terça-feira, 13 de julho de 2010

Um Ajanã na luz do Sol

Abaixo uma mensagem, mais do isso! Na verdade um poema de um Mestre Ajanã de longa data. Um veterano que tem a humildade assumir a contínua busca do aperfeiçoamento pessoal. Meus respeitos Mestre Julio.

Salve Deus!

Sou apenas um Ajanã solitário sobre o divã do sol.

Aceitação! Esta é uma palavra chave para estes nossos momentos.

O preconceito de idéia mata a mente.

Incluir os outros é a lição da vez, observo em mim mesmo...

Nunca devemos ficar às margens da verdade, a título de fidelidade ideológica, em uma interpretação racional difusa sob a ritualística.

Preocupo-me com os contextos... Falando para mim... Mas todos são meus irmãos neste caminho terrestre!

São bonitas as histórias e as experiências fora do corpo, mas as considero acima de tudo sob a égide de uma forma subconsciente de estudos. Uma ferramenta de aprendizado inter-planos.

A mediunidade aguçada traz algo do paraíso e muito do umbral, sobretudo se o ser ainda estiver preso ou refém do ego.

Este acervo eletrônico é prova e testemunha da universalidade do gesto abnegado de iluminados educadores.

O conhecimento está aberto a quem o busque.

A fonte é Una no universo!

Pai Seta Branca, simultaneamente também o Francisco de Assis.... Duas mensagens em épocas tão distintas: a cura desobsessiva do planeta, e a purificação e auto-superação exemplificada no espaço da humildade!

A inocência franciscana e pureza dos sentidos! Não basta só desobsediar, mas sim simultaneamente, também, melhorar a nossa presença neste plano! Mais além até do que a Conduta Doutrinária. A vida na matéria é um desafio, um teste a ir além dela!

Semeando a verdade aprendemos a amar os outros como sendo a si próprio (no limite de cada capacidade).

Somos ascendentes da Corrente Indiana do Espaço e temos todas as etnias do universo. Podemos distinguir o que é um cruzamento de corrente e não ter medo de buscar os conhecimentos.

Salve Deus! Interpretação da expressão de origem egípcia que honramos com a verdade absorvida e semeada aos quatro cantos do universo.

O amor sincero é a ponte que encurta todas as distancias, que une todas as crenças, todos os irmãos.

Julio Sheridon

0 comentários:

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.