonização e o entusiasmo devem ser premissas do palestrante, e dos instrutores, é claro.

Fala ainda dos riscos de um teste mediúnico mal conduzido... A importância do preparo de quem realiza o teste é fundamental, e deverá ser tema de uma abordagem futura.

Um Doutrinador sendo direcionado para o Desenvolvimento de Aparás é um risco para todos! Sua consciência expandida durante o processo de mediunização amplia seus sentidos na hora da incorporação e uma interferência do próprio aparelho torna-se um mal freqüente. Sim! O Doutrinador pode até incorporar, dependendo do seu nível de excesso energético. O mentor não o vai abandonar e fará o possível para manipular aquela energia de uma forma benéfica. Porém, após as primeiras incorporações, sua verdadeira mediunidade se revela, aumentando sua consciência e gerando fortes dúvidas sobre a incorporação.

Muitas vezes um Doutrinador, sendo desenvolvido como Apará, acreditando que está fazendo o correto, passa a controlar a incorporação com a mente, produzindo diálogos semelhantes a incorporação de um espírito de luz. Daí o grande risco e o alerta de Tia Neiva. O cuidado com o teste e a atenção dos instrutores é fundamental para evitar a formação de um médium fora de sua real característica mediúnica.

Já quando o Apará ficar como Doutrinador o prejuízo diminui, mas não deixa de ser prejudicial. Algumas vezes, devido a faixa cármica que o Aspirante atravessa, com cobradores ferozes que poderiam por a perder seu desenvolvimento, seus Mentores concedem que ele inicie como Doutrinador, porém, após o encaminhamento destas cobranças, a mediunidade de incorporação aflora com força e segurança ainda maior.

Encerrando esta primeira parte, Tia Neiva reforça a necessidade de que o Desenvolvimento seja realizado dentro do Templo! Veja que no inicio ela já dizia que o lugar dele está preparado. Também reforça que deve receber as explicações sobre o fenômeno (a palestra) antes de iniciar os trabalhos técnicos.

Salve Deus!
Kazagrande

1 comentários:

Mestre, seus textos são realmente esclarecedores! Não esqueça de abordar a Verificação de Mediunidade (Teste Mediúnico). Grato

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.