terça-feira, 23 de abril de 2013

O Mestre Lua!


Quem me conhece pessoalmente sabe do especial carinho que sempre dediquei aos Ajanãs.

Um médium de incorporação deve ser respeitado como nossa capacidade máxima de comunicação direta com os planos espirituais.

Ser Apará é uma missão dolorosamente grandiosa. Ouvir, traduzir conhecimentos e instruções que por vezes ainda são muito difíceis para o próprio médium seguir. Imagine o conflito interior que vive um Apará, que com a voz direta, tem que respeitar seu juramento, passando as instruções para um paciente e que muitas vezes ainda não consegue dominar aqueles mesmos instintos.

O Mestre Lua sofre! Sofre a incompreensão dos Doutrinadores, que por vezes o julgam melindrosos, “cheio de dedos”.

Sofre com a incompreensão de si mesmo. De muitas vezes não se sentir digno da grandeza da qual é instrumento.

Sofre com a consciência da incorporação e as dúvidas que se acercam nesta hora.

Ser o instrumento de uma Entidade de Luz implica em ser o seu ouvido o primeiro a ouvir os conselhos, as orientações, as chamadas à razão...

Absorvendo as energias, ao contrario do Doutrinador que as reflete, seu temperamento se torna mais facilmente variável. Manter o controle em ambientes cujo padrão vibratório geral está comprometido é uma árdua tarefa a cada dia. Por vezes se calam simplesmente porque necessitam controlar seu próprio padrão e sentem as influencias com mais intensidade. Ou ainda se afastam, abandonam simplesmente o lugar onde não se sentem mais a vontade.

Compreender o Mestre Lua é uma necessidade fundamental para os Doutrinadores (as). Ser tolerante nos momentos em que fecham. Identificando que algo não está bem e dispondo-se imediatamente a ajudar na mudança de sintonia.

Ser Ajanã é sentir-se uma sombra em um oceano de luz. É compreender primeiro, aceitar primeiro, ouvir primeiro, tolerar primeiro e nem sempre poder esperar a mesma reciprocidade.

Antes de criticar qualquer Ajanã devemos lembrar que é um Doutrinador que conduz as suas aulas de Desenvolvimento. Que o orienta sobre a conduta, lhe passa as instruções e por fim o libera para o atendimento, quando o avalia pronto!

Esta é minha pequena, mas sincera homenagem a todos os Mestres Lua! Revisando e republicando este texto do início da jornada no Exílio do Jaguar. Escrevo para despertar a consciência da missão grandiosa de ser Mestre Lua! De trazer a voz direta como receptáculo de uma Entidade de Luz! De iluminar, consolar, aconselhar e CURAR!

Kazagrande

7 comentários:

Salve Deus Mestre, agradeço em nome dos ajanãs a essa bela homenagem, e como os doutrinadores que precisam compreender e respeita os apará, nós também devemos valorizar e respeita muito esses jaguares e ninfas missionárias doutrinadores, porque estamos todos juntos nessa bela jornada.

Salve Deus! Mestre, Obrigado por reconhecer nossa importancia nessas Linda Doutrina de Nosso Pai Seta Branca! Juntos, Apará e Doutrinador vamos levar essas Doutrina aonde o Pai nos confiou! Salve Deus!

Salve Deus....mestre querido....sou ninfa lua e agradeço pelas belas palavras....que Pai Seta Branca e nossa querida Tia Neiva continue iluminando vossas palavras... Salve Deus!!

Muito esclarecedora esta frase. ...(Absorvendo as energias, ao contrario do Doutrinador que as reflete, seu temperamento se torna mais facilmente variável. Manter o controle em ambientes cujo padrão vibratório geral está comprometido é uma árdua tarefa a cada dia. Por vezes se calam simplesmente porque necessitam controlar seu próprio padrão e sentem as influencias com mais intensidade. Ou ainda se afastam, abandonam simplesmente o lugar onde não se sentem mais a vontade.)... Mestre este pequeno texto responde uma grandiosa dúvida, pude compreender o motivo das atitudes de um ajanã especial. Ninfa Lua. Tagana.

Me senti realmente muito bem ao ler, não só essa mensagem como muitas outras mensagens que você vem passando a nós, jaguares lua, que passamos por diversas dificuldades ao longo do nosso desenvolvimento. Estive como doutrinador por 2 anos e quando chegou a hora de mudar a missão e começar a trabalhar como mestre Lua, apesar de todo o conhecimento que já tinha antes, o "sentir na pele" é uma coisa única que cada apará passa e sabe bem. Realmente, as vezes, saímos com a consciência pesada de certos trabalhos pela consciência que temos na incorporação, e, também pelas dúvidas que ali se originam a respeito da mistificação. Agradeço pelas mensagens aliviadoras e que Deus Pai esteja com todos nós! Salve Deus!

As vezes precisamos de ler palavras simples mas que nos enche, nessa jornada ardua e pesada mas muita das vezes agradavel.Ser mestre lua é esta sempre em conflito consigo msm. Luatando pra chegar ao menos perto de ser um puoco do que transmitimos.

salve deus mestre kazagrande!! um apará ninfa ou jaguar pode trabalhar com mais de 1 preto velho ??????? mim responda por favor...

salve deus!!!

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.