quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Experiências para viver bem


De todas as coisas que fazemos diariamente, preocupar-se é que mais destrói nossa produtividade, que mais atrapalha nosso dia a dia. Quando temos medo, bloqueamos energeticamente as coisas que nos favorecem. A maioria das coisas que nos assustam, em nossas conjecturas, nunca acontecem!

A mágoa e o rancor também nos prejudicam seriamente. São venenos potenciais para os missionários que tem como principal missão semear o perdão.

Quando os problemas aparecem, normalmente em um turbilhão desestabilizador, devemos ter a consciência que só poderemos tratar de um por vez. Não adianta dispersar nossa energia pensando em tudo ao mesmo tempo. Temos que escolher de qual tratar prioritariamente, e assim nos concentrarmos. Um por vez. No fim das contas dessa maneira é que teremos que resolver tudo, então por que perder tempo e energia com soluções milagrosas que nem sempre merecemos? O merecimento vem com o entendimento da origem do problema inicial.

Levar os problemas para o Templo também diminui nossa capacidade de reação espiritual. Se está totalmente aflito e isso impede o trabalho espiritual, com certeza também não estará em condições de absorver as energias espirituais a você destinadas. Vá aos pés do Pai, e naquele instante, entregue seus problemas e parta para o trabalho espiritual. Sentindo necessidade, coloque seus problemas em um papelzinho e simbolicamente entregue tudo ao Pai, para que possa ter tranqüilidade e desprendimento em sua jornada de trabalho (como foi difícil para mim compreender e aceitar isso... Tudo teria sido tão mais fácil!).

Separe os problemas dos trabalhos e de seu leito. Não adianta dormir preso aos pensamentos que lhe afligem, seu espírito poderá ficar preso ao corpo e a mente, não podendo desprender-se e partir em busca das necessárias instruções para o delicado momento que vive.

Algo que sinto que devo compartilhar também, é sobre os problemas “dos outros”. Nunca devemos negar ajuda a quem nos pede, porém, sair oferecendo ajuda a quem não está pedindo, pode ser uma faca de dois gumes. Você oferece, então você se compromete, passa a dar o direito de ser cobrado pelo seu oferecimento e sequer pode falar, qualquer coisa, quando lhe dizem: “eu não te pedi nada, você que ofereceu”. Cuide da sua vida e ajude sempre quem lhe é encaminhado pela espiritualidade. Sua parte principal, nesta jornada, é uma missão espiritual! Somos na maioria um povo pobre materialmente. Já desfrutamos de grandes riquezas no passado e a muitos não souberam aproveitar. Hoje, nossa riqueza a ser aproveitada é espiritual, e é ela que devemos distribuir.

O passado... Passou! Serve apenas para a valiosa experiência a ser compartilhada com humildade. Martirizar-se sofrendo com pensamentos tristes por erros cometidos não vai, de forma alguma, contribuir para sua realização futura. Pelo contrario, irá atrair uma energia pesada da mesma faixa vibracional que você recorda. Lembre das coisas boas e de tudo que pode fazer com a consciência dos erros passados. Do mal que pode evitar compartilhando sua experiência com outros, que passam pelas mesmas situações, e correm o mesmo risco de falhar pela ignorância.

Querer que tenham pena de você ou sentir pena de si próprio, também é uma forma de destruir coisas boas. Ou você ainda acha que este sentimento de pena é positivo? Tia Neiva ficava brava só de ouvir a palavra “coitadinho” se referindo a algum médium.

Saber ouvir é um dom. Para mim que falo muito então... Mas como é gratificante saber ouvir. Saber ouvir não é escutar qualquer coisa que queiram lhe contar. SABER... Escolher o quê ouvir e ter tolerância para ouvir aos que necessitam colocar para fora “aquela energia” e receber de você palavras emanadas de amor, humildade e tolerância.

Finalizando, dedique-se ao que for bom e produtivo, que tenha sentido real em sua vida. Lembre sempre de tudo que é bom e que pode fazer bem a você ou a alguém. Às vezes parece que não temos nada de muito grande para lembrar, mas várias pequenas coisas boas constroem uma grande.

3 comentários:

Algo que sinto que devo compartilhar também, é sobre os problemas “dos outros”. Nunca devemos negar ajuda a quem nos pede, porém, sair oferecendo ajuda a quem não está pedindo, pode ser uma faca de dois gumes. Você oferece, então você se compromete, passa a dar o direito de ser cobrado pelo seu oferecimento e sequer pode falar, qualquer coisa, quando lhe dizem: “eu não te pedi nada, você que ofereceu”. Cuide da sua vida e ajude sempre quem lhe é encaminhado pela espiritualidade. Sua parte principal, nesta jornada, é uma missão espiritual! Somos na maioria um povo pobre materialmente. Já desfrutamos de grandes riquezas no passado e a muitos não souberam aproveitar. Hoje, nossa riqueza a ser aproveitada é espiritual, e é ela que devemos distribuir.

Esplêndido, magnifico, real, e muito sério...
Adorei.
Um abraço, meu querido irmão.

Salve Deus mestre. Obrigada por me lembrar que o passado é passado e deve ficar la no passado. Que reviver as mazelas do passado e querer persistir no erro, no sofrimento, é permitir que nós mesmos nos torturemos e nos transportemos para um padrão vibratório do qual já devíamos ter saído. Mestre sempre que me encontro em certas situações, que parecem ser insolucionáveis, me deparo com uma postagem sua, que me coloca novamente nos trilhos que me mostra qual é a verdadeira missão do jaguar, mostra como o Pai Seta Branca, e nossos mentores espera que nos comportemos dentro da doutrina. E por ser tão grandioso e conhecer as necessidades de cada um. eu tenho que lhe dizer, muito obrigada, mestre Kasagrande.
Ninfa Lua, Cigana Tagana.

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.