sábado, 27 de junho de 2015

Lições do Tumuchy


Nosso Evangelho foi sabiamente resumido de forma prática: Amor, Tolerância e Humildade!

Por isso é sempre importante questionar até que ponto, verdadeiramente, adquirimos a capacidade de perdoar, de tolerar, de sermos humildes, de não julgar, e a capacidade de amar e, assim, avaliar o ponto a que chegamos em termos do amor incondicional.

Para esta avaliação, temos um ponto de referência: Tia Neiva!

Seus ensinamentos, seu amor, sua jornada missionária como um todo, serve de parâmetro para que possamos avaliar, sem máscaras, nossa verdadeira evolução obtida.

Uma coisa é certa: se nós não adquirirmos uma determinada evolução, não importa a quantidade de medalhas em nossos coletes! De nada valem nossas origens, classificações, títulos, representações, comandos, se ainda não praticamos o Evangelho!

Qual será nossa realidade em termos de individualidade?

Estamos à altura do que emitimos? De nossas heranças? Ou ainda insistimos em trilhar a velha estrada, distante do Amor Incondicional?

A cada dia estamos mudando! Sim! Nossos pensamentos e até mesmo fortes convicções de um passado recente, transformam-se a cada passo que marcamos nesta jornada. Se você não mudou nada, e ainda pensa da mesma forma que quando entrou na Doutrina, ou é um santo, ou ainda não aprendeu nada!

Estamos em constante aprendizado. Mudando, quiçá aprimorando nossa conduta e nosso modo de pensar.

O verdadeiro sentido da humildade é conseguir dar vazão, através de si mesmo, da maior pureza do Céu, que é a Voz Direta. Isso não diz respeito só ao Apará! Também, e até principalmente, ao Doutrinador, porque os Doutrinadores são os portadores do Terceiro Verbo, da palavra, que é o fundamental em nosso sistema doutrinário.

É preciso que façamos um exame de consciência cada vez maior. Já em 1962, Mestre Humarran alertava Tia Neiva: “Neiva, Jesus nos adverte: Antes de culpar o teu vizinho, procura ser severo contigo mesmo!... Por mais sábia que sejas, um dia ainda terás muito que aprender... Mesmo quando houveres desviado das coisas mundanas, ainda precisarás meditar, fazendo conjecturas acerca de ti mesma!”

Neste plano físico, encarnados, ao assumirmos esta missão mediúnica, devemos a cada dia buscar a individualidade! Há uma diferença muito grande entre a individualidade e a personalidade. Nossa individualidade é iniciática.

Somos médiuns desenvolvidos, temos nosso plexo aberto, nossos chakras em andamento, em funcionamento, e isto não desaparece quando tiramos o uniforme. Este é o grande segredo do qual não podemos esquecer!

Quando recebemos uma corrente negativa, temos que aprender a manipular esta corrente o mais rapidamente possível.

Um Jaguar causa um prejuízo tremendo quando permanece dentro de uma corrente negativa por mais tempo que o justificável pelo seu carma. Nós vivemos em uma triangulação de forças atuando diretamente sobre nossos plexos, nossas cabeças, nossos braços e nossas mãos.

O cérebro é dividido em duas partes: do lado direito, o Jeová positivo ou branco; do lado esquerdo, o Jeová negativo ou negro. Nos Tronos vemos o Preto Velho trabalhando com a mão direita que, entretanto, é comandada pelo lado esquerdo do cérebro. A energia entra por um lado e sai pelo outro.

A mão esquerda é de descarga. Nós recebemos pela direita e soltamos pela esquerda. Se você quer conservar suas energias, você fecha a mão esquerda, porque ela é o local de descarga.

Quando você quer tirar uma carga de uma pessoa, você aplica a mão direita, por causa da circulação. Se você quer conservar energia, você fecha a mão esquerda e abre a mão direita. Se você quer descarregar, você fecha a mão direita e abre a esquerda. Aí você tem todo o sistema iniciático de trabalho!

Os dois hemisférios cerebrais recebem a força, que vem em forma de cone.

A recepção é controlada pela curvatura das mãos. Os dois braços levantados funcionam como dois guias que jogam o feixe de energia para dentro de nós. Se, recebendo esta força toda, tivermos pensamentos contrários, nossa alma vagando por aí, entramos em desequilíbrio e não poderemos conseguir as coisas.

Quando se trata da alma, se os pensamentos são negativos, desanimados, sujos, quando fazemos a evocação... e recebemos as energias... Salve Deus!

Kazagrande

(Após ouvir novamente a aula do Trino Tumuchy de 14 de setembro de 1982)

5 comentários:

Salve Deus, Mestre!
Oportunas orientações. Vivenciar o Evangelho é o caminho de volta ao Criador. Tia Neiva nos deu seu exemplo; só nos falta vencer a nós mesmo e encontarmos a Luz. Não é?
Que Jesus lhe ampare sempre.
abraço fraterno.

Salve Deus. Hoje ao ler este texto senti como se estivesse eu sentado ouvindo uma aula, são palavras que um iniciante precisa ouvir palavras de grandes utilidades para um Jaguar. A grande verdade, é que ainda conservamos mesmo velhas manias adquiridas pela vida, à mania de achar que os outros sempre são os culpados. As sabias palavras deste texto nos levam a refletir, e nos, faz olhar para dentro de nós mesmos, em busca de respostas, e perguntamos para nós, onde foi que eu errei. Obrigada mestre kasagrande.

Salve Deus, estas palavras vieram num momento muito peculiar, estou muito desiquilibrada e, para mim foram como uma luva de pelica, uma banho nas cachoeiras de Pai Joaquim.
Obrigada e Salve Deus.

Salve Deus mestre kazagrande.
Tenho uma dúvida. Essa recepção de forças ensinada por humarran funciona da mesma forma para aparás e doutrinadores? Recepcionamos e descarregamos pelo mesmo lado?
Att.
Ninfa lua

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.