sábado, 13 de agosto de 2011

Medicina Espiritualista


Sabendo que minha esposa é estudante de Medicina, e também durante toda sua vida dedicou-se a enfermagem, um humilde casal de vizinhos a procurou em noite destas para uma “consulta”.

Já haviam passando em três Médicos diferentes e cada um passou uma lista diferente de remédios, para diferentes diagnósticos sem contudo que encontrassem efeitos restauradores.

Eu estava no quarto, ouvindo atento a demorada conversação, enquanto tentava concentrar-me em mais um texto.

Após a “consulta”, onde basicamente ela procurou tranqüilizar o casal, e orientar dentro de seus conhecimentos, o mais provável, indicando um especialista. Eu nitidamente “sentia” que o casal voltaria.

Passados mais alguns dias, depois da tal consulta ao especialista, encontramos o casal no portão de casa, quando chegávamos dos afazeres diários. Desta vez participei da conversa “energeticamente”. O comportamento do casal, e os sintomas descritos levavam claramente a crer em um diagnóstico mediúnico.

Sem poder me conter, entrei na conversa perguntando sobre a religiosidade do casal. Eram evangélicos! A orientação espiritual nestes casos, onde a fé condena determinadas práticas espiritualistas, é bastante delicada. Pois nosso respeito deve ser total, e a orientação ministrada com o máximo de cuidado para não chocar, e ao mesmo tempo direcionar para o tratamento dentro de crenças que nem sempre conhecemos os rituais.

Porém, cada vez mais a alma humana carece de esclarecimentos e questiona como se conduzir perante determinados dogmatismos claramente superados pelo avanço dos conhecimentos espirituais.

Falar de reencarnação, carma, obsessão e por fim, doenças espirituais, está cada vez mais fácil e compreensível para pessoas com um mínimo de esclarecimento.

A Medicina, antes de se tornar uma ciência, era um culto. Antes da ciência de Hipócrates, existia o culto a Esculápio. Antes da existência de um hospital, havia o templo. A Patologia tem somente 2.500 anos, o culto do espírito se perde nos cálculos de tempo.

Torna-se a cada dia mais natural que se busquem novas luzes para a ciência de curar. O Mediunismo é uma dessas luzes.

Entre os enigmas da Medicina, talvez o maior seja justamente o da diagnose. E o grande problema da diagnose é a interpretação correta das causas. É difícil, senão impossível, interpretar-se corretamente uma situação em que não temos todos os dados do problema.

Entre as fontes onde se podem buscar as causas das doenças, muitas se tornam inacessíveis ao médico convencional, preso à ortodoxia científica. Entretanto, são inúmeros os relatos de médicos que localizaram a causa de distúrbios, em certos pacientes, de forma completamente alheia aos métodos habituais. É a chegada, com toda a força, dos Médicos Espiritualistas!

Mesmo com os recursos da Patologia atual, ainda é o médico que faz o diagnóstico. Partindo desse ponto, podemos apontar os caminhos em que a mediunidade pode ajudar o médico.

A diagnose médica atual joga com dois tipos de incertezas: o estado psicofísico do diagnosticador e a sintomatologia do diagnosticado.

No primeiro caso, a experiência pessoal do médico, em seus estudos e práticas, é acessada, com maior ou menos precisão, de acordo com seu estado no momento da diagnose; no segundo, o doente manifesta os sintomas, conforme seus momentos psicofísicos, e sua capacidade de explicação.

Quando o diagnóstico médico vem acompanhado da mediunidade aplicada, o mediunismo, esta variação de precisão se descarta, pois devidamente sintonizado, o Médico-Médium capta as vibrações necessitando apenas admitir e determinar as origens dos estímulos, que são do campo físico, psíquico ou espiritual.

Lembremo-nos que mediunizar-se é colocar-se em estado receptivo às emanações vibratórias de campos de forças diferentes. Percebida a causa fundamental do incômodo do paciente, o problema se resume na interpretação correta dos dados fornecidos.

Abaixo podemos acompanhar o depoimento do Dr. José de Ribamar Tourinho da Associação Médico-Espírita do Brasil:

Obs.: Podemos considerar a citação de realinhamento de Chakras, como nossa Cura Iniciática.

Obs.: Podemos considerar como Centuriões, a equipe de desobsessão.

O médico espírita desperta nas pessoas uma esperança de que pode solucionar as mais difíceis patologias da medicina. E talvez tenham razão, quando nós, médicos espíritas, exercitamos com mais consciência e fé a nossa mediunidade intuitiva, ou seja, aprendemos a permanecer conectados, através da expansão de consciência, com o indispensável mundo paralelo onde as equipes espirituais, nossos mestres, nos ensinaram ou nos querem ensinar como desvendar os mistérios ou dificuldades da medicina e de todas as ciências do planeta.

Foi através do exercício ou expansão da consciência, através da sensibilidade dos médiuns de nosso grupo de estudo que tivemos êxito com o caso do menor Rafael, um autista, filho de mãe desquitada, pobre, que sobrevive de lavando roupas; o qual após peregrinar por vários consultórios médicos e instituições psiquiátricas, chegou ao nosso atendimento fraterno, no Centro Espírita Lar de Jesus, já com diagnóstico médico de autismo, mostrando total desligamento da realidade cognitiva, olhar distante, balbuciando ocasionalmente alguns ruídos, entendidos com grande dificuldade por sua mãe.

Rafael chegou ao nosso atendimento com dez anos de idade e a mãe, Maria de Jesus, desesperançada quanto à saúde mental de seu filho. Nós a encorajamos a ter fé, acreditando no amparo divino através das equipes espirituais que assistem todo o planeta, dirigido pelo nosso Mestre Jesus. Encaminhamos o garoto para tratamento de desobsessão, já que, além de autista, a percepção de vibrações de baixa freqüência era evidente.

Na cabine de passe, aplicamos durante seis meses, uma vez por semana, deitado em uma maca, o que chamamos de realinhamento de chakras ou técnica das polaridades.

Aplicamos essa técnica com a intenção de ajudá-lo a retomar ao seu corpo físico, já que o autista mantém-se dissecado de seu corpo por escassez de ectoplasma. Esta informação foi passada a nós, em reunião mediúnica, por equipe científica do plano espiritual, que nos orientou desde o início do tratamento a manter o realinhamento de chakras em Rafael. Também orientou a participação de médiuns de efeito físico ou de sustentação de nossa equipe de desobsessão, com a finalidade de doar o ectoplasma necessário ao acoplamento total de Rafael ao seu corpo físico. Rafael a cada uma das sessões seguintes, mostrava-se centrado mais no presente, passando então a falar e procurar pelas pessoas do atendimento fraterno.

Já faz um ano que Rafael entrou para uma escola especial. Já sabe ler, o que aprendeu sozinho. Também escreve com boa letra e já se compreende o que ele fala. Seus desenhos expressam com clareza o seu pensamento, mostrando grande inteligência, principalmente através de seus desenhos arquitetônicos de fachadas de edifícios.

Na impossibilidade de ir à escola por dificuldade de transporte, Rafael se aborrece e se agita desesperadamente. Ele gosta de ir à escola porque é lá que tem aprendido a desenvolver boa comunicação e relacionamento interpessoal.

O relato completo do Dr. Pode ser encontrado na Revista Cristã de Espiritismo n. 25, páginas 54-58. Onde trata de também “Vida Intra Uterina” e “Conversando com Bebês”. Recomendo!

Kazagrande

1 comentários:

Salve Deus!
Em um procedimento cirurgico que me submeti recentemente, tive que ficar inconsciente...Queridos... sentir a presença do Vovozinho...envolto em LUZ prateada,não conseguir visualizar direito suas feições, porque Sua Luz era imensa, estava sentado em um banco, eu acho, observando e balançado a cabeça de vez em quando, concentrado...interessante, eu me sentia como a paciente da figura acima representada...embora no fisico o procedimento não tenha sido completo, sentir que foi um sucesso! Pois já faz muito tempo que tentavam registrar com os aparelhos da medicina, o problema. Nesse dia, Salve Deus, o médico não só conseguiu o registro, como localizar o local exato. Como já estava muito tempo na mesa de cirurgia e o meu corpo fisico já estava no limite,tiveram que encerrar.
O quero dizer, é que devemos ter Fé. Que as vezes nos sentimos revoltados por uma situação ou desejo que não foi realizado como queríamos...Lembremos: nem sempre o que queremos é o melhor ou conviniente para nós. Quantas vezes lamentamos e um tempo depois agradecemos a Deus, porque ele nos mostra que se fosse da nossa forma, o desastre ou o estrago seria o pior possivel.
Lembremos de Tia Neiva, quando explica:" O que signifca a palavra Turigano, não sei dizer, recebo do mundo espiritual e faço, nem sempre
explicam tudo".

Salve Deus!

Grega Lua

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.