sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Mensagem do Ministro Ypuena



A Seguinte mensagem foi gravada na Reunião de Componentes do Adjunto Ypuena em 12 de setembro de 2010. Abaixo republico um texto pertinente a este assunto, que postei no início deste Blog. Kazagrande

Salve Deus meus filhos Ypuena!

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Durante a minha vinda, a minha descida até a mansão hoje, passei por vários jaguares desencarnados, que gritavam, me pedindo que ensinasse a eles a lei do perdão.

O perdão é uma força desobsessiva, que faz, naquele que a exercita, a cura.

O perdão é o maior de todos os dons que o jaguar pode manipular reencarnado. Por isso, Jesus nos ensinou no Sermão da Montanha, base da Doutrina Crística, o Pai Nosso, aonde diz: “Perdoa as nossas dívidas se nós soubermos perdoar-lhes os nossos devedores.”

Eu temo meus filhos Ypuena, que alguns Jaguares, por não saber manipular a lei, a força do perdão, possam perder as suas reencarnações.

Jesus foi o símbolo, no orbe, nesse plano físico, que o perdão cura, o perdão constrói, o perdão faz curar os transcendentes dos que estão reencarnados sobre a lei física. Por isso meus filhos, Lucas, o apóstolo, descreve a crucificação do Cristo. “E Ele dizia em voz baixa e repetidas vezes: - Pai perdoa, eles não sabem o que fazem.”

Então meus filhos jaguares, meus filhos Ypuena, vamos exercitar o perdão aos nossos familiares, aos seus filhos, aos seus pais, aos seus vizinhos, porque o perdão é antes de qualquer coisa, a força maior que o jaguar pode doar a si mesmo.

E, como o exemplo começa em casa, eu quero que o Lacerda chame a sua ninfa à minha presença. (O Ministro Pede ao mestre Lacerda que peça perdão à ninfa Genis e fala também a ela para pedir perdão ao mestre Lacerda. Em seguida, o Ministro promove o pedido de perdão entre o contingente, que cada um peça perdão para os que estão ao seu lado, em voz alta).

Graças a Deus filhos! Salve Deus! Pai João já nos ensinou, há décadas: “Quando matamos, semelhamos aos animais, quando perdoamos somos a imagem e semelhança do Cristo.” Por isso essa força chamada perdão, está no povo Ypuena para manipular em favor dos cegos, dos mudos e dos incompreendidos.

Esse Povo Ypuena, dentro da casa do Pai Seta Branca, exercitando o perdão, cura.

Por isso filhos, vim até vós no dia de hoje, para que nós todos pudéssemos usufruir dessa força e manipularmos o perdão ensinado pelo Cristo.

Quero pedir, nessa oportunidade, que vocês mantenham a conduta doutrinária neste fim de ano, sob todas as formas.

Vamos passar por pesadas turbulências até a Benção do Pai Seta Branca e o povo Ypuena, mais uma vez, será a porta aberta para que nela entre o perdão àqueles que nos estenderem as mãos pedindo socorro. (O Ministro pede ao mestre Lacerda que faça a contagem. Após a realização da contagem, volta a falar).

Salve Deus Lacerda! A missão está cumprida! Está consumada! Estou colocando em suas mãos, filhos Ypuena, uma rosa vermelha. Ela vem do jardim do Pai Seta Branca, o Simiromba de Deus! Boa sorte filhos! Salve Deus! CTPY, 12/09/10.


Perdão? - Todo mundo erra...

Você, certamente, já ouviu ou falou a frase: "todo mundo erra!".

Essa afirmativa está correta, porque a terra é um planeta de provas e expiações, o que quer dizer que neste mundo não há ninguém perfeito.

A perfeição é uma meta que todos nós alcançaremos um dia, mas não pode ser encontrada no atual estágio evolutivo da humanidade terrestre.

Não é outra a razão porque todos ainda cometemos erros, embora muitas vezes tentando acertar.

Tudo isso é fácil de entender, dirão alguns. E mais fácil ainda é tentar justificar as próprias faltas com a desculpa da imperfeição.

Admitir, portanto, que cometemos falhas mais vezes do que gostaríamos, não é difícil. Também não é difícil tolerar os escorregões dos nossos afetos.

No entanto, se você admite que "todo mundo erra", porque é tão difícil relevar as imperfeições alheias?

Porque é tão fácil justificar os próprios erros e tão difícil aceitá-los nos outros?
Se quebramos um copo, por exemplo, logo nos desculpamos dizendo que foi sem querer, e pode ter sido mesmo. Mas, se é outra pessoa que o faz, já achamos uma maneira de criticar, dizendo que é descuidada ou não prestou a devida atenção no que estava fazendo.

Se a esposa não conseguiu servir o almoço na hora que deveria, é porque ficou de conversa fiada com alguma amiga. Mas quando você é o esposo e não dá conta de entregar um serviço no prazo, é porque é um homem muito atarefado.
Quando o marido chega em casa nervoso e irritado, é porque está sobrecarregado de problemas, mas não desculpa se a esposa está impaciente por ter passado o dia todo ouvindo choro de criança e atendendo as tarefas da casa.

Se você é a esposa e tem seus motivos para justificar a falta de atenção com os filhos, em determinado momento, pense que seu esposo também tem suas razões para justificar uma falta qualquer.

Se você é filho e acha que está certo agindo desta ou daquela maneira, entenda seus pais, pois eles também encontrarão motivos para justificar seus deslizes.

O que geralmente ocorre, é que não paramos para ouvir as pessoas que transitam em nossa estrada. O que é mais comum, é criticar sem saber dos motivos que as levaram a se equivocar.

Se temos sempre uma desculpa para nossas faltas, devemos convir que os outros também as têm.

Se assim é, por que tanta inquietação com as ações que julgamos erradas nos outros?

Não tenho a intenção de fazer apologia ou defender o desculpismo, mas, simplesmente, chamar a atenção para o fato de que todos estamos sujeitos a dar um passo em falso. E por isso devemos, no mínimo, entender quando isso acontece.

Se todo mundo erra, temos mais motivos para a tolerância e o perdão.

E se ninguém é perfeito, mais razão para entender as imperfeições alheias.

Ou será que só nós temos o direito a tropeçar?

A terra é uma escola de aperfeiçoamento da humanidade.

As pessoas que aqui estagiam, estão se preparando para conquistar mundos mais adiantados, universidades mais avançadas.

Por essa razão, vale à pena prestar atenção no seu aproveitamento pessoal, e deixar aos outros o dever de cuidar dos próprios atos.

Pois a cada vez que deixamos o corpo físico, pela desencarnação, uma nova avaliação é feita e todos, sem exceção, receberemos conforme nossas obras.

Kazagrande

Enviado originalmente por email em outubro de 2009, e publicado na criação do Exílio do Jaguar em Março de 2010.

3 comentários:

(Perdão? - Todo mundo erra...) (Essa afirmativa está correta, porque a terra é um planeta de provas e expiações, o que quer dizer que neste mundo não há ninguém perfeito.)
(A perfeição é uma meta que todos nós alcançaremos um dia, mas não pode ser encontrada no atual estágio evolutivo da humanidade terrestre.) Palavras certas no momento certo. Salve Deus! Obrigada meus queridos e amados mentores. Ninfa Lua Tagana. Em Cristo Jesus.

estou caminhando no vale bem há pouco tempo mas cada vez amo mais esta doutrina salve Deus

bom dia ! porque os pacientes nao pode usar roupa curtas e decotadas ? tem algo especificos em relaçao ao lado espiritual ou é so etica ? tem cartas explicando o porque ou nao se tiver me envia por favor .. grata

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.