terça-feira, 29 de novembro de 2011

Um pouco de História – Parte I


Salve Deus!

No início de minha jornada no Vale do Amanhecer, eu desejava acima de tudo “respostas”! E foi por encontrar estas respostas que pude seguir minha missão e ter certeza de que estava no lugar certo.

Meu espírito questionador não podia aceitar as “verdades bíblicas” e os dogmas da “Igreja Católica”, histórias surreais que soavam como fantasias de um povo derrotado, que havia encontrado na religião, uma forma de controlar as massas mantendo a liderança e união.

No Vale do Amanhecer encontro todas as respostas de uma maneira clara, objetiva e embasada em explicações convincentes, que saciam a necessidade de compreensão das coisas, gritante em meu espírito.

Umas das mais fascinantes histórias, que explica perfeitamente a origem da colonização deste planeta, bem longe do mito de “Adão e Eva”, foi contada pelo Trino Tumuchy, ao qual eu humildemente peço licença para apresentar.

Antes da história oficial, relatada nos livros e pergaminhos, provenientes das mais diversas partes do mundo, contada a partir do “surgimento da escrita” somente há 6.000 anos (considera-se o surgimento da escrita por volta do ano 4.000 a.C.), houve uma outra história...

A história da colonização do Planeta Terra, nunca oficialmente escrita pelos seus habitantes físicos.

De uma maneira bem resumida vamos despertar este conhecimento já obtido por nosso espírito e adormecido em nossa individualidade.

Há cerca de 320 séculos (32.000 anos), uma frota de naves extra-planetárias pousou na Terra, e dela desembarcaram homens e mulheres, duas ou três vezes maiores do que o tamanho médio do homem atual. Sua missão era a de preparar o planeta para futuras civilizações. Para isso, mudaram a topografia e a fauna, trouxeram técnicas de aproveitamento dos metais, além de outras coisas essenciais para aquele período e os que se seguiriam.

Chamavam-se Equitumans, e seu domínio do planeta durou 2.000 anos. Depois disso, o núcleo central desses missionários foi destruído por uma estranha catástrofe, e a região em que viviam se transformou no que hoje se chama Lago Titicaca.

Este início de colonização fazia parte um grande plano celestial para preparar nosso planeta para receber espíritos “a caminho”.

A catástrofe, a que me referi, foi a passagem programada de uma gigantesca nave, chamada de Estrela Candente, pilotada por um espírito que hoje conhecemos por “Seta Branca”. Seta Branca foi um dos Equitumans que iniciaram o plano de colonização deste planeta.

Muitos destes Equitumans decidiram que não retornariam ao Planeta Mãe (Capela) após a missão inicial cumprida, e a tal catástrofe ocorreu para forçar este retorno dentro do planejamento.

Podemos encontrar detalhes preciosos desta época no livro “2.000 – Conjunção de Dois Planos”, elaborado pelo saudoso Trino Tumuchy, com supervisão direta de nossa Mãe Clarividente e de Pai Seta Branca.

Após está primeira etapa, um novo grupo interplanetário veio a Terra. Eram os Tumuchys, que por aqui ficaram durante 5.000 anos, ou seja, entre 25.000 e 30.000 atrás.

Os Tumuchys eram cientistas, e estabeleceram uma avançada tecnologia de captação de energias cósmicas, para a sustentação energética deste planeta. Permitindo, desta forma, a encarnação dos espíritos para o qual o planeta era destinado.

Podemos citar a construção de diversos pontos energéticos que, até hoje, o cientista encarnado não consegue decifrar como foram verdadeiramente estabelecidas. As Pirâmides (no Egito e em outros pontos do Planeta), e diversos outros monumentos gigantescos, impossíveis de estabelecer um pensamento coerente que esclareça sua construção.

O quê mais confunde a história e a ciência, é justamente o fato destes edifícios e construções terem sido utilizadas por civilizações posteriores, que transformaram a ciência, em crendices e religiões. Importante mesmo é ressaltar que a energia armazenada, e a finalidade a que foram destinados, foi cumprida.

Após a vinda dos Tumuchys, durante 10.000 anos (entre 15 e 25 mil anos atrás), um novo grupo veio a Terra: os Jaguares.

Os Jaguares vieram para estabelecer as bases sociais dos povos e nações. Eram os grandes manipuladores destas forças coletivas. Bem mais numerosos que os Equitumans e os Tumuchys, os Jaguares deixaram suas marcas em todos os povos antigos. Por isso é fácil encontrar a figura do felino que os simbolizava em diversos monumentos de variados povos.

Os Jaguares já chegaram com o planeta “pronto”, sua missão era reunir, agrupar e direcionar. E depois foram encarnando entre estes mesmos povos que ajudaram a criar.

Nesse ponto já podemos iniciar o encontro com a História Oficial da Humanidade. Podemos reconhecer diversas das civilizações em que o Jaguar esteve presente e ajudou a formar. Nomes como chineses, caldeus, assírios, persas, hititas, fenícios, dórios, incas, astecas, gregos, etc. já nos são familiares pela História que aprendemos nas escolas.

Muitas persistem até hoje, e nessas raças e povos, através de milhares de anos, esses experimentados espíritos acabavam sempre ocupando posições de mando, e se destacavam como reis, nobres, ditadores, cientistas, artistas e políticos.

Pai Seta Branca, esteve presente em todo este processo, como Equituman, como Tumuchy e como Jaguar.

Este breve relato, se lido em sua individualidade, vai trazer a luz a muitos dos questionamentos internos, explicando parte do caráter de nossa jornada.

Continua...



Kazagrande

(Foto da "Lágrima da Estrela Candente" - o Lago Titicaca)

6 comentários:

Esse kazagrande sempre com sua sabedoria abrilhantando nossas pequenas cabecinhas :)

Eu não canso de agradecer a espiritualidade por nos ter trazido um jaguar como você kaza,que mesmo longe da sua terra,da sua casa traz acalanto e sabedoria pra tantos jaguares e tantas ninfas nesse mundão de Deus.
um Grande abraço.

Interessante! Já li este livro dos exilados, mas percebo por alguns relatos posteriores que a história contada não é beeeem o que foi descrito no livro. Querido interlocutor, muito obrigada! Naveguei muito na internet procurando um site que fosse lúcido, coerente e que nos ensinasse dentro da doutrina! Que Pai Seta Branca, continue lhe abençoando e iluminando sua jornada!

COMENTÁRIO MODERADO!

Meu Estimado irmão,

Embora muito bem redigido, seu comentário carece de muito outros esclarecimentos e não poderia ser postado "ipsis literis"...

Morando hoje na Bolívia, e dispondo de todo o acervo histórico registrado por pesquisadores, de diversos países, em conjunto com os registros tribais, posso afirmar que os registros de nosso Trino Tumuchy são fidedignos.

Para efeito de maiores pesquisas, a Porta do Sol, por exemplo, já tem idade admitida em torno de 27.000 anos (muito mais que seus 10.000 citados) e seu transporte até a atual localização (não foi concebida ali) continua um mistério indecifrável para a ciência atual.

Um fraterno abraço,
Kazagrande

kazagrande@bolivia.com

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

poderia falar sobre os extraterrestres e o imperio, maya, asteca e inca. Emfim, qual a relação dos seres de outros planetas com este "pedaço" da américa do sul (bolivia, peru, equador...) é uma magia... poderia???

Kaza, poderia fala sobre os seres de outros planetas e esta região mágica da américa latina chamada Peru? O que aconteceu no passado com este povo e os seres de outros planetas? emfim, maya, asteca e inca... o que eles tiveram com extra terrestres? o proprio simbolo do Tumuchy vem de lá... valeu!

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.