segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

O Interoceptível


Muito se fala sobre interoceptível, mas poucas vezes encontrei algum médium que realmente tenha compreendido do que se trata. Estes dias um leitor observou o termo postado em uma carta de Tia Neiva, que acompanhou o primeiro texto sobre as emissões, e questionou-me sobre o assunto. De modo que creio que é o momento de desmistificar a palavra e traduzi-la para a compreensão da maioria.

Interoceptível é um mecanismo bio-espiritual de equilíbrio de forças. Está complicado?

Vamos simplificar mais então!

Primeiro é necessário entender a diferença entre energias e forças, termos distintos, mas muitas vezes empregados como sinônimos.

As forças nos chegam ao abrirmos nosso canal de emissão. Chega pura da espiritualidade, cabendo a nós, ao unir-la a nossa mediunidade, transmutá-la em energia positiva. A força é neutra, não tem uma carga positiva ou negativa, por isso usei o termo “pura”.

Ao emitirmos, partimos em busca das forças para realização dos trabalhos.

O médium passa por todos estes preparos e se envolve em toda uma ritualística, para que possa colocar-se em condições elevadas de padrão vibratório, e assim transformar estas forças em energia positiva, apropriadas para a Cura Desobsessiva.

Assim entendemos que Energia, na verdade, é a força já em condições de realizar Trabalho.

Interoceptível é um centro de equilíbrio de forças que serão revertidas em energia. É o mecanismo através do qual as forças que recebemos por meio de nossos chackras “da Vida e da Morte” serão equilibradas e convertidas em energia positiva ou, negativa...

As forças nos chegam pelos dois chakras - o da Vida e o da Morte (Jeovah Branco - a Vida - e do Jeovah Negro - a Morte), situados em nossas têmporas direita e esquerda, respectivamente, passando pelo Interoceptível, onde são equacionadas de forma que possam servir ao Trabalho Mediúnico. Veja que estou abordando a questão sob um aspecto claramente mediúnico, e sob a visão de nossa Doutrina, que não se restringe aos famosos “7 chackras”.

O Interoceptível deve manter estas forças em perfeito equilíbrio.

Quando recebemos as forças, elas estão em um estado natural de neutralidade, e a função do Interoceptível, além de manter este equilíbrio, é permitir que sejam aproveitadas positivamente.

Nosso padrão vibratório é que determina como estas forças serão transmutadas em energia. Se estamos mediunizados, e verdadeiramente concentrados na realização da caridade desinteressada, a energia será positiva e útil à cura desobsessiva.

Do contrário, se estamos dispersos, ou envoltos pelos pensamentos do dia a dia, ou por alguma negatividade do padrão, as forças se convergem para o lado negativo, liberando uma energia prejudicial a nós mesmos e a todos que nos cercam.

Ao perder a concentração no trabalho que executa, o poder de equilíbrio do Interoceptível se anula. Por isso tantos detalhes a serem considerados durante um trabalho espiritual. Todos com uma função de também contribuir para a necessária atenção do médium.

Assim, como o Trino Tumuchy nos ensinava, o Interoceptível é o volante do equilíbrio do ser humano.

Nossa energia é emitida na forma de ectoplasma, resultante do agregar das forças espirituais com nosso magnético animal.

Se ao nos dedicarmos ao trabalho estamos com pensamentos negativos, desanimados, sujos, quando realizar a evocação, entramos em desequilíbrio, por deixar de contar com o eficiente mecanismo do interoceptível.

A recepção, no interoceptível, é controlada pela curvatura das mãos. Os dois braços levantados funcionam como dois guias que jogam o feixe de energia para dentro de nós. Se, recebendo esta força toda, tivermos pensamentos contrários, nossa alma vagando por aí, entramos em desequilíbrio e não poderemos conseguir as coisas. Salve Deus!

Como trabalhamos com o lado emocional e intelectual, mesmo estando ligados a nossa individualidade, seu Interoceptível estabelece o equilíbrio de seu pensamento.

Porém o seu interoceptível passa pela sua coluna, pelo seu coração, pelo seu estômago, etc., produzindo, aí, o aspecto emocional, e ele precisa trabalhar dentro de emoções equilibradas.

Assim, se você tem um aborrecimento qualquer, você tem que racionalizar, utilizando sua cabeça. Não espere que as condições do mundo melhorem. Ao contrário, você deve é se preparar para emoções cada vez maiores e mais intensas.

A manutenção da ordem da sua alma é um problema de conscientização. O Jaguar, hoje, não pode mais permitir os desatinos de sua alma, os pensamentos ruins, leviandades, para evitar o desequilíbrio do seu Sol Interior.

Bem, sobre Sol Interior, Ectolítero e Ectolítrio escreveremos em outro texto.

Cabe ainda acrescentar que na ionização, molhamos os dois chakras receptores com os dedos ampliando a capacidade de recepção e ao mesmo tempo protegendo-os.

Kazagrande

Todos somos livres para obter a força do equilíbrio da razão, insinuando, à vezes, um falso comportamento, logo acusado pelo seu INTEROCEPTÍVEL.

Sim, o Interoceptível é a linha de comando da vida e da morte!

Se o Homem, em toda a sua estrutura, pudesse pesar somente para envolver os grandes espíritos... Nada, ninguém está só. Cada criatura recebe de acordo com aquilo que dá. Devemos ter a mente sempre segura. A mente enferma produz o constante desequilíbrio. Não constrói. Acontece, então, a desagregação das células do Interoceptível, afetando o corpo físico, porque o corpo espiritual é quem organiza e mantém o corpo humano. Contém as idéias, diretrizes, a estrutura, as funções biológicas e psicológicas dos vivos.

É incrível as coisas que se desagregam em virtude da mente conturbada. Este fenômeno de manter a individualidade - a conservação ou reprodução da alma - depende da disposição afetiva, caráter, gostos, inclinações elevadas com amor e raciocínio.
Tia Neiva, sem data



*****

Sim, filho, o desenvolvido recebe sua emissão.

Emissão é um canal na linha horizontal, que capta as forças que atravessam o neutrom.

O médium desenvolvido é responsável por dois canais de emissão que se cruzam e estão ligados em seu Interoceptível, formado o seu equilíbrio na conduta doutrinária.

...

Sim, o Interoceptível é como uma balança, cujo fiel é nossa cabeça. Pesando só terra, entra em desequilíbrio!

Tia Neiva, em 8 de abril 1979



*****

O corpo físico é ornamentado pela herança transcendental, que é o charme.

Quando fazemos consagrações estamos justamente buscando nossas heranças.

...

Quero lembrar-lhe que nem toda força que se desagrega é tudo de bom, como acontece em nossos plexos.

Existem em nós forças em pontos vitais que quando se desagregam é tudo de mal!

Lembre-se do interoceptível e as forças incríveis que se desagregam quando nós nos desequilibramos. Nem preciso explicar: é tudo de mal!  
               
Tia Neiva, em 06 de junho de 1984

7 comentários:

Caro Caza,
Tenho acompanhado seu trabalho, tudo de bom, é o que precisamos.
Nesse quesito específico de nossa doutrina, no entanto, - energia e forças - parece estar havendo uma dissonância.
No curso de formação de instrutores de centura de 1987, me parece que foi o primeiro curso a ser gravado, o Trino Arakém nos dá uma visão a respeito.
Embora já ha muito tempo decorrido, e há algum também que ouvi a gravação desse curso pela última vez, parece que o entendimento passado pelo primeiro mestre Jaguar é o contrário do que li agora. Voce pode conferir isso pra nós.... e nos esclarecer?

Felisberto Pereira
Adjunto Japuã - Silvânia-Go

Meu Estimado Irmão Felisberto!

Este conceito, diferenciando energias e forças, foi explicado pelo Trino Tumuchy, embora eu também tenha encontrado algumas situações em que ele emprega indistintamente como sinônimos.

Porém, para facilitar a compreensão do Intereoceptível, sem que obrigatoriamente ter que avançar em Ectolítero, Ectolítrio, Aton e Sol Interior (que pretendo escrever com mais tempo), a diferenciação deste conceito me pareceu apropriada, deixando o texto mais claro para as mentes simples.

Envio, no transcorrer da semana, para seu e-mail pessoal, os textos que embasaram esta explanação, incluindo este conceito de "energia e força" do próprio Trino Tumuchy.

Um fraterno abraço,
Kazagrande

UMA OUTRA COISA QUE ME DEIXA CONFUSO E COM RELAÇÃO AS REVERÊNCIAS QUANDO ESTOU DENTRO DO RECINTO TEMPLÁTICO...EM QUE CIRCUNSTÂNCIAS EU ABRO O PLEXO E EM QUE CIRCUNSTÂNCIAS EU NÃO ABRO? EXISTE FECHAR O PLEXO? SE AFIRMATIVO EM QUE SITUAÇÃO?

Salve Deus!

Excelente lembrança, meu irmao! Assim que possa irei escrever sobre as reverências e abertura de plexo!

Um fraterno abraço,

Kazagrande

Certa vez o saudoso Trino Tumuchy resumiu de forma bem sucinta tais conceitos. Ele disse:

"Força é energia em movimento"

Salve Deus!

Expedito Wagner Junior
Adj. Ogandô
Templo Mãe

salve deus meu irmao kazagrande quase sempre saimos de sintonia dentro de um trabalho e nao nos damos conta da rewsponsabilidade que envolve aquele trabalho nosso irmao veio em busca de ajuda e o que nos passamos para ele nada.

salve deus meu irmao kazagrande gostaria muito que o mestre falasse um pouco mais sobre as herancas que buscamos em nossas consagracoes desde ja muita luz que nosso pai seta branca te ilumine cada vez mais um abraco desse mestre gerson adjunto ajeiro do templo ajuran do amanhecer mage rio de janeiro.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.