segunda-feira, 26 de julho de 2010

Aprendendo com vocês


Embora a quantidade de visitas do blog seja bastante grande e cheguem, todos os dias, diversos emails, poucos se aventuram a comentar diretamente na página.

Uma das poucas comentaristas assíduas assina como “Grega Lua”.

No dia 14 de julho, no texto “Compreender e Auxiliar”, publicado neste blog, ela deixou comentários que particularmente me emocionaram.

O texto fala basicamente sobre “não julgar”! Embora não estejam as palavras de Tia Neiva, afirmando que o julgamento é o pior desajuste, esta informação fica claramente implícita, nos levando a necessidade de refletir sobre nossas ações.

Emocionei-me pela coragem em relatar os passos seguidos para o cumprimento da missão compreendida! Pela simplicidade com que agiu de boa fé diante dos fatos com os quais se identificou.

Ajudar! Sim, auxiliar o próximo, eis a grande missão que nos é confiada. Há pouco escutava uma gravação do Trino Tumuchy, onde ele nos falava que já viemos preparados para esta jornada, e que devemos estar prontos para ajudar e não ficar clamando por sermos auxiliados.

Mas como distinguir a quem empregar estas forças? Como saber se devemos ou não auxiliar os que vemos em dificuldade? Tantas decepções a maioria já pôde experimentar, depois de ter dedicado seu coração e espírito, em busca de diminuir a dor alheia, seja ela física, material ou espiritual.

Para auxiliar devemos levar em conta o fator espiritual do momento. Não podemos nos deslumbrar com a energia que nos envolve, com as cores que nossa mediunidade proporciona, dando uma tonalidade entusiástica a tudo que nos cerca. Há de se diferenciar e compreender quando, e até onde podemos ir. Se por um lado não devemos nunca negar o auxílio que nos é pedido, de outro, não podemos sair por aí querendo resolver os problemas dos outros, simplesmente porque acreditamos que temos forças para isso.

Existem situações a serem analisadas e levadas em conta.

Primeiro os que nos são confiados: Nossa família, as pessoas que fazem parte desde o princípio de nossa encarnação e que, com certeza, escolhemos ao vir para este plano físico. Escolhemos nossa família, onde encarnar e, por conseguinte temos algum compromisso com estas pessoas. São pessoas que nos conhecem e confiam em nós, e mais do que isso: por nossa condição especial de médium preparado nos planos espirituais para esta encarnação, de Jaguares da Última Hora, podemos afirmar que nos são confiadas. A estes devemos nossa dedicação e respeito, até o momento em que naturalmente se rompam os laços de ligação ou reajuste. Enquanto permanecer o sentimento de ligação espiritual, mesmo que distantes fisicamente, o compromisso permanece.

Outra situação são os que nos são enviados: Aqueles aos quais, por vezes inesperadamente, chegam a nossa porta em busca de auxilio. Não podemos ignorar os que chegam inexplicavelmente até nós e pedem ajuda. Não importa se é o mendigo que lhe pede uma moeda, ou um amigo do amigo que chega em busca de alguma luz, ou ainda, um paciente que chega até nós pelos trabalhos no Templo. Por este juramos!

A terceira situação é quando observamos alguém e queremos ajudar. Este é o ponto mais delicado! Não conhecemos nada a respeito do carma pessoal de cada um, sobre as dificuldades que necessariamente a pessoa tem que passar para aprender alguma lição, para reerguer-se como alguém melhor depois da dor. A Terra é uma grande escola, e não sabemos o grau de disciplina que cada um precisa para poder “passar de ano”.

Como auxiliar a quem não nos pede ajuda? Podemos nos comprometer com algo que não podemos carregar ou que não nos pertence. A medida exata do auxílio esta na Voz Direta que recebemos de nossos Mentores por meio dos valorosos Aparás (Ninfas e Ajanãs). Na mesma medida em que não negamos o auxílio a quem nos procura para algo dentro de nossas possibilidades, também não saímos por aí oferecendo o auxílio a quem não nos é enviado.

É importante que se tenha noção de que orar por uma pessoa ou por uma situação de dor coletiva, pedir com amor e desprendimento, não é comprometer-se com o carma de ninguém. A Oração é o bálsamo revigorante que todos necessitamos e que podemos também distribuir gratuitamente. Em nossas Contagens, em nossas preces diárias, manipulamos em prol de todo o Universo a energia do Jaguar, sem que isso signifique que passaremos a carregar o carma do mundo.

A verdadeira caridade gratuita, ao desconhecido total, praticamos dentro do Templo, ao receber o paciente e, com todo amor e carinho, respeito e seriedade, abrandar sua dor e dar-lhe esperanças. Quantos que passaram por nossos trabalhos, receberam o quê lhes aguardava e seguiram suas jornadas sem olhar para trás. Ali a caridade é verdadeira e sincera, pois não temos como esperar qualquer tipo de retribuição física ou emocional. Na verdade, ao encerrar os trabalhos somos nós que agradecemos a oportunidade, isso pela nossa compreensão do quanto podemos estar ganhando espiritualmente, se trabalhamos em sintonia.

Ao dar um almoço, uma sopa, saciar a sede e a fome do corpo físico também praticamos a caridade, desde que a atitude seja totalmente desprendida de qualquer perspectiva de retribuição.

Recordemos então daqueles que nos são enviados... Por vezes nossos cobradores, irmãos e até mesmo o grande amor de nossa vida! Podem chegar a qualquer momento em busca de auxilio, seja espiritual ou até mesmo uma pousada e um prato de comida. Não podemos ver, e o quadro somente será revelado após o reajuste, ou missão cumprida.

O exemplo de nossa irmã Grega Lua, indo busca da oportunidade que deixava perder, por envolver-se na energia dos que não compreendiam sua atitude de caridade, é uma forma clara de como sempre podemos, se tivermos a devida humildade e coragem, ir de encontro aos que nos são enviados, aos que nos pedem, e aos que confiam em nós.

Repito que não sabemos o quê nos aguarda, um grande amor, uma decepção, uma amizade eterna ou uma cobrança terrível, mas quando chega até nós é porque existe um motivo.

E quanto a buscar o quê não nos pertence, erro que cometemos normalmente no início de nossas jornadas mediúnicas, gerando frustrações e bloqueios para situações futuras, guardemos apenas como lembrança da lição de que o verdadeiro amor, o amor incondicional, é livre, não escraviza, nada exige, nada promete.

Kazagrande

Link para a postagem “Compreender e Auxiliar” e os comentários de nossa irmã: http://exiliodojaguar.blogspot.com/2010/07/compreender-e-auxiliar.html

2 comentários:

Olá, gostaria de parabenizar pelo site, pois se tornou uma ótima fonte de leitura, enriquece e informa.Nossa missão é linda e ter um blog assim nos deixa mais felizes e sabedores da continuidade dos ensinamentos de Tia Neiva.
Um abraço Valquiria

Salve Deus!

Mestre Kazagrande, eu ainda não tinha visto essa lição... sempre gosto de verificar seus ensinamentos... posso dizer que muitas vezes pedi aos meus mentores esclarecimentos de algo que não entendo,mas tenho dentro dos ensinamentos que obtive, experiências e através delas, opiniões diferentes das pesse muitas vezes diversas, claro aguardo para mim e peço orientação as meus mentores.. "uma luz" e Salve Deus! As vezes não consigo entrar no blog todos dias...Como sabemos que nada é por acaso, encontro respostas e esclarecimento em sues ensinamentos. Gosto de sua abordagem porque sinto que o senhor, apenas deseja isso mesmo: esclarecer duvidas, da melhor manera possivel, sem mistificação, sem vaidade ... nos mostrando que tudo é simples...temos tudo dentro do nosso merecimento e na Conduta Doutrinária e o senhor, estar apenas exercendo o direito que nossa Mãe Clarividente garantiu a Todos os seus filhos instrutores...repito a Todos os seus filhos instrutores que recebem a autorização com essa finalidade ...Sim, eu sei que o senhor é um instrutor de desnvolvimento, é um instrutor de centúria inclusive Salve Deus! "Somos cientistas" e a Doutrina, como ela mesmo diz é Dinâmica...Claro existe as Leis ritualisticas que precisam ser seguidas fielmente para que as energias sejam manipuladas corretamente e assim aproveitadas pelos nossos irmãos maiores...Como diz Nossa Mãe : è tanta grandeza que nós não temos capacidade para avaliar...e temos, dentro da nossa individualidade... Que o Nosso Senhor Jesus Cristo ilumine esse trabalho, essa Missão... Salve Deus!

Grega Lua

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.