segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Chegando à Doutrina

Independente do fator levou a pessoa a procurar o Vale do Amanhecer, existe um ponto em comum entre todos os que “ficam” na Doutrina: têm energia mediúnica em excesso e ela precisa ser manipulada.

Todos os seres humanos produzem energia mediúnica. Uma parte dela é consumida por nosso próprio espírito, em suas incursões fora da matéria, outra parte é liberada naturalmente sob dois formatos, que de forma simplista podemos caracterizar por positivo e negativo.

Positivamente, esta energia pode ser liberada através do contato com algum ritual. As diversas denominações religiosas existentes são prova da necessidade do homem em liberar e bem conduzir esta energia. Obras sociais, realizadas com o claro propósito de servir ao semelhante, com dedicação e concentração, também liberam a energia de forma positiva.

Negativamente, as “explosões” de sentimentos negativos atuam da mesma forma.

Quando você recebeu seu convite para desenvolver sua mediunidade significa que estava com o plexo “encharcado” de energia. Produz mais energia do que consegue liberar naturalmente, e tinha a necessidade de ligar-se a um grupo que o ajude a liberá-la de forma positiva, pois, do contrário, situações desagradáveis iriam fazê-lo liberar de forma negativa (se é que já não estavam fazendo).

O convite nunca é diretamente para que ingresse na “Doutrina do Amanhecer”, a Entidade de Luz que o atende recomenda que “precisa desenvolver sua mediunidade”, e isso pode ser feito em qualquer lugar onde sinta a afinidade pelo grupo. Obviamente as portas do Vale do Amanhecer estão abertas, e se a pessoa optar por realizar seu desenvolvimento aqui, será bem-vinda.

O Doutrinador

Quando um médium, que ainda não sabe que será um Doutrinador, chega a nossa Corrente, ele chega com a vida em total desequilíbrio! Normalmente é uma pessoa angustiada, questionadora, cheia de dúvidas e não raramente já dominada pelo ceticismo. Por vezes é agressivo, ou cala-se enfurecido com a própria passividade.

Sente dores de cabeça freqüentes e, muitas vezes já identificou que pode ter algum problema cardíaco, que não foi claramente explicado pelos médicos. Sua descrença na Medicina é outra característica.

Sente uma melhora imediata ao entrar em contato com a Entidade nos Tronos, naquele curto período de atendimento parece que tudo melhorou instantaneamente, mas pouco tempo depois de deixar o templo, os sintomas parecem já iniciar o seu regresso.

A energia mediúnica é liberada em forma de um fluído que denominamos ectoplasma, no Doutrinador, que ainda não desenvolveu nenhuma técnica de liberação desta energia, o ectoplasma se acumula na cabeça.

Quando passa por um trabalho mediúnico, em que haja absorção do ectoplasma excedente no organismo, a melhora é quase instantânea.

Ao mediunizar-se, o Doutrinador tem características claras: sua percepção fica mais apurada, mais alerta. É como se sua consciência se expandisse e dominasse tudo ao seu redor. Por isso a insistência na necessidade concentração ao realizar o trabalho espiritual, porque naturalmente sua mente se “abre” para tudo que se passa em sua volta.

O Apará

No caso do Apará, quando chega ao Vale do Amanhecer, ele normalmente apresenta problemas no abdômen (barriga), principalmente no estômago, intestino, rins, bexiga e outros órgãos energizados pelo plexo solar e circunvizinhos. Também são comuns problemas de coluna.

Todos estes problemas também o levam a sentir dores de cabeça (por vezes crônicas), tonturas, “labirintite” e sintomas semelhantes.

Os que já chegam com muita energia acumulada, ou a produzem em grande excesso, costumam apresentar alucinações, medos e fobias. Ficam inseguros com facilidade e transformam sua insegurança em irritabilidade. Se emocionam com facilidade, e de forma exagerada.

Quando passa por um trabalho de Tronos, ou em outros recomendados, sai sentido-se “a pisar em nuvens”. Fica “leve”, divagando e querendo que o tempo não passe. Um estado feliz de torpor, raciocinando com clareza, mas se perguntado terá dificuldade em expressar as suas idéias.

Ao mediunizar-se, o Apará, sente-se relaxado, tranqüilo e entrega-se ao trabalho com a assistência de seu Mentor. Sua consciência fica levemente entorpecida, porém sem perdê-la durante a realização.

Kazagrande

3 comentários:

Esse texto foi de esclarecimento ímpar para mim, tenho mediunidade, porém, não desenvolvida, e agora compreendo alguns sintomas que sinto, e com certeza mais do que nunca procurei ajudar. obrigada novamento

JÀ visitei o Vale do Amanhecer Varias Vezes fiz tratamento e lendo o trecho da mensagem "Chegando a Doutrina" começei a compreeder o que eu não entendia e o porquê de certos problemas e me identifiquei 100% com Àpara, me resta ir ao Vale Do Amanhecer e começar as aulas, Fátima Queiroz

Salve Deus, mestre sou uma ninfa do amanhecer a dois anos, mesmo com esse tempo ainda me sinto com se estivesse inciando, pois tenho muitas dúvidas ainda, sou uma ninfa sol, mais as vezes acontece coisas comigo como se eu fosse uma ninfa lua, assim como um mestre que está se inciando, eu tenho sintomas como ninfa sol e ninfa lua, Como devo agir com relação a esse tipo de coisa.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.