sábado, 18 de setembro de 2010

Um dia na vida do Exilado (2)

“Acordei” atrasado! Coloquei o “acordei” entre aspas porque não posso dizer que tenha dormido. Tinha trabalho para fazer no computador durante a madrugada e quando tomei café, no horário de minhas filhas irem para a escola, resolvi “deitar um pouquinho”... Aí já imaginam não é?

Pois bem, despertei já em cima da hora de um compromisso importante. Nem disse “oi” para o chuveiro! Mergulhei dentro do terno, colei o cabelo com gel, coloquei um chiclete na boca, e saí esbaforido a procura de um táxi. Obviamente, pelas Leis de Murphy, eles nunca aparecem quando você está atrasado, sem contar que meu protótipo de barba só cresce nestes dias.

Cheguei ao compromisso tentando disfarçar minha cara de doido que escapou do hospício, é como fica cara da gente que anda correndo para “ajeitar” um mal feito. Mas aqui na Bolívia existe uma situação que deve constar até na Constituição, pois parece uma lei maior do país: o horário do relógio, não é o horário real! Sim, não se cumpre horário aqui. Até hoje nunca conheci um único boliviano que conheça o quê é pontualidade. Sei que posso escrever sem estar ofendendo, pois eles mesmos assumem esta situação.

Resultado: atrasado, segundo o meu relógio, ainda fiquei esperando por mais 45 minutos até o cliente chegar à empresa dele, tomar um café, cantar a secretária e resolver me atender.

Fiz minha apresentação sem o ânimo de sempre, pois esperar já me deixa naturalmente irritado, por isso procuro nunca deixar ninguém esperando, e aí minha preocupação inicial em chegar atrasado.

A resposta do projeto foi marcada para o dia seguinte, sem qualquer perspectiva avaliável. Nem positiva, nem negativa.

Sai da empresa procurando meu bloco de notas, onde estaria escrito meu “roteiro do dia” e obviamente havia ficado em casa. Sem saber direito a ordem das tarefas do dia, fui cumprindo o quê lembrava. Não consegui um único encontro, perdi a manhã toda, de um lado a outro sem concretizar nada do quê havia planejado. Olhei para o relógio e já eram meio dia e quinze: Esqueci a hora da prece! Neste momento lembrei que também não tinha feito minha oração pela manhã.

Voltei para casa, comi alguma coisa e pensei em deitar de novo para recomeçar o dia (a “siesta” também é uma instituição nacional – mas essa é boa!). Troquei de roupa e o telefone toca. Tinha que sair novamente, pois o arquivo que havia deixado em uma empresa estava corrompido e era muito grande para enviar por email, só pessoalmente.

Lá vou eu debaixo do sol quente procurar um táxi. Saí da empresa e já eram 4 da tarde. Dia perdido! E nem lembrei da prece das 3 horas.

Voltei para casa e dei uma “espiadinha” na caixa de email... Lotada!!!

Ainda tive que correr atrás de um técnico para a geladeira que começou a descongelar sozinha. Fato que me rendeu uma dor de cabeça violenta (física) e consumiu meu tempo até as oito e vinte...

Estressado, cansado, com dor de cabeça e sem nem saber como seria o “dia de amanhã” resolvi me render... Tomei um banho e fui deitar! Nem olhei para a internet.

Acordei a meia noite. Ainda estava com dor de cabeça, mas a consciência pesava pelo fato de não ter respondido nenhum email naquele dia e também porque não tinha o quê postar para o dia seguinte.

Comecei a refletir sobre o quê poderia estar errado... Não me ocorria nada! Parecia que eu estava fazendo tudo certo!

Então veio a intuição e a “mágica”.

Resolvi rezar. Parei diante do Aledá lembrando que não tinha nem passado ali... Emiti, agradeci, pedi esclarecimento e acima de tudo que tivesse condições de cumprir minha jornada junto ao “Exílio do Jaguar”, sabia que tinha gente esperando, e não podia esquecer o compromisso, decepcionando os que me são confiados.

Ao terminar a prece, tomei umas aspirinas e um copo de água fluídica. Um santo remédio!

Sentei-me frente ao computador e escrevi! Desliguei-me por completo de todos os problemas, da dor de cabeça, do cansaço. Tudo passou! Aprofundei-me no enredo de cada email, respondendo com carinho, e de forma pessoal, a cada um deles. Ao terminar, escrevi dois artigos: um que postei naquele dia e este outro, que hoje venho revisar, concluir e postar.

Terminei de novo ao amanhecer o dia. Mas não me sentia cansado. Tomei um banho, fiz minha “tentativa de quase barba”, escolhi uma boa roupa, comi bem e fui rezar. Com fé, com gratidão, lembrando dos emails redigidos e tendo a consciência do quanto meus problemas são pequenos.

Resumindo: Tive um dia maravilhoso! Até o meio dia, na hora certinha da prece, tudo já estava encaminhado. Todos os compromissos cumpridos, o projeto aprovado, a grana no bolso e a prece feita no terraço de um prédio, com muito amor, gratidão e sob a luz de um belíssimo sol.

Tirei minha “siesta” com tranqüilidade e passei o resto dia escrevendo.

Qual a diferença dos dois dias? As duas noites anteriores foram sem dormir. Os compromissos eram os mesmos, as possibilidades também. Por que um foi um desastre e outro uma bênção? Foi só a oração? Não!

Tem algo mais “escondido” dentro do nosso dia a dia: nosso padrão vibratório! A oração nos faz voltar para a individualidade e nosso espírito é muito mais “esperto” que esta nossa personalidade transitória. Quando nos voltamos para o espírito podemos “sentir” a energia fluir e ter a intuição sobre como agir. No dia em que deu tudo certo, eu simplesmente não me estressei. Saí de casa mais tarde que no dia anterior. Achei um táxi com ar condicionado (raridade por aqui), quando cheguei à empresa, a pessoa já me esperava, mas acostumado com o padrão boliviano de atrasos, não se incomodou com o meu.

Quando rezei pela manhã, tendo consciência da pequenez de meus problemas, eu passei o dia sorrindo! Olhei com amor a cada pessoa que encontrei, e sei que deixei, em cada uma delas, um pouco do amor que recebi ao fazer minhas preces. Mesmo os hostis se retraíam face ao encontro com um sorriso amigo, um olhar nos olhos e um cumprimento gentil.

Um dia, quando tudo em minha vida parecia perdido, eu me reencontrei com a prece, e fui novamente “resgatado”. Não posso jamais esquecer meu compromisso de Iniciação (os três horários) e nem mesmo minha prece matinal.

Outros dias difíceis passaram, mesmo com a oração, mas aprendi a não me estressar com o quê não pode ser resolvido.

Existem situações as quais temos inevitavelmente que passar.

Existem situações as quais os que amamos têm que passar, e que não podemos evitar.

Porém, todas as demais, podem ser vividas com felicidade, pela consciência do que somos e do que podemos fazer.

Kazagrande

Obs.: Antes que perguntem se não rezo também antes de dormir... A oração de antes de dormir ainda está em fase de implantação, mas eu chego lá!

2 comentários:

Obrigada , mestre por essas sábias palvras de acordar o jaguar a importância da oração. Muitas vezes não nos damos conta da importância da disciplina em tudo na nossa vida. ninfa lua cigana aganara , Salvador -Bahia

Que dia!!
E eu a pensar que a minha semana de exames tinha sido complicada xD
Tudo o que lhe posso desejar, é que tão cedo não tenha outro dia assim, e que o dia seguinte que passou seja o padrão de muitos outros dias :)

Isso é algo que também muitas vezes me esqueço e me leva abaixo: o padrão, a atitude com que olhamos e lidamos com as coisas. Perante um mesmo problema, pessoas com diferentes atitudes e perspectivas vão ter resultados sempre completamente diferentes. Por isso, mais vale é sorrir sempre mesmo, pois tristezas não pagam dívidas como já diz o ditado não é?

Passei para dizer um grande olá e um obrigado por cada palavra partilhada, faz parte da minha rotina diária, e certamente de muitos, ler estas palavras, é quase como respirar (^^,) Eu recebo sempre cada artigo no mail e leio a partir de lá, mas hoje tive que vir aqui directo ao blog para dizer um olá e desejar tudo de bom ao Mestre, um amigo e irmão que estimo muito, pois embora nunca nos tenhamos encontrado as suas palavras são uma ponte que se estende até além-mar :)

Do seu afilhado coração de lua em quarto crescente (ainda estou à procura da lua cheia), e sua Ninfa que o admira e ama :)

Um abraço mais que fraterno de terras de além-mar.

PS: Também sou como o Mestre nas orações rsrsr De manhã não pode faltar um pouco de diálogo com os céus para começar bem o dia, e tento seguir o horário das 3 orações universais a todos nós, mas há noite... Há noite ainda está mesmo em fase de implementação rsrsrsr Eu às vezes adormecia a meio, ou outras vezes reparava que me dava insónia orar à noite na hora da cama, por isso concentrei-me nas manhãs para falar com os meus amigos e pais nos céus. Um dia também chego lá :)

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.