quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Interação Familiar - 1


Nem sempre é fácil escrever...

Não que em algum momento falte a abençoada inspiração de nossos abnegados Mentores, que sempre nos protegem e se fazem presentes com sua Luz e disposição contínua para realizar a caridade.

Porém a vida em família nos exige atenção e harmonia. Não há como dedicar-se a qualquer missão espiritual, com a tranqüilidade necessária que a Luz exige, se estamos desarmonizados em nosso lar. É primeiramente necessário que equilibremos a tudo e todos. Zelando pelo ambiente limpo, pela comida feita com amor e pelo carinho que deve emanar do padrão vibratório elevado daqueles que nos conosco habitam.

É hora de exercitar o amor! Quando sentimos que nem tudo sai exatamente como desejamos ou planejamos, a tolerância deve ser usada como serena fonte de equilíbrio.

Para que entendam, aqui em casa, por exemplo (gosto de usar histórias práticas onde o leitor possa se identificar):

Não posso reclamar do barulho ou da confusão das crianças. Fico pensando como é que Seu Mário (Trino Tumuchy) conseguia se “esconder”, de tantos meninos do Orfanato que viviam incessantemente em alvoroço, para poder escrever e produzir tantos textos que hoje nos servem de base para nossa Doutrina?

Ademais, agradecer pela saúde de minhas meninas, fazendo barulho por suas brincadeiras, ou mesmo desentendimentos naturais de crianças de idades distintas, é muito mais relevante do que entristecer-se caso estivessem caladas por uma enfermidade ou deficiência qualquer.

Não posso questionar o tempo que obrigatoriamente tenho que dedicar-me aos afazeres de casa (sou o cozinheiro de todos os dias), considerando o pouco tempo disponível de minha esposa, face aos estudos que a Medicina exige com aplicação e interminável pesquisa.

Devo sim é agradecer pela oportunidade em constituir uma família que não tive e ainda dedicar-me ao máximo pela harmonia do lar que servirá de base e deve ser exemplar para os netos que talvez ainda tenha o merecimento de conhecer.
A boa vontade com os vizinhos inexperientes, interrompendo a cada instante para pedir um auxílio, conselhos e pequenos serviços, deve ser vista como mais uma feliz oportunidade de ajudar o próximo, e ainda semear um pouco da Luz que recebemos gratuitamente em função de nossa mediunidade.

Coisas que quebram, ou deixar de funcionar, justamente na hora em que mais precisamos (claro que não iriam quebrar em um momento que não estivessem sendo usadas), também exercitam nossa tolerância e nos fazem ver a necessidade de estabelecer prioridades.

Há ainda o trabalho material, para garantir o digno sustento. Quis a vontade do Pai, me permitir, hoje, que meu trabalho também estivesse intimamente ligado a auxiliar o próximo, e assim, somente posso agradecer pela oportunidade, sem jamais reclamar quando a ingratidão surge do nada, pois posso ter a segurança, pelos meus atos, que mais um reajuste está se concretizando, aumentando minha capacidade de compreender, sem querer ser compreendido.

Diante de tudo isso, e de fatores menores, não dignos de nota, é hora de encontrar, mesmo em horários extravagantes, a necessária concentração para escrever, compreendendo que como Doutrinador, minha mente mediunizada se expande e o domínio da concentração, em uma única atividade ou pensamento, é um treinamento constante.

Todos nós idealizamos a cada dia nossas ações, planejamos dias produtivos e coisas boas acontecendo... Mas a nossa energia está em constante interação com a das pessoas que nos cercam, e passamos também a ter uma parcela de responsabilidade no equilíbrio de todos. Como médiuns, preparados e conscientes, não podemos exigir o mesmo dos outros, apenas fazer a nossa parte, contribuir com nossa parcela para o reequilíbrio universal, iniciando pelo nosso lar.

Kazagrande

9 comentários:

Slave Deus mestre! Sempre nos iluminando com essas mensagens não é? è de suma importância o assunto abordado pelo senhor,muita gente acha que ser um mestre da doutrina do amanhecer se resume apenas em colocars seus uniformes e ir trabalhar no setor que lhe for conveniente,ou quando for convidado[a].
Temos que lembrar sempre que nós temos que ser mestres também fora do templo.
Devemos sempre ser prestativos,solicitos quando o próximo nos pede ajuda,até por que a espiritualidade nos observa todo o tempo,não só no templo (como muita gente pensa :) )
Mas não façamos só por receio da espiritualidade esteja nós observando,faça de bom grado,com amor, por que caridade sem amor realmente eu nunca vi!
Deixo aqui meu mais sincero abraço a todos.

É linda a sua missão mestre de levar através de suas palavras o conforto, e a tão esperada lição que cada um de nós busca todo dia ao alvorecer de mais uma manhã .

Por uma Ninfa Lua.

É nas pequenas, simples e diarias ações que descobrimos a grandeza de cada ser. PARABÉNS!

Grata recordação do tradutor dessa Doutrina maravilhosa, nosso saudoso Trino Tumuchy. Nessa era digital te vejo seguindo os passos dele, Mestre Kazagrande. Levando esclarecimento, agora pelo mundo virtual afora.

Será que, se ainda encarnado, seu Mário estaria blogando? (risos). Creio que sim, dinâmico e futurista como era.....

Que possamos sempre nos espelhar naquele que foi a nossa enciclopédia doutrinária.

Wagner
Adj. Ogandô

Salve Deus Mestre,estamos sempre sendo testados até mesmo em casa e hoje eu naõ passei no teste,acabei me desarmonisando com quem me propus ajudar com meu amor e estava sentada na sala sentindo uma triteza por ter falhado mais uma vez e me deu vontade de vir para o computador entrei no seu blog,Salve Deus era tudo o que eu precisava, obrigado mestre estava desanimada com uma certa angustia me sentindo mal,que nosso Pai te abençoe ilumina cada vez mais.Salve Deus

Salve Deus!
Mesmo ainda não te conhecendo pessoalmente, somente através do mundo digital,
tenho um grande carinho e respeito por ti e por sua bendita família.

Realmente não é fácil chegar num pais desconhecido aos olhos do físico, não entendendo direito
a língua e em busca de algo que realmente no momento não se tem total entendimento .
Emanando e vibrando com amor numa redescoberta desse dom: levar aos seus irmãos humildes escritas, porém repleto de o amor incondicional e vibração que toca nossos corações e mentes.
O entendimento que precisamos para prosseguir com nossas missões.

Críticas sempre vão existir, mas somos Doutrinadores e nosso dever é também doutrinar esses
corações endurecidos por não saberem amar. Uma vaidade que toma conta desses nossos irmãos
que ainda não descobriram a grandeza dessa doutrina cristica de nosso Senhor Jesus Cristo.

Nada somos sem as bênçãos e emanação dos nossos abnegados mentores.

Para finalizar meu agradecimento e respeito com ternura, só tenho a lhe desejar, estendendo a sua família, muita saúde, paz e
Prosperidade. Continue nessa vibração exuberante transbordando de amor incondicional seus irmãos.

Daqui a uns meses, se assim o Pai permitir, estarei aí nessa terra bendita.

Como disse minha mentora: “somos tão pequeninos quanto um grãozinho de areia diante do todo”, por isso devemos
sempre permanecer na humildade.

Não assino como mestre, não tenho esse direito de me julgar como tal.

De um simples médium doutrinador.

Reili Roberto

Salve Deus meu mestre Casagrande,
é sempre com alegria que leio o que nos posta com amor e aprendo muito.Que Deus e seus mentore lhe abençoe e de sempre o necessário para que possa sempre escrever o que vem do ceu pra nós e tambem pra você.

MESTRE PARABES! NO MUNDO QUE VIVEMOS,COMO E BOM SABER QUE EXISTE PESSOAS COMO O SENHOR. SALVE DEUS!

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.